1. Spirit Fanfics >
  2. Obsessed imagine deku vilão >
  3. Capítulo 2

História Obsessed imagine deku vilão - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura desculpa qualquer erro

Capítulo 2 - Capítulo 2



Song: darkside grandson
Lá estava eu sentada, sozinha na hora do intervalo olhando pro tempo, faz três dias que aquela bendita caixa está guardada no meu closset e não sei o que fazer, talvez eu devesse chamar a polícia? Não eles não acreditariam em minha história, afinal porque uma simples estudante conheceria o maior assassino de todo o Japão em pessoa sem ser morta e ter uma ferida sequer e ainda que teve o prazer de experimentar a comida dele,  eu pesquisei na Internet mais sobre o deku mais as únicas coisas que tinham era que ele fez mais de 900 vítimas em menos de 3 anos e mais de 90 feridos, isso tudo sem ninguém ter uma única foto,  mais por encrivel que pareça tem uma pessoa que sabe quem é o deku mais seu nome está em anonimato então não dá pra saber muito, segundo pequenas informações ditas pela polícia era que esse garoto era colega de deku quando mais novos, nenhuma outra informação foi dita para não atrapalhar as investigações, eu queria saber mais, mais só tem isso há quem diga que a polícia está do lado de deku e esconde qualquer informação sobre ele não sei talvez eu não tenha pesquisado muito será que meus amigos sabem algo?
 Não custa perguntar! 
- sn! Finalmente encontramos você- era kiri junto com todo grupo.
- há oi gente desculpe não falar muito com vocês nos últimos dias, e que eu estava com alguns problemas. 
- não tem problema sn-chan- disse uraraka vindo em minha direção me abraçando. 
- obrigada gente- sorri estou pensando tanto no deku que

Esqueci de meus amigos. 
- ei sn temos uma festa pra ir no sábado e queremos que você vá- disse mina ao lado de denki.
- festa bem aonde vai ser?
- o kirishima  sabe o caminho ele pode te acompanhar- disse mina empurrando o kiri para minha frente, fico vermelha. 
- mina!- disse kiri envergonhado
- ok pode ser se eu não te atrapalhar?
- o que? Atrapalhar você nunca atrapalha sn-chan!-kiri disse todo vermelho. 
- ok então eu vou- sorrio e todos comemoram. 
Fomos andando pelo campo  da faculdade,  conversando aleatoriamente até que puxo o assunto. 
- ei gente vocês já ouviram falar daquele cara lá o tal  assassino deku?
-não- todos disseram em unison.
Olhei para bakugou que foi o único a não me respondeu,  ele parecia surpreso com minha pergunta, o encarei ele psrecia ter ficano nervoso ele deu meia volta saindo.
- ei bakubro tudo bem?- disse kiri, mas foi ignorado por bakugou que continuou seu caminho. 
- oque deu nele?- denki perguntou. 
- não sei- disse kiri.
 As aulas passaram rápido, eu fiquei pensando na reação do bakugou, será que ele conhece o deku, tem uma possibilidade afinal ele tem 21 e o deku tem 20 é muito provável que eles tenham sido colegas de classe, eu conheci bakugou no meu primeiro ano, ele era do terceiro já o restante do grupo eu conheci na mesma sala que eu. Não o que estou pensando não tem sentido afinal só porque a idade bate não significa, que ele o conheça.
     Parei de rodeios é continuei prestando atenção na aula.
   

