História Obsessão - Capítulo 23


Escrita por: e hexenbestas

Postado
Categorias Lana Parrilla, Once Upon a Time, Sean Maguire
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), Daniel, David Nolan (Príncipe Encantado), Elsa, Emma Swan, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sean Maguire, Sidney Glass, Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Lana Parrilla, Outlaw Queen, Outlawqueen, Sean Maguire
Visualizações 224
Palavras 2.504
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então gente, cá estamos nós novamente com mais um cap dessa fanfic tão querida KKKK
Gente muito obrigada pelos 220 e poucos likes, é mt importante anjinhos
Obrigada ❤
Sigam o tt das minhas fanfics P_Substituto

Capítulo 23 - Capítulo 22


Fanfic / Fanfiction Obsessão - Capítulo 23 - Capítulo 22

- Aqui está! - Falou colocando a tigela de lasanha sobre a mesa.

- Faz tempo que não como sua lasanha, filha. - Cora comentou, batendo duas palmas. - Acho que é a única coisa que sabe fazer. - Completou seu pensamento, fazendo Regina bufar, enquanto Emma e Mary riam. Riso esse que se estendeu para a loira, mas Mary logo o cortou aos poucos fazendo-o se tornar em um sorriso envergonhado. David não parava de a encarar, sentado ao seu lado da mesa. Do outro estavam Emma e Zelena, que estavam se dando super bem. O jeito divertido e, palhaço da ruiva a fazia rir todo tempo e Regina estava muito feliz por conta disso, em vista que Zelena é como uma irmã, e Emma foi e é muito importante para todo esse processo de "nova vida". Estavam tão entretidas, que não percebiam o que acontecia bem em sua frente.

- Você tem razão, é a única coisa que ela sabe fazer, o resto - tudo sou eu que cozinho -. Sussurrou a última parte de forma divertida, sentindo um tapa acertar seu ombro logo em seguida.

- Parem de falar mal de mim, temos aqui duas colegas de trabalho. - Apontou para Mary e Emma.

- Na verdade, você é minha patroa senhorita Mil... Regina. - Sorriu.

- Olha que orgulho da minha filha. - A mãe disse, encarando Mary com os olhos castanhos brilhando.

- Viu, não sou assim tão mal em tudo. 

- De forma alguma... Eu só estava me referindo a cozinha mesmo. - Zelena disse, levantando ambas as mãos.

- Enfim, vamos comer? - Perguntou Regina, e então todos afirmaram, pegando seus pratos. Cora sentada em uma ponta da mesa, e Regina na outra.

- David está calado hoje, costuma falar o tempo todo. - Disse a ruiva colocando um pedaço de lasanha no prato, e dando assim o lugar para Emma o fazer.

- Só estou pensativo. - Respondeu, e Regina engoliu o riso. Sabia muito bem o porque de estar calado, ela disse "pede você mesmo à ela"quando ele a pediu o número de Mary, e ali estava ele, investindo com o seu flerte. Mas, Mary apenas se envergonhava, e seu rosto corava sem conseguir manter um segundo se quer de contato visual, e ela não sabia o porque, mas sentia que isso só o interessava mais. O viu descer a boca para perto de seu ouvido e sussurrar algo, ninguém havia reparado, ela também notou, mas ela sim. Estava pensando que talvez, uma mulher como Mary desse jeito em seu irmão, mas era injusto de mais ter que "dar um jeito em alguém", essa não é bem a base de um relacionamento. E Regina sabia disso muito bem quando decidiu por fim se entregar e se envolver com Robin.

Robin... Ela poderia te-lo chamado, mas algo a parou, não queria que ficasse na cara. Não queria ter que explicar para a mãe que, se envolveu com um cara casado, que se separou depois de um tempo mas continua sendo apenas algo que ela não sabia nomear muito bem.

- Bem que você disse que eu amaria! Esta delicioso. - Mary comentou, sorrindo e eu agradeci.

- Você é muito simpática, Mary. - Cora disse, encarando levemente o rosto dela, e lá estava ela corando novamente.

- Você também Emma. 

