1. Spirit Fanfics >
  2. Obsession (Kaisoo) >
  3. Capítulo 2.

História Obsession (Kaisoo) - Capítulo 2



Capítulo 2 - Capítulo 2.


Kim Jong-in.

Talvez ele deva estar me achando meio louco, mas todas as coisas que aviam em seu trabalho era um arquivo que ninguém poderia saber, certamente antes de tudo aqueles arquivos eram confidenciais, era sobre a nossa máfia, não deveriam estar na internet.

Nossa máfia requer coisas que ninguém deve saber, aquelas informações espalhadas foram um erro, se a polícia chegar a ver aquilo está tudo perdido, tudo vai por água abaixo e não será nada fácil para todos nós.

Agora deveríamos descobrir quem fez isso.

Pego um rádio logo ligando e chamando Chanyeol e Sehun a minha sala.

Assim que os dois fardados passam pela porta, vejo suas expressões sérias, pego o trabalho de Kyungsoo e jogo sobre a mesa.

— Alguém vazou informações sobre a nossa máfia, creio que há alguém aqui que queira ferrar com a gente, então por favor tomem muito cuidado com as informações, quero que arrumem Hackers e espiões, tirem todos daquela área, não será nada fácil mas temos que tentar fazer alguma coisa, hoje a meia noite iremos começar a exportação.

DO Kyungsoo

~ 01:03

Andava ao sul de Seul, o vento frio batia contra meu corpo me fazendo me encolher mais sobre o pequeno casaco, eu estava totalmente de preto e com uma máscara, não imaginava que sairia para caminhar e Baekhyun me chamaria a sua casa, sei que não deveria está a esse horário na rua mas,o que eu posso fazer não é mesmo?

Ando e vejo um caminhão, estranho mas dou de ombros, vejo pessoas carregando coisas mais não dou muita importância, eu teria que passar por eles para chegar até meu destino então

apenas sigo reto.

— A polícia está vindo, correm!

Olho ao lado e vejo pessoas apressadas, fico sem entender muito até que vejo o símbolo ali.

EXO.

Eram eles, a grande máfia sul-coreana estava ali na minha frente e eu sorri com tal cena.

— Vamos cara! — sinto alguém me puxar e cubro meu rosto seguindo ele, louco? Talvez.

Entro em um carro e vejo tudo ao redor, estávamos indo para uma área mais na mata —certamente aonde se escondiam. — olho tudo ao redor e percebo que estávamos nem na metade do caminho como dito.

— Conseguiu Suk, o que pediram? — percebi que o mesmo se dirigia a mim então mesmo sem saber apenas assenti. —Ótimo, agora eu quero ver como aquele filha da puta do Kai vai ficar desesperado quando ver que está tudo dando errado, eu não entendo porque ele ainda está no poder, aquele homem não merece tanta coisa, ele é apenas um bastardo filha da puta.

Fico sem entender, quem era Kai cara? Apenas assinto.

— Sabe Suk, finalmente poderemos sair do EXO e despachar aqueles caras, logo seremos os maiores mafiosos e o Kai simplesmente irá implorar para não morrer e nos? Nós iremos torturaro mesmo como se não ouvesse amanhã.

×

Tudo bem que o papo com aqueles esquisitão fora meio confuso, eu sei que poderia morrer aqualquer momento mas eu teria que ver aonde tudo isso iria dar, de certa forma ainda tinha coisas a descobrir, afinal esse Kai seria o líder da gangue? E esses caras estão Armando para eles, certo?

— Suk, Kai está te chamando. — pronunciou o outro cara que estava com nós no carro, ele não avia dito uma palavra deis de que dirigia mas eu sabia que estava fudido.

Apenas assinto novamente e sem saber para onde ir eu sigo em direção a esquerda.

— Ei cara! Você está indo para o local errado, relaxa não fique nervoso é por ali a sala dele lembra? — vejo seu dedo apontar na direção contrária a qual eu ia, olho para o mesmo que sorri fraco e vou em direção ao que o mesmo apontou. —Lembre do nosso acordo.

Olho a enorme porta de madeira, a casa era moderna de certa forma, tons escuros tudo ali era escuro, dou duas leves batidas na porta.

— Entre. — franzi o cenho, aquela voz era conhecida porém preferi deixar isso de lado.

