1. Spirit Fanfics >
  2. O Vizinho >
  3. Naruto em perigo.

História O Vizinho - Capítulo 6


Escrita por: e KaguraWay


Notas do Autor


Olá! Boa noite.
Estão se cuidando direito ?
Lavem bem as mãos e fiquem em casa lendo as Fics.

O Destino não está jogando a favor do Naruto.
Sasuke se apresse senão pode ser tarde demais....

Descubram a seguir . Boa leitura.

Capítulo 6 - Naruto em perigo.


Fanfic / Fanfiction O Vizinho - Capítulo 6 - Naruto em perigo.

POV Sasuke

            Termino de tomar meu banho e logo sigo em direção ao acampamento, Kami eu não vejo a hora de voltar para casa, graças á Juungo eu conseguir ligar para o Naruto ontem pela manhã e a ligação nem foi finalizada, inferno o meu oficial apareceu fazendo barulho e como não podemos trazer celular eu desliguei as pressas e Juungo o desligou e escondeu após isso. Juugo contou para gente que Suigetsu está com uma gripe forte e costuma fica bem mal nestes momentos, e como eles moram juntos é normal a preocupação dele com o namorado que ficou sozinho e doente, e graça a ele os demais conseguiram entra em contato com suas parceiras.

            Logo que chegamos alguns dos nossos pertences foram confiscados como sempre, levaram meu celular e graças a uma manobra o Juungo conseguiu manter o seu consigo, estamos invadindo o terreno de um grupo de Hackers e se usarmos celulares eles irão saber de nossa aproximação e não conseguiremos chegar ao Líder e estamos nos preparando para invadir em algumas horas, visto as roupas ainda com o corpo molhado e entro no acampamento e avisto os caras próximos a Juungo que tem o celular em mãos e ele parece preocupado, com uma toalha eu começo a secar o cabelo e a vestir o meu colete vendos me olhar.

- O que foi?

- Acabei de ligar o celular, tem uma mensagem do Naruto.

            Logo que escuto as suas palavras eu termino de fechar o colete e me aproximo a passos largos, a expressão deles é algo que me intriga e ainda assim eu pego o celular que é estendido para mim, com um pequeno movimento eu abro a mensagem e leio atentamente.

 *Sasuk, por favor, o Gaara está diferente. *

            Releio a mensagem enquanto seguro o celular com a mão, meu nome está falho e ele deixa claro que algo está diferente, Gaara? O que o ex-namorado dele estaria fazendo? Dou um longo suspiro e aperto o celular com força, e nítido o desespero dele, me volto aos caras e eles negam com a cabeça.

- Não me peçam para ficar?

- Não é tão simples, não pode simplesmente ir embora. – Shikamaru suspira. – Notamos o desespero no pedido de ajuda dele, Sasuke mantenha a calma, hoje iremos invadir o esconderijo do cara e amanhã podemos volta.

- E se não der tempo. – Suspiro irritado. – Eu nem sequer conheço esse Gaara e conhecendo bem o Naruto e nítido que ele está assustado, eu vou voltar.

- Sasuke... – Sai me olha nos olhos. – Não pode pedir dispensa assim e nem sair tão facilmente.

- Espera que eu fique de braços cruzados enquanto eu nem sequer sei o que está acontecendo com o Naruto, não me peça isso! – Grito irritado.

- Não estamos dizendo pra fingir que nada está acontecendo. – Lee suspira. – Calma cara.

- Fazemos assim. – Juungo cruza os braços. – Terminamos a missão ainda hoje e partimos assim que o sol nasce, iremos com você.

- E garantimos que você não matará ninguém. – Shikamaru sorri me olhando. – Mais não pense nisso agora, se concentre na missão.

- É Uchiha a missão, não pode ir e salvar o Naruto se estiver machucado. – Sai falando enquanto me olha.

            A única coisa que consigo fazer e suspirar e concorda com eles, sei que estão preocupados com Naruto e também comigo e isso é um pouco acolhedor ainda que eu não consiga tira aquele loiro da minha mente.

 

POV Naruto

 

            Assim que terminamos de almoçar eu começo a recolher as louças e as levo para a pia, consigo sentir os olhos dele sobre mim e isso me assusta, meu rosto ainda dói e as palavras dele me deixam atento e assustado, enquanto lavo a louça eu sinto ele se aproximar e me abraçar de forma carinhosa e cuidadosa e logo beijo meu ombro.

- Senti tanta saudade disso. – Gaara sorri. - Dá gente, dá forma como você cuida das coisas, dá sua comida maravilhosa e sempre saborosa, dessa casa, de tudo. – Ele beija meu pescoço. – Saudade do teu cheiro e tudo em você, Kami como pode ter ficado ainda mais lindo.

