História O Virgem - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Retrive, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Sasusaku
Visualizações 1.752
Palavras 4.890
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mortinha da silva, mas o capítulo vai sair sim <3

Exatas não é meu forte, então estou exausta. Acabei de chegar e a primeira coisa que estou fazendo é disponibilizar o capítulo para vocês. Muito amor envolvido, né non?

Capítulo 10 - Tattoo


Fanfic / Fanfiction O Virgem - Capítulo 10 - Tattoo

Sasuke nem tinha ar quando acordou, seu sonho maluco havia roubado isso.

Foi um sonho em que Sakura aparecia provocante no seu quarto de madrugada totalmente nua dizendo que seria a solução dos problemas dele. Céus, ele tinha tantos pensamentos sujos e carnais envolvendo a moça que dormia no quarto ao lado. Ele queria tanto que fosse real.

Se sentou e pegou o celular. Teve vontade gritar ao ver que nem era 4 da manhã ainda.

Ela estava tirando o sono dele, literalmente.

Depois do beijo na garagem, a situação com a rosada só começou a ficar mais séria. Ela não saia de sua cabeça e ele era incapaz de pensar em algo sem ser na garota. Havia tocado seus seios, por cima de roupa, mas tocou e desejou tocar outros lugares sem nenhuma peça de roupa atrapalhando.

Céu, ela era tão incrível. Ele pode sentir naquele momento na garagem que estava a dois passos de perder totalmente a virgindade. Queria tanto perder a maldita virgindade com ela, seria um sonho se tornando realidade.

A rosada era tão gostosa que ele mal podia acreditar que havia conseguido beijá-la de uma forma tão quente sem sentir receio ou medo. Queria tanto repetir a dose. Queria continuar de onde parou e, acima de tudo, mostrar para ela que podia sim ser capaz de molhar sua calcinha e matá-la de tanto prazer mesmo sendo virgem. Queria mostrar para ela que ele era um homem bem provocativo quando queria.

Apenas o pensamento e a lembrança dela em seus braços era o suficiente para deixá-lo duro. Tão duro que chegava a doer. Ela estava o enlouquecendo.

Ele se jogou na cama e suspirou profundamente refletindo sobre os últimos dias.

O rapaz era o tipo de cara que as meninas acham que só existe em filmes. Se apaixonava de uma forma bem intensa e não demorava muito para isso rola. E foi impossível não sentir algo por uma garota tão incrível como a rosada.

Divertida, bonita, inteligente e extremamente sexy sem nenhum tipo de vulgaridade ou apelação. Ela era a coisa mais perfeita que já havia passado na vida dele, e o maldito não sabia como demonstrar isso sem ficar nervoso apenas por ver seu maravilhoso corpo e sorriso.

Era uma grande porcaria ser um pouco tímido.

Depois de um certo tempo pensando na garota com os olhos mais incrível do mundo, ele se levantou para beber uma água e acalmar a cabeça. As duas cabeças.

Estava um pouco escuro e a preguiça de acender as luzes foi mais forte do que tudo. Sasuke era péssimo em localização, então, acertar a mesinha de centro da sala fazendo um som alto, foi algo que ele já esperava e estava acostumado.

Cagou se o som acordou alguém ou não.

Abriu a geladeira e não se importou de beber a água No gargalo mesmo.

— Pego no flagra!

A água caiu no peito nu dele. Estava tão gelada que congelou seus ossos por alguns segundos e arrancou um sonoro “puta que pariu”. A dona da voz era última pessoa que ele esperava no mundo para dar um susto nele e rir desesperadamente com o resultado de sua ação: Hinata Hyuuga.

A morena usava o casaco laranja preferido do namoro e uma calça de moletom mil vezes maior que ela. Obviamente, apenas roupas do Uzumaki. O que provava o quanto eles já estavam íntimos.

— Não sabia que estava dormindo aqui.

