1. Spirit Fanfics >
  2. Obsessão por uma "boneca" >
  3. Capítulo - 11

História Obsessão por uma "boneca" - Capítulo 11


Escrita por: tsumi02

Capítulo 11 - Capítulo - 11


Fanfic / Fanfiction Obsessão por uma "boneca" - Capítulo 11 - Capítulo - 11

DIA SEGUINTE

- Yuki, Minha filha, acorde – acordo ouvindo a voz da mamãe chamando – você vai se atrasar para a escola. O que houve? Isso nunca aconteceu antes

- bom dia mãe, ja vou. – lentamente me levanto, mas sinto meu corpo pesado e minha cabeça girando

Vejo a mamãe aproximar sua mão de mim, ela toca meu pescoço e minha testa, medindo minha temperatura

- Yuki, você está queimando de febre!

- febre?

- sim, uma febre, é guando seu corpo fica quente , os olhos pesados tanto quanto o corpo - ela pega o celular e digita – vou ter que dar uma folga do trabalho hoje

- por que? – eu me levanto e começo a vestir meu uniforme

- não Yuki, Você tem que ficar na cama hoje – ela me carrega e me põe deitada na cama

- mas não é nada demais mãe, eu vou melhorar rapidinho

- não. – ela coloca o celular na orelha e fala comigo –, seja uma boa garota e fique aí, irei cuidar de você - Ela sai do quarto enquanto fala no celular

 Isso é ruim, eu não quero atrapalha-la, eu não quero

𝗦𝗻𝗶𝗳𝗳, 𝘀𝗻𝗶𝗳𝗳

- eu...EU NÃO QUERO ATRAPALHAR A SENHORA!! – eu começo a gritar e chorar alto, a minha cabeça está doendo muito - por favor mãe, *sniff*, não se preocupe tanto comigo

- filha o que foi?!

Vejo ela correr até mim com alguns lenços úmidos em uma bacia, me colocando em seu colo e balançando-me

- pronto,pronto, passou, relaxe – ela passa o lenço úmido na minha testa que estava encharcado de suor – você está alterada por causa da febre, e eu me preucupo com você porque eu te amo. E não quero te ver sofrendo

Então é isso o que o Saito sente também por mim?

Dogra, eu tenho que pegar uma partilha agora, se não eu vou...

𝗛𝗨𝗨𝗥𝗚𝗛!

- OH CÉUS! Yuki você esta tão mal e________...

Não escuto a mamãe falar, agora tem um monte de voz na minha cabeça, se misturando, eu reconheço,: minha mãe, minha mãe atual, Shin, o monstro(pai) e...Saito.

𝗵𝘂𝗿𝗴𝗵!

[...]

Acordo

 olhei para minhas mãos, elas estavam enfaixadas, olhei para o outro lado, vi minha mãe dormindo. Seus olhos estavam inchados, contendo rastros de lágrimas em sua face

- mãe... – susurrei

Ela acorda, abrindo seus olhos no mesmo instante de repente.

- minha filha, você acordou! – ela me abraça devagar e com cuidado – como você está se sentindo?

- bem. o que aconteceu? Minhas mãos estão enfaixadas.

- ontem você se alterou por conta da febre que estava alta demais, você batia suas mãos no chão e em qualquer lugar que fosse concreto, machucando-as - ela beija minha testa – mas estou feliz que você está bem e mais calma agora

- e o seu trabalho? – pergunto

- por favor não fale disso, o foco agora é você. – ela me aconchega em seu abraço - está com fome? Vou buscar seu mingau.

Ela sai às pressas, e volta quase no mesmo instante.

- Aqui. – ela levanta a colher de mingau e esfria - Diga "aah"

- aah – eu comi, estava muito gostoso, eu não podia segurar com minhas mãos, porque estavam bastante machucadas e duras para move-las

Terminei todo o mingau

mamãe foi até um cômodo e pegou umas pastas de documentos, veio até mim, e me mostrou

- olha Yuki, você não precisa se preucupar tanto com a escola também, o seu amigo veio ontem, e me entregou seus trabalhos escolares todos resolvidos, – ela fala isso com um sorriso no rosto, porém eu já sabia quem era esse "amigo"

- mãe, me dê por favor uma partilha daquelas alí – eu aponto para uma caixinha de partilhas no criado-mudo

- aqui – ela me entrega, eu coloco na boca e estalo entre meus dentes

- agora, vamos tomar um baninho? – ela abre seus braços para me carregar

Eu me agarro nela e seguimos para o banheiro

[...]