            Todo meu corpo trava ao ouvi as palavras dele, Gaara continua a beijar meu pescoço e eu tento não tremer com o ato dele enquanto lavo a louça e assim que o mesmo se afasta, eu me permito respirar e me apoiar na pia, termino de lavar a louça e logo sigo em direção à lavanderia, amarrei Kuro próximo a máquina de lavar e preciso alimentá-lo.

- Aonde vai - ele pergunta num tom sério

            Viro-me vendo Gaara de braços cruzados próximo a cozinha, Kami eu nem vi ele se aproximar, nada digo e o vejo se aproxima e pega meu pulso me puxando para o quarto e assim que entro o olho com curiosidade e medo.

- O que significa isso? – Grito o olhando.

            Em uma fração de segundos ele se aproxima de mim e em um movimento rápido que eu nem sequer consigo acompanha a mão dele acerta em cheio meu rosto e eu apenas sinto meu rosto vira e meu corpo todo perde as formas ao me sentir ir ao chão, meu reflexo me faz cair apoiado sobre meus braços enquanto ouço passos atrás de mim logo a grande mão dele me puxa pelo cabelo me fazendo o olhar enquanto todo meu corpo treme.

- Primeiro nunca grite comigo, entendeu? – Gaara sacode a minha cabeça com força. – Segundo, não te quero perto daquele pulguento, amanhã mesmo eu me livro dele de vez, seremos só nós dois.

- O... O que?-pergunto assutado.

- Amor... – Gaara suspira me puxando para seus braços. – Lambra-se no começo, era só nós dois, às vezes eu preparava o jantar e sempre te fazia companhia, nada mudou. – Ele  me olhando enquanto me puxa pelos braços. – Só precisará sair daquele escritório, eu ganho bem e não te quero perto daquele cara.

- Gaara.... – Puxo o ar o olhando. – Isso é uma loucura, você não está bem, vamos conversar e ir em um médico.

- Naruto. – Ele suspira irritado. – Faça o que eu mando, está bem! Não seja teimoso. – Ele aperta meus braços. – Não me deixe irritado.

- N... Não pode fazer isso, não pode manda em mim. – O olho com raiva.

            Sinto os apertos fortes de suas mãos em meus braços, e ele me carrega e me joga na cama e eu sinto um soco forte e poderoso sobre minha boca, o impacto e tão forte que eu nem consigo me levantar, enquanto o vejo sair de próximo de mim e fechar a porta, sinto tanta dor no meu rosto que nem sequer consigo senti-lo e com toda a força que há em mim eu saio da cama e corro até o banheiro e ao ver meu reflexo eu percebo o quão miserável eu estou.

Todo o lado direito do meu rosto dói, minha bochecha está toda vermelha e no canto de minha boca a um pequeno corte que sangra por conta do impacto com meu dente, me sinto cansado e começo a tirar a roupa em busca de um banho e volto para cama em buscar de acorda desse pesadelo.                            

            Acordo assim que ouço latidos ao fundo, com cuidado eu abro os olhos e sinto os braços de Gaara em volta de mim, ele dorme de forma suave e nem parece à pessoa da noite anterior e lembra me faz sentir as lágrimas fluírem dos meus olhos cansados, foi difícil dormir após a briga que tivemos.

 Após ter tomado banho eu voltei para o quarto e me deitei, enquanto olhava para a janela e via as cortinas do quarto de Sasuke fechadas, gritar não vai adiantar é sábado e os vizinhos sempre saem e só voltam no domingo à noite e enquanto eu pensava em como fugir eu acabei adormecendo, somente acordando ao sentir os beijos molhados de Gaara sobre meu pescoço enquanto apertava a minha cintura com as mãos firmes.

- Você é tão cheiroso. – Ele lambe meu pescoço. – Senti saudade do teu gosto.

- G... Gaara.

- Sempre me arrependi de não ter tido você pra mim. – Gaara me olha. – Deveria ter te devorado antes de ir embora.

- N... Não, por favor.

            Gaara nem sequer me ouviu, ele nem sequer me deixava falar e começou a alisar minha cintura e em um movimento rápido ele se levanta e me puxa para seu colo e continua me apertando em seus braços, arranho seus braços e o empurro e ele nem sequer se move.

- Não faça isso... Gaara.

            Sinto meu corpo travar ao ver ele parar seus movimento e beijos em meu pescoço e se afasta enquanto mantém um sorriso sádico e leva ambas as grandes mãos ao meu pescoço e começa a apertar e levantar seus olhos em direção aos meus que demonstram todo meu pânico.

