1. Spirit Fanfics >
  2. Obsession - VMIN >
  3. Primeiro

História Obsession - VMIN - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Primeiro


Fanfic / Fanfiction Obsession - VMIN - Capítulo 2 - Primeiro

Quando o dia da festa chegou era impossível dizer quem estava mais empolgado, Jimin ou Hey-jin. Pelos dias que antecederam pode-se perder as contas de quantas vezes haviam falado sobre o assunto ou algo que envolvia aquilo. Por outro lado, Hyukwoo, namorado da garota, não gostava nenhum pouco daquilo.  

Os dois haviam se conhecido alguns meses antes em um passeio da escola, ele era o instrutor da turma e não perdeu a oportunidade de pedir o telefone da garota na primeira oportunidade, desde então, eles não se desgrudavam mais. 

Hyukwoo detestava areia e lugares com aglomeração, se passasse muito tempo debaixo do sol certamente ficava queimado e achava um verdadeiro tormento ter que aturar adolescentes a flor da pele se entupindo as escondidas de bebidas alcoólicas esfregando os corpos suados uns nos outros, e quando se tratava daquela festival, por mais puritana que a escola fosse e o diretor tentasse a todo custo tornar tudo mais civilizado, havia uma dose cavalar de tudo aquilo. 

Hye-jin já podia dizer que amava o namorado, pela primeira vez sentia-se bem nos braços de um homem e estava encantada com aquele relacionamento. Sua mãe gostava dele, seu irmão havia simpatizado com o rapaz e Jimin era o maior fã daquele relacionamento, e a personalidade do namorado ajudava em tudo aquilo. Mas não podia negar que a forma como ele sempre tratava o modo juvenil como ela gostava de viver a vida, nunca lhe impedindo de fazer absolutamente nada, contudo discriminava sua maneira de ser, era uma das poucas coisas que ela detestava no namorado. 

O casal e Jimin chegaram juntos a praia e ela facilmente podia ouvir o amigo suspirando enquanto trocava um beijo ou outro com o namorado, a música alta tocava pelas caixas de som acopladas ao palco transmitido as notas musicais e a batida dançante da banda que tocava deixando todos alucinadamente animados. 

- Não se prenda a nós Jimin, vá dá uma volta - Hye-jin lhe deu um leve empurrão para frente, incentivando o amigo a ir conhecer novas pessoas e quem sabe alguém interessante - A praia está cheia de garotos lindos. 

- Isso eu concordo, mas como saber qual deles vai querer essa coisa linda aqui? – ele girou em volta do próprio corpo fazendo a amiga bater levemente palmas e sorrir pelo comentário 

- Você nunca vai saber se ficar aqui parado - Hyukwoo afirmou abraçando a namorada por trás com ambos os polegares para cima 

- O meu Deus, eu poderia ter amigos melhores? Não esqueçam que amo vocês - e depois de depositar um beijo estralado na bochecha dos dois, ele rapidamente se infiltrou no meio da multidão, eufórico demais para segurar um gritinho animado ao que mexia o corpo no ritmo da música. 

* * * 

Ele estava por trás do palco, de boné e óculos escuros observando atentamente todos os passos do garoto ao que dava uma longa tragada no seu cigarro. Já não sabia quantos havia fumado, sua vontade era de entrar no meio daquela multidão e arrancar Jimin dali pelos braços, leva-lo para casa e tratar o mesmo da maneira como merecia, como um verdadeiro príncipe. 

Dentro de minutos já tinha pensado todas as formas possíveis de fazer isso sem chamar a atenção de ninguém e quando não achou uma realmente boa, preferiu se afundar nos cigarros e continuar no seu esconderijo observando tudo. 

Até que sua atenção saiu por alguns segundos do garoto e colou em uma pequena discussão no lado oposto ao que o garoto estava. Vendo ali a oportunidade perfeita de fazer uma aproximação, jogou o cigarro longe e arrancou o boné da cabeça seguindo a passos lentos até ele. 