Senti meu corpo leve depois do banho, mamãe trocou as faixas da minha mão, penteou meu cabelo, me passou uma colônia super agradável, colocou meias compridas em meus pés, e me vestiu com um pijama confortável grande.

- pronto, está novinha em folha *tic* – ela bate uma foto minha - minha bebezinha fofinha

[...]

Nós passamos dois dias juntas, assistindo os desenhos que eu gostava, e umas séries super legais

Estavamos tranquilas olhando para o teto, apreciando a bela paisagem que alí havia, feito especialmente pelas mãos da minha mãe.

- mãe... – começo a falar

- sim?

- eu irei amanhã para escola, tá?

- mas você ainda está machucada – ela segura delicadamente minhas mãozinhas

- mas não dói mais, olha – eu às movo – eu até consigo move-las agora

- se você está bem com isso, então tudo bem.

......

- Yuki...– ela olha para mim

- hum?

- se "hipoteticamente", a mamãe aqui ficasse noiva de alguém que gosta...Você o aceitaria como seu padrasto?..."hipoteticamente", claro hehe – vejo ela rir sem graça ao perguntar e ainda justificar

- aceitaria, se a senhora "hipoteticamente" ficasse noiva do homem que gosta, não seria problema para mim chama-lo de pai. – digo à encarando – o que a senhora quiser e preferir, eu também vou querer, e se estiver feliz com isso, eu também vou ficar

- oooh minha filha – ela me abraça esfregando suas bochechas acima da minha cabeça – você é tão adorável♡

- mãe, mas isso tudo é mesmo "hipoteticamente" falando?

- hehe, me pegou – ela faz uma expressão envergonhada, ela é bastante séria, mas guando está comigo tem o geito de uma adolecente – bem...eu queria saber o que você acharia disso primeiro

- não tem problema para mim...

- ah!, outra novidade! – ela está tão feliz – ele tem um filho de 7 anos de idade, e será seu irmãozinho. Agora você não estará mais sozinha quando eu não estiver ausente

- isso parece ser divertido

- mas é, você vai ver como você estará mais feliz com ele ao seu lado, você poderá brincar com ele, passear, contar histórias, assistir e até mesmo jogar com você.

Eu me animei, isso era ótimo, só de me imaginar compartilhando os meus momentos solitários com ele, já me dava uma pontada de felicidade

- quando eu vou conhece-los? – pergunto

- em breve, ele ainda tem que conversar com o filho sobre nós.

- entendo, estou ansiosa por esse dia

- eu também – mamãe apoia sua cabeça na minha, com delicadeza, – ...e o que foi esse machucado em seu rosto Yuki?

"Esse é o nosso segredinho" a voz do Saito soa na minha cabeça. Segredos foram feitos para não serem contados ou compartilhados, mas não queria mentir para minha mãe

- eu caí. – respondo

- onde? Está bastante arranhado, aconteceu algo?

- eu t-tropecei na...rua! – eu gaguejo e me permaneço em silêncio

- céus, que desastrada – ela acaricia minha bochecha machucada – tome cuidado ao andar, fiquei em choque guando vi seu rosto assim, me passou muitos pensamentos negativos

- eu só caí, não se preucupe

Eu menti para minha mãe, agora essa culpa esta me devorando lentamente por dentro. Se eu continuar sendo amiga de saito...isso significa que vou mentir para as pessoas que amo?

Eu tenho que cabar com isso, eu não quero ter que mentir.

Me acomodo no puro conforto dos braços da minha mãe, fecho meus olhos, e durmo.

[...]

Dia seguinte 

Na escola

- oi Yuu-chan, você melhorou? Eu estava bastante preucupado – era saito

Ele estava na minha sala, em frente à minha carteira(o asento escolar)

- eu quero ficar sozinha hoje Saito

- por que? – grrr que irritante – oh você bateu suas mãozinhas, eu irei beija-las para que sare rápido

Ele pegou minhas mãos e as levou até seus lábios para beija-las, mas antes que se chocasse com seus lábios, eu puxo-as de volta.

