História Obscene - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Ally Brooke, Brandon Flynn, Camila Cabello, Dinah Jane, Fifth Harmony, Kylie Jenner, Lauren Jauregui, Normani, Tom Hardy
Personagens Ally Brooke, Brandon Flynn, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Kylie Jenner, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Tom Hardy
Tags Brandon Flynn, Camila Cabello, Camila G!p, Camren, Camren G!p, Jessica Rothe, Kylie Jenner, Lauren Jauregui, Tom Hardy, Travis Scott
Visualizações 890
Palavras 1.185
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, LGBT, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey pessoinhas!
Qualquer erro...
Boa leitura!

Capítulo 5 - Metralhadora


Ela se aproximou muito, colocando as duas mãos nas laterais do meu corpo e colocou meu cabelo para o lado, beijou meu ombro e senti algo contra meu bumbum. 

- Eu sou um pouco diferente. 

- Já percebi. - Eu já tinha feito um filme com uma moça intersexual.

- Não te assusta?

- Não. Eu não vou ficar com você, não faz diferença. 

- Você é muito má. - Ela enrolou muito a língua e segurou forte meu corpo, quase me desequilibrou. 

- Você bebeu demais. Melhor eu te levar para casa.

- Uh... Vai abusar de mim? - Eu sorri e neguei, segurando o braço dela e caminhando até a saída. - Às vezes eu não consigo de primeira, mas é porque eu bebi muito, na madruga eu me recupero e mando ver.  

- Já disse que não vamos transar. Você está de carro?

- Sim.

- Qual é o seu carro? 

- Eu não lembro. - Toquei os bolsos dela. - Nossa, vai ser aqui mesmo?

- As chaves, Camila. - Achei a chave e desliguei o alarme, identificando o carro que piscou as luzes e caminhei até ele. A coloquei no banco do carona e cliquei em casa no gps.

Era longe dali, liguei para Dinah e avisei que iria demorar. Cheguei ao prédio e pedi ajuda ao porteiro para carregar ela até seu apartamento. 

- Pelo menos desta vez ela não voltou dirigindo, as vezes ela se arrisca muito. - Neguei e procurei as chaves no bolso de Camila, que mesmo em coma, sussurrava besteiras no meu ouvido. - Eu nem vou questionar você, da ultima vez que interferi nisso a coisa ficou feia, mas não tente nenhuma gracinha.

- Você exagerou hoje. - Falei depois que ele saiu do apart. 

-  Você é a mais linda, porra… Me dá um beijinho.

- Não. Se eu te beijar agora você nem vai lembrar amanhã, aliás, nada que foi dito hoje vai ser lembrado, melhor você deitar. 

Apoiei o braço dela contra meus ombros e fui procurando o quarto dela por ali, quando achei ela conseguiu caminhar sozinha até a cama e se atirou na mesma. 

Ajudei dela a tirar o salto e o casaco, ela me puxou, se deitou sobre meu corpo e tentou me beijar de novo e eu virei o rosto. 

- Melhor você dormir, vou ir para casa agora. 

- Fique aqui.

- Amanhã você nem vai saber o que aconteceu.

Ela apagou sem conseguir em responder, depois de muito pensar achei que não seria o fim do mundo dormir por ali. 

__________________________

POV Camila 

Nem precisei abrir meus olhos para perceber que o latejar da minha cabeça era monstruoso. Olhei para o lado e havia uma morena linda deitada ali. 

- Uau… - Sussurrei erguendo meu corpo contra meus cotovelos. Caramba, que morena linda, que boca maravilhosa é essa? Só não entendo porque estamos de roupa? Ah! Não acredito que não subi de novo! Fala sério, amigão! Com um avião desses você me decepcionar, assim não dá. 

Eu me lembro que ela não queria, o nome dela… Lauren. Essa é uma noite que eu gostaria de lembrar, pois ela é maravilhosa. 

Peguei meu celular e liguei para Brandon, como sempre ele atendeu no primeiro toque. 

