1. Spirit Fanfics >
  2. Obcecado - Shigaraki Tomura x Reader >
  3. Parte 1 - O herói corrompido

História Obcecado - Shigaraki Tomura x Reader - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pra vocês! Antes de começar, queria explicar como irei inserir a linguagem neutra para o personagem principal, no caso o leitor, que seriam vocês. Não pretendo usar "x" e nem trocar letras ou coisa do tipo, pois nem todos estão acostumados com isso e podem se confundir. Por exemplo, se alguém for dizer "você é muito teimoso/teimosa", irei trocar por "você é uma PESSOA muito teimosa". Só irei precisar citar o leitor algumas vezes como "o herói" em específico, porque particularmente acho mais neutro que "heroína". Já peço perdão por qualquer erro, Ugh.
Pensei nisso com o intuito de ser mais aberto a outros leitores, espero que gostem ❤️

OBS: A história se passa depois do arco do Overhaul e antes do arco do Re-Destro.

Capítulo 1 - Parte 1 - O herói corrompido


Fanfic / Fanfiction Obcecado - Shigaraki Tomura x Reader - Capítulo 1 - Parte 1 - O herói corrompido

 Leviatã: Herói profissional underground que controla a água das mais variadas formas, tendo um alto nível de agilidade e técnica. Esse era você, pouco conhecido pela mídia até os acontecimentos atuais. Aparentemente, você matou um vilão que ameaçava a vida de um grupo de pessoas durante o seu trabalho, e por essa atitude, muitos cidadãos passaram a te questionar. Afinal, não cabia aos heróis tirar a vida dos vilões, pois isso era crime. Você tentou se explicar em uma entrevista, mas seu pavio curto não ajudou, e agora, você estava em um carro de polícia a caminho da delegacia para dar seu depoimento.

 Pelo menos, era isso o que devia ter acontecido.

 Sua cabeça doía, um forte cheiro metálico preenchia suas narinas, e um gosto de mesmo aspecto transbordava em sua boca. Sua visão turva começou a ficar clara na medida em que piscava. Tentou se mexer, porém algo que mais parecia correntes e armaduras de metal te prendiam em um mastro.

 — Dabi, seu maldito, eu quase quebrei minha perna! Você por acaso tem carteira de motorista?! Quase nos matou!

 — A porra do nosso objetivo era justamente bater com o caminhão no carro de polícia. Como eu seria delicado fazendo isso, seu idiota?

 —  O Dabi tem razão, Spinner. EI, SEU PELE DE SACO, VOCÊ QUASE NOS MATOU!

  O que diabos estava acontecendo? Que vozes eram aquelas? Aquilo com certeza não era a delegacia.

 — Pessoal, peço perdão por interromper a agradável discussão entre vocês, mas nosso herói está acordando.

 — Ah! Está sangrando, haha! Será que eu devo...?

 — Não se aproximem, idiotas.

 Assim que sua visão se acentuou, você notou que aparentemente estava no mais novo esconderijo sujo e mal-encarado da Liga dos Vilões, e que os mesmos estavam ali na sua frente, te encarando com expectativa.

 — Mas que porra? — Sua voz falhou pela rouquidão das pancadas e por ter recém acordado.

 — ...tem um rosto tão bonito com esses machucados! — Toga sussurrou, te lançando um olhar de puro êxtase.

 — O que diabos está acontecendo?! — Você rosnou e cuspiu o excesso de sangue em sua boca. Pela dor que sentia, seu nariz havia recebido alguma pancada forte, mas não ao ponto de quebrar, e sua boca estava cortada por dentro, o suficiente para te fazer quase se afogar com a mistura de sangue e saliva que se formava ali dentro.

 — Ah, você não se lembra... Leviatã? Você estava prestes a ser preso pelas mãos de policiais corruptos, e aí te salvamos! Nós, a Liga dos Vilões! Não acha isso irônico? — Shigaraki se levantou do banco de madeira e gesticulou teatralmente.

 — Ah, pronto. Era só o que me faltava... — Você murmurou baixo, revirando os olhos. — O que vocês querem de mim?