A garota acendeu a luz da sala e foi até o cozinha. Apenas aquela luz era o suficiente para iluminar levemente o outro cômodo onde encontrava-se o moreno.

— Eu ia para casa, mas você sabe como Naruto é dengoso às vezes.

Ela pegou um copo e encheu de leite.

Hinata era tímida, mas às vezes tinha seus momentos de desinibição. Eram momentos raros e ela precisava estar muito feliz e confortável, mas acontecia. Uma graça de pessoa e o Uchiha adorava saber que o imbecil de seu amigo estava com ela.

Sendo sorte ou macumba, ele estava feliz em ver o casal indo bem.

— Se resolveu com Naruto?

— Sabia que ele tinha dito algo para você – sorriu se sentando – Sim, estamos ótimos. Ele ficou uma graça depois de admitir que tem ciúmes de Kiba. E olha que eu nem falo mais com ele. Nem tivemos algo sério, meus pais que exageram muito.

— É natural ele sentir ciúmes – ela apenas concordou enquanto bebia o leite. – Mas o Kiba, cara? Com tantas pessoas no mundo...

— Não foi nada sério, ele estava lá e eu carente. Não durou nem dois meses e eu terminei assim que Naruto apareceu na minha vida – ela deu um leve sorriso – Mas enfim, eu e Temari estamos doidas para saber o que o tá rolando entre você e Sakura.

O Uchiha arqueou uma sobrancelha e encarou a amiga. Revirou os olhos e suspirou pesado, era óbvio que Temari estava cheia de ideias.

— Somos amigos, bons amigos.

— Sasuke, eu estava na cozinha quando você brincou de passar a língua na mão dela, acho que só eu notei, mas ok. Estava sentadinha  aqui quando vocês entraram com aquelas caras. E Naruto me falou sobre as roupas jogadas no chão e você ter dormido no quarto dela.

Ele suspirou mais uma vez, ainda mais pesado do que antes. Devia ter pensado antes de tentar provocar Sakura daquela forma no natal, mas foi incapaz de se segurar vendo a chance em sua frente.

Também devia ter sido mais cuidadoso quando entrou em casa depois do beijo intenso, mas era complicado se sentir tão excitado e fingir que nada havia acontecido.

— Só bons amigos – insistiu com um leve sorriso sacana que ela percebeu.

— Ata – se levantou sorrindo de forma maliciosa – Também já fui uma ótima amiga de Naruto.

E com esse comentário, a morena se retirou.

Óbvio que ele sabia que uma hora ou outra Temari iria perceber a tensão entre eles, mas era uma verdadeira surpresa ver que até Hinata estava interessada no assunto. Era bom ver que a Hyuuga estava se sentindo mais confortável com ele.

Com um longo suspiro seguido por um gemido de frustração, o moreno voltou para cama. Tinha que tentar dormir as últimas horas que o restava.

Sentiu aquele sono gostoso o consumindo, mas não demorou muito para ser interrompido novamente. Desta vez, era Naruto que berrava e batia na porta feito um louco. E, diferente de antes, já estava claro lá fora.

O Uchiha dormiu tão pesado que nem notou.

Quando abriu a porta para o amigo, o loiro simplesmente o puxou com toda a força para fora do quarto. Estava tão empolgado que o Sasuke sonolento mal conseguia acompanhar com os olhos os movimentos rápidos e fala empolgada do amigo.

— Se arruma rápido, vou fazer minha primeira tatuagem hoje.

— E eu tenho mesmo que ir? – resmungou coçando os olhos.

— Óbvio, você e Shikamaru tem essa obrigação como sendo meus melhores amigos. E preciso de você pra apertar a sua mãozinha, mozinho.

— Caralho, Naruto. Mozinho foi a cumulo desses seus apelidos idiotas.

O loiro apenas gargalhou e coçou a nuca se divertindo. Adorava encher o moreno de apelidos como aquele apenas para ver a sua reação.

— Só me dê 20 minutos – e voltou para o quarto.