Estava guardando minhas coisas na mochila, não consigo parar de pensar se o abacaxi satanista tem algo haver com o broculis, psicopatinha, rir com meu novo apelido que talvez eu use, pera eu tô dando apelidos carinhosos para o cara que tentou me matar!
- buuu!
- ah? Kiri!- dei um pulinho de susto ele estava atrás de mim, me virei pra ele sorrindo.
- bobo, por que está aqui?
- porque eu queria te acompanhar até sua casa- disse se aproximando mais de mim, eu acabei me sentando em cima da mesa isso me fez ficar um pouco mais da altura de seu rosto, ele aproximou mais de mim, eu vi seu rosto ficar levemente vermelho. 
- sn eu gosto de você! - kiri falou com o rosto todo vermelho, olhando em meus olhos. 
- kiri eu também gosto de você! - falei meu rosto ficou da mesma coloração que o seu. Ele sorriu aproximando seus lábios até colarem nos meus,  foi um beijo apaixonado, tranquilo sua língua pediu passagem eu cedi, logo estávamos em sintonia, minhas mãos foram até sua nuca dando leves arranhões e carícias, nos separamos, estávamos ofegantes e totalmente vermelhos, sorri para ele.
 Ele me acompanhou até minha casa, fomos todo tempo de mãos dadas,  eu estava feliz não acreditava que a pessoa que eu gosto também gosta de mim, chegando na porta me despedir com mais um beijo este que foi mais selvagem, tanto que ele me prensou delicadamente na porta, fazendo um leve barulho.
   
  Nós separamos do beijo, eu o abraço ele me retribui, me despedir e adentro meu apartamento.
 

Fui em direção deixando as roupas no caminho,  tomei um banho, até eu ouvi o som de uma porta sendo aberta, fudeu esqueci que agora eu tenho um puta assassino que tem a chave de casa terminei o banho pegando a toalha rumo ao meu quarto coloquei uma roupa, sai é lá estava ele sentado no sofá. 

Estava entrando no prédio de sn, estava com mais duas caixas, estava cansado voltei de um serviço onde tive que "dispensar" alguns funcionários, sinceramente por que só eu tenho que fazer esse trabalho eu queria poder fazer mais, o shigaraki sempre me deixa com essa parte, mesmo que eu adore quero fazer mais, pelo menos eu tenho minha princesa, de certa forma eu não quero a matar por que? Nem eu sei, a sua forma lerda é bem engraçada é bom ter um lugar pra ir sem ter que matar alguém. 
 Eu tinha ido pelas escadas afinal ninguém sabe da minha existência só o porteiro que pensa que eu sou o namorado dela,  não sei nunca tive muita cabeça para namoro ou algo do tipo,  claro toga sempre tentou algo mais nunca dei bola, já estava próximo do meu destino mais parei assim que vi uma cena da qual fez meu sangue ferver, sn estava beijando um cara de cabelo de mestruação!
 Fiquei escondido esperando eles se separarem, assim foi o garoto se virou para ir embora ele estava sorrindo que nem um idiota, não entendo porque estou assim! 
 Depois de me certificar que ele já não estava ali, fui até o apartamento, abri a porta me de parando com roupas no chão, elas faziam um caminho até o quarto,  

Provavelmente ela deve estar tomando banho,  fui até o closset guardei as caixas me sentei no sofá, por que minha cabeça está naquele garoto? Estou com ciúmes?  Talvez afinal não quero que a princesa fique com alguém ele pode atrapalhar os planos, se eles namorarem vão ficar mais tempo juntos isso não, o que eu deveria fazer para garantir que ela só sirva a mim? Ah eu já sei tentar conquista lá  seria um bom plano faze lá querer somente há mim, talvez de certo terei seu controle total não me importo se ela se apaixonar por mim, eu apenas vou fingir corresponder seus sentimentos, sorrio com minha idéia, escuto uma porta sendo aberta e a vejo saindo do quarto me olhando surpresa. 
- você sempre chega de surpresa assim?- ela parece de bom humor, porque será né.
- só quando eu gosto da pessoa- sorrio
- hum ok o que veio fazer aqui?
- você sabe princesa, trazer algumas caixas e te ver- ela deu um suspiro indo até a cozinha,  que não era longe afinal fica perto da sala separada por um balcão. 
- quer alguma coisa? - perguntou abrindo a geladeira. 
- não sei vai cozinhar?  Quer ajuda- me levantei indo em sua direção. 
- sim claro por favor! 
- ok- sorrir começámos a cozinhar não falamos muito, o silêncio já estava me incomodando.
-  como foi seu dia princesa?
- an bem foi um dia normal,  é sabe por acaso você vai vir aqui no sábado?
- não sei, por que?- olhei confuso pra ela que parecia estar tensa.
- é que eu vou em uma festa com meus amigos....Então- desviou o olhar.