- Obrigada senhora Mills. - Emma agradeceu, - a senhora também. Entendi muito sobre a personalidade da Regina e o quanto ela puxou muita coisa de você.

- Realmente, a Regina é muito parecida comigo. Talvez não na aparência, mas somos quase a mesma pessoa - apontou para a cabeça - aqui!

- Com toda certeza. - Regina respondeu.



Um pensamento passou pela cabeça dela quando, Robin a colocou em cima da mesa. Será que sua mãe faria algo assim? Se envolveria com alguém como Robin, mesmo sendo tão errado quanto era? 

Mas, nesse ponto, achava que não, era uma coisa absolutamente dela. 

Olhou aqueles olhos azuis, alguns segundos antes dele se perder em seu pescoço, enquanto empurrava seu vestido para cima, até alcançar a pele da sua bunda, e apertar contra seu pau, fazendo-a gemer baixo em seu ouvido.

- Agora todos dias vão ser assim? - Ela perguntou, deixando uma risada sair por sua boca. Ele levantou o olhar até o dela, sentindo-a apertar as coxas envolta de seu corpo. E então desceu suas mãos por elas, sentindo sua perna contra sua palma, ao mesmo tempo que descia o olhar para seus lábios.

- Sabe quanto tempo eu demorei para poder fazer isso? - Perguntou, levando seu dedo para os lábios dela, desenhando-os com lentidão. 

- Sei! - Respondeu, lambendo seu dedo, trazendo para dentro de sua boca, o chupando. Percebendo os olhos dele observando seus movimentos.

- Então você deve saber o quanto é difícil não... fazer isso todos os dias. - Escorregou o dedo para fora de seus lábios quentes, descendo-a para sua nuca, trazendo-a para sua boca, beijando-a.

- Eu sei... - Ela sussurrou em meio ao beijo, subindo as mãos para seu pescoço, aprofundando ainda mais o beijo. Sentindo-o puxar seu lábio em meio ao dente.

- Daqui alguns minutos o Killian vai vir aqui para começarmos um projeto. Você tem que ir. - Ela diz, sussurrando em seu ouvido, e ele afirma.

- Quando não é o Killian, é a Srta. Blanchard, quando não é ela é outra pessoa.

- É, infelizmente estamos em horário de trabalho. - Diz ironicamente, se levantando da mesa, arrumando seu vestido. Se virou de costas, pegando um espelho dentro de sua bolsa, arrumando seus cabelos, pegando logo em seguida seu batom.

- Agora você anda preparada. - Robin comenta, com um sorriso no rosto.

- Sim, porque se depender de você eu vou andar toda acabada. - Termina de passar seu batom nude, virando-se de frente para ele após colocar tudo novamente dentro de sua bolsa. 

Ele se aproxima colocando uma das mãos sobre o rosto dela, fazendo-a fitar seus olhos engolindo em seco. Seus olhos continuavam tirando-a as forças. Ele aproximou seus lábios, fazendo-a achar que ele a beijaria, mas ele apenas deu um selinho ao lado dos seus lábios. - Até mais tarde.



- Preparada para passar um tempo comigo? - Killian entrou em minha sala, rodopiando para exibir seu mais novo e caríssimo terno.
- Passar um tempo com a srta. Moyes seria mais agradável. - Revirei os olhos.

- Eu trouxe aqui o texto que escrevi, caso queira mudar e acrescentar algo, fique a vontade. - O moreno sentou-se a minha frente e colocou sua pasta em cima da mesa, juntamente de seu notebook.

- Ontem eu li por cima, e não parece que vou precisar mudar nada. Mas manda no meu email. 

- Mandando! - Disse divertido. - Enquanto vamos editando, vou mandar para o email da senhorita Blanchard para ela ir revisando.

- Ótimo. - Concordo. - Ela está com a Elsa ajudando o Sr. Locksley, não? 

- Sim, mas acho que logo ela vai estar aqui.

Ouvimos um toque na porta e eu pedi para que a pessoa entrasse.

- Com licença, Regina. Como não recebi uma confirmação sobre os relatórios enviados, decidi vir pessoalmente. - Assim que Emma adentrou a sala, distraída na leitura de alguns gráficos, Killian a olhou de cima a baixo, mas não com o olhar lascivo como costumava fazer, mas sim com certa tristeza.

