História Observando Você - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Contrato, Desastre, Paixão, Proposta, Romance, Sedução, Violencia
Visualizações 29
Palavras 1.008
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Obrigada aos favoritos e aos comentarios

Boa Leitura

lembrando essa obra esta sendo publicada no WATTPAD

Capítulo 2 - Capitulo 2 - Sam


Fanfic / Fanfiction Observando Você - Capítulo 2 - Capitulo 2 - Sam

Mais um dia de trabalho, os casos haviam diminuídos e já não recebia mais tantos pedidos para verificar a fidelidade de alguém o que havia me dado um bom descanso, há poucos dias ajudei em um caso para a polícia o que de vez em quando ocorria e por isso agora estava apenas sentado lendo as últimas notícias do jornal.

- senhor Park? – chamou uma voz masculina, abaixei o jornal em minhas mãos e encarei o homem a minha frente.

- sim. – respondi.

- o senhor é um detetive correto? – questionou e eu assenti. – preciso que descubra tudo o que puder sobre uma mulher. – pediu colocando a foto de uma mulher linda sobre minha mesa. – irei lhe pagar doze mil reais se obtiver todas as informações possíveis. – o olhei dando o meu maior sorriso debochado.

- qual a pegadinha? Eu não sou um detetive que observa uma mulher para trazer informações a aumentar desconhecido, sou um detetive de respeito e peço que vá embora. – respondi e ergui meu jornal outra vez.

- não é uma pegadinha. Estou interessado nessa mulher, eu não sei nenhuma informação sobre ela, nem mesmo seu nome. Apenas que ela frequenta a cafeteria do centro a mais popular por lá. Se me ajudar irei lhe dar seis mil agora e o restante quando obtiver todas as informações que preciso. – disse firme, abaixei o jornal e o vi segurando o dinheiro em mãos. Sorri e estiquei minha mão, ele me entregou e passei a contar o dinheiro. Estava tudo ali realmente, seis mil reais.

- tudo bem, irei conseguir as informações sobre a mulher senhor... – parei de falar esperando que ele completasse minha frase.

- Sleen, pode me chamar de Sleen. – respondeu.

- então senhor Sleen por que quer tais informações sobre essa mulher? – perguntei curioso.

- ela é a esposa certa para mim. – disse sorrindo, estranhei seu jeito de falar e agir mais não comentei.

- ok, irei fazer como pediu. – ele assentiu e se retirou. Peguei a foto em minhas mãos e observei cada traço daquela mulher. Ela era bonita ainda mais sorrindo, cabelos castanhos claros, olhos castanhos. Aparentemente não usa muita maquiagem, uma mulher e tanto.

Por hoje eu já não poderia fazer nada, já estava tarde, segui para casa onde encontrei o meu amigo Felipe e lhe contei tudo o que aquele homem me disse e por mais que eu tentasse não conseguia parar de pensar.

O que leva um homem acima dos trinta anos a querer investigar uma possível esposa se ele poderia chegar direto nela e lançar uma cantada qualquer e a conhecer pessoalmente? Tem alguma coisa errada aí e eu vou descobrir, afinal sou um detetive. No outro dia já tive um encontro desastrado com a mulher que ele desejava.

Carie Flin. Uma mulher bonita, sensual e completamente desastrada o que estraga todos os possíveis elogios sobre seu corpo, não gostei muito da ideia em que ela tentou limpar minhas calças mais o fato dela querer me recompensar poderia ser útil, assim iria conseguir mais informações sobre ela.

Chegando a meu apartamento, adentrei já removendo minhas calças molhadas na tentativa de parar de sentir aquele incômodo.

- a mulher é tão gostosa assim que gozou nas suas roupas ou assustadora que o fez fazer xixi nas calças? – perguntou Felipe com um sorriso irônico e debochado.

- maldito. – resmunguei seguindo para meu quarto.

- vou acreditar que seja a segunda opção. – disse rindo. Suspirei e peguei uma roupa qualquer indo para o banheiro. Após um banho voltei para a sala onde meu amigo estava sentado degustando um de meus drinks mais caros. – e então o que aconteceu? – perguntou sem tirar aquele sorriso idiota do rosto.

- aquela mulher é um desastre, linda mais estrambelhada. – resmunguei pegando um copo e enchendo de uísque. – ela caiu em minha mesa e jogou café em minhas calças. – resmunguei me jogando na poltrona a sua frente e dando um gole na bebida.

- ela praticamente caiu por você. Hahaha. – disse rindo.

- idiota, ela se distraiu lendo a mensagem e bateu na mesa caindo por cima. Ainda me pergunto por que um homem pagaria um valor tão alto por informações de uma mulher assim. – disse sem entender.

- tem algo aí. Mas e aí, a mulher é bonita mesmo? O que descobriu sobre ela? – perguntou curioso, sorri afinal Felipe sabia que eu não voltaria sem uma informação para casa.

- seu nome é Carrie Flin, idade aproximadamente vinte e quatro a vinte sete, cabelos castanhos claros, olhos castanhos. Corpo bonito, magra, aparentemente ela malha, pois seu corpo é totalmente perfeito. Sua voz é calma, porém ela ficar nervosa e envergonhada com facilidade, pelo cheiro em minhas calças que eu vim sentindo o caminho inteiro até aqui ela gosta de moccatino e por fim ela se sente culpada facilmente e gosta de recompensar as pessoas. – respondi dei outro gole em minha bebida.

- você já sabe tudo isso só em um primeiro encontro desastroso? – questionou Felipe.

- hm, sim. Eu preto muita atenção a cada detalhe de meus alvos. Amanhã retornarei a cafeteria e veremos como ela irá me recompensar por quase queimar o meu amigo aqui. – disse apontando para o meu membro.

- boa sorte então meu amigo, acho que vai precisar é muito. – disse se levantando e colocando o copo sobre a mesinha de centro. – um conselho. Use uma proteção no seu amigo ou ela pode não só queima-lo hahaha. – disse saindo rindo de meu apartamento, acho que já está na hora de trocar à senhora e não permitir que ele entre aqui e torre a minha paciência.

Peguei os copos e pedi uma refeição, depois do que ocorreu hoje eu não estou a fim de cozinhar e nem de fazer nada. Assim que a comida chegou liguei a televisão em um canal qualquer e me sentei no sofá com o foto de Carrie em minhas mãos.

- quem é você realmente Carrie Flin? Por que aquele homem a deseja tanto a ponto de pedir que a investigue? – perguntei ainda olhando sua foto.


Notas Finais


E ai o que acharam?
Não esqueçam de favoritar e comentar

Kiseu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...