 Silêncio constrangedor. Mr. Compress olhou para Twice, que deu de ombros.

 — Ué, mas que atitude é essa para com os seus salvadores? Se não fosse por nós, você estaria atrás das grades agora! — Tomura fingiu ter se ofendido, colocando uma das mãos sobre o peito.

 — Mais uma criança irritante. É isso que eu ganho por ter aceitado entrar nesse esquema. Já não bastava o moleque explosivo... — Dabi resmungou para si mesmo, de braços cruzados, encostado na parede sem reboco.

 "Bakugou Katsuki" foi imediatamente o que veio em sua mente. E, depois daquele acontecimento, All Might se aposentou. Você até chegou a imaginar o novo número um se sacrificando para fazer o mesmo por você, mas se tratava de Endeavor, e você não era nada a não ser um herói que, até ontem, ninguém conhecia. E não só isso: Agora as pessoas poderiam imaginar que a Liga te raptou por você ser parte deles. Era dor de cabeça que não acabava mais.

 Um suspiro pesado e seco saiu de sua garganta.

 — Deixa eu adivinhar... vocês querem que eu vire parte da Liga dos Vilões.

 — Bingo! — Mr. Compress exclamou.

 — Você é realmente mais inteligente do que eu esperava... — Shigaraki se aproximou alguns passos, observando seu rosto machucado através das fendas dos dedos da mão que o cobria no rosto. — Então... O que me diz?

 — Aceite! Aceite! — Toga pulava em sinal de torcida. Ela realmente havia gostado de você.

 Todos os olhares estavam fixos em sua pessoa. Sem conseguir se conter, você deixou um riso esganiçado escapar, cortando completamente o clima de expectativa de seus sequestradores.

 — É uma oferta tentadora, mas terei que recusar. Não me simpatizo com vilões. Sinto muito.

 — Eu acreditei em você! SABIA QUE ERA PERDA DE TEMPO! — Twice exclamou em seu canto, preso em sua dupla personalidade.

 — Ah, é?... — Toga murmurou, perdendo totalmente o brilho de alegria de segundos atrás.

 Entretanto, o líder não parecia afetado. Ele retirou um smartphone do bolso e cuidadosamente corria seus dedos pela tela, procurando algo que acendeu a ansiedade na boca de seu estômago.

 — Acho que você não está em posição de negar, herói.

 Então, ele estendeu o celular na horizontal em sua frente. Era o vídeo de sua entrevista, momentos antes de ser levado pelos policiais.

~•~

 — S. Leviatã, o que tem a dizer sobre o incidente...? — Um repórter entre os vários que apontavam o microfone na sua cara questionou, lendo as perguntas na cola que tinha na palma da mão.

 — Vocês não se cansam de me perguntar a mesma coisa vinte vezes seguidas? Eu já disse, só fiz o meu trabalho.

 — Mas S., não cabe a um herói tirar a vida de um vilão. Isso é assunto de outro setor.

 — O trabalho de um herói é proteger a porra da população. E foi isso que eu fiz. Se eu não tivesse matado aquele filho da puta, mais pessoas inocentes teriam sido mortas por ele! Não tinha jeito de capturá-lo vivo! Eu sou profissional, sei o que eu faço!

 — S. Leviatã, peço por gentileza para não usar linguagem vulgar. Estamos na tv aberta.

 — Como vocês podem se preocupar com algo fútil como linguajar em uma situação como essa?!

 — A opinião popular diz que sua atitude foi irresponsável e que...

 — Pra merda a opinião popular! Estão fazendo escândalo só porque o cara que eu matei era uma celebridade que eles pagavam pau! Mesmo com as provas de envolvimento criminoso, continuavam a passar pano pro desgraçado! Não é o primeiro vilão a ser morto por um herói, então por que essa comoção toda? Quer dizer que os vilões da sarjeta podem ser mortos, mas os vilões que sobem em palcos não? Que mentalidade podre é essa?!

 — ...Muito bem, essa foi a entrevista com...