O homem suspirou alto, chamando a atenção da loira.

- Eu ainda não os terminei de ler, srta. Swan, devo ter me esquecido de te responder, mas mesmo assim, obrigada... - Parecia que Emma não tinha prestado a atenção em minhas palavras, seus olhos estavam perdidos nos de Killian.

- Desculpe-me, mas tenho que ir. - Ao chacoalhar a cabeça levemente, a loira olha-me rapidamente e some de nossas vistas.

- Pode me dizer o que houve aqui? - Perguntei a Killian, que olhava concentrado para as mãos.

- Ela não me dá mais atenção. Eu não sei mais o que fazer!

- É claro, ela está namorando agora. - Tirei meus óculos de leitura e o encarei, esperando que dissesse algo.

- Mas isso não é motivo para simplesmente fingir que eu não existo. - Ele olha para as próprias mãos.

- Killian... - O chamei, vendo seus olhos azuis sempre tão juvenis e brincalhão com melancolia. - Você machucou Emma, ela está tentando te esquecer é normal que ela tente fazer isso. Você deveria estar feliz por ela, não me disse aquela vez que não é homem de uma mulher só? Então, Emma não é mulher que aguenta esse tipo de coisa.

- Eu sei... A culpa é minha! - Bagunçou os cabelos. - Eu deveria mesmo estar feliz por ela, mas eu não consigo. - Fitou meus olhos, como se procurasse uma resposta. Como se estivesse diante à mim confessando algum tipo de pecado. - Eu sou mesmo um desgraçado narcisista, que não vê nada além de mim mesmo e minhas necessidades porque, eu não consigo.

- Você tem que conseguir. - Minha voz sai baixa, eu não sabia o que dizer.

- Depois que Emma começou a me ignorar, eu não consigo mais ficar com mulher nenhuma como costumava fazer. Isso está acabando comigo e agora ela já está com outro! - O moreno passa a mão nos cabelos novamente, claramente frustrado. - Você tem que me ajudar, Regina, eu não quero mais viver assim, sem saber o que estou sentindo e tendo ciúmes de uma mulher que não liga pra mim!

- É bem típico. - Suspiro, e ele muda sua expressão facial, como se uma interrogação estivesse sobre sua cara. - Você a perdeu, e agora está dando valor pra ela. Enquanto ela estava em seus pés, era como as outras. Agora que ela entende o próprio valor, e tenta ser feliz você está frustrado. - Bufo. 

- Eu não deveria dizer isso, Jones. Mas, Emma realmente se importa com você, se você sente o mesmo então lute por ela, mostre que dessa vez você a quer, e só ela. Se não for assim, então nem se quer tente. E se ela não te aceitar, nem nessas condições então você siga a sua vida. Ela viveu anos e anos em sua função, você vai saber a esquecer se for conveniente. - Sou tão sincera que assusto a mim mesma, levanto meus olhos de forma lenta, com medo que tivesse o ofendido, porém quando o encaro Killian concordava com a cabeça. Ele sabia que, de certa forma eu estava certa.

- Você sabe o que quer? - O perguntei.

- Não. - Eu nunca, em meses trabalhando com Killian, ouvi sua voz tão... Sombria.

- Então decida, só por favor não machuque ela novamente; ela está indo bem. Você sabe.

- Eu prometo que não vou. - Pegou minha mão sobre a mesa, - obrigada Mills. 




Duas semanas depois


Já faziam uma semana que minha mãe e David haviam ido embora. Para a infelicidade de David, e felicidade da minha mãe, ele não conseguiu o trabalho. Mas, conseguiu ter um contato com Mary, eu não sabia bem o que estava rolando entre eles, mas sei até que o David marcou de voltar para Nova York, apenas para ver ela. E vice e versa. Mas, eu já sentia falta da minha mãe, e também de toda minha família em Dallas. 

Suspiro fundo segurando papéis sobre a lista de negócios que a empresa havia fechado, indo em direção à sala de Robin que havia marcado de me encontrar já faziam dez minutos...

     *.*.*

Ao adentrar à minha sala, não acreditei no que meus olhos viam!