- não quero que me toque mais – olho séria para ele

- por que isso de repente? – ele tenta aproximar sua mão do meu rosto que ainda estava um pouco roxo - está de mal humor?

Eu estava exausta, ele não parava de mandar mensagens por email para o meu computador. Depois da conversa que tive com minha mãe ontem sobre meu irmão que ganharei, não quero continuar mentindo, não quero que o meu irmãozinho me veja como uma mentirosa e siga esse exemplo terrível.

Eu acordo dos meus pensamentos ao sentir ele encostar a mão no meu rosto, e sem me dar conta...

SLAP!

Por reflexo Eu acabo por bater em sua mão

- Tsk! – ouço ele estalar a língua – eu quero conversar com você depois da aula - ele se levanta e vira de costas andando na direção da saída da sala

- eu não quero. – retruco

Ele olha para mim furioso

- o que você disse?

- eu vou deixar bem claro para você não fazer eu repetir outra vez...𝗲𝘂 𝗻ã𝗼 𝗾𝘂𝗲𝗿𝗼 𝗾𝘂𝗲 𝗺𝗲 𝘁𝗼𝗾𝘂𝗲 𝗲 𝗻ã𝗼 𝗾𝘂𝗲𝗿𝗼 𝗰𝗼𝗻𝘃𝗲𝗿𝘀𝗮𝗿 mais 𝗰𝗼𝗺 𝘃𝗼𝗰ê. – me assusto com minha própria voz que saiu firme

- se tornou dona de si agora? – ele me pergunta em um sussurro próximo à mim, me encarando com o olhar sanguinário – que fofinho, mas não vai se livrar de mim assim tão fácil...𝗺𝗶𝗻𝗵𝗮 𝗾𝘂𝗲𝗿𝗶𝗱𝗮

Fico paralizada, e vejo ele rir enquanto sai da sala, esbarrando com o professor que ficou confuso ao ser um pouco empurrado por Saito.

E essa aula monótona e chata começa 

[...]

TRIIIIIIIIIIIM

O sinal do intervalo toca, mas fico na sala avistando os alunos sair com seus grupinhos de amigos...acho que isso é divertido

Fecho os meus olhos para dar um cochilo, já que não estou com fome

......

- O-oi M-Mizuki-san.

Ouço uma voz masculina e abro os meus olhos, levanto o meu olhar e vejo um garoto na minha frente, que estava todo corado:

- hum? O que? – pergunto, mas vejo ele hesitar e dar um passo para trás

- N-nós dois fomos os únicos que sobraram para fazer d-dupla da aula passada em que você não estava presente – ele continua, mas olhando fixamente para o chão – e...e-eu me ofereci para ser seu par

Fiquei surpresa, ninguém chegava perto de mim, exceto os professores e o Saito

- seu nome...

- M-me chame só de Kou – ele se curva

-Kou... – olho-o bem, seu cabelo escondia um pouco seus olhos da cor caramelizados – me chame apenas de Yuki, sou acostumada a me chamarem pelo primeiro nome.

-sim...Y-yuki

- mas que tipo de trabalho é? Me explique já que eu não vim

Ele sentou do meu lado e explicou tudo detalhadamente o trabalho que teriamos que entregar na próxima semana, era da materia de ciências. Enquanto ele falava da matéria, o mesmo parecia entusiasmado, seu modo de gaguejar foi desaparecendo aos poucos, até cessar de vez. Assim, até a explicação terminar.

- d-desculpe, eu falei demais – ele voltou a gaguejar

- não. Eu entendi tudo, se for possível podemos começar hoje mesmo.

- sim! Eu pensei a mesma coisa!

Kou ficou me encarando inquieto

- por que está me encarando? – pergunto

- você não está com fome? E-eu queria saber se você queria comer comigo enquanto falamos do traba-

*ESTRONDO*

-YUU-chan – era o Saito que empurrou a porta com força - você ainda não comeu? Aposto que está com fome, olha o que eu trouxe...para...você...

Sua voz foi morrendo aos poucos guando avistou Kou. Ele veio furioso até nós, que ao chegar, empurra o Kou longe da minha carteira fazendo-o bater de costas na parede

- 𝗮𝗳𝗮𝘀𝘁𝗲-𝘀𝗲 𝗱𝗲𝗹𝗮 – Saito olha para o Kou, e logo olha para mim – é por isso que você não me quer por perto Yuki? Encontrou um brinquedo novo para desprezar e pisar no coração, assim como você fez comigo?