- Você dormiu com ele, não foi? – Ele aperta mais meu pescoço. – Responde, você abriu as pernas para outro homem?

- Gaa... Gaara está me machucando.

- Estou é, sabe o que é se machucar? – Gaara sorri me olhando. – É saber que o meu namorado está saindo com outra pessoa! Saber que meu namorado e um infiel! Dói saber que eu estive sobrevivendo em um inferno e rezava para voltar para alguém que dorme com qualquer um, como uma puta. – Ele aperta mais meu pescoço. – Como você pode.

- Vo... Você está... machucando.

- E os meus machucados, como eles ficam. – Gaara suspira e me olha. – Quer saber, você me dá nojo.

            A falta de ar me faz aperta os pulsos dele com toda as minhas forças e nem sequer tem efeito nele que se levanta enquanto continua a me sufocar, Gaara tem lágrimas em seus olhos, enquanto me sufoca e me deixa ainda mais sem forças, seu aperto continua firme e eu não consigo mais sentir ar em meus pulmões, enquanto perco as forças dos braços e choro o vendo chorar enquanto me olha e logo tudo escurece.

 

POV Sasuke

            Observo as horas no celular e dou um longo suspiro, Juungo dirige de forma apressada e me proibiu de dirigir e em nada pude discutir. A missão fora um sucesso e nós já sabíamos disso, nosso pequeno grupo é muito bom em manter a formação e em seguir as instruções de Shikamaru que o nosso excelente estrategista, e assim que terminamos de entrega o relatório eu segui para meu carro e me preparava para ir atrás de Naruto e foi nesse momento que Sai se colocou em minha frente me impedindo.

- Não me diga que está indo agora?

- Eu não digo, já estou indo, Sai por favor me deixe ir. – Suspiro o olhando.

- Cara a gente passou a noite em claro, e você nem trocou de roupa. – Lee se aproxima me olhando. – Você nem tirou suas armas.

- Eu estou perdendo tempo com vocês. – Suspiro os olhando.

- Vamos logo, eu dirijo e você nos dê todas essas armas. – Juunga fala se aproximando. – E nada de esforço, esse corte no pescoço é fundo e você nem deixou eles fazerem direito o curativo.

- Eu estou bem, vamos logo.

            Após a nossa breve discussão eu vi Shikamaru, Lee e Sai irem para o carro de Lee e Juungo pegou as minha chave de minha mão e logo entrou em meu carro, enquanto eu fui para o passageiro, logo que pegamos nossos pertencem eu observava meu celular e havia algumas ligações de Itachi meu irmão mais velho e também da minha mãe, não ter encontrado nada de Naruto me deixa ainda mais impaciente, enquanto volto a ligar para o número dele que somente vai para a caixa postal, dou um longo suspiro observando a paisagem sobre a janela.

- Ao menos chama? – Juungo fala enquanto dirige.

- Direto na caixa postal, algo está muito errado. – Suspiro cruzando os braços.

- Esse ex do Naruto, o que ele faz?

- Não sei, foram poucas as vezes que falamos dele, eu conseguia ver a grande mágoa que ele deixou em Naruto e isso me deixa irritado. – Volto a olhar o celular. – Algo me diz que há coisas a mais nesse retorno dele, eu só não consigo imaginar o que.

- Também tenho que concordar mais é fácil de tentar entender. – Juungo aperta o volante. – Digo, após firmar meu namoro com o Sui, eu vi um ex dele aparecer e pedi para voltar, foi realmente estressante e o Sui me impediu de quebra a cara dele.

- Não estou entendendo. – O olho curioso.

- Veja bem, para alguns homossexuais é difícil de falar para a família e a sociedade, mais você quer alguém para amar, você é de um grupo pequeno e extremamente difícil para alguns. – Juungo sorri minimamente. – Não é tão fácil quanto parece, tive sorte em encontrar o Sui, eu amo tanto e ele me ama na mesma medida, mais em alguns casos é diferente. – Juungo me olha rapidamente. – Talvez ele queira o Naruto, para não se sentir sozinho, nem todos convivem bem com a solidão.

            Ouço com atenção a explicação de Juungo e tenho que concordar, os poucos homossexuais que conheci eram extremamente reservados e não contaram tão abertamente suas vontades. Naruto foi o primeiro a falar e não teve vergonha de dizer isso a mim e essa sinceridade dele que me fez o olhar com outros olhos, aquele loiro é dedicado a suas coisas e não se importa em recebe os olhos julgadores de seus vizinhos estranhos e continua a viver sua vida de forma tranquila e como se ele realmente estivesse esperando o príncipe em sua torre e não tem pressa em sair disso, sorrio ao lembrar dele falando da nobreza dos príncipes.

