1. Spirit Fanfics >
  2. Obsessão >
  3. Sentimentos

História Obsessão - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 15 - Sentimentos


Fanfic / Fanfiction Obsessão - Capítulo 15 - Sentimentos

No final de semana, Taehyung estava enlouquecendo.

Bonnie era uma amiga atenciosa que veio para o apartamento de Taehyung todos os dias, geralmente logo após voltar da faculdade. Ela, de alguma forma sabia a agenda de Taehyung, mas isso não exatamente o surpreendeu: a memória de Bonnie era assustadoramente boa e ela ligou os pontos sabendo o que ele faria.

Bem, tudo, exceto o fato que sua amizade, foi estranha com um inferno. Ela tocou Taehyung todo o tempo. Um toque no pescoço ou no ombro, um braço ao redor de sua cintura, um nariz esfregando o lado de seu rosto. Sem mencionar o olhar fixamente.

O pior de tudo foi que Taehyung tinha certeza que Bonnie nem percebeu o quão estranho ela estava se comportando.

Mas as outras pessoas percebiam. Taehyung percebeu.

Jimin estava olhando para eles estranhamente. Taehyung respirou fundo, tentando ignorar a mão de Bonnie em seu pescoço.

- Claro. - disse Bonnie a Jimin. - Se quiser verificar que a babá de suas irmãs fala fluentemente italiano e chinês, mande-a para o meu escritório.

Jimin olhou para a mão de Bonnie em volta do pescoço de Taehyung. - Não é que eu me importe. - disse ele lentamente, rasgando o olhar e dando um olhar "mas-que-porra-é-essa?" Para Taehyung, que lhe deu um olhar desamparado em resposta. - Mas meu parceiro acha suas recomendações um pouco suspeitas. - Ele deu de ombros, com um sorriso torto. - Pessoalmente, acho que ele é apenas paranóico, mas não tivemos muita sorte com babás para as gêmeas, já que ele é um pouco super protetor.

- Mande para mim. - disse Bonnie, com as pontas dos dedos acariciando o pescoço de Taehyung.

Taehyung esperava que seus arrepios não fossem óbvios. - Sim, ok. - disse Jimin com uma risada um pouco forçada. - Tudo bem ficar longe do escritório por tantas horas assim? 

Bonnie olhou para ele, uma pitada de diversão em seus olhos. - Meu negócio pode funcionar sem problemas sem a minha supervisão em tempo integral. Se o gestor precisar está presente em todos os momentos, isso significa que ele não contratou as pessoas certas e não criou sistemas eficientes para eles seguirem. Eu fiz.

- Presunção não é atraente. - disse Taehyung, sorrindo para ela.

O celular de Bonnie tocou. Ela atendeu com a mão livre e com a outra ainda envolvida no pescoço de Taehyung. 

Taehyung apertou o maxilar. Isso estava ficando ridículo.

- Eu não consigo ouvir. - Bonnie soltou o pescoço de Taehyung e fez o seu caminho para a sala de aula vazia nas próximidades, onde não era tão barulhento.

- O quê diabos está acontecendo? - Jimin disse, logo que Bonnie estava fora do alcance de voz. 

- Me diga você. - Taehyung suspirou. - Ela está me deixando louco com isso. Ela disse que somos amigos e, me acaricia.

- Será que você discutiu isso com ela?

Desviando o olhar, Taehyung passou a mão no cabelo. - Então...

- Você está com medo. - disse Jimin, com uma nota de surpresa em sua voz.

- Eu não estou. - Taehyung resmungou.

Sim, ele estava com medo. Taehyung estava com medo de assustar Bonnie se ele a confrontasse. Ele estava com medo dela parar de vir, parar de tocá-lo. Não importa o quão frustrante todo o toque era, no fundo, ele era um pouco viciado nisso já. Ou mais do que um pouco.

Caramba.

Ele pegou Jimin olhando para ele estranhamente. - O quê?

- Nada. - Jimin estava olhando para ele, pensativo. - Você mudou. Eu não quero dizer isso de uma forma ruim, no entanto. Você só costumava ser todo arrogante e confiante demais. Se deu mau, hein? Está todo tímido em torno dela agora.

- Não viaja, Jimin. - Ele forçou uma risada. - Eu não estou! - Ele protestou. Ele não era tímido. Ele nunca foi tímido.