Respiro fundo, sabendo que posso levar um tiro no meio da testa por estar ali, mas eu não ligava não avia nada a perder, sigo em frente assim que entro vejo que como toda a casa o

escritório avia vários tons escuros no seu centro perto da janela uma mesa de vidro assim como as enormes janelas atrás, avia alguém sentada em uma cadeira que aparentava ser de couro, uma pessoa virada em direção a janela.

Eu esperava ver um velho, um americano, um japonês, um africano, eu esperava ver qualquer pessoa ali mas assim que a cadeira virou em minha direção eu esperava tudo, menos ele.

— Suk. — a voz grossa de Jong-in alcançou meus ouvidos e assim ergo minha cabeça vejo o mesmo forçar um pouco sua vista logo arregalando os olhos em seguida. — Kyungsoo?

Tiro meu capuz e assim logo em seguida a máscara, seu rosto estava em choque e eu não sabia quem estava mais surpreso ali, se era ele ou eu por ver como aquele filha de uma puta era mesmo um desgraça, que caralho agora entendo o seu carro super luxuoso com aquele salário de merda.

— Kim Jong-in. — Falei pausando a cada sílaba do seu nome. — Professor de matemática bonitão que tem um carro luxuoso. E agora… integrante da EXO — Ando pela sala olhando.

— O que você está fazendo aqui? Como você veio parar aqui?

— Bom, isso nem eu sei direito mas professor me explica uma coisa: você é o líder disso tudo? — olho em seus olhos curioso.

— Kyungsoo, eu…

— Caralho que foda! Eu nunca imaginei que sua cara de bandido você fosse realmente um bandido. — digo animado e me atrevo a sentar na cadeira que havia em frente a sua mesa.

— Você vai sair daqui, fingir que nada aconteceu e ainda achar que sou seu professor está me ouvindo?

— Não, não mesmo. Eu não irei embora daqui.

— Irá sim Kyungsoo. Eu te dou pontos extras se fizer o que eu digo.

— Não, eu não vou. E se você me obrigar a ir, vou direto pra polícia levantar um O.B.

— Você não tem provas concretas.

— Dizer que eu fui sequestrado e mostrar o seu local a eles seria ótimo né? — Coloco a mão no queixo olhando pra cima, me fingindo de pensativo.

Por um momento, ele ficou calado. Me olhando com um olhar mortal. E deve confessar que eu estava amando provocar o líder dessa porra toda.

— Você vai acabar morrendo.

— Uh! Seria uma honra ser o primeira a morrer pelas mãos da máfia mais procurada da Coreia do Sul! — Dou um sorriso sínico.Mesmo que isso me mate depois, preciso descontar tudo que esse merda me fez passar.

— Como você chegou aqui? — Falou entre dentes.

— Irá me deixar ficar?

De levantou e passou as mãos nos cabelos frustado.

— Eu tenho outra escolha?! — Ele pareceu irritado, e pra piorar o olho com “dó” e nego. — Vai ficar até eu dizer chega.

— Eu vim com dois coleguinhas que não foram me apresentado os nomes. Pelo que eu entendi, me confundiram com um tal de Suk e me puxaram pra um carro, e aqui estou eu. — Ri sem expressão nos olhos.

— Mas… Que merda. — Bateu na janela.

— Você é o Kai?

— Não é da sua conta!

— Que pergunta idiota, não é? Está na cara que você é.

— Foda-se. Quando fez seu trabalho, se lembra de qual site pegou?

— Eu não me lembro muito bem, mas haviam várias e várias informações, creio que de alguma máfia. Pareciam coisas confidenciais mas eu acabei lendo. No outro dia o site não estava aberto. Eu iria terminar de ler afinal estava falando sobre siglas e eu queria muito saber o que é isso. — Olho em seu rosto. — Espera… deve saber mais do que ninguém o que é siglas.

— Siglas não são pro seu bico, moleque infernal!

— Que foi? Está se sentindo ameaçado, professor Kim? Pois pode apostar que sim. — Ele se virou pra mim e eu dei alguns passos até ele.

— Que língua afiada. Já disse que pode acabar morrendo?

— E daí? — Falei debochado, o que pareceu deixar ele bem bravinho.

— Cala boca, pirralho! — Segurou meu pescoço forte, me prensando contra a parede perto da janela.

Já estava começando a sentir falta de ar, mas não tirei o olhar sério e de hierarquia sobre ele.

Se eu for morrer, que seja com orgulho junto.

Quando pensei que ele iria me enforcar, me soltou e eu quase caí no chão, tossindo muito para recuperar o fôlego.

Vi ele caminhar até a mesa dele e apertar um botão, fazendo um barulhinho irritante.