E 20 minutos foi tudo que ele precisou. Tomou banho, vestiu uma roupa qualquer e ainda sobrou tempo para comer alguma coisa.

Na cozinha, Naruto fez a boa ação de arrumar um café para o amigo. Hinata já havia ido embora e Sakura pegou uma carona com ela até a biblioteca. A rosada disse que precisava de um dia para pensar na vida longe da bagunça daquela casa.

O Uchiha sabia bem o que ela tinha. Provavelmente, estava começando se sentir como ele. O moreno não pensava dessa forma por ser achar o gostoso irresistível, ele apenas pode ver nos olhos da rosada que ela se sentia da mesma forma que ele.

Shikamaru disse que esperaria todos no lugar onde Uzumaki ia fazer a tatuagem. Disse que só estava indo porque precisava rir um pouco e a cara de Naruto seria o suficiente para melhorar o seu humor.

— Você já escolheu? – o moreno perguntou enquanto descia do carro.

Nara estava do outro lado da rua com as mãos no bolso e um fone de ouvido vermelho nada discreto.

— Óbvio – respondeu apenas quando já haviam atravessado.

Sasuke suspirou e negou com a cabeça com um sorriso. Não conseguia nem imaginar o que o maluco havia escolhido para marcar na pele pelo resto de sua vida. Esperava qualquer coisa dele.

— Espero que não seja “Hinata” – Shikamaru brincou enquanto guardava o fone.

Naruto apenas ignorou a brincadeira e subiu as escadas. O estúdio do tatuador ficava em cima de uma loja de material de construções. Um prédio com várias salas comerciais alugadas.

Era meio estranho, mas o loiro garantia que tinha ótimas recomendações sobre aquele lugar.

— Sakura disse que ele é o melhor da cidade – disse abrindo a porta que dava acesso ao estúdio.

— Sakura? – o Uchiha quase gritou.

— Sim, ela tem uma tatuagem e fez aqui. Enfim, Sai é namorado de uma amiga dela. Tem a nossa idade, mas é o melhor que ela conhece.

E o moreno achava que Haruno não podia ser mais surpreendente. Grande parte da mente do Uchiha focou a atenção em imaginar qual era o tipo de marca que a rosada carregava na pele.

Poderia ser um unicórnio bem colorido, era a cara dela. Mas também era a cara dela uma maravilhosa tatuagem na bunda. Ou até mesmo uma daquelas grandes que começa na barriga e vai indo até depois do cós da calça.

Ela possuía esses dois lados e era difícil deduzir qual foi a personalidade que escolheu o desenho.

Céus, qual era a maldita tatuagem dela?

O lugar parecia vazio. Tinha uma decoração tanto quanto interessante. Era uma pequena sala de espera com as duas paredes laterais nas cores brancas e a de fundo preta. Uma porta com um cortina artesanal de miçangas bem coloridas.

Tocava um solo de guitarra bem baixinho e havia dois sofás negros para que pudessem esperar.

Quando o Uchiha cogitou a ideia de se sentar, uma loira entrou no lugar pela porta do lado da parede negra.

Era bonita. Cabelos extremamente longos, com os olhos azuis em um tom maravilhoso e diferente. Usava uma blusa branca e uma saia preta que ia até o pé e, para completar, tinha um sorriso incrível

— Meu Deus, Sasuke Uchiha? – ela quase gritou.

Obviamente, ele não teve uma reação. Não sabia se fazia cara de confuso ou se seguia o fluxo como se a conhecesse.

— Sakura fala bastante de você – sorriu abertamente.

— Ah, então você deve ser Ino, certo? – era Naruto que falava.

— Eu mesma. E você deve ser Naruto, você está marcado para agora, né? E também é namorado da Hina, é uma pena só estar te conhecendo agora, mas ando muito ocupada.

— Ah, eu entendo perfeitamente. Hinata fala tanto de você que eu sinto que já te conheço.

— Prometo marcar um dia para dar um role com todos vocês. Enfim...

