História Obsessão Sayajin: Um Herdeiro ao Trono - Capítulo 2


Escrita por: e Nickolliebklost

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bardock, Bra, Bulma, Kakaroto, Personagens Originais, Trunks, Vegeta
Visualizações 85
Palavras 2.569
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - As aparências enganam!


Fanfic / Fanfiction Obsessão Sayajin: Um Herdeiro ao Trono - Capítulo 2 - As aparências enganam!

-

No dia seguinte, Trunks acordou com duas fêmeas sayajins nuas por cima dele, o fazendo recordar as sacanagens que tinha feito na noite retrasada, então sorriu e levantou-se derrubando suas companheiras de transa no chão, que acordaram desejosas por mais.

- Príncipe Trunks quer repetir? – Pediu Loreny se insinuando.

- Quer que a gente te chupe? – Inquiriu Lany com um olhar lascivo.

- Não costumo repetir o cardápio, gosto de novidade, vocês já não me servem mais, preciso de outras fêmeas para ter na minha cama – Replicou esnobando as garotas - Agora que já terminamos podem ir – Gesticulou fazendo pouco caso, deixando as duas sayajins pasmas e foi tomar banho.

Quando Trunks retornou do banheiro, as jovens já tinham ido embora, deixando o arroxeado mais a vontade, pois ele achava desagradável uma fêmea que comeu ficar no seu pé, ainda mais porque não gostava de repetir, só o fazia com sua noiva. Pensativo colocou uma roupa casual e foi em direção ao grande salão real, onde encontrou sua mãe, pai e irmã tomando café, como uma típica família terrestre.

- O cheiro da comida está ótimo! Mudaram de cozinheiro? – Pediu sentando-se de frente para irmã, que parou de comer e o encarou séria.

- Papai matou o último cozinheiro, ele deu em cima da mamãe – Respondeu Bra tomando o suco de abacaxi.

- Ele não deu em cima de mim! Arold só foi gentil – Protestou Bulma incomodada.

- Não foi o que percebi, ele mereceu... – Vociferou Vegeta.

- Papai no seu lugar, eu teria torturado ele primeiro e depois pendurado ele para que os pássaros o comessem vivo – Sugeriu Trunks com um sorriso sádico assustando sua mãe.

- Para com isso filho... esse jeito que você fala me assusta, onde está o menino amável que você costumava ser?

- Ele cresceu e virou um sayajin forte e frio! – Retrucou o arroxeado antes de começar a comer.

- Talvez na próxima vez eu faça o que Trunks disse – Admitiu Vegeta fazendo Bulma o fuzilar com os olhos.

- E se fosse contigo Bra, o que faria se um sayajin te agarrasse a força? – Questionou Trunks curioso, pois a irmã sempre ficava quieta na sua presença.

- Eu lutaria com ele, como papai me ensinou e o faria se arrepender de me amolar – Replicou a garota, deixando o pai orgulhoso.

- Você luta é? Pensei que você só trabalhasse no laboratório com a mamãe – Sussurrou desdenhoso, pois sempre achou sua irmã fraca, que só daria certo na mesma função que a mãe.

- Sim, sou uma cientista, mas também sou uma guerreira, se passasse mais tempo conosco saberia.

- Interessante, amanhã não tenho nada de importante para fazer, quero ver o seu treino com papai, vamos ver se você vale alguma coisa como guerreira – Falou com um sorriso provocador, antes de comer mais panquecas e torradas.

- Pare Trunks! Sua irmã não é uma perda de tempo – Mandou Vegeta se ofendendo pelo jeito que o filho estava tratando a irmã.

- Como queira, vou indo! – Murmurou Trunks saindo do recinto, deixando para trás uma Bra muito enraivada.

Após a saída do arroxeado, Vegeta ficou pensativo, como o filho tinha se tornado tão arrogante e debochado, desdenhando a irmã daquele jeito, o treino que ele dava para Bra, era o mesmo que ele usava para duelar com Kakaroto. Estava certo, que ela não era forte como Trunks, mas ela tinha o surpreendido bastante com os treinos, para sua surpresa ela conseguiu chegar num nível que ele não imaginava, super sayajin nível 2, aquilo com certeza deixaria Trunks impressionado e pararia de desdenhar de Bra.

