História Obsessão Sayajin: Um Herdeiro ao Trono - Capítulo 4


Escrita por: e Nickolliebklost

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bardock, Bra, Bulma, Kakaroto, Personagens Originais, Trunks, Vegeta
Visualizações 64
Palavras 1.755
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Quase perdendo o controle


-

Bra somente percebeu a aproximação do irmão, quando este chegou já intimidando seu amigo Markus, com sua presença e hostilidade.

- Ora, ora se não é o novato do meu esquadrão? Está arrastando asinha para minha irmã? Tem noção do perigo pivete? – Questionou Trunks autoritário com um olhar desafiador, deixando o rapaz de 17 anos morto de medo, pois o arroxeado era seu comandante e tinha uma fama um tanto perigosa.

- Não senhor comandante! Eu só estou conversando com Bra, pois somos amigos – Tentou explicar o moreno.

- Bem, acabou a conversa! Dê o fora daqui antes que eu te transfira para a esquadra do comandante Turles – Ameaçou o príncipe para o pavor do jovem mestiço, que só faltou chorar com aquela possibilidade.

- Sim, senhor, eu vou indo! Até mais Bra – Markus saiu apressado do campo de treinamento, nem olhou para trás.

Bra ao presenciar o absurdo que o irmão tinha acabado de fazer, fechou a cara e estreitou os olhos, muito furiosa.

- O que você pensa que está fazendo? Virou meu pai agora? – Esbravejou a azulada, enquanto sua cauda balançava agitada atrás dela.

- Eu não sou o papai, mas vou te ensinar uma pequena lição – Sussurrou perigosamente antes de pegar Bra pelo braço e a arrastar até o vestiário feminino, que estava vazio naquele momento, onde ele trancou a porta quando eles passaram.

- O que vai fazer Trunks? – Pediu preocupada a garota, antes de seu irmão com o semblante fechado vir em sua direção a passos largos e a pressionar contra a parede, ela ficando de costas para ele.

- O que você quer hein? Andando com os machos por aí? Quer que eles te fodam? – Perguntou Trunks roçando a boca no ouvido de Bra, enquanto seu corpo pressionava o dela.

- Me deixe em paz Trunks! Eu tenho o mesmo direito que você de sair por aí! – Protestou a jovem tentando se soltar mais em vão.

- Não tem mesmo! Seu cheiro está mudando Bra, ele está mais atrativo, daqui a pouco os machos vão começar a pular em você – Revelou Trunks cheirando o pescoço da irmã que se arrepiou toda.

Aquele arrepio que Bra teve não passou despercebido por Trunks, que sentiu algo diferente ao tocá-la daquele jeito, estava ficando excitado, seu membro ficou duro de repente, e um desejo louco invadiu seu ser, queria poder tê-la, mas era errado aquilo.

Bra estava com medo daquela situação, Trunks encontrava-se muito estranho, ao empinar a bunda para trás, a azulada sentiu a ereção de seu irmão roçar nela, e a respiração dele tinha ficado mais depressa, algo estava errado. Sem esperar, a jovem sentiu o irmão beijando e lambendo o seu pescoço, enquanto suas mãos acariciavam suas laterais, aquilo provocou uma sensação estranha nela, que gemeu baixinho.

De repente, alguém bateu na porta, fazendo os dois se afastarem e Bra suspirou aliviada e abriu a porta e deu de cara com Goten, que a olhou de forma interrogativa, porém não perguntou nada. Bra agradeceu por aquilo, pois nem ela sabia o que tinha acontecido ali, então rapidamente saiu do campo de treinamento, seguindo até o palácio.

O filho mais novo de Kakaroto achou aquilo muito estranho e mil coisas passaram em sua cabeça, porém esperou por Trunks, que saiu do vestiário somente minutos depois, já recomposto e o olhou sério.

- O que você quer? – Pediu ríspido o príncipe.

- Vovô Bardock convocou algumas esquadras para uma missão e a nossa está na lista – Comunicou o moreno.

- Ótimo! Era tudo o que eu precisava. Convoque todo o pelotão, que estejam em alerta, que saímos a qualquer momento – Declarou Trunks pensativo.

- Como quiser comandante! – E assim por meio do scouter Goten convocou todos os membros da esquadra para ficarem prontos para uma missão.

A invasão se daria em Prius14, era um planeta de alto grau de poder, o que se fazia necessário as duas esquadras sendo Gohan e Trunks. Logo no hangar Gohan e Trunks já discutiam a entrada no planeta e a ordem de invasão para que nada saísse fora do controle e mantendo também um plano reserva.

 As esquadras ganham o espaço e depois de 15 dias estavam próximos a adentrar a atmosfera do planeta púrpura. Gohan então se reuni com o seu esquadrão.

 -Eu quero que foquem apenas em matar, não dêem chances alguma nem cedam apelos de rendição. Não somos uma droga de diplomacia. Quando entramos em um planeta é para dizimar, sem piedade e sem remorso. Cada um tem que carregar o orgulho do seu sangue sayajin e merecer tal honra. Aquele que descumprir em qualquer momento minhas ordens ou poupar de qualquer forma se rendendo a apelos considerem-se convidados a me fazer uma visita mais tarde. Isso vale especialmente para você kurumi, que da última vez quase foi morta por hesitar a um maldito filhote. Entendidos?

 Todos consentem, se preparando para descer ao planeta. A nave é colocada em modo de espera e os sayajins descem até o planeta. A esquadra de Trunks fica com o outro hemisfério do planeta.