A loira fez um sinal com a cabeça para que os rapazes a seguissem até depois da cortina de miçangas.

Do outro lado, o lugar era bem despojado. O piso preto e três das quatro paredes eram repletas de desenhos coloridos a aleatórios. A parede que restava, era um espelho gigante e isso dava a sensação do lugar ser maior do que era.

O local possuía até um pequeno bar.

— Temari ajudou a gente na decoração, Shikamaru – ela falava animada enquanto balançava os fartos seios. Talvez nem notava a mania que tinha.

— Então já se conhecem? – Naruto quis saber.

— Estudei com ela no ensino médio, conhecia Temari graças a Ino. Você só não a conheceu ainda por que passa tempo demais namorando o Sasuke – ele se sentou acendendo um cigarro.

— Se a intenção era ofender, saiba que não deu certo. Naruto já fez coisa bem pior – o Uchiha se sentou também.

— Suponho que o loirinho seja o meu próximo cliente.

Quando se pensa em um tatuador, a primeira coisa que vinha na cabeça do Uchiha é um cara malhado com tatuagem até nas pálpebras. Imaginava até um carequinha com uma barba robusta.

Mas não era isso que o rapaz a sua frente era.

Preto da cabeça aos pés. O rapaz alto e pálido usava apenas preto e isso passava a sensação de que, a qualquer momento ,ele fosse se isolar como um verdadeiro emo. Se o Uchiha o visse na rua, nunca poderia imaginar que aquele rapaz franzino era dono de um estúdio de tatuagem.

— Eu pensei bastante sobre o que você me pediu e cheguei nessa conclusão.

Ele levantou uma folha de papel com um esboço bem desenhado. O que estava ali era de cair o queixo. Impossível o loiro querer marcar aquilo na própria pele para sempre.

— Não fode, Naruto! – o moreno não conseguia acreditar.

Era um fuê de cozinha. Estava um pouco estilizado e isso deixaria o visual um pouco mais legal, mas ainda era tosco ele tatuar aquilo.

— Mal consigo me controlar. Estou doido para ver pronto.

E a frase fez Sasuke revirar os olhos e Sai sorrir empolgado.

O emo discreto levou o animado Uzumaki até a cadeira e o Uchiha se sentou ao lado de Shikamaru.

Ainda estava indignado com a tatuagem que o amigo havia escolhido. Certo, ele era capaz de entender que o loiro tinha uma paixão quase que incontrolável por qualquer coisa que envolvesse a gastronomia, mas céus, tatuar um fuê era algo um pouco exagerado demais na visão do moreno.

Nara e o Uchiha entraram em uma pequena discussão sobre a tatuagem do amigo e chegaram à conclusão de que Naruto era, claramente, demente. Mais demente do que pensavam que era.

Mas Ino entrou na conversa. Ficou dez minutos falando um discurso que parecia ensaiado sobre como era aquilo que o faria feliz, então ninguém podia fazer absolutamente nada. Acharam melhor calar a boca quando viram que a loira não daria o braço a torcer. Debatia muito bem e sabia convencer com argumentos impecáveis.

— A festa de ano novo ainda está de pé, né? – a loira deu um maravilhoso sorriso.

Ino era um garota incrível. Uma loira de parar o transito, sem dúvidas. O Uchiha mal conseguia se colocar no lugar e Sai, afinal, ter toda aquela areia dentro de seu caminhão devia ser bem pesado. Ele podia até imaginar a agonia que ele devia passar quando algum engraçadinho ousava mexer com ela na rua.

Foi impossível pensar que se Sakura fosse sua namorada, ele se morderia de ciúmes todos os dias. Deixou até um sorriso bobo ao imaginar como seria andar de mãos dadas com a rosada.

— Eu já estava quase me esquecendo dessa festa – o Uchiha bagunçou os cabelos.

Havia concordado que ajudaria na organização, mas não estava preparado para isso. As festas organizadas por Hinata e Temari eram as festas que entravam para a história. Sempre as melhores festas, sempre as mais malucas.