- não precisa pedir permissão princesa, pode ir se divertir eu não virei afinal tenho alguns negócios para tratar- ele disse sorrindo.
Claro que eu não preciso pedir permissão, ele não é nada meu mais fico feliz que ele não se importa, dou um sorriso pra ele.
- obrigada broculis psicopatinha!- falei rindo.
Ele me olhou confuso com o apelido
- eu não sou um broculis!
- desculpa eu tive que te dar um apelido carinhoso- falei com um sorriso, não acredito que ele não reclamou do "psicopatinha"
- não tem nenhum outro não? - perguntou imflando as bochechas,  meu deus que coisa fofa nem parece que tentou me matar. 
- bem já que você me chama de princesa vou te chamar de príncipe!- falei simples claro que eu adicionaria o "psicopatinha" no meio.
 Nesse momento as bochechas dele ficaram coradas, olhei surpresa pra ele, ele tava muito fofo!
- p-pode ser p-princesa, mais você sempre tem esses apelidos?- falou tentando voltar a postura original. 
- sim, eu amo apelidar as pessoas, um bom exemplo é meu amigo bakugou que eu chamo de abacaxi satanista! 
No momento que eu falei bakugou a cara do deku foi de água para vinho, antes aquele que estava envergonhado pelo apelido ficou com uma expressão tensa.
- entendo então o kacchan esta lá? - disse em um susurro, mais eu pude ouvir.
- tudo bem?
-ah sim! princesa vamos continuar! - ele disse mudando a expressão rapidamente. 
 
Terminarmos de cozinhar e começamos a comer, o silêncio era total, deku parecia estar mais serio.

Se ele ficou desse jeito significa algo, kacchan esse seria um apelido para bakugou não sei acho que é bem a cara dele, no entanto eu tenho que descobrir.
- tudo bem princesa?
- sim príncipe! - preciso descontrair eu vou descobrir mais sobre o deku, e talvez usar isso contra ele, se eu descobrir algo que ele não quer que ninguém saiba talvez eu possa chantagia lo e ficar livre dele, sim farei isso esse será meu plano!
- d-de novo com isso, eu não estou para príncipe- novamente ele ficou com as bochechas vermelhas, ai que fofo me levanto levando minhas mãos a suas bochechas as apertando levemente, ele se mexe um pouco tentando se afastar mais eu não desgrudo ele é muito fofo!
-pa-para p-rincesa i-isso dói! 
- não você é o príncipe psicopatinha mais fofo de todos- ele ficou mais vermelho segurando minhas mãos as retirando de seu rosto.
- bem psicopatinha talvez- deu um sorriso de lado, ele levou suas mãos até meu rosto apertando minhas bochechas até que doeu um pouco. 
- ai dói- choraminguei
- viu agora aguenta! - ele disse dando uma gargalhada, ele me soltou lentamente, e continuou rindo.
- não tem graça! - disse fazendo biquinho, olhando pra ele meio brava.
- tem sim! Que foi tá me olhando assim por que? Quer um beijinho?- perguntou segurando meu rosto, dando vários beijinhos pelo meu rosto,  nas bochechas,  na testa, no queixo na ponta do meu nariz,  eu já sentia meu rosto quente e vermelho.
- paraaah- disse tentando me afastar mais ele continua, seus beijos foram

