História Obliviate - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter, Little Mix
Personagens Alastor Moody, Alecto Carrow, Alvo Dumbledore, Amycus Carrow, Antonin Dolohov, Argo Filch, Arthur Weasley, Bellatrix Lestrange, Blásio Zabini, Carlinhos Weasley, Cornélio Fudge, Dino Thomas, Dobby, Dolores Umbridge, Draco Malfoy, Fenrir Greyback, Fílio Flitwick, Fred Weasley, Gellert Grindelwald, Gina Weasley, Gregory Goyle, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jade Thirlwall, Jesy Nelson, Jorge Weasley, Leigh-Anne Pinnock, Lílian Evans, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Murta Que Geme, Narcissa Black Malfoy, Nymphadora Tonks, Pedro Pettigrew, Perrie Edwards, Rabastan Lestrange, Remo Lupin, Rodolfo Lestrange, Ronald Weasley, Rúbeo Hagrid, Severo Snape, Sibila Trelawney, Simas Finnigan, Sirius Black
Tags Crossover, Drama, Harry Potter, Little Mix
Visualizações 15
Palavras 1.153
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


A história começa originalmente no Sexto Ano, mas passa por uns flashbacks dos anos anteriores!

that’s all, folks.

Capítulo 1 - Hogwarts (Prólogo)


Fanfic / Fanfiction Obliviate - Capítulo 1 - Hogwarts (Prólogo)

Perrie estava sentada, lendo um livro qualquer. Foi quando seu tio, Lucius, adentrou em seu quarto. Avisou que Narcisa, sua esposa, iria com Draco ao Beco Diagonal para as compras do ano letivo que iria iniciar em breve. Ela deveria ir, afinal, também é uma estudante. 

— quero uma coruja — Pezz diz, calma

— cuidará dela? — Narcisa pergunta

— sim. — respondeu 

— certo, poderá comprar uma. 

Perrie sorriu em agradecimento. Draco, por outro lado, rolou os olhos. Afinal, por que iria querer uma coruja? Não tinha afinidade nenhuma com qualquer tipo de mascote. Não entendia sua própria prima. 

— tratemos de ir experimentar as roupas — Narcisa ordena 

Os dois assentiram calados. De relance, Perrie viu um garoto acompanhado de um homem gigante, que reconheceu de cara. Rúbeo Hagrid. Quem seria o garoto de óculos redondos e roupas largas? Ela riu e então seguiu para dentro da loja de Madame Malkin. O garoto curioso entrou, e Draco obviamente começou a se esnobar, mesmo que sem intenção. 

Perrie ouviu tudo o que seu primo dissera ao garoto de forma atenta. Não era muito de falar, mas sim, de observar. Gostava de ver até onde as pessoas poderiam ir com suas próprias mentiras, mesmo quando ela própria já sabia a verdade. 

Foi até o Empório das Corujas e olhou para todas com atenção, procurando pela certa. Até que seus olhos se depararam com os imensos amarelados, de um Corujão-Orelhudo. De pelo branco e traços pretos e marrons, a coruja simplesmente ganhou sua atenção. Era aquela que levaria. 

— vou levar essa — apontou para a coruja

— um belo Corujão-Orelhudo. — o vendedor lhe dissera — Corujas dessa espécie são independentes e costumam se alimentar de filhotes de aves. — explicou 

— fiz uma excelente escolha — Perrie acaricia a coruja 

— sua coruja é macho. — observou — cuide muito bem dele! 

— irei! 

Perrie saiu radiante com sua coruja nova. Encontrou-se com seu primo e sua tia e seguiram fazer o resto de suas compras. Retornaram para a mansão Malfoy após longas horas no Beco Diagonal. Perrie subiu as escadas e deixou seu mais novo animal de estimação em seu quarto, na gaiola. 

— qual nome irei te dar? — perguntou-se

Perrie levantou e pegou um de seus livros em que há todo tipo de informação sobre constelações, estrelas, enfim, galáxia no geral. Folheou as páginas, lendo sobre as constelações e suas estrelas. Até que achou um nome que cairia bem. 

— que tal Sirius? — perguntou — Sirius Black é primo de primeiro grau da minha mãe, sendo assim, meu primo de segundo grau. 

A coruja emitiu um som, que na opinião de Perrie, pareceu aprovar o nome. A garota sorriu e acariciou o animal, abrindo a gaiola para que Sirius pudesse voar. 

— te vejo mais tarde, Sirius. 

O animal voou, e Perrie lavou suas mãos para poder ir almoçar. Desceu as escadas e foi direto para a mesa, onde encontrou seus tios e seu primo. 