 — O quê? Vão me cortar por dizer a verdade? Vocês não queriam que eu falasse? Pois eu estou falando agora, porra! Podem me prender se eu estiver errado, seus filhos da puta! Os únicos que podem matar são os que estiverem preparados para morrer!

 Segundos antes de tirarem sua imagem do ar, você ergueu seus punhos algemados e mostrou os dedos do meio para as câmeras.

~••~

 Seu rosto esquentou de constrangimento ao assistir aquilo em primeira mão. Talvez você estivesse com demasiado stress no momento, e as coisas não saíram da maneira pacífica como planejado. Ou então as provocações dos repórteres foram propositais para tirarem proveito de sua situação. Sim, certamente foi isso.

 Malditos jornalistas. Maldita mídia. Maldita massa idiota e alienada.

 Shigaraki gargalhou alto.

 — Mas que cara é essa, herói? Ou será que devo te chamar de outra coisa, agora? Anti-herói? Justiceiro? Que tal... Vilão?

 O líder retirou a mão que cobria o rosto, mostrando um sorriso largo e malicioso. Os olhos vermelhos brilhavam extasiados, te fitando como se pudessem ver através de sua alma. Você sentiu um frio na espinha, mas manteve a postura. Não na frente deles. Não dê a eles esse prazer em te ver se rebaixar.

 — Você deu um show, heh. — Dabi debochou, sorrindo torto e jocoso em sua direção.

 — Cara, você praticamente soa como o Stain! — Spinner saiu de sua sombra, se mostrando empolgado com sua presença.

 — ... Perdão? — Foi inevitável não fazer uma careta que contratasse sua indignação ao ser comparado com o vilão que tanto influenciou a mente de vários vilões e cidadãos comuns.

 — Talvez seja isso que te faz... — Himiko puxou o ar antes de continuar — Tããão legaaaaal...

 — Também acho! VOCÊ NÃO SE PARECE NADA COM ELE! — Twice apontou em sua direção.

 — Que merda vocês estão falando? Olha, eu não sei o que vocês usaram, mas eu quero dois! — Você debochou.

 — Se você não acredita, deixe-me ler alguns comentários em relação a sua pessoa nas redes sociais... — Shigaraki manteve o sorriso ressecado, correndo os dedos pela tela — "Temos um Stain no meio dos heróis", disse Neet02. "Eu particularmente acho que Leviatã se encaixa mais como um vilão revolucionário como o Stain", disse Cool_Ninja. "Seria Leviatã o sucessor de Stain?", disse  Cadelinha-do-Stain. Ah, essa é boa, tem até um meme.

 — Deixa eu ver! — Himiko correu para o lado do mais alto, rindo após ver o que tinha na tela.

 Bastou isso para todos se interessarem nos memes a seu respeito e se juntarem ao redor do líder dos vilões. Murmuravam várias coisas que não te interessavam, mas que te irritavam por terem esquecido que você estava ali, ouvindo tudo. Sem querer em continuar se fingindo de impotente, você resolveu agir. Graças a sua individualidade, seu corpo inteiro se transformou em água e escorreu para fora da armadilha, se materializando livremente, junto com o seu uniforme de herói.

 — Cara, você precisa ver isso, Lev...

 Assim que percebeu o seu movimento, Twice berrou alto, chamando a atenção de todos. Seus sequestradores se posicionaram para lutar, esperando você fazer mais algum movimento.

 — Impossível... Como?! — Tomura rosnou, cerrando os dentes.

 — Terem me prendido daquele jeito mostra o quão desinformados vocês são a respeito de minha individualidade. — Você lavou o sangue de seus ferimentos com a água produzida pela sua quirk. — Não podem deter água com uma peneira.

 Shigaraki levou uma das mãos até o próprio pescoço e começou a arranhar freneticamente pela frustração em ver seu corpo livre do que o prendia.

 — Você... Por que não agiu antes? Está debochando de mim? Rindo da minha cara?!