até meu pescoço, ele levou suas mãos ate minha cintura, me puxou para se sentar em seu colo de frente pra ele, seus beijos ficaram mais intensos ele dava leves chupões, eu tentava segurar a respiração mais arfei com seus toques, por que estou deixando isso acontecer? 
Segurei seus ombros o afastando de mim, ele me encarou confuso.
- melhor pararmos por aqui- disse me levantando, o que foi isso? 
- tudo bem princesa, acho que deu a minha hora até outro dia!
Ele se levantou foi em direção a porta, se virando lentamente para me encarar.
- até mais "Doll"
Sentir um arrepio pelo novo apelido, meu corpo estava fervendo por que eu deixei ele me tocar daquele jeito? 
Preciso descobrir logo seu segredo e me livrar dele antes que eu fique louca!
                     {♥}
The kid has got a darkside
Best believe it
Push too far you'll see
The kid has got a darkside
Back against the wall
La la la la la
The kid has got a darkside
Best believe it's the
 O garoto tem um lado escuro
Melhor acreditar nisso
Se empurrar mais, você vai ver
O garoto tem um lado escuro
Costas contra a parede
La la la la la
O garoto tem um lado escuro
Melhor acreditar
 Eu estava parado em meu apartamento na sacada, olhando fixamente para baixo onde vários carros passavam, várias pessoas andando calmamente despreocupados com suas próprias vidas, levei minha mão até meu bolso tirando um cigarro em seguida o isqueiro, acendo o cigarro em meus lábios, já com o cigarro aceso guardo o isqueiro.

Continuo observando a vista, penso em sn por que ela teve que falar justamente do kacchan? Ela o conhece certo por que de todas as pessoas eu tinha que conhecer uma que conhece a pessoa que mais odeio no mundo! 
 
Last trick up his sleeve
The kid has got a darkside
That you don't wanna meet at all
Esse é o último truque em sua manga
O garoto tem um lado escuro
Que você realmente não vai querer conhecer
- finalmente deku-kun te encontrei- me virei para a dona da voz atrás de mim, era minha colega himiko toga!
- oi toga, pra que você estava me procurando? 
- só vim te convidar pra ir comigo e com o dabi para uma festa no sabado!- disse sorrindo animadamente. 
- festa! Sera que pode ser a mesma festa que a sn vai- murmuro  e a toga me olha confusa.
- quem é sn deku-kun?
- que há? ninguém toga então eu vou a festa é só me dizer onde vai ser ok!
- ok vou avisar ao dabi depois eu te falo mais sobre a festa- disse saindo rapidamente, se a festa for no mesmo posso dizer que vai acontecer  coisas bem interessantes. 

Last trick up his sleeve
The kid has got a darkside
That you don't wanna meet at all


Flashback on
They always picked
On him in the class
He would wake up
With anxiety attacks
So he put a semi-automatic
On his back
He got murder in his eyes
He wore the silence like a mask
Now he's making up for
All the violence in his past
Took it from his father
Who never bothered to ask
What his son had on his mind
Eles sempre implicam
Com ele na aula
Ele acorda
Com ataques de ansiedade
Até colocar o modo automático
Em suas costas
Ele tem assassinato nos seus olhos
Ele usa seu silêncio como uma máscara
Agora ele está compensando
Por toda a violência no seu passado
Pegou isso do seu pai
Que nunca se importou em perguntar
O que seu filho tinha em mente
- SEU MERDA NÃO SE META NO MEU CAMINHO DE NOVO SE NÃO- kacchan rapidamente soca o armário amassando o mesmo, abaixo minha cabeça. 
- VOCÊ ME OUVIU SEU NERD?
- s-sim kacchan- digo com a voz trêmula meus olhos se enchem de lágrimas,  tento conte las, kacchan deu meia volta bufando de raiva, eu me levantei indo até a saida da escola, meu rosto já estava encharcado por lágrimas, meus machucados eram nítidos, estavam por todo meu corpo, eu não entendo por que o kacchan age dessa maneira éramos amigos quando eu tinha 4 anos nunca entendi por qual razão ele ficou tão agressivo comigo.
  Cheguei em casa não tinha ninguém, minha mãe saiu pra trabalhar ela tem dois empregos de manhã e de noite,  só consigo ve lá de madrugada afinal fico na escola até tarde, mais ela sempre deixa o almoço pronto.

