História Obscurus - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Origem dos Guardiões, Animais Fantásticos e Onde Habitam, Big Hero 6 (Operação Big Hero), Como Treinar o seu Dragão, Detona Ralph, Enrolados, Frozen - Uma Aventura Congelante, Harry Potter, Valente
Personagens A Fada dos Dentes, Anna, Astrid, Banguela, Cass, Coelhão, Elsa, Flynn Rider, Gothel, Hans, Hiro Hamada, Jack Frost, Kristoff, Mérida, Norte, Pascal, Professor Robert Callaghan, Ralph, Rapunzel, Sandman "Sandy", Soluço, Stoico, Vanellope von Schweetz
Tags Elsa, Flynzel, Hicstrid, Hogwarts, Jelsa, Kristanna, Magia, Meritooth, Obscurus, Vaniro
Visualizações 58
Palavras 675
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 14 - ...E os conselhos


Pov. Jack

Sigo Elsa entre a mata, ofegando, mas ainda sou mais rápido, a alcançando alguns minutos depois.

-Espera!

-Não. Me deixe sozinha! – a garota para, ainda de costas, e cruza os braços, abraçando a si mesma.

Me aproximo, devagar.

-O que aconteceu, Elsa?Por que vocês está se afastando de todo mundo?Elsa, você pode nos contar.

-Não...não tem nada.Eu só...Não estou em um bom momento, ok?Eu... – ela respira e murmura – eu não quero machucar ninguém.Só me deixe sozinha!

-Ei, não tem problema, está vendo?Está tudo bem.

Finalmente ela se vira em minha direção.

Nesse momento, seus olhos são como uma tempestade: intensos, perturbadores, confusos.E por trás disso, ela estava assustada.Eu podia ver, mesmo que ela tentasse esconder.

Olhando Elsa assim, tudo o que eu queria fazer era abraçá-la, mas me contive.

-Está tudo bem – repito.

Hesitante, ela se aproxima, mas logo recua novamente, virando-se novamente.

-É melhor você ir agora.Eu quero ficar sozinha agora.

-Mas...

-Tchau, Jack.

Frustrado, vou ao encontro de Soluço e seu novo amigo.

Pov. Soluço

Me aproximo devagar.

-Ei, amigão, adivinha o que eu trouxe? – retiro o peixe escondido na mochila – o seu favorito.

O dragão se aproxima, atento, e em uma pequena fração de segundo, devora o peixe.

-Tudo bem Soluço – murmuro para mim mesmo – dessa vez vai.

Fecho os olhos e estendo a mão, hesitante.

Posso sentir sua pele quente se aproximando.

Seguro a respiração.

-Ei, cara!O que você está fazendo! – grita Jack, se aproximando.

O fúria da noite se afasta, rosnando, e se pendura em uma árvore.

-Qual é, cara?Eu estava quase conseguindo!

-O que?Virar comida de lagarto?À vontade.

Suspiro.

-Como foi com Elsa?

-O que você acha?Ela me expulsou de lá.Ficou na defensiva, não quis dizer nada, só...fugiu.Nem consegui falar com ela e...

-Parece que você a assustou, do jeito que está falando?

-Do que você está falando?Eu...

-Você. Só está falando de você.Acho que a gente devia dar mais espaço para Elsa, sei lá.

-Mais do que estamos dando?

Balanço a cabeça.

-Lembra da primeira vez que encontrou o Banguela aqui?

-A Elsa não é o seu réptil inútil de estimação.Lembro, ele tentou arrancar meu braço.

-Isso, - falo, me aproximando do dragão de ponta cabeça – foi porque você correu logo atrás dele.Ele defendeu o espaço.

-E o que eu deveria fazer? – Jack se apoia em uma árvore – Me mostre, treinador de dragões.

-Pode até zoar, mas isso já funcionou – lembro da última conversa com a corvina – Se aproxime e fique em silêncio.Mostre que está aqui e vai ouvir – estendo minha mão em direção ao focinho do dragão, olhando para o sonserino – não pressione.

-E daí...

-Você espera – falo, sendo surpreso quando o fúria toca em minha mão, permitindo que eu faça carinho.

Pov. Rapunzel

Sigo por um dos corredores menos utilizados da escola, ainda temendo ser vista por alguém.

Viro a direita, olhando dos lados.Estou quase chegando, quase...

-O que está fazendo, loura?

Por instinto, viro a frigideira na direção da voz, acertando o garoto sonserino de outro dia.

-Ai!Você me acertou na cara com uma frigideira?! – ele grita, tocando o corte recém aberto em sua testa – Por que você TEM uma frigideira?!

-Isso não te interessa e...Você está sangrando?

-Você jura? – ele revira os olhos – Nem tinha reparado.

-Muito engraçado...

-Flynn.Flynn Rider.E você?

-Rapunzel.

-Saúde.

Bufo, impaciente.

-É o seguinte, é melhor não contar isso pra ninguém.

-E quando alguém perguntar da cicatriz enorme que você deixou no meu rosto bonito, eu digo....?

-Use sua imaginação.Tenho certeza de que vai conseguir pensar em algo.

Viro as costas e continuo meu caminho, mas o garoto não desiste e segura meu ombro.

-Espera, você ainda não me disse o porquê da frigideira.

-Não é da sua conta.

-Mas você me acertou na cabeça.

Frustrada pelo atraso, me volto em sua direção, revirando os olhos.

-É uma surpresa que estou preparando para meus amigos.Algo  que ainda vai demorar muito.

-E isso envolve frigideiras.

-Exato. Acho que já me expliquei.Agora, se puder fazer a gentileza de me deixar ir e não comentar nada, eu vou ficar muito feliz.Obrigada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...