- Sr. Maid! - Sorri surpreso.

- Quanto tempo, Robin! - Nos cumprimentos com um abraço apertado.

- O que o senhor faz aqui? Não me diga que já irá voltar a trabalhar!!

- Já tive alta do hospital à uma semanas, mas Marian não me deixou voltar até ter certeza de que eu estaria cem por cento, e agora cá estou eu, de volta aos negócios!

- Bem, se é assim, seja bem vindo de volta! - Puxei-o para um abraço novamente.

- Gostaria de ter uma conversa com...

- Sr. Locksley, acredito que você está atrasado para a nossa reunião! - Regina adentrou minha sala lendo algo em alguns papéis e ao levantar a cabeça para olhar para mim, seus olhos se arregalaram.

- Srta. Mills! - Maid sorriu, indo abraça-la.

- Sr. Maid! Como está? Já teve alta? - Ao se separarem ela ficou o olhando preocupada.

- Eu estou bem, minha querida, e já estou apto para os negócios! Tive alta há duas semanas, como tinha dito à Robin... Mas bom, já que os dois estão aqui, gostaria de conversar um pouco. - Maid sentou-se em MINHA cadeira e eu e Regina ficamos nas outras duas cadeiras a sua frente. - Marian me contou sobre o cuidado e profissionalismo que os dois tiveram enquanto eu estava fora e eu gostaria de agradecer por terem se empenhado tanto. O índice de lucros da empresa aumentou em quinze por cento, fora as novas propostas de campanhas e clientes novos que vocês trouxeram, graças à Regina, em especial, trabalhando como modelo também... - Maid nos olhava abobalhado, realmente estava muito grato por tudo o que fizemos.

- Não há de quê, Sr. Maid, nós só retribuímos o que o senhor fez por nós durante todo esse tempo. - Regina se pronunciou e eu concordei.

- Como forma de recompensa por terem se responsabilizado tanto, gostaria de oferecer-lhes algum tempo de férias, pois tenho certeza de que não foi fácil! Os custos ficarão por conta da empresa também, é só dizerem para onde querem ir e a partir deste final de semana, não espero vê-los tão cedo! - Tenho certeza de que minha cara estava transparecendo tanta surpresa assim como a de Regina.

- Oh quanta generosidade! Muito obrigada Maid!

- Eu é que tenho que agradecer. Mas bom, deixe-me ir e assim vocês poderão realizar a tal reunião que eu atrapalhei, assim como pensar para onde vão! Até mais tarde, queridos. - Mal deu tempo de nos despedirmos, o senhor já havia atravessado a porta e Regina me olhava com um sorriso enorme no rosto.

- Eu estou muito feliz! - Falou enquanto dava pulinhos, não sabia como ela conseguia ter equilíbrio pra o fazer com aquele salto tão fino que parecia que iria quebrar.

- Eu percebi. - Sorrio de seu animo.

- Já sei exatamente para onde vou. - Seus olhos brilham.

- Vai? Então quer dizer que vai sozinha? Sem mim? - Ela para seus pulos, dando um sorriso sugestivo.

- Bem... Você pode vir junto se quiser eu não reclamaria. - Me aproximo dela, a dando um selinho.

- Então pode ter certeza que eu vou, a onde for eu estarei junto.

- Vai mesmo? - Pega minhas mãos, e eu afirmo com a cabeça. 

- Promete Senhor Locksley? - Junta seu corpo completamente ao meu, me encarando nos olhos.

- Eu prometo senhorita Mills. - Ela sorri novamente. Me perco alguns segundos em seu sorriso, ele era lindo e apaixonante, definitivamente o sorriso mais lindo que eu já vi. Naquele momento percebi que, faria tudo que pudesse para sempre mante-la assim...

- Para onde você vai afinal? - Ela me dá um selinho e então diz: 

- Nós vamos para Dallas, ver a minha família!




- Como?


Notas Finais


Aí gente já quero dizer que essas férias vão ser um arrazo, e vai marcar uma nova fase na fanfic.
Espero que tenham gostado, e muito obg ❤
Gente sigam o tt das fanfics P_Substituto


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...