Um dia quando eu me formar, vou trabalhar e dar uma vida melhor pra ela esse é meu objetivo.
 Terminei os curativos, fui até meu quarto fazer a lição,  queria muito ver minha mãe por isso decidir ficar acordado até tarde!
  As horas passavam e nada da minha mãe será que aconteceu alguma coisa? 
 O telefone tocou eu atendi no segundo toque.
- alô? 
- licença, pode me enformar se tem algum parente de inko midoriya presente? 
- sim eu sou filho dela por que aconteceu alguma coisa? 
- sinto muito te dizer mais a sua mãe morreu. 
Eu fiquei em choque com a notícia eu só sentir lágrimas correrem pelo meu rosto sem eu perceber, minha mãe não pode ser. 
- NÃO VOCÊ ESTÁ ENGANADA! ELA ESTÁ BEM!-digo entre soluços não é verdade! 
- eu sinto muito. 
Essa foi a pior coisa que podia ter acontecido, ela havia falecido durante o trabalho aparentemente a causa foi de tuberculose,  meus tios por parte dela se recusaram a ir em seu enterro apenas pagaram algumas despesas,  ninguém da família da minha mãe queria ficar, comigo por conta de minha mãe ter casado com meu pai contra a vontade de meu avô.
 Eu estava sozinho sem ninguém, a única solução era me matar mais não fui salvo me tornei deku, e adivinha? Fui me vingar de certas pessoas matei meus tios, foi bem satisfatório ve los implorando pela vida inútil deles,  não era o suficiente pra mim queria mais, all for one me deu a idéia que eu precisava porque não matar a pessoa que mais odeio?

He never went to check under his bed
He was living with the
Monsters in his head
Sick of getting beat up
He listened, what they said
Told him do some very bad things
And when the time comes
That he count to ten
Ain't nobody ever gon' fuck
With him again
Feeling all alone, i
T was him against them
Decided when the lunch bell rings
That he'll sing
The kid has got a darkside
Best believe it
Push too far you'll see
The kid has got a darkside
Back against the wall
La la la la la
The kid has got a darkside 
Ele nunca checou em baixo de sua cama
Ele estava vivendo com os
Monstros em sua cabeça
Cansado de apanhar,
Ele ouviu o que eles disseram
Disseram a ele para fazer algumas coisas muito ruins
E quando a hora chegasse
Que ele contasse até dez
Ninguém nunca mais iria mexer
Com ele de novo
Se sentido completamente sozinho
Era ele contra eles
Decidiu quando o sinal pro almoço tocar
Ele vai cantar
- então kacchan cadê você agora está com medo!
Eu andava pelos corredores da escola já vazia, com  minha AK-47 já havia atirado em alguns professores e no diretor eles sempre souberam do bulling  que eu sofia mais fingiam não ver só porque os pais do kacchan são ricos! Por isso os matei agora estava à procura de kacchan que corria junto de seus amigos de merda fugindo para biblioteca. 
You can't run, you can't hide
You can't run, you can't hide
Someone let me off this ride
You can't run, you can't hide
The kid has got a darkside
The kid has got  a darkside

O garoto tem um lado escuro
La la la la la
Você não pode correr, você não pode esconder
Você não pode correr, você não pode esconder
Alguém me deixe fora desse passeio
Você não pode correr, você não pode esconder
O garoto tem um lado escuro
O garoto tem um lado escuro
O garoto tem um lado escuro
 
 fui até a biblioteca lá estava meus alvos, kacchan junto com seus amigos dei um tiro no primeiro que tentou chegar perto de mim, dei uma gargalhada. 
- vocês são tão patéticos! 
- para com isso izuku!- disse kacchan se levantando indo em minha direção. 
- an? Agora sou izuku! Não sou mais o nerd de merda kacchan? - disse apontando em sua direção. 
- PARA SEU MERDA SE QUER MATAR ALGUÉM MATE A MIM!- disse com lágrimas nos olhos. 
- agora você quer bancar o herói, não kacchan você não vai ser o herói,  sabe por que?  Porque vou matar todos eles e a culpa será sua- não dei tempo para ele responder matei seus dois últimos colegas com tiros certeiros sorrir com meu ato tão perfeito 
- NÃO MIDORIYA POR QUE?- cheguei perto de si que havia caído de joelhos no chão, segurei seu rosto para que me encarasse. 
- nunca mais me chame assim de hoje em diante sou Deku, não se preocupe você vai morrer com a culpa afinal quem desencadeou isso foi você. - sorrir o larguei ele estava se afundando em lágrimas. 
The kid has got  a darkside!
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...