***  

Jimin era sem dúvidas um garoto bonito, seu corpo delineado chamava bastante atenção, sem falar dos seus pequenos e fofos olhos bem destacados com suas bochechas e seus cabelos recentemente pintados de loiro. Enquanto andava pela praia sem direção certa, notou uma movimentação estranha e passou pelas pessoas a fim de descobrir o que estava acontecendo, fazia algum tempo que procurava os amigos e assim que viu Hye-jin se apressou para chegar até onde estavam. 

Ao se deparar com a cena, ele se aproximou perguntando o que estava acontecendo, Hyukwoo tinha um pouco de sangue no canto dos lábios e a os botões da camisa todos abertos, seus cabelos lisos que costumeiramente caiam sobre seus olhos pareciam um ninho pela bagunça. Hye-jin o segurava forte pelos braços, com uma expressão enfezada no rosto que de imediato Jimin soube que a situação não estava nada boa. 

Um garoto alto e sem camisa estava deitado sobre a areia, alguns dos seus amigos lhe amparava e quando enfim se levantou, se atrapalhando nós próprios pés, o garoto viu que se tratava de Woo Jiho, ex-namorado de Hye-jin e sem a menor dúvida o maior desafeto de Jimin, que o detestava com toda as forças pela maneira como o garoto havia usado sua amiga, fazendo-a parecer apenas mais uma garotinha que abria as pernas pra ele bastava um bom papo. 

- Está tudo bem? 

Hye-jin assentiu com a cabeça e puxou o namorado mais para perto realmente com medo dele simplesmente voar em cima de Jiho e armar novamente uma briga desnecessária, até então. 

Jimin sempre fora o tipo de pessoa que gostava de detalhes nas histórias, simplesmente detestava informações vagas, mas não insistiu em saber mais nada além daquilo, se contentando apenas com a informação vaga na amiga. Em seguida se despedindo dela e do Hyukwoo, que já não viam motivos algum para ficarem ali e disse que passaria mais um tempo curtindo o som, já que a sua intenção de paquera foi por água a baixo quando um garoto estranho, a qual ele não se lembrava de ter visto antes, se aproximou tentando lhe beijar e ele saiu praticamente correndo, desistindo de encontrar alguém para dar ao menos alguns beijos. Se um cara gay no ensino médio não era nada fácil. 

Ao tirar os olhos do caminho que Hye-jin e Hyukwoo haviam ido, ele já não encontrou nem ao menos o sinal de Jiho ou um dos seus amigos, agradecendo de forma interna pelo destino ter lhe poupado de tamanho desagrado. 

- O cara mereceu, foi dar em cima da namorada do outro, levou uns belos de uns socos só para deixar de ser babaca - uma voz desconhecida falou atrás dele, não era grossa demais, nem fina, era um rouca na medida certa e Jimin sentiu os pelos atrás da orelha arrepiar sem ao menos ele querer. 

Ao se vira para ver quem era o dono daquela voz, Jimin tinha certeza que estava diante de uma imagem dos deuses. O garoto tinha os cabelos castanhos levemente cacheados, caindo por cima dos olhos, que eram de um castanho escuro intenso, a boca naturalmente avermelhada dava um realce em seus lábios grossos e as sobrancelhas grossas totalmente charmosas. Seu corpo estava descoberto mostrando os músculos fortes do seu abdômen e dos braços, vestia apenas uma bermuda jeans e Jimin se perdeu um ou dois segundos no caminho de pelos que começavam debaixo do umbigo e se perdia dentro da peça de roupa. 

Ele tinha certeza que nunca havia visto garoto tão lindo quanto aquele, e isso ficou ainda mais claro quando ele sorriu, os olhos diminuindo e os lábios desenhando em um sorriso retangular terrivelmente lindo.  

- Ei, cara. - e foi preciso o garoto balançar as mãos na frente do rosto do loiro para ele finalmente despertar do seu transe. 