— e então, qual o nome de sua coruja? — Narcisa indaga, curiosa

— Sirius. — respondeu, cortando sua comida

Narcisa e Lucius travaram diante da resposta da sobrinha.  Ela, por outro lado, pareceu não se importar e continuou comendo sua refeição em silêncio. Draco riu da reação de seus pais.

— por que escolheu este nome? — Lucius perguntou, com certo desgosto 

— porque Sirius é uma das estrelas mais brilhantes de sua constelação. Além do mais, porque acho um nome bonito. — respondeu calma

O assunto se deu por encerrado logo ali. Ela se retirou após terminar o almoço e passou o resto do dia em seu quarto, lendo. Amanhã iria para Hogwarts e estava mais ansiosa do que nunca. 

[...]

— vejo vocês nas férias, crianças. — Narcisa se despede 

— até. 

Perrie e Draco entraram no trem e sentaram juntos, porém, seu primo já estava fazendo amizade com Crabbe e Goyle, então resolveu que gostaria de ir importunar os outros alunos. Enquanto isso, permaneceu lendo seu livro. 

— eu estou falando, George. — um garoto diz, praticamente gritando — ela está aqui.

— você só pode estar brincando, Freddie. 

— aposto com você — o outro riu 

— fechado. 

Perrie, por outro lado, apesar de ter ouvido a conversa, não tirou atenção de seu livro. Parecia tão entretida que não notou quando dois garotos, idênticos, pararam na frente da porta do compartimento, onde se encontrava. 

— eu disse — o garoto virou-se para o outro

— pois não? — Perrie ergueu os olhos, entediada

— ah... — os gêmeos coraram — podemos entrar? 

— quem sou eu para proibir? — fechou o livro 

Os dois se entreolharam e soltaram uma risadinha, abrindo a porta. Perrie deu uma boa encarada em ambos, e logo soube quem eram. George e Fred Weasley. 

— há algo que queiram? — perguntou educadamente

— só gostaríamos de fazer uma pergunta. — o gêmeo diz 

— você é de fato, filha de Bellatrix, não? — o outro pergunta

— prazer, garotos. Meu nome é Perrie. — sorriu ironicamente 

— George — o gêmeo de roupas escuras diz

— Fred. — o outro, de roupas claras, se apresenta. 

Perrie sorriu e convidou os dois para se sentarem, que aceitaram o convite sem pensar duas vezes. Começaram a conversar de forma empolgada e Perrie pouco se importou sobre quem eram, assim como eles não se importaram em saber que ela é filha de Comensal. 

— mas pelos cálculos, isso te faz prima de Draco, não? — George indaga

— infelizmente — murmurou — Draco é insuportável... Mas não há nada que eu possa fazer. 

Fred e George haviam se simpatizado com a garota, assim como a mesma havia se simpatizado com os gêmeos. Até sua chegada em Hogwarts, passaram o trajeto do trem conversando. Calorosamente, foram recebidos pela professora McGonagall, que tratou de explicar as regras. 

— muito bem, estamos prontos para recebê-los. Sigam-me, por favor. 

Os alunos entraram no salão principal, e os olhares curiosos foram direcionados ao teto encantado. Todos pararam diante da Professora McGonagall, que está ao lado do famoso Chapéu Seletor. Foi chamando por nomes e Perrie não ficou surpresa ao saber que Draco, seu primo detestável, iria para Sonserina. 

— Perrie Lestrange — McGonagall a chama 

Os olhares foram dirigidos a ela, demonstrando tanto espanto quanto surpresa. Harry Potter já não era mais o assunto entre os novatos e os veteranos. Perrie se dirigiu ao Chapéu e após se sentar, sentiu o peso do mesmo.

— fascinante, fascinante — o chapéu murmura — você é difícil... Qualidades excepcionais, uma bravura jamais vista, lealdade ao extremo... Onde irei te colocar?

O chapéu continuou avaliando Perrie de uma maneira prolongada. Ela tinha característica essenciais das 4 casas, o que dificultou a escolha. Até que uma característica específica foi essencial. 

— SONSERINA — anunciou alto 

Perrie deu de ombros e seguiu para a mesa, sentando-se ao lado de Malfoy. Observou de longe os gêmeos, que pareciam se divertir. Fred a encarou de relance, e ela sorriu, fazendo o mesmo sorrir também. 

— o que está fazendo? — Draco pergunta, desdenhoso 

— desde quando o que faço te interessa? — devolveu

Perrie e Fred continuaram fazendo caretas um para o outro e rindo de si, enquanto Draco achou tudo uma bobeira. Depois do jantar, seguiram para os dormitórios. Perrie ainda não acreditava que estava de fato em Hogwarts.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...