Em todos os anos de amizade, ele havia ido em apenas uma festa delas. A primeira e última. Foi na casa da Hyuuga no Halloween do ano anterior.

Foi uma loucura. Fez questão de ir embora quando uma vampira de cabelo verde resolveu que o Uchiha seria uma ótima presa.

— A festa está a todo vapor. Temari não para de encher meu saco sobre isso – revirou os olhos afundando no sofá – Espero que todo o esforço dê bons frutos no fim.

— Ah, com certeza vai dar. Eu vou estar, pessoalmente, ajudando na organização. Já falei com Sai e vamos tirar uma folguinha nesse dia.

— Eu pretendo fugir para as colinas, festas não são o meu forte. E tenho traumas em ir em festa organizadas por Temari.

— Como se Sakura fosse permitir o namoradinho fugir da festa que ela está toda empenhada – Ino arqueou uma sobrancelha.

— E desde quando somos “namorados”? – fez questão de acrescentar o aspas.

— Ainda não são. Mas conheço aquela cabeçuda a tempo suficiente para saber que isso não vai demorar para acontecer – o sorriso foi tão largo que ele teve vontade de quebrar a cara da loira.

Estava pronto para rebater, mas, graças a Naruto que se contorcia de dor na cadeira enquanto Sai começava o seu trabalho, ele se manteve calado. O local escolhido para o desenho foi o antebraço e seria hilário gravar alguns segundos da dor do amigo.

Não pensou muito quando sacou o celular e gravou a carinha do Uzumaki em desespero.

— Naruto, pela vigésima vez, não faz força no braço. Só tente ficar calmo.

Sai parecia achar divertido ver seu cliente parecendo uma criança grande. E de fato era, e estava registrado no celular do Uchiha para sempre.

— Depois de ver tanta gente nessa cadeira, aprendi que encher a cara ajuda a esquecer a dor.

Ino foi muito boazinha ao oferecer umas doses para ele. Disse que seria por conta da casa e ajudaria a aliviar a dor. Quase uma flor de pura gentileza.

Alguns minutos depois e até mesmo Shikamaru estava um pouco altinho, sobrando apenas Sasuke no trio sóbrio. Mas não duraria muito. O moreno já teve experiências com a rosada que o fez se acostumar, pelo menos um pouco, com a bebida. Até estava cogitando a ideia de beber um pouco para descontrair.

— Não vai querer nada mesmo? – perguntou pela terceira vez.

— O Uchiha não bebê, loira – o Nara deu um gole em sua bebida.

— Sakura me disse isso, mas não acreditei quando ela me mostrou sua foto. Quer dizer, você tem esse ar de quem fica bêbado em qualquer festinha.

— Nem em festas ele vai – o amigo parecia se divertir.

— Se querem saber, eu mudei um pouco minha opinião sobre bebidas com Sakura.

O Uchiha aprendeu, em uma única tarde, que beber não era algo tão ruim. Após colocar para dentro vinho barato, umas doses de whisky pareciam água.

Não bebeu muito, apenas o suficiente para descontrair com Naruto e ajudá-lo e não fazer tanto escândalo, mas quando se deu por si, já estava sentadinho ao lado do loiro e até deu a mão para ele apertar.

— Amorzinho, você está tão atencioso – apertou o nariz do moreno de forma delicada.

Uzumaki não estava nada bem. Parecia que seu sangue já havia se tornado álcool e, mais umas doses, ele poderia dormir feito um neném. O corpo mole, as bochechas levemente coradas e a forma de falar foram motivos para mais um pequeno vídeo do momento.

O Uchiha estava tão leve que ria alto por qualquer motivo. Shikamaru quase não reconhecia o próprio amigo, nunca havia o visto bêbado e aquele momento era memorável.

Uma pequena contorcida do loiro seguida por um gemido de dor fez Sasuke rir alto.