Na casa de kakarotto Goten havia acabado de chegar após uma tórrida noite de sexo com Ginger. Estava cansado, pois aquela fêmea era insaciável e como era apetitosa ao seu corpo. Ela provocava o pior dele. Então sobe direto para o quarto 

Kakarotto estava a mesa com Chichi tomando café quando ouviu os passos de Goten subindo as escadas. 

- Você não vai falar nada? - Chichi pergunta irritada.

 - Falar o que? Goten não é mais um filhote Chichi acostumasse.

 - Como me acostumar? Ele deveria estar fazendo algo não virando noite em festas.

- É mesmo é? E o que seu filhote deveria estar fazendo? Não se esqueça que você vive em Bejita, não na terra, a única coisa que importa aqui é a guerra. Além do mais ele está indo muito bem, logo deve pegar um comando como Gohan. – kakarotto responde ríspido.

 -Gohan é outro. Como ele pode se tornar tão violento, tão delinqüente - Chichi lamenta-se.

 - Chichi, já conversamos... o Gohan é um guerreiro nato, se não dizer o melhor. Infelizmente o sangue sayajin é muito forte, eles jamais seriam parecidos com humanos, não são fracos e sentimentalistas, são guerreiros. Aceite. Todo dia é a mesma reclamação.

 - E Hanna? Nem lembro a última vez que veio nos ver – Chichi fala chorosa.

 - Eu a vejo todos os dias. No campo de elite. Inclusive o próprio Gohan está a treinando, vai levá-la em missão em breve e eu estou ajudando.

 -Vocês sayajins são uns ingratos mesmos, não se importam com o sentimento dos outros. Quer saber eu vou voltar a treinar os filhotes sayajins, talvez assim eu consiga por um pouquinho de humanidade nessa raça cabeça dura.

 - Boa sorte – kakarotto fala zombando.

 Eles terminam o café e kakarotto sai para a central de elite para ver o treino dos novos guerreiros.

 -Goten temos treino, você vem? - Gritou kakarotto.

 Quando Goten surge com a uniforme base correndo a escada. Ele não perdia treino nem pelo cansaço. Queria atingir o nível do pai, então voam juntos para lá.

 Não demora e Goten já está a lutar com Sakura a filha de Raditz. Ela era uma bela fêmea sayajin com longos belos negros e olhos azuis (herança dos Briefs) e atraia muitos olhares de machos principalmente agora que estava próxima a mudança de filhote para adulto. O que tem tirado o sossego de Raditz que era extremamente possessivo com ela e com Tights que por sinal parecia não sofrer com os anos ficando mais linda a cada dia.

 Sakura era muito ardilosa e estrategista descobrindo pontos fracos de oponentes rapidamente com pouco tempo de luta. Era extremamente inteligente tal como sua mãe e a tia Bulma. O que fazia mesmo ela não sendo mais forte que alguns adversários, os vencer mais facilmente. Nesse instante ela esta a travar uma luta valiosa com Goten, com todas as forças. Porem Goten tem algo que falta na pequena, perspicácia e ponto de vista o que torna Goten um guerreiro mortal em combate. Normalmente os adversários se deixavam levar pela carinha de ingênuo ou de pouco experiência o que dava uma grande vantagem em combate a serio uma vez que ele matava seu adversário sem dar chances de defesa. Tanto Gohan como Goten foram treinados por Kakarotto e Chichi. Mantendo o estilo de luta terráqueo, porém ao longo dos anos seu pai desenvolveu e aprendeu várias técnicas os repassando também. 

Os jovens estavam a lutar e treinar em alta gravidade e Gohan já estava a treinar Hanna quando Chichi chega ao campo de treino.

 -Olha então resolveu mesmo voltar a combater?-Gohan pergunta a mãe com sarcasmo.

 - Não querido vou voltar a dar treino no campo só isso – Chichi fala gentilmente.

 - Não acho que seja uma boa idéia, você tem coração muito mole para ensinar a realidade dos combates.

 - Você também deveria ter o mesmo coração, ou esqueceu que tem uma parte minha? 

