História Obscene - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Ally Brooke, Brandon Flynn, Camila Cabello, Dinah Jane, Fifth Harmony, Kylie Jenner, Lauren Jauregui, Normani, Tom Hardy
Personagens Ally Brooke, Brandon Flynn, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Kylie Jenner, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Tom Hardy
Tags Brandon Flynn, Camila Cabello, Camila G!p, Camren, Camren G!p, Jessica Rothe, Kylie Jenner, Lauren Jauregui, Tom Hardy, Travis Scott
Visualizações 793
Palavras 1.076
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, LGBT, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey pessoinhas!
Qualquer erro...
Boa leitura!

Capítulo 25 - Voltar


Fanfic / Fanfiction Obscene - Capítulo 25 - Voltar

POV Lauren

Dinah apareceu logo cedo para me visitar e eu a abracei longamente, pois estava com saudade dela.

- Minha amiga, que turbilhão é esse? Eu não entendi nada quando me mandou a mensagem e depois não me respondeu mais.

- Eu deixei os dois celulares por lá, não quis arriscar. 

- Você não vivia reclamando dessa cavala?

- Ela está diferente, não posso dizer que ela não me magoou antes, mas agora é outra pessoa e ela disse que gosta de mim.

- E você? Gosta dela?

- Sim, muito, mas eu ainda tenha aquele medo, sabe? E se ela enjoar? E se o Tom me achar?

- Devia aproveitar, mana. Olha tudo que você já passou e se ela está te tratando bem, ajudando você, não precisa ficar com medo de ser feliz, Laur. - Ela tocou meu braço. - Bom… Tudo no seu tempo. Me conta como aconteceu.

- Ela apareceu na minha porta, confusa me perguntando meus motivos, por mais incrível que pareça, ela me ouviu e me entendeu. Quando pensei que ela iria embora… Ela disse pra juntar minhas coisas que ela me ajudaria. Foi a melhor sensação, sabe? Ela acreditou em mim.

- Que tipo de ajuda?

- Um advogado que aceitou minha causa. Ela quer prender o Tom.

- Você merece isso, Laur. Ela ganhou muitos pontos comigo, achei que ela estivesse só bancando você. Tipo uma bonequinha e te escondendo aqui. 

- Não. Ela é um doce e me levou na cada da família dela. Tudo tão mágico e quase irreal pra mim. 

- Estão vivendo como casal?

- Não. Bom.. Meio termo, tem carinhos e uns beijinhos, mas não estou com cabeça ainda. Quero resolver minha situação para me entregar de vez pra ela.

- Eu tiraria uma casquinha.

- DJ!

- Você acha ela uma deusa e gostou de transar com ela, estão vivendo em um paraíso particular. Não custa aproveitar um pouco.

- Você tem razão, mas ainda estou com os medicamentos e um pouco de dor. Finalmente eu vou conseguir me recuperar. 

- Foi a sua médica? 

- No dia que Camila foi a minha casa. Ela trocou os remédios.

- Melhor assim. E a família da Camila?

- Elas sabem e mesmo assim me tratam tão bem. É tão bom ficar um tempo com elas. 

- Fico tão feliz por você. - Ela me abraçou. - Espero que tudo se resolva logo.

Ficamos conversando até Camila voltar para me levar ao advogado.

POV Camila

Estávamos esperando na recepção do advogado que está cuidando do caso, Lauren estava muito nervosa e eu tentava confortá-la, mas era em vão. 

- Não precisa mesmo ficar assim.

- Eu fico com muita vergonha disso tudo. 

- Vai ficar tudo bem. Ele está do nosso lado e nunca julgaria você. E eu estou aqui, eu quebro a cara toda de quem ousar fazer isso.

- Camila! - Ela sorriu. - Você é muito irritadinha. 

- Só queria ver um sorriso lindo nesse rostinho preocupado. - Beijei o rosto dela.- Mas eu quebro na pancada. Você sabe bem.

- Lauren. - A moça falou e nos levantamos. Após apertar a mão do advogado, nos sentamos e esperamos ele falar. 

- Primeiramente quero me apresentar. Meu nome é Jim Parsons e estou em constante contato com Sofia para evitar desgastes a você, Lauren. Sei os detalhes do seu caso e quero muito ajudar você. Estou do seu lado. Entende isso? 

- Sim. - Ela disse e segurei a mão dela. 

- O que nós vamos fazer para pegar aquele cretino?

- Precisamos de um mandato para pegar as filmagens da gravadora. Aquelas sem edição, com a voz dele, com os pedidos para parar das atrizes e o jeito que vocês são tratadas. Eu preciso de uma imagem para corroborar o seu depoimento. 

- Mas isso tudo tem que ser bem rápido, ele não pode saber que estamos a frente dele.

- Eu sei, mas precisamos mesmo de algo completo para não haver falhas. Na hora que formos a delegacia, seja firme, seja sincera e não esqueça nenhum detalhe, por mais bobo que pareça, ou por mais vergonhosos que soe, fale! 

- Eu já fui a uma delegacia e eles me humilharam.

- Vamos a uma especializada em crimes contra mulher, vai ser mais seguro a você e mais ágil. Eu acho que esse caso é forte e vamos nos sair bem. 

- Tudo bem.

- Está preparada?

- Eu não sei se estou, mas sei que preciso fazer isso.

- Podemos ir agora. 

Nós fomos até a delegacia e fiquei ao lado da Lauren o tempo todo, mas na hora de entrar na sala com a oficial para o depoimento, ela não me deixou entrar, pois tinha vergonha de contar os detalhes para mim. 

Ela saiu da sala muito abalada, chorando e sendo sustentada pelo advogado. Corri para ajudá-la e ela me abraçou, me apertando tão forte que quase não consegui respirar. 

- Está tudo bem, Lauren. Vai ficar tudo bem. - Olhei para o advogado. - E aí?

- Eles vão investigar para conseguir o mandato.

- Posso levar ela?

- Na verdade… Eu lembrei de uma coisa que pode nos ajudar. Lauren, essa sua médica que tratava você depois das gravações era indicação da gravadora?

- Não. Eu pagava uma particular para não correr riscos.

- Acha que ela consegue uma projeção das suas consultas?

- Sim. Posso falar com ela.

- Vamos até lá agora, depois vocês podem ir para casa que eu resolvo com a oficial. 

Como o orientado, fomos à médica de Lauren, ela entregou os laudos e eu fui levar os laudos para Jim no carro, já que Lauren quis conversar com pouco com a médica em particular. 

- Eu vou levar eles, nos vemos quando tiver novidades e pelo jeito, elas serão boas.

- Assim espero. - Ele saiu no carro dele e fiquei escorada no meu, esperando Lauren. 

Quando ela finalmente saiu do prédio, abri a porta para ela, mas antes que ela chegasse ao carro, um carro parou atrás do meu e três caras saíram de dentro dele. Lauren travou assim que viu eles. 

- Star!- Ele bateu palmas. - Fiquei de campana aqui dia após dia, mas eu sabia que iria vir aqui. Foi bem no nosso intervalo para o café, mas deu tempo.- Ele falou e ela continuava imóvel, sem esboçar nenhuma reação.  - Agora essa palhaçada acaba e você volta comigo.

Fechei a porta do carro e me aproximei dela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...