"Desprezar"?, "Pisar"?, Essa nunca foi minha intenção. Olho para o Kou que estava grunindo de dor com o impacto causado pela parede.

Vou até ele:

- você está bem?

-Nnh...acho..que tô – os cantos dos olhos dele estavam lagrimando, ve-lo assim me causou uma dor no peito, eu senti a mesma coisa que senti daquela vez ao abater em Saito

- 𝘀𝗮𝗶 𝗱𝗮𝗾𝘂𝗶 𝗦𝗮𝗶𝘁𝗼 – eu falei estando de costas, porque se eu o olha-se, eu iria me descontrolar, e a mamãe me pediu para não fazer isso...pelo menos não na escola.

- heeh? você me odeia agora Yuu-chan? Poxa, eu trouxe um negocio para voc-

- 𝗲𝘂 𝘁𝗲 𝗼𝗱𝗲𝗶𝗼

-que?

- não escutou? Eu vou repetir, 𝗘𝘂.𝘁𝗲.𝗢𝗱𝗲𝗶𝗼

.....

Ficou tudo um grande silêncio, eu só consequia ouvir os suspiro doloroso do Kou que ainda se recuperava

- eu sei que lá no fundo você gosta de mim, já que me perdoou por todo esse tempo. Isso não vai ficar assim, não mesmo

Depois que ele termina sua fala, ouço seus passos pesados ficando distantes.

Olhei para trás e ele não estava lá.

Eu acho que o pior por agora já passou

- ei, conseque se levantar? Digo, olhando para o Kou e suspendendo minha mão para que ele segurasse

- sim - ele segura – quem era ele?

- um amigo. Mas por agora já passou, não vai acontecer outra vez

[...]

Passei a semana toda com o Kou, organizando nosso trabalho, ele se tornou meu amigo, eu fiquei feliz.

 Só fiquei um pouco assustada quando ele me contou dos boatos que circulavam a escola desde o dia que eu cheguei

- todos na sala não queriam fazer o trabalho com você porque estavam com medo

- com medo de que? De mim?

- é, eles diziam que você tinha algum lado oculto, como um pacto com o diabo – ele ri e balança a cabeça para o lado em sinal de desaprovação – acho que era pelo fato da sua aparência...vamos dizer... "peculiar",

- minha aparência é tão medonha e assustadora assim? – eu toco meu próprio rosto

- não é isso...é que a sua aparência é exageradamente pálida, dando a sensação de que você está morta, assim como os seus olhos, que nos cantos são um pouco escuros, e você é bem pequena... – ele respira fundo, recuperado o ar e continua – ... é difícil de acreditar que você ainda está viva quando tira um cochilo na sua carteira...você é tipo uma...uma...

- boneca? – completo

- isso! 

Não fiquei feliz com a concordância dele com essa comparação, porque eu começo a me lembrar das coisas que aquele monstro(pai) fez com minha mãe, ou que minha mãe me trocou realmente por uma boneca.

 Então eu era mesmo uma esquisita aos olhos das pessoas

- entendi – eu digo sem entusiasmo

- e isso também te faz exageradamente bonita – eu paro, ouvindo ele me elogiar

- eu sou bonita?

- S-sim você é. – ele fica vermelho e abaixa a cabeça

- hehe – eu rio da sua expressão agradável e envergonhada

Estávamos conversando vários assuntos, sentados em um banco da praça, comendo lulas grelhadas perto de uma banca de petiscos deliciosos.

Estou tão tranquila agora, meus machucados e meu corpo não doem mas, fico feliz que o Saito tenha me entendido e se afastado

[ SAITO ]

Estou vendo a Yuki de longe junto com aquele chiclete azedo(Kou). Ela está com saudades de mim agora? Dei um gelo nela por uma semana, para que ela perceba que ficar longe de mim é doloroso e solitário. Mas aquele garoto está me atrapalhado.

Yuki é tão doce e inocente, eu quero saber todas as suas expressões e reações fascinantes. Não posso permitir que esse "coisa" azeda estrague tudo.

                                                                




                                                                   Continua...


Notas Finais


Hohohohoho👀

Até o Próximo Capítulo, que saí amanhã

Bjs💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...