— Certo – o moreno bateu na poltrona enquanto olhava o amigo – Você é um frangote, isso nem deve doer tanto.

— Quer vir no meu lugar?

— Quando você terminar eu faço uma também – estava totalmente decido.

A frase era a evidência que ele não estava tão sóbrio como achou. A fala estava um pouco embolada e, com certeza, não poderia voltar dirigindo para casa. Até Shikamaru e Naruto estavam mais sóbrios que ele naquele momento.

Era o que acontecia quando alguém sem hábito bebia muito de uma vez só. E bebida nunca foi o seu forte. Por que diabos decidiu beber justamente naquele momento?

— Você tem vaga pra mim, né? – soluçou e em seguida riu como se o som fosse muito divertido.

Sai parecia achar a situação divertida. Na verdade, ele parecia achar tudo divertido com aquele sorrisinho discreto. Após um tempo pensando, ele deu a primeira risada sonora e assentiu com a cabeça sem parar o seu serviço no braço do rapaz.

Foi só quando o Uchiha se sentou na cadeira quente que ele notou que estava um pouco bêbado. Escolheu um desenho que talvez fosse se arrepender depois e disse que faria a tatuagem no mesmo lugar que Uzumaki. Queria sentir a mesma dor que ele.

Se arrependimento matasse, ele já estaria na quarta morte.

Enquanto a dor tomava conta do rapaz, a álcool ia embora de seu organismo. Com isso, a dor ficou mais intensa e ele percebeu a idiotice que estava fazendo.

— Eu sou muito otário.

Dizia de forma repetida enquanto encarava o próprio braço sendo pintado pela tinta negra.

Quando o serviço terminou. O tatuador se esticou todo e sorriu orgulhoso dos dois trabalhos feitos. Sai era realmente muito bom naquilo que fazia, se o desenho escolhido por Sasuke não fosse tão idiota quanto o de Naruto, o Uchiha teria orgulho de mostrar a tatuagem.

O moreno ficou tempo o suficiente naquela cadeira. Tanto tempo que já estava até sóbrio quando se levantou. A tatuagem tinha ficado ótima, mas ele estava totalmente arrependido de ter feito aquilo em um momento de embriaguez.

Diferente dele, Uzumaki exibia o braço direito com orgulho.

Eles fecharam a conta com o casal e foram embora. Shikamaru apenas ria com as pérolas que agora tinha em seu celular. Fez questão de gravar tudo.

Gravou até a conversa super séria que o Uchiha teve com o Uzumaki minutos antes da tatuagem do loira ficar pronta. Era um vídeo que o Nara nunca ousaria excluir.

— Eu queria muito poder voltar no tempo.

— É, mas não pode. Agora você tem um gatinho marcado em seu braço para o resto de sua vida – Shikamaru nunca deixaria aquilo passar.

Eles entraram no carro. Shikamaru iria dirigir até a sua casa, Naruto no banco de trás e O Uchiha no banco no passageiro.

A tatuagem escolhida pelo Sasuke bêbado foi um gato minimalista meio geométrico. Não era feio, era até bonito, mas revelava o lado mais sensível que ele gostava de deixar guardadinho apenas para os mais íntimos.

— É só dizer que é o Sr. Botinhas. Você vai pegar muita mina com essa tatuagem – disse o loiro colocando a cabeça entre os dois bancos – Shika, me passe todos os vídeos que você gravou, tenho que mostrar ele para a Saky.

O Uchiha apenas revirou os olhos e deu partida. Mal conseguia dirigir sem ter a atenção puxada para a mancha preta em um sua pele. Ele sempre teve o desejo que tatuar algo, mas sempre achou que seria algo bem mais legal do que um gatinho geométrico.

Quando chegou em casa e ouviu Sakura rindo no telefone, foi automático esconder a tatuagem com a manga do casaco, não queria ser zoado naquele momento.

A rosada encarou os dois com um largo sorriso e os chamou para se juntar a ela na cozinha antes de desligar o telefone.

— Mostre-me – disse assim que desligou a chamada.

