História Obsessão-Jeon Jungkook - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Jungkook
Visualizações 87
Palavras 1.629
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIIII

Capítulo 6 - Capítulo 5


Oh, diabo. Eu fico com a respiração em suspenso e soltou um soluço. Fiz o que ele
mandou e me posiciono de acordo.

Ele abriu minhas as coxas cuidadosamente, expondo minha intimidade a seu olhar e toque. Deslizou um dos dedos por entre as dobras dos meus lábios e, utilizando dois dedos, os separou, expondo meu pedaço mais íntimo. Então ele abaixou a cabeça e o meu corpo inteiro se retesou, em antecipação ao primeiro toque de Jeongguk.

Foi como receber uma descarga elétrica. A língua dele afagou meu clitóris e minhas mãos quase escorregaram enquanto meu corpo se retesava em reação. Ele brincou com o sensível botão do prazer repetidamente, movendo a língua em torno dele e, então, o sugando gentilmente. O desejo envolveu-me, espalhando-se para todas as outras partes de meu corpo.

Cada movimento da língua dele me levava para mais perto do orgasmo, que aumentava a cada toque dele. Ele desceu mais, beijando e lambendo minha entrada.

Moveu alíngua habilmente, enfiando-a na abertura, afagando, acariciando.

Eu me contorci de prazer, o corpo se retesando com cada carícia, o orgasmo ameaçando tomar conta de mim. Mas Jeongguk não estava com pressa. Parecia estar em total sintonia com o meu corpo. Ele me levava quase ao êxtase e depois diminuía o ritmo cobrindo-me com beijos reverentes e com os leves toques da língua.

Ninguém nunca me tocou com tamanha habilidade. Jeongguk podia ser exigente e egoísta – como denominou a si mesmo –, mas sabia dar prazer a uma mulher. Ele sabia exatamente o que estava fazendo e estava me levando à absoluta loucura.

– Jeon, por favor – sussurrou. – Preciso gozar.

Ele riu, o som vibrando acima do meu clitóris. Mesmo aquele pequeno movimento quase me fez ter um orgasmo. Ele depositou um beijo no pequeno botão do prazer e enfiou um dedo em minha intimidade.

– Ainda não, ______. Tão impaciente. Sou eu quem dou as ordens aqui. Você gozará quando eu permitir.

O tom sedutor na voz dele me fez estremecer e me tornou mais difícil manter o controle.

– Você tem um sabor tão sexy – disse ele numa voz gutural. – Eu poderia comer a sua doce boceta a tarde inteira.

Eu não sobreviveria à tarde inteira. Sentia-me perto de implorar pela maneira como as
coisas estavam. Fechando os lábios com força, contive a súplica. Mas ele sabia. Oh, sim, ele sabia.

– Implore, ______ – disse ele, movendo o dedo dentro de mim. – Peça de um jeito bem bonito e eu a deixarei gozar.

– Por favor, Jeongguk. Preciso de você. Me deixe gozar.

– Quem é o seu dono?

– Pertenço a você, Jeongguk. Você é o meu dono.

– E de quem é esta boceta que estou devorando?

– Sua – exclamo com meu corpo inteiro tremendo agora.

– E se eu quiser transar quando tiver terminado, esse é o meu direito, não é? 

– Oh, Deus, sim. Por favor, me faça gozar, Gguk!-Ele tornou a rir, não sabia se foi pelo apelido ou por minha súplica desesperada.

E então enfiou dois dedos dentro de mim enquanto sugava meu clitóris com mais força. A explosão foi arrebatadora. Eu estava completamente entregue. As palmas de minhas mãos deslizaram e de repente eu estava sobre a mesa com as costas para cima.

Jeongguk então levantou-se sobre mim, sua expressão ardente e sombriamente sedutora.

Ele abriu o zíper da calças, colocou o pau para fora e penetrou-me, dando uma arremetida em meu corpo ainda tomado pelo orgasmo. Ele ergueu minhas pernas para cima, puxando-me para si para ir de encontro às suas arremetidas. Deus do céu, ele estava indo tão profundo, ainda mais profundamente do que na noite anterior, como se o meu corpo tivesse passado por um ajuste e pudesse acomodá-lo agora.

– Quero ver os seus olhos – disse ele num tom exigente. 

Eu viro os olhos para fitá-lo, mantendo-os no rosto dele.

Não houve nada de lento ou terno na posse de Jeongguk. Ele transou comigo com ainda mais ímpeto do que na noite anterior. O meu corpo se movia para cima e para baixo na mesa enquanto ele arremetia, sua pélvis batendo com força em minha bunda.

E, de repente, ele saiu de dentro de mim, segurando o pau com a mão. Ele correu a mão por sua ereção, inclinando-se para a frente e gozando sobre minha intimidade.

Tinha os olhos fechados, seu rosto mostrando os mesmos sinais de tensão que invadiam o meu corpo inteiro. Foi quase uma expressão de agonia, mas, então, ele abriu os olhos que brilhavam calorosamente com satisfação.

Houve um brilho primitivo no olhar dele que me fez sentir um calor percorrendo-me novamente.

Ele suspirou quando o último jorro saiu de seu pau rígido e, então, deu um passo atrás enquanto se ajeitava de volta nas calças.

Correu as mãos pela parte interna de minhas coxas e, então, pelos quadris.