— Sehun, venha até minha sala. Agora!

Não foi um minuto, o tal Sehun entrou na sala sem ao menos bater e olhou pra mim com espanto. Ele ainda tentou abrir a boca para falar, mas Jongin não deixou.

— Sem perguntas. Coloca ele na sala. Não façam nada até eu mandar.

Ele veio até mim e me puxou de uma forma não muito delicada até uma sala mal iluminada e me trancou lá.

Era o que eu precisava: ficar preso, a suspeita de excursão pelas coisas que falei, numa sala que fedia a mofo.

Kim Jong-in.

Merda! Como eles deixaram que isso acontecesse? Depois eu que sou um péssimo líder!

E tinha que ser logo ele! Não podia ser uma pessoa mais submissa que tivesse medo de tudo que eu falasse! Seria bem mais fácil! Kyungsoo tem um jeito muito ousado de ser.

Ele não tem medo de morrer, como provou quando eu estava quase o sufocando. Isso é de alguma forma excitante. Pessoas como ele devemos colocá-las no seu devido lugar, e mostrá-las que somos acima deles.

Somos os dominadores da situação.

Agora eu teria que tentar descobrir quem seria os donos das informações vazadas, nada seria fácil a partir de agora mas eu teria que fazer tudo

Suspiro frustado, como aqueles idiotas trazerem Kyungsoo até aqui sem perceber que não era ele? Qual é a desses otários? Puta que pariu.

Mas eu já avia uma solução para isso, e custe o que custar eu iria achar quem estava por trás disso.

DO Kyungsoo.

Olho para as paredes daquele lugar fedido, penso nas palavras dos caras que estavam no carro.

" Sabe Suk, finalmente poderemos sair do EXO e despachar aqueles caras, logo seremos os maiores mafiosos e o Kai simplesmente irá implorar para não morrer e nos? Nós iremos torturar mesmo como se não ouvesse amanhã. "

Algo ali não estava certo, eu certamente não iria contar agora sobre o que estava acontecendo, não iria falar para Jong-in não ainda, eu iria mostrá-lo que sou capacitado para descobrir o plano desses homens, mas de certa forma eu certamente precisarei de ajuda de alguém mas isso será mais para frente até eu achar uma pessoa de confiança.

Lee Min Hyuk

Eu estava concentrado na minha missão. Com meu rifle de caça em mãos, eu ia me escondendo por trás de cada parede, sempre olhando para trás, bem atento aos inimigos. Era somente eu naquela missão, e eu não podia falhar; pelo menos não de novo.

— Há quantas horas você está jogando? — Pergunta Jooheon, me fazendo dar um grito fino de susto.

— Vai assustar o demônio! Sai daqui!

— Está usando hacker no jogo?

— Sai! — Soltei uma  uma mão no teclado e empurrei ele tentando tirar ele de perto de mim.

— Tudo bem, eu saio.

Voltei ao meu foco, e tinha três players atirando em mim. Tentei sair de lá o mais rápido possível,mas não deu tempo. Eu morri. Escutei a risada de Jooheon e olhei feio pra ele.

— Quem é morre usando hacker? — Coloca a mão nos olhos limpando as lágrimas.

— A culpa é sua! Eu teria ganhado se não tivesse me atrapalhado! — Bufo irritado.

— Quantas partidas você já jogou?

— Eu não contei. Por quê?

— Quanto você está aqui?

— Sei lá. Umas três horas.

— Três horas?! Quantas vezes você ganhou?

Dessa vez eu não respondi. Eu não iria dizer que estou aqui há três horas e não ganhei nenhuma. Mas eu sei que ele viu isso nos meus olhos.

— Deixa eu tentar.

Me levantei, sentindo a dormência na minha bunda por estar sentado a muito tempo, e dei a minha cadeira pra ele. Fiquei atrás dele o vendo começar uma partida. Eu fiquei de boca aberta de como ele era habilidoso. Nem parecia tão difícil olhando ele jogar. Em menos de cinco minutos ele já estava finalizando a partida. E quando terminou, olhou pra mim com cara de tédio.

— Estava fazendo horas por esse joguinho?

— Você estava usando hacker! Não vale! — Tentei me defender.

— Então vamos tentar de novo, só que desativando hacker.

Jooheon jogou outra vez. E mais outra, e outra. Todas as vezes ele ganhava. Ele testou até as armas mais ruins do jogo.