E Naruto exibiu o braço orgulhoso para a rosada. O Uchiha se aproveitou que ela não sabia de sua tatuagem e fingiu que ela não existia.

— Ficou muito boa! Eu disse que Sai era ótimo nisso – ela sorriu e encarou o Uchiha esperando algo.

— O que foi?

— Ino me contou que você fez uma tatuagem bêbado.

Ele revirou os olhos e apoiou o braço na mesa levantando a manga. A garota riu um pouco, mas depois depositou um leve carinho próximo a marca.

— Ficou um amor, combina com você – sorriu ainda olhando para a marca.

— Enfim, vou tomar um banho. Namorem o quanto quiserem – já estava quase no corredor, mas voltou correndo – Assista os três vídeos que tem aqui e ganhe a sua noite – e se retirou rindo.

Ela continuava acariciando o braço do rapaz com um leve sorriso enquanto encarava a tatuagem recém feita. Com um pequeno suspiro, a moça pegou o celular do loiro, a senha de quatro dígitos era óbvia, era a data que o namoro com Hinata se tornou oficial perante aos pais dela.

— Você vai mesmo assistir? – ele resmungou fazendo um pouco de charme na voz.

— Óbvio, meu bem – sorriu de leve enquanto virava o celular.

O moreno se levantou e se sentou ao lado dela para que pudesse ver sua sessão de pagação de mico em HD filmada pelo grande cinegrafista Shikamaru Nara.

O primeiro vídeo era bem curto, 13 segundo. Não tinha uma só fala, apenas o zoom no máximo focando o rosto de Sasuke que bebia e encarava o próprio copo com cara de paisagem como se o copo fosse um artefato mágico.

Sua cara era hilária. Parecia uma criança encarando um objeto estranho. Foi o suficiente para arrancar de Sakura uma pequena risadinha.

O segundo vídeo era mais longo. O Uchiha estava sentado no chão e segurava a mão de Naruto. Segurava firmemente um copo, mas não o encarava da mesma forma que encarava o outro, seu olhar estava todo focado no loiro.

Amorzinho, você está tão atencioso – apertou o nariz do moreno de forma delicada.

O Uchiha se lembrava da fala do amigo com clareza, mas não se lembrava de nada que vinha a seguir.

Cara, que mania horrível de ficar me dando apelidos.

Eu sei que você gosta.

Só um pouquinho – o moreno largou o copo vazio no chão para fazer um sinal com a mão e riu.

Você é todo burro.

– foi tudo que disse e preencheu a fala sem nexo com um pequeno soluço.

Saky, cara. Ela está tão na sua.

Eu que estou na dela. Tô até de quatro por ela. Eu ando sonhando com aquela maldita toda noite, sempre acordo melado.

É uma informação muito necessária, Sasuke – era a voz de Shikamaru.

Calado, Nara. Eu estou falando com o meu namorado, não com você.

A risada alta do Nara foi audível, a câmera tremeu e começou a filmar a chão. Mas antes do fim do vídeo, um “Puta que pariu, Sasuke. Você está muito bêbado” do cinegrafista foi ouvido a distância.

O Uchiha suspirou enquanto ouvia a risada de Sakura que era alta. Estava morto de vergonha e não sabia o que fazer para lidar com aquela pequena situação estranha.

— Acho que você já pode parar por aí – ele puxou o celular da mão dela.

Não sabia qual era o terceiro vídeo, só sabia que ela não podia, de forma alguma, assisti-lo. Tinha medo de perder o resto da dignidade que ainda tinha.

— Para de ser tão chato, Uchiha.

Ela se levantou e foi para cima. Era bem mais baixa que ele, então, bastava apenas levantar a mão para que ela não conseguisse pegar o aparelho.

Era hilário ver a rosada tentando escalá-lo. Seu rosto de frustração só fazia crescer a vontade dele de rir. Planejava não abaixar a mão nem tão cedo apenas para ver aquele pequeno momento durar o máximo de tempo possível.