- Ah, oi... Desculpa. - balançou a cabeça sentindo suas bochechas esquentarem de vergonha - O problema do garoto é o descontrole metal que ele possui, tudo por conta que ele caiu do berço quando era bebê. 

- Você está sendo sarcástico, não é? 

- Talvez não - e riu acompanhando o garoto dando levemente de ombros - Vem cá, você é novo na escola? Nunca tinha te visto. 

- Não, uns amigos meus estudam lá e me trouxeram - e lhe estendeu uma mão, segurando um copo igual ao de Jimin na outra - Eu sou Taehyung, Kim Taehyung. 

- Park Jimin - retribuiu o gesto rindo como um bobo ainda admirado com tanta beleza. - Prazer em conhecê-lo. 

* * * 

- O que pensa que está fazendo? - a voz irritante praticamente gritou do outro lado da linha o fazendo revirar os olhos, tudo que queria era tomar um bom banho e tirar toda aquela areia do corpo, subir na sua moto e encontrar alguém para fuder a noite toda, e não ter que ouvir reclamações de um babaca. 

- O meu trabalho. 

- Não estou te pagando pra... 

- Você certamente sabe como trabalho e que fracasso é algo que não acontece comigo, estou fazendo o que quer, bancando a babar desse garoto. Se não está satisfeito com meus métodos, sugiro que procure outra pessoa, se está, acho melhor você parar de fuder minha paciência. - e com isso ele encerrou a chamada sem a menor chance de resposta. 

Ele estava a uns bons metros de distância da casa de cor amarela, havia achado um lugar bom para observar tudo de longe e não ser visto, naquele ramo, descrição era essencial e sabia disso mais do que tudo. Assim que encerrou a chamada, pode ver o momento que Jimin apareceu no final da rua, suas bochechas estavam totalmente vermelhas e seus cabelos uma verdadeira bagunça. Parecia ter se divertido e assim que avistou o garoto entrando em casa, apenas deu as costas e seguiu até onde havia estacionado sua moto. 

***  

Era final da tarde ao que Jimin chegou em casa e logo foi recepcionado pela tia-avó e algumas das amigas dela que costumavam lhe elogiar ou bagunça seus cabelos enquanto diziam encontráveis vezes o quanto ele era bonito. 

Quando mais novo ele se lembrava de ter ouvido por algum dos seus tios mais velhos que quando coisas daquele tipo aconteciam ele só devia repreender em nome do filho do Criador ou acabaria pegando mal olhado. 

Durante sua infância ele achava engraçados aqueles ensinamentos antigos e com o passar dos tempos à graça sobre tal coisa ainda não havia passado, sempre achando que possivelmente aquilo não passava de contos da carochinha, mas toda vez que aquelas velhas começavam a alisa-lo ou falar palavras que em outros ouvidos poderiam até parecer cordiais, a mente de Jimin só sabia gritar insanamente "está repreendidos em nome do Senhor Jesus". 

- Como foi a festa, querido? - Ji-eun, a tia-avó de Jimin, falou sentando ao lado do neto no sofá. 

- Foi bem legal, vó. - sorriu abertamente alcançando um bolinho de arroz que estava distribuído na mesa de centro como acompanhamento de uma xícara de café, tentando não prestar atenção nos olhares atentos das senhoras ao redor. 

- Conheceu alguém? 

- Conheci sim. - e o seu sorriso ficou ainda maior nos lábios ressecados pelo sol do garoto - E ele é lindo, vó. 

Ji-eun tinha um brilho visível nos olhos ao presenciar o sorriso aberto no rosto do neto, amava Jimin da forma mais pura que uma avó amaria o seu primeiro neto, e não podia ficar mais contente ao está diante de uma imagem tão linda como o seu sorriso.  


Notas Finais


Os primeiros capítulos são bem curtos, curtos mesmo e sem grandes desenvolvimento porque naquela época eu não sabia desenvolver textos. Mas prometo que logo, logo melhora.

Atualizações todos os dias as 20h.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...