Olhou para a evidência da sua posse em minha pele, seus olhos brilhando com triunfo.

– Adoro ver você desse jeito – falou. – Na minha mesa, a sua boceta vermelha e pulsando por causa do meu pau e meu gozo espalhado por sua pele. Eu adoraria tê-la aqui a tarde inteira para poder olhar para você.

Ele se afastou, e eu me pergunto se de fato era o que ele pretendia. Fazer com que eu permanecesse ali, molhada com o esperma dele, a vagina exposta e ainda trêmula. Mas ele retornou um momento depois com um lenço umedecido e limpou o fluido cuidadosamente de minha pele.

Quando terminou, ajudou-me a levantar da mesa.

Eu permaneci ali, incerta, sem saber se deveria se vestir ou ficar como estava. Ele resolveu a questão quando pegou a saia do chão perto da cadeira e a segurou aberta para que eu pudesse colocá-la. Puxou a saia por minhas pernas e ajeitou a blusa, arrumando-me.

– Meu banheiro particular fica anexo ao escritório. Ninguém a incomodará lá. Você poderá se lavar e, então, retornar para a sua mesa. Dispensada.

Afasto-me com as pernas trêmulas e abro a porta a poucos passos da mesa dele. O banheiro era pequeno e obviamente destinava-se a um homem, mas eu ao menos pude me recompor a fim de não divulgar para o universo inteiro o que acabou de acontecer. Abrindo a torneira, jogo água fria no rosto. Quando voltasse à mesa, poderia reaplicar a maquiagem e dar retoques. 

Saindo para o escritório, vi que Jeongguk estava ao telefone. Assim, adiantei-me mansamente até a mesa e peguei a bolsa, usando pó de arroz e batom, dando seus retoques e voltando ao trabalho. O problema era que o desejo ainda me consumia, mesmo depois do orgasmo sensacional que Jeongguk me proporcionou com sua boca.

Mas a maneira impetuosa como ele me possuiu reaviveu meu desejo e agora eu estava agitada enquanto me reposicionava na cadeira. Minha intimidade latejava de desejo. A cada vez que me movia, uma onda de prazer me percorria.

Aquela só podia ser uma versão do inferno! Ter Jeongguk do outro lado da sala e precisando gozar outra vez.

Num esforço para me distrair, prestei atenção à conversa de Jeongguk.

Ele falava sobre um evento – naquela noite? E dizia a quem quer que estivesse do outro lado da linha que certamente iria e que esperava ansiosamente por isso. Era provavelmente uma mentira. Jeongguk odiava eventos sociais, mesmo que fosse perfeito neles. Era direto e impaciente demais para desfrutar genuinamente o fato de ser sociável e cordial, mas aquilo fazia parte dos negócios. Ele agradava investidores, fazia com que abrissem as carteiras. Yoongi era mais expansivo e agradava naturalmente. Era do seu feitio. Eu sempre me pergunto por que entre os dois melhores amigos que o meu irmão tem, eu me interessei por Jeongguk. Yoongi era lindo. Dos pés à cabeça. E tinha um sorriso charmoso que cativava todas as mulheres.

Mas não era por ele que me sentia atraída. Eu o via mais da mesma maneira que encarava Namjoon. Como um irmão mais velho indulgente. E quanto a Jeongguk? Jamais o olhei como um irmão. Meus pensamentos em relação a Jeongguk nem sequer eram legais na maioria dos casos,
tinha certeza. Talvez fosse simplesmente porque Jeongguk era mais remoto, mais misterioso.

Um desafio.

Não que eu fosse estúpida o bastante para achar que conseguiria conquistar aquela montanha em particular. Jeongguk era Jeongguk. Ele não se desculpava. Era duro. Nunca iria mudar. O que era uma pena porque significava que eu teria de passar muito tempo encontrando outro homem que se equiparasse a ele.

Podia me imaginar comparando eternamente cada homem depois de Jeongguk. Não seria justo com o novo homem e seria um inútil desperdício de tempo. Havia apenas um Jeongguk. Teria que o desfrutar no presente e, depois, esquecê-lo.

Solto um suspiro. As coisas soavam tão mais simples do que sabia que seriam. Eu já estava quase apaixonada por ele e isso foi antes de dormir com ele. Algumas paixões nunca iam embora. Em vez disso, elas se desenvolviam, tornando-se algo permanente, obsessivo e que consumia. Embora soubesse que deveria, eu não conseguia controlar a onda de emoções que ele emanava de dentro de mim. Era amor? Eu não tenho certeza. Havia uma porção de palavras que poderia usar para descrever meu fascínio por Jeongguk. Eu não vi nenhum de seus relacionamentos anteriores como de longo prazo. Nada perto de amor entrou no cenário. Foram divertidos. Via a maioria de meus amantes anteriores com afeição. Mas nada chegava perto de como me sentia em relação a Jeongguk e não fazia ideia se aquilo era amor ou simplesmente obsessão'.

Não que importasse, de qualquer modo. O amor era apenas um envolvimento do qual eu faria bem em me desviar ao máximo porque Jeongguk jamais corresponderia ao sentimento. Mas meu coração nem sempre ouvia e aquilo era algo sobre o qual talvez não tivesse controle algum.

- Espero que tenha estudado os perfis.

- Hum?


Notas Finais


Mais tarde tem mais, em!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...