— Não é preciso de hacker quando o jogador sabe como jogar. Admita, eu sou fodão. — Se gaba.

— O que vocês estão fazendo? — I.M, o nosso líder, entrou na sala onde estávamos.

— Jogando. — Eu e Jooheon falamos em uma só voz olhando desconfiado para nosso superior que revirou os olhos com nossa declaração.

— Vamos agir em parceria com o EXO essa noite. Se preparem, e estejam na minha sala daqui a vinte minutos. — Deu as costas e foi embora.

Eu e Jooheon nos entreolhamos sérios. Será que aconteceu algo? Com certeza sim, pois se a EXO nos procurar deve ter acontecido algo de muito grave.

Quando Jooheon se levantou da cadeira, eu corri pra sala de I.M pra chegar antes dele, porque eu sou infantil mesmo.

Quando chegamos lá, Kihyun estas sentado na mesa escrevendo algo no papel.

— A reunião começa em quinze minutos. — Levantou a cabeça para nós olhos. — Olá! — Sorriu gentil. Ele sempre foi apaixonante.

— Oi! — Jooheon falou e deu tchauzinho.

— Oi, Kihyun. Nós vamos esperar aqui mesmo. — Disse indo até o bebedouro pegar um copo de água. — Aconteceu alguma coisa com a EXO?

— Tenha calma, Minhyuk. Para de ser tão você. — Jooheon se intrometeu.

Eu estava pronto pra rebater o que eu falou quando I.M. entrou acompanhado de Shownu, Wonho e Hyungwon. Eu ainda não entendo porque eles podem ter nomes secretos e eu não. Aposto que todos da EXO tem um nome secreto.

Esqueço por hora o que estava pensando e me sentei ao lado de Wonho, que é da mesma área que eu. Fiquei meu olhos em I.M que se permanecia em pé ao frente da sua cadeira para começar o discurso.

— Eu iria começar mais tarde, mas como já estão todos aqui adianta muito. Como eu falei, vamos trabalhar com o EXO essa noite.

— O que aconteceu com o EXO? — Perguntei e senti um chute no meu pé por debaixo da mesa. Tenho certeza que foi o Jooheon, aquele cuzão.

— Alguém vazou informações sobre a Máfia deles e precisam de nossa ajuda para descobrir quem foi o responsável. Mas não é só isso. A vida social de alguns membros da EXO estão em suspeita da polícia e teriam que se aposentar por algumas horas por dia do trabalho sujo. Por isso hoje vamos agir junto a eles. — Apontou para Kihyun enquanto se sentava.

— Teremos duas missões. Encontrar quem vazou as informações e agir com a máfia EXO como fantasmas. — Disse Kihyun.

— Como fantasmas? — Perguntei ao mesmo tempo que Jooheon e fiz uma careta quando ele me olhou.

— Isso. Vamos dar todos os créditos a eles e ficaremos invisíveis durante toda a ação. Em troca vamos ser recompensados em equipamentos e dinheiro. — Dessa vez foi I.M que falou.

— Jooheon e Minhyuk iram ficar encarregados de descobrirem quem vazou as informações. A EXO irá enviar um elemento para ajudar na investigação. Um universitário que acessou o site. — Kihyun voltou a falar. — Os outros vão ajudar na missão que iríamos fazer parceria.

— Poderíamos saber qual é a missão que vamos fazer? — Perguntou Shownu sério, como sempre. Esse cara não tem sentimentos.

— Iremos saber quando nós juntarmos a EXO essa noite. Eles são o cérebro disso tudo, nós somos somente as colunas que sustentam a máfia deles.

Kim Jong-in

Mexia nas teclas vendo as várias informações avançadas. Pelo fato de estar sobre um cargo maior eu tinha acesso a tudo e muito mais. Eu havia lutado para chegar aqui e, assim, aprendido muitas coisas, entre elas hacker.

Os hackers daqui eram de uma ótima e surpreendente capacidade, porém não iria ariscar e prestar com seus serviços. Algum deles teria vazado as informações e não poderia deixar tudo isso passar.

Escuto batidas sobre a porta. Logo permito a entrada, vendo Sehun e Chanyeol entrar.

— A colaboração do Monsta X está garantida. Irão agir conosco.

— Conseguimos mais quatro garotos também. — Ditou Chanyeol.

— Como assim? — Olho confuso afinal, eu não tinha pedido mais pessoas.

— Conseguimos mais alguns integrantes. Aqui estão a fixa deles. — Jogou os papéis granpeados na minha mesa e então peguei e abri no primeiro candidato.