- Só tome cuidado, ok? Ela tem namorada. Bonnie pode esta um pouco confusa agora, mas ela tem uma namorada. Não deixe que ela o use e machuque você. 

Taehyung ingeriu. - Eu sei. Não vou.

Taehyung nunca foi de passar mais de uma semana com uma mesma pessoa, Bonnie tinha sido sua primeira. Ele nunca foi completamente apaixonado, apenas atrações. E tímidez nunca fez parte de sua personalidade. Ela só o deixava diferente e não... tímido. Ela estava desvendando novas partes de Taehyung. Estava realmente mudando ele, Jimin tinha razão.

Bonnie caminhou de volta para eles, deslizando seu celular em seu bolso. - Lisa me disse para não esperar por ela. - Ela olhou para Taehyung. - Você precisa de uma carona? 

O pensamento de Taehyung foi levado para a parte racional do cérebro na qual estava piscando em vermelho o aviso de Jimin. 

"Ela tem uma namorada".

Mas então, os pontos positivos piscavam em um dourado muito chamativo. 

Então ele pensou em passar a noite com Bonnie.

Ele disse: - Sim.

Ele ignorou a desaprovação e o olhar preocupado no rosto de Jimin.

Foda-se, talvez ele fosse patético e estúpido, talvez ele não iria acabar bem, mas não podia negar a si mesmo isso. Ele quer ficar perto daquela mulher a todo instante se possível. Sentir seu cheiro e se deixar levar pelo toque que ela o proporcionava. 

Deslizando para dentro de sua jaqueta, Taehyung seguiu Bonnie para fora.

Estava muito frio, mas ele não sentiu isso.

Bonnie olhou para ele.

- O quê? - disse Taehyung com um sorriso, sentindo os flocos de neve derreter em sua pele corada.

- Nada. - disse Bonnie, arrastando o olhar para outro ponto e abrindo as portas do seu carro com um controle remoto.

Taehyung subiu no banco do passageiro e riu, lembrando da última vez que esteve por ali. - Lembra da primeira vez que você me deu uma carona? Você estava muito irritada.

Bonnie bufou, ligando o carro. - Você estava muito chato. E falava demais. - Ela parou de falar e ele se mexeu, se lembrando que também foi a noite em que Bonnie o tinha beijado pela primeira vez. Na noite em tinha começado tudo. 

O silêncio se estendeu, ficando mais estranho a cada minuto.

Quando se tornou insuportável, o telefone de Bonnie tocou novamente.

"Salvos pelo toque de celular". * Taehyung.

- Você poderia colocar no viva-voz? - Bonnie pediu, com os olhos na estrada enquanto ele manobrava o carro em meio ao tráfego denso.

- Claro. - Taehyung puxou o telefone de dentro do casaco de Bonnie e colocou no alto falante. Ele esperava que fosse Lisa. A última coisa que queria ouvir era Bonnie e ela. 

- Bennett falando. - disse Bonnie.

- Bennett falando. - uma voz feminina calma repetiu, claramente a provocando.

Bonnie riu. - Como vai o bom velho Japão?

- Provavelmente está ótimo. - Respondeu. - Mas não estou lá, na verdade.

- Você já chegou? 

- Sim. No meu antigo apartamento. Venha e traga um pouco de cerveja.

Bonnie olhou para Taehyung. - Agora? Você não tem jet lag?

- Eu tenho e é por isso que eu não vou ser capaz de dormir até que eu esteja exausta.

- Imagino o exausta. - Bonnie bufou. - Não esqueça de ferver um pote de chá para mim, cara. 

Ela riu. - Eu não vou. Então você está vindo?

Taehyung apertou o maxilar, tentando esconder a decepção e o quão seja lá quem for essa mulher o deixou estressado, por estragar sua noite. 

Bonnie olhou para ele. - Estou com um amigo na verdade. 

Ouve um breve silêncio na linha. Por alguma razão, Taehyung teve a impressão que a outra mulher estáva surpresa.

- Bem, traga o junto, então.

Bonnie olhou para ele com uma pergunta em seus olhos. 

Taehyung deu os ombros. 

- Nós estaremos aí em meia hora. - informou Bonnie.

- Quem era? - perguntou Taehyung quando a chamada foi terminada.

- Minha prima, Jisoo. Você vai gostar dela.


Notas Finais


Leitores fantasmas, interagem comigo. Preciso saber se estão curtindo a história... É bom saber a opinião de vocês, sobre o enredo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...