-Infelizmente não, não somos perfeitos – Gohan debocha.

 Um escravo que estava a trazer alguns documentos cai em meio a alguns suportes que haviam próximo 
a Gohan, de imediato o moreno olha pra ele com descaso e repugnância.

 Chichi percebe o olhar do filho, ela vai a caminho do escravo e o ajuda a se recompor e ele a agradece, pois gentileza não existia em meio aos sayajins, mesmo com o acréscimo dos humanos, era apenas sinal de fraqueza.

 - Viu o porque de não servir para isso? – Gohan fala – porque se dá ao trabalho que ajudar um verme inferior daquele.

 -ele não tem culpa é apenas um escravo – Chichi pondera.

 -só é escravo porque a raça foi fraca e patética.

 -Esqueceu que eu sou sua mãe e também já fui escrava? 

- E agradeça ao seu vínculo por não ser mais, mas uma prova de quão fraca é, e infelizmente tenho que carregar esse sangue, por sorte a misturas das raças fez aumentar o poder em vez de diluí-lo. Se não fosse teu vinculo ou de tantos outros provável que ainda seria uma escrava, sendo abusada e consumida dia após dia até meu pai se cansar de você.

 -Gohan não fale assim com sua mãe – kakarotto repreende ao ver os olhos de Chichi lacrimejarem.

 -Tanto faz, eu vou treinar a Hanna – Gohan fala saindo.

Kakarotto então abraça chichi afagando seus cabelos.

 - Quando ele se tornou esse monstro? – Chichi fala chorando.

 -Nunca vamos saber, assim como Goten que é bem diferente dele. Pense que seja como eu e Turles, personalidades diferentes apenas isso. Não se culpe. De certo modo ele é um orgulho pra raça.

Chichi apenas olhou triste para o companheiro e tentou engolir o choro, limpando as lágrimas que ainda teimavam em cair e voltou para sua casa, muito decepcionada com seu filho mais velho.

No dia seguinte, Bra levantou-se cedo, colocou sua roupa de treino, tomou o café rapidamente e seguiu até a sala de treino da família real, que era bem mais sofisticada do que dos soldados de elite. Seu pai gostava de exclusividade queria sempre estar vários passos a frente que seus súditos, principalmente de Kakaroto. Ao chegar à sala de treinamento, a garota tem uma grande surpresa, ao se deparar com Gohan e Kakaroto conversando com seu pai, lhe pareceu que eles iriam assistir o seu treino, o único que ela não viu ali foi o seu irmão Trunks, não adiantava, talvez ele não apareceria, pois achava que ela era uma perda de tempo, não valeria assistir o treino. Então Bra se aproximou do grupo, em passos rápidos, seu pai a notando se virou pra ela atencioso.

- Eles vieram assistir o seu treino, quem sabe você não entre para a esquadra do Gohan junto com Hanna – Sugeriu Rei Vegeta.

- Quem sabe... se eu gostar do que ver – Anuiu Gohan cruzando os braços.

- Então vamos lutar papai! – Sussurrou Bra empolgada entrando na arena, sendo seguida pelo seu progenitor.

Enquanto pai e filha se aqueciam antes de começar a lutar, Trunks deu seu ar da graça, ao caminhar pela arquibancada lateral onde avistou Gohan e Kakaroto assistindo aquele treino, isso o deixou surpreso, pois sabia que o pai dele não convocaria guerreiros poderosos como eles para passar vergonha com a filha. Podia ser que quem sabe a pirralha enfim soubesse lutar e ele estivesse a subestimando todo esse tempo. Precisava ver isso, estava louco para ser surpreendido, então se aproxima de seu ex-mestre e do pai dele.

- Mestre Gohan, veio ver o treino da minha irmã? – Pediu curioso.

- Sim, seu pai me convocou para isso, estou ansioso para ver o potencial dela – Replicou o moreno de forma séria.

- Sua irmã parece forte – Opinou Kakaroto analisando a garota.

- Também notei isso pai, parece que ela está suprimindo o ki dela, quem sabe seja aquela pulseira que ela está usando no pulso – Gesticulou Gohan atencioso.