— Este é Kim Minseok. — Começa Chanyeon. — E como você sabe, ocutamos os nomes daqueles que são mais úteis. Seu nome aqui será Xiumin. Ele trabalha em uma pequena loja que conveniência, mas é ótimo em exportação, com pesquisas avançadas. Ele trabalhava sozinho mas está a algum tempo sem fazer nada relacionado, mas devo confessar que é ótimo no que faz.

— Outro que também entrará será no mesmo ramo: na primeira base trabalhando junto com Xiumin. O garoto tem aproximadamente dezoito anos. Ainda novo mas ele é muito discreto. Seu nome é Zhang Yixing, e aqui todos deverão o chamar pelo nome de Lay. Esse garoto é ótimo no que faz. Digo com toda certeza. — Escuto a explicação de Sehun atento.

— O terceiro é Luhan, hacker. Esse menino tem muitas habilidades ele é uma pessoa realmente interessante. Não tem muito o que dizer dele, apenas que é um dos melhores hackers da Coreia. Pode comprovar na ficha dele.

— O quarto e último... — olho para Sehun atento.

— Seu nome é Byun Baekhyun. — Chanyeol continuou a frase de Sehun, mas eu travei na sua fala.

— Byun Baekhyun? — Perguntei preocupado e surpreso.

— Sim, ele estuda na escola em que trabalha, com certeza você deve conhecê-lo ou sabe diferenciar-lo. Esse garoto é muito inteligente.

— Quando dissemos para você o caso que ocorreu das fontes da polícia sendo invadida, descobrimos que o lugar da onde veio esse vírus hacker era de uma escola. Para ser mais expesifico, de um dos computadores do laboratório de informática. E no mesmo horário ocorreu um problema no sistema, então, todas as filmagens foram deletadas, não saberíamos quem foi, ou o que aconteceu. Entretanto, esse garoto é uma pessoa muito inteligente.

Olho para ambos meio assustado, Byun era uma pessoa muito inteligente mais eu não imaginava isso. Não dele.

— Como conseguiram encontrar ele? — Pergunto realmente interessado.

— O garoto é realmente bom, foi bem difícil acha-lo, mas com esforço, atravéz de códigos, conseguimos acha-lo.

— Interessante...

×

...

O som da pistola ecoou em todo local assim que a bala acertou no alvo.

— Três meses! Serão apenas três meses para a nossa invasão! Apenas isto e mais nada!

O olhar de ódio era presente em seu corpo, o nojo e o sentimento de repugnância daquela pessoa estava em todas as partes somente de lembrar do rosto do mais novo. Seu sangue fervia, e as munições eram todas direcionadas no alvo a sua frente.

— Amanhã será a cerimônia de casamento, não se esqueçam do que está por vim, e lembrem-se sempre do motivo a qual estão se casando, não deixe que nada estrague nossos planos, vocês sabem muito bem o quanto eu luto para conseguir tudo o que tenho até hoje então não aja como dois idiotas e nos faça perder tudo!

As pessoas a minha volta concordavam, afinal todos queriam aquilo queriam destruir Kim, o seu esforço para tentar roubar tudo o que seu irmão adotivo avia construído era o máximo, sempre fora deixado de lado e agora irá conseguir uma vingança contra todos aqueles que entraram em seu caminho.

Quando fora adotado achava que as coisas em sua vida iria melhorar, mas tudo mudou quando conheceu seu suposto irmão mais novo, um menino perfeito e que fazia todas as coisas certas e que certamente herdaria todo o trabalho de seu pai.

O ódio era enorme, sabia que sim, aquele garoto tinha total capacidade para fazer qualquer coisa mas, ele queria, ele queria a todo custo ser o melhor, a ter a herança a ter todas as coisas aos seus pés, ele queria sim e precisava daquilo, nem que fosse a última coisa que faria em sua vida, e seu plano de vingança estava só começando.

Iria fazer um casamento arranjado, e diante aquela situação arrancaria toda a herança que um dia dissera ser sua.

×

— Okay Kyungsoo, você só precisa saber quem são aqueles caras e o que eles querem. — digo a mim mesmo.

Eu precisava descobrir os planos daqueles homens, sabia que apesar de tudo a minha curiosidade falava mais alto, e a vontade de esfregar na cara do meu professor que eu não sou uma criança birrenta como ele diz me dava mais vontade ainda de mostrar todas as coisas que eu queria, e isso seria o maior prazer a se fazer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...