- Me espanta estar viva. 

- O que aconteceu ontem?

- Você bebeu para esquecer a Jess, mas acabou ficando deprimida e depois bebeu mais para esquecer a tristeza e do nada falou que viu um anjo.

- Ela é maravilhosa, ela está dormindo aqui, mas eu não lembro o que aconteceu. Não tem mais algum detalhe? Cara! - Falei analisando o rosto dela. - É a futura senhora Cabello da obra.

- Sério? Que sorte! Você realmente consegue tudo que quer. Ela saiu carregando você. Só isso que eu vi e como da ultima vez que nós tentamos te impedir  de dirigir quase em coma você surtou, nem nos envolvemos dessa vez. 

- Continuem assim. - Lauren se virou e abriu os olhos, erguendo o tronco rapidamente. - Ela acordou, depois te ligo. - Coloquei o celular sobre a mesa e sorri para ela. - Não se preocupe, seu rim não está em uma bandeja com gelo. 

- Essa preocupação devia ser sua, a estranha no ninho sou eu. 

- Me diz que não transamos. Por favor, não quero ter perdido e esquecido as sensações de ter uma noite com uma deusa dessas. - As bochechas dela coraram e eu arqueei a sobrancelha esquerda.

- Pensei que suas investidas terminariam quando o efeito do álcool passasse. Não transamos, sequer beijei você.

- Não sei se fico feliz ou triste com a informação, não tenho nem chances?

- Não ia gostar de chances comigo, dona. - Ela levantou e calçou o saltos.

- Não precisa ir embora, podemos aproveitar um café agradável e depois te deixo na sua casa. 

- Eu me viro. 

- Só me faça companhia. 

- Estou com essas roupas desconfortáveis…

- Aqui tem várias roupas que eu pretendo queimar, pode vestir algo e se quiser pode ficar com todas. Só me acompanha. 

- Tudo bem, estou com fome. 

Enquanto ela estava escolhendo uma roupa, fiz minha higiene e fui para cozinha preparar algo para nós. Deixei tudo pronto e ela demorou um pouco para chegar. 

- Seu chuveiro é maravilhoso, me abusei um pouco. 

- Você pode abusar de tudo que está nessa casa, Lauren.

- Vai conseguir falar comigo sem me cantar?

- Se você me beijar. 

- Estou surpresa por lembrar meu nome, você não está com dor de cabeça… Ressaca algo assim?

- Eu me viro bem com as dores pós noitadas. A única dor que não vou superar e ter acordado ao lado de uma moça como você sem ter feito nada. 

- Você é uma metralhadora, não! Esqueça qualquer trocadilho com a expressão. - Não contive a risada alta após a cortada de deixá dela. 

- Eu vou me trocar antes de comer algo, me dá licença uns minutos?

- Claro. Sinta-se em casa. - Ela sorriu e pisquei para ela. 

Entrei no banho rapidamente para tirar o cheiro de balada, mas tentei ser rápida para ficar um pouco mais com Lauren. Vai que minha insistência renda algum efeito. 

Quando voltei ela estava lavando a xícara, sorri com aquilo e a abracei por trás, beijando a nuca dela que estava exposta com o coque frouxo.

- O que é Cabello? 

- Meu sobrenome. Camila Cabello, prazer. 

- Aaaa! Entendi a piada interna agora. - Não entendi e ela se virou, caramba. Essa mulher fica mais linda a cada segundo. 

- Eu preciso beijar você, Lauren. - Falei segurando a nuca dela, mas ela me impediu de aproximar. 

- Foi maravilhoso, Camila. O flerte, o café e tudo mais, você é charmosa demais, mas eu não estou disponível para compromissos. Não quero decepcionar você. 

- Vai me decepcionar se não me deixar beijar essa boca maravilhosa. - Passei o dedo por seu lábio inferior e não parei de olhar aquela boca, mordi meu próprio lábio para reprimir o impulso de beijá-la ali mesmo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...