Como Gohan estava coberto de razão, antes de iniciar a luta Bra jogou a pulseira que usava longe, fazendo seu ki aumentar perigosamente, fazendo o irmão arregalar os olhos, com tamanho poder e Vegeta dar um sorriso de canto e atacar a filha, que de primeiro se defendeu e atacou de quase para igual, pois o rei preferiu não usar todo o seu poder.

Tanto Gohan, como Kakaroto ficaram impressionados com os ataques de Bra, que eram muito precisos, calculados de forma minuciosa, ela tinha um ótimo gancho de esquerda e gostava de usar bastante rasteira, pegando ás vezes o monarca desprevenido. Naquela quase uma hora que lutou com seu pai, a azulada levou uns chutes na lateral direita, que era o seu ponto fraco e um soco no estômago, porém sempre revidava e dava trabalho para o pai dela. Instruída por Vegeta, Bra se transformou em super sayajin 2, e o atacou rapidamente, usando esferas de ki, usando algumas de suas técnicas Big Bang Attack e Final Flash, para ficar no mesmo nível aquele combate, o rei também se transformou em super sayajin 2, se empolgado com a luta.

Trunks estava muito impressionado com tudo o que estava vendo, nunca imaginaria tamanho poder e habilidade que a irmã possuía, aquilo seria muito útil num combate. Como de bobo não tinha nada, Trunks notou o súbito interesse de Gohan na irmã, para quem sabe se juntar com ele em sua esquadra, porém não deixaria que ela fosse com ele. Gohan era muito rígido e cruel, além de ser um mulherengo de primeira, que não perdoava nenhum rabo de saia, Bra estaria em perigo com ele, movido pelo seu instinto ficou em alerta observando tudo e a todos.

- Parece que sua irmã não é perda de tempo, Trunks! – Opinou Gohan quebrando o silêncio.

- Ela também me impressionou – Admitiu o arroxeado.

- Vou querer ela no meu esquadrão junto com Hanna, vou treinar as duas juntas – Declarou Gohan decidido.

- Ela seria uma grande aquisição para sua esquadra, não gosto de admitir, mas Bra está num nível muito superior que minha neta e sobrinha.

Vegeta e Bra que se aproximavam do trio, ouviram parte da conversa e sorriram, principalmente o rei, que estava orgulhoso de sua caçula, aquela confissão de Kakaroto o deixou convencido.

- Não acho que seja uma boa idéia a minha irmã ir para sua esquadra Gohan, ela irá para a minha! Eu serei responsável pelo treinamento dela, se atenha a sua filha. Bra é minha irmã e seu treinamento no esquadrão só cabe a mim – Retrucou Trunks arrogante.

- Vejo que você é bem astuto e esperto príncipe Trunks, eu acredito que você sabe o que esperava a sua irmã caso ela fosse para a minha esquadra, então prefere ser responsável por ela no seu pelotão. Não fico ofendido, pra mim basta minha filha – Concordou contrariado o moreno.

- Ótimo filho! Pensei que você se recusaria a ter sua irmã em sua nave, então chamei Gohan, pois ele era a melhor escolha.

- Mudei de opinião papai, tenho que admitir que Bra é uma ótima guerreira – Elogia Trunks, deixando Bra enrubescida.

- Obrigada irmão, promete que não vou decepcioná-lo.

- Vou garantir que não – Replicou o príncipe sério.

- Sua irmã não irá agora com você Trunks, ela terá que treinar mais um mês comigo, pois não gostei do ponto fraco que se evidenciou na defesa dela. Eu e ela precisamos corrigir essa falha – Comunicou Rei Vegeta.

- Certo! Então se tudo já está decidido, vou encontrar Goten e Ginger, se me dão licença – Trunks avisa antes de caminhar até a saída do recinto.

Um pouco longe dali, Raditz treinava com sua filha, que o surpreendeu com sua nova estratégia de luta, aquilo seria muito útil durante as novas missões, ele estava orgulhoso de sua cria, ela podia não ser mais forte que Hanna, mas pelo menos era mais inteligente que ela.

-

Continua


Notas Finais


Gratos pela sua leitura!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...