 — Bem, não há nada que eu possa fazer. É fogo contra água. Deixo isso para vocês. — Dabi deu de ombros e se afastou preguiçosamente para o outro lado do cômodo. Aparentemente, ele não ligava nem um pouco para tudo aquilo.

 Toga correu na tentativa de te apunhalar, porém, o braço da colegial atravessou o seu abdômen, que se materializou em água, a fazendo avançar contra a vontade para a frente e quase dar de cara com a parede.

 Você abriu um sorriso presunçoso, o suficiente para provocar os outros vilões. Porém, assim que deram o primeiro passo, foram parados por Shigaraki, que estendeu o braço para impedir.

 — Ei, ei, ei! O que estão fazendo? Eu por acaso mandei vocês agirem?! — Rosnou, sem tirar os olhos de você, para ter certeza de não haveria ataques vindos de sua direção.

 Twice olhou indignado.

 — Ué, mas...

 — Vocês não vêem a preciosidade que temos aqui? Seria um desperdício jogar fora nossas oportunidades. — Ele se aproximou, sem demonstrar ameaça, com ambas as mão do lado do corpo. — Acho que não preciso fazer um discurso para te convencer a se juntar a nós. Você já está percebendo o quão podre é a parte da sociedade que chamam de "heróis". Você só está negando porque somos vilões, e seu orgulho não permite que você se junte com esse tipo de gente, não é?

 — E o que você sabe sobre mim, Shigaraki Tomura? — Você o encarou, tentando manter-se firme em voz e postura, mas algo naquele homem te deixava com uma sensação de impotência. — Você não me conhece. Não aja como se me conhecesse.

 — Touché! — Ele levou as mãos ao peito, fingindo ser atingido — Não quer arriscar atacar fisicamente, então vai me atacar com palavras? Pois saiba que eu sou o Boss daqui, e suas palavras não chegam nem perto de um critical hit!

 — Lá vem ele com esse papo de nerd gamer... — Dabi resmungou no fundo da cena, atirado em um sofá velho.

 — Não adianta dizer que você é totalmente contra se juntar a nós, porque você ainda está aqui. Poderia ter usado essa sua magnífica individualidade para se transformar em água e sair pela fresta da porta ou algo assim. Ou você só está com medo de te pegarem lá fora e te mandarem para a prisão dos vilões, onde você não pode fugir. Estou errado?

 As palavras fugiram de sua boca. Ela se abriu, mas apenas liberou ar e se movimentou na tentativa de dizer algo, fazendo você parecer um peixe. Tomura riu algo e esganiçado com sua reação.

 — Sabe, no começo, eu pensei em te fazer ser apenas meu bichinho de estimação e uma ferramenta útil contra os heróis. Mas percebo que você tem muito mais potencial... Sim, muito mais... Você poderia ser meu coadjuvante! Seremos como o Mário e o Luigi! Mas claro... Vilões. —  Voltou a sorrir, sem desgrudar os olhos da sua cara. 

 — Uhnf. O cara mal chegou e já vai sentar na janelinha. Vê se pode. — Mr. Compress resmungou, de braços cruzados.

 — É aceitável, teremos mais alguém que se baseia na filosofia do Stain. — Spinner rebateu.

 — Whaaa, eles estão tão perto... — Toga murmurou, segurando o próprio rosto enquanto sorria de um jeito um pouco assustador.

 — Estou começando a sentir pena. Shigaraki deve ter um bafo dos infernos. — Sussurrou Dabi, segurando o riso.

 — Respeite nosso líder! Pois é, você tem razão! — Twice comentou, baixinho.


 — E então? O que você vai fazer, herói? — Os olhos vermelhos correram de seu rosto até seus pés — Eu posso ser legal, se você colaborar. Ou... Eu posso abrir a porta, e você será livre... Até o momento em que te pegarem. Veja só... Você já é um foragido da justiça. Que diferença faz?

 Você já estava começando a suar frio. Toda aquela pressão fazia seu sangue ferver e suas pernas ficarem bambas. Shigaraki estava começando a ficar impaciente.

 — Tá legal, já entendi. Acho que nosso herói precisa de um tempo sozinho com o líder.












Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...