 A lua natural do planeta surge trazendo com ela Oozarus sedentos de sangue e de morte. A destruição começa sobre as ordens de Gohan que era implacável quanto às mortes e usava requintes de crueldade. A raça foi pisoteada, esmagada rasgada e dilacerada de diversas formas diferentes e igualmente cruéis os guerreiros atacam com todo o poder que tinham, mas o poder de Gohan àquela altura é bem superior ao deles. Mas eram muitos para ele dá cabo sozinho por isso a necessidade de mais um guerreiro de alto poder. 

O dia amanhece e trás consigo a verdadeira face dos sayajins, os guerreiros daquele planeta achavam que agora poderiam finalmente vencer os invasores, o que eles não sabiam é que a forma Oozaru escondia a verdadeira face assassina da raça quando os guerreiros se põem a luta.

O esquadrão de Gohan já estavam em SSJ como base, o que era a primeira exigência para entrar no esquadrão de Gohan. Eles atacam com mais crueldade que na forma Oozaru, agora sim brincavam com suas presas antes de matá-las da forma mais violenta possível. Gohan estava a prestar atenção especial em kurumi, pois ao menor sinal de fraqueza ele já sabia como a puniria naquele dia. E como se adivinhasse o que ela faria a viu hesitar perante filhotes daquela raça. Então se aproximou de kurumi.

 -Nunca hesite, pode custar sua vida – Então Gohan cria argolas de ki sufocando os filhotes até lhes quebrar o pescoço e romper as vértebras, só depois de decapitados ele dissipou a energia. 

Kurumi viu o chão sendo lavado com o sangue daqueles filhos e viu o olhar cruel de Gohan.

 -Agora seu castigo Kurumi – Gohan falou com um sorriso tão cruel quanto o olhar.

Kurumi tremia ante a face do medo que tinha naquele momento.

 Gohan se aproximou dela e lhe quebrou todos os ossos possíveis deixando somente o crânio e parte das costelas intacto. Então arrastando o corpo da sayajin jogou no meio do solo chamando o esquadrão.

 -Que sirva de aviso. A próxima não será tão leve – Brandiu Gohan.

 -Devemos levá-la a câmara de regeneração comandante? – Pergunta um 
dos soldados.

- Só depois que a invasão terminar. Até lá deixa-a agonizando. – Ordenou o comandante com desdém.

Do outro lado do hemisfério, o esquadrão de Trunks massacrou a maioria da população de forma cruel e sádica e depois se reuniu para últimas ordens do arroxeado.

- Falta pouco para eliminarmos o restante dos vermes, porém essa raça não é de total desperdício, percebi que algumas fêmeas são bem atraentes, ficaria ótimo levarmos algumas para vender no mercado de escravos. Algo exótico é apreciado no nosso planeta, por isso Goten, Teodore, Mark, Helius e Levy quero que vocês escolham dez fêmeas bonitas e atraentes para levarmos conosco – Ordenou com o olhar malicioso.

- Pode deixar comandante – Anuiu Goten voando pra longe junto com os outros soldados sayajins, pois eles tinham avistado algumas fêmeas bonitas escondidas entre os escombros.

- E quanto a nós comandante? – Perguntou Lisy que estava próxima a Amandy.

- Vocês duas podem matar o restante da população que sobrou, não preciso do auxilio de vocês para o que pretendo fazer – Gesticulou o príncipe.

Quando Trunks ficou sozinho, resolveu dar uma passeada pelo local, para ver se tinha algo interessante que pudesse levar consigo para presentear Bra, desde que saiu de Bejita, a irmã não saia de sua cabeça, o cheiro dela o deixava louco, se Goten não tivesse o interrompido naquele vestiário, teria transado com Bra. Aquilo ainda o perturbava, precisava se redimir, só rezava para que sua irmã não contasse para o seu pai o que ele fez, senão estaria ferrado. Então o arroxeado continuou caminhando e quando passou por um prédio quase desmoronando avistou uma linda jóia na vitrine, um bracelete com safiras, de imediato resolveu pegá-lo e levar para Bra, ela ficaria bonita com elas e foi o que fez, o aguardando no bolso do uniforme e voltando para a nave.

Não demorou nem meia hora para Goten, Teodore, Mark, Levy e Helius voltarem para dentro da nave com as fêmeas capturadas.

- Uhumm levem duas delas para minha suíte, o restante podem ficar para vocês, até chegar em Bejita podemos nos divertir – Falou com um sorriso sacana ao olhar com lascívia as fêmeas trazidas, elas eram humanóides, tinham os cabelos azuis e olhos rosas, pareciam com os humanos.

- Sim, senhor – Anuiu Goten já excitado.

- Todos estão mortos? – Pediu Trunks.

- Sim, Lisy e Amandy terminaram de eliminar o que faltavam, comandante! Podemos voltar para Bejita – Declarou Goten.

- Certo, então vamos logo embora, que as naves para recolher os minérios logo estarão aqui – Gesticulou o arroxeado, para depois ligar para Gohan pelo scouter.

- Nós já terminamos a nossa parte – Comunicou Trunks.

- Humm, como vocês são lentos, já faz quase uma hora que fizemos nossa parte – Retrucou debochado.

- Vá se catar Gohan! Vamos embora logo, não estou competindo com você para ver quem faz o trabalho mais rápido – Vociferou o príncipe irritado.

- Certo! Vamos voltar para Bejita então! – Sorriu o moreno antes de encerrar a ligação, adorava provocar seu ex-pupilo.

 Após desligar o scouter, Trunks caminhou para o seu quarto, estava louco para provar aquelas fêmeas capturadas.

Nesse mesmo instante, no planeta Bejita, Bra treinava com Hanna e Sakura na arena real, para aumentar o seu poder, sendo assistidas por Bardock, que as analisava bem, achando ótimas guerreiras, igual sua esposa Gine.

-

Continua


Notas Finais


Gratos por sua leitura!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...