- Sasuke...

            Acordo de meu devaneio ao ouvir a forma firme de Juungo e me volta para nossa frente e vejo que o carro de Lee está estacionado em frente à minha casa, conhecendo bem Shikamaru eu sei que é ideia dele de ser cauteloso, Kami obrigada por me presentear com irmãos tão maravilhosos, consigo ver que na frente da casa de Naruto a um Jeep vermelho e a última vez que o amigo Kiba dele veio era um carro menor e preto, Juungo estaciona e logo saímos indo em direção a Sai, Lee e Shikamaru tem o olhar sério.

- Seus vizinhos, eles são sempre calados? – Shikamaru me olha.

- Muitos deles viajam nos fins de semana, a rua é sempre pacata e aos fins de semana e praticamente deserta.  – O olho com atenção.

- Vamos entrar, preciso da visão do seu quarto que vai direto para o quarto de Naruto.

            Aceno e seguimos para minha casa, todos vão atrás de mim e assim que abro as cortinas do meu quarto eu vejo, meu Naruto deitado sobre sua cama, seus olhos fundos e cansados, vejo a marca vermelha em seu rosto, vejo que ele está somente de bermuda e também vejo as marcas de chupões em seu busco, aperto as mãos ao ver a grande e evidente marca velha no pescoço dele e logo passo apressado sobre os meninos que veem trás de mim.

- Cara, nos espere.

            Ignoro eles e vou para casa de Naruto, dou um grande chute na porta a vendo abrir e vejo um ruivo um pouco mais baixo do que eu aparecer e me olhar com raiva, ele vem em minha direção e assim que ele se aproxima eu lhe acerto em cheio o vendo ir ao chão.

- Seu desgraçado! – Grito indo pra cima dele.

            Gaara sorri com a boca sangrando, ele vem para cima de mim e sem nem eu perceber ele me acerta no estômago e eu suspiro irritado e avanço com tudo para cima dele e cai de bunda no chão, lhe acerto vários socos enquanto o mesmo tenta me acertar e não consegue e com ambas as mãos eu aperto o pescoço do mesmo que tem rosto banhado em sangue, vejo ele começa a desfalecer e em nada eu diminuo o aperto em seu pescoço e assim que sinto braços me puxarem eu suspiro irritado.

- Não vale a pena, o Naruto! não esqueça o Naruto. – Juungo fala ainda me puxando.

            Me volto a ele e vejo que o mesmo tem o olhar preocupado, volto meus olhos para o corredor e vejo Shikamaru próxima a porta do quarto de Naruto, uma das coisas que aprendemos ao longo de nossa amizade e que conhecemos o olhar de cada um e nos olhos de Nara Shikamaru há preocupação e pena, me solto de Juungo e corro para lá e ao entrar eu vejo, meu Naruto, me aproximo e percebo que ele parece tão cansado e mais magro, o vermelho em seu pescoço é tão mais evidente agora, está inchado, dou um longo suspiro e o pego em meus braços, tão leve e frágil, com cuidado me sento na cama com ele em meus braços e o olho com  atenção.

- A ambulância está vindo. – Juungo se aproxima nós olhando. – Sinto muito, deveríamos ter chegado mais cedo.

- Eu deveria matar ele, olha o que ele fez. – Suspiro olhando Juungo.

- Não é tão simples, Sasuke pense com calma. – Juungo cruza os braços. – Naruto jamais iria querer que esse fosse o preço e menos ainda que perdesse o seu cargo, tudo vai se resolver.

            O olho por uns longos segundos e concordo e logo ouço latidos vindo dos fundos da casa, e em questão de segundos vejo Kuro correr para dentro do quarto e se aproxima e latir baixo ao ver Naruto, ele se aproxima e começa a lamber a mão de Naruto e eu apenas sorrio pequeno.

- Não foi sua culpa, eu deveria estar aqui com ele.

            Assim que vejo Shikamaru próximo à porta, eu sei que a ambulância chegou, com cuidado carrego o Naruto até a saída, passo por Gaara e o vejo algemado próximo ao sofá, os paramédicos vem e o coloco sobre a maca, Kuro vem atrás e  tenta entra na ambulância, Sai sorri e o segura enquanto eu entro e seguro a mão de Naruto.


Notas Finais


Sasuke não tem sorte, será que conseguira cumpri seu papel de Príncipe, e salvar Naruto do Dragão?

Será que Naruto escapará com vida?

Obrigada por ler 😉
Obrigada por favorita👌
Obrigada por comentar ❤
Obrigada muuuito obrigada😍

Uma Parceria de RimeMiyamura e KaguraWay


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...