— Você é um saco.

Ela deu um pulo, mas só serviu para tirar o equilíbrio dela. Com passos sem controle, Sakura literalmente caiu em cima do moreno, fazendo ambos irem para trás. Se não fosse o armário, eles teriam encontrado o chão de uma forma incrível.

Sasuke apoiava a mão livre no móvel e ainda mantinha a outra erguida. Porém, o moreno nem se lembrava o motivo de estar com a mão daquela forma enquanto encarava aqueles olhos tão perto dele.

Na ponta do pé, ela quase conseguia ficar na mesma altura dele. Se quisesse, podia até fazer um pequeno esforço para pegar o celular, mas estava perdida demais naqueles olhos.

Tão próximos. Ela estava no alcance dele.

Com calma, ele abaixou o braço e largou o aparelho. Segurou bem firme a cintura dela e não ousou desviar o olhar. Não queria perder nem um pouquinho dela, queria memorizar cada detalhe daquele rosto que já era sinônimo de perfeição.

— Você disse que continuaríamos outra hora aquilo que começamos ontem.

Foi uma delícia ver aquele sorriso safado surgir em sua boca lentamente. Foi mais delicioso ainda quando e rosada mordeu levemente os lábios da forma mais safada que ela já havia visto em toda a sua vida.

Ela relaxou o corpo voltando para a sua altura de sempre e passou a ponta dos dedos na lateral do rosto dele.

— Você quer continuar, Uchiha?

— Eu preciso responder?

Sua risada foi maravilhosa.

— Prefiro fazer um pequeno joguinho com você, o que acha?

— Horrível.

— Eu acho ótimo. Vou falar uma frase e deixar você curioso e pensando nisso da mesma forma que pensa nos meus piercings.

— Porra, Sakura – sentiu seu membro latejar – Assim você me fode.

— Ah, pretendo foder da forma mais literal possível, mas não hoje – deu seu melhor sorriso sedutor – Eu tenho uma tatuagem e eu fiz ela quando estava bem bêbada.

— E como é a tatuagem?

— É segredo.

— E onde você fez a tatuagem?

— É em um lugar que eu não saio mostrando – ela riu – Mas prometo que você verá mais cedo ou mais tarde – mordeu os lábios provocativa.

Ela deu dois passos para trás ainda com aquele maldito sorriso.

— Isso é tortura.

— Eu sei. Quero te deixar maluco por mim.

— Mais? Isso é possível? Eu até fico de quatro se você pedir com jeitinho.

— Enfim, estou tão cansada – se esticou ainda sorrindo com o comentário dele – Acho que vou ler alguma coisa antes do jantar.

E foi com aquela frase que a rosada se retirou ainda carregando aquele sorriso provocativo que enlouquecia o rapaz.

Céus, onde caralhos era a tatuagem? E como era? Imaginar as milhares de suposições só fazia o espaço dentro da calça dele ficar bem menor.

Ele iria ver uma hora ou outra? O que ela queria dizer? Sua mente já estava indo para outro lugar novamente. O deixaria ainda mais louco se continuasse daquela forma provocante.


Notas Finais


Tatuagem do Sasuke > https://i.imgur.com/KPEVPO2.jpg
Tatuagem do Narutinho > https://i.imgur.com/PEp4Mt5.jpg
Tatugem da Sakura > Sinto muito, mas isso vai continuar como um pequeno segredo por um tempo :v Conseguem imaginar o que pode ser?

Me matem se tiverem vontade, mas essa pequena enrolação vai continuar por um tempinho.
Não é tão ruim, com isso de joguinhos, a intimidade fica maior e a química deles só vai ficar mais incrível. E também é uma forma de esticar mais a fanfic ghjkle

Sasuke bêbado é meu espirito animal. mELHOR PESSOA DESSE MUNDO É ESSE HOMEM <3

Enfim, amo vocês <3
Até o próxima que sai na quarta sem falta ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...