História Obsession (Min Yoongi - Suga) - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Seokjin (Jin), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 37
Palavras 2.626
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 28 - Capítulo 28


Mas eu não posso curá-lo

Não posso melhorá-lo

E não posso fazer nada sobre

Seu estranho temperamento

Mas você é incurável

Não posso entrar em seu mundo

Pois você vive em tons de frieza

Seu coração é inquebrável

Shades Of Cold - Lana Del Rey

C H L O E

"Seu pai mora muito longe daqui?" Eu perguntei o que deveria ser a vigésima pergunta seguida, enquanto me ajeitava no banco do passageiro do carro dele.

Não pude me segurar em fazer perguntas ao Yoongi sobre sua família - e principalmente sobre o pai - a partir do momento que ele me assegurou que deveria saber mais sobre os Min's antes de chegar na casa de seu pai.

Yoongi já estava sem paciência depois de responder muitas perguntas feitas por mim, mas afinal eu tinha muitas dúvidas sobre sua família. Não sei quase nada sobre a família Min, eu mal sei coisas sobre o Yoongi.

"Ele mora no centro de Seul." Ele bufou, entrando no lado do motorista de seu carro. "Chloe, por favor, pode calar a boca? Foi um inferno para convencer as empregadas do meu pai a cozinharem essa hora, e você ainda fica me enchendo de perguntas sobre o meu pai." Resmungou irritado.

Apenas cruzei os braços em resposta, mas por fim acabei por me calar e aconcheguei-me no banco de couro do carro. Yoongi dirige sem pressa, entrando rua por rua da grande Seul. Às vezes ficou impressionada com o tamanho desta cidade, eu nasci e fui criada aqui e sempre que sinto que conheço tudo por aqui acabo me surpreendendo com qualquer coisa que Seul tenha a oferecer.

O silêncio toma conta do carro, nenhum de nós dois se atreve a dizer algo, o som suave do motor é o único barulho que está entre eu e ele. Quando me dou conta estou - mais uma vez - com a minha atenção totalmente focada no Yoongi.

Seu maxilar trava enquanto ele presta atenção na rua, suas mãos firmes ao volante batucam levemente mesmo não tendo música no carro, o negro de seus olhos ganham um lindo destaque sempre que qualquer luz os atinge e os lábios úmidos são mordidos sem parar, talvez eu já tenha notado que ele morde os lábios - principalmente o canto esquerdo.

"Por que eu tenho a sensação de que você está sempre com os olhos em mim?" Yoongi perguntou de repente, despertando-me do pequeno transe que me encontrava.

"Talvez seja porque você sempre está me olhando de canto e saiba que eu estou te olhando." Sorri de lado e consegui ouvir uma pequena risada vindo dele.

"Eu não fico te olhando de canto." Contrariou.

"Sendo assim eu também não fico te olhando." Revirei os olhos.

"É aqui." Ele engoliu seco e eu senti como se um nervosismo tivesse deixado o ar pesado. Me concentrei no que estava a frente do carro e quase me engasguei ao ver a enorme mansão que estávamos a entrar.

Uma estrutura muito diferente do que estou acostumada a ver pela cidade, algo bem mais moderno do que o comum, com vidros ocupando a faixada da grande casa de fora a fora e luzes claras refletindo nos mesmos, com muitas varandas e mais janelas do que eu sou acostumada a ver.

Seguranças estavam a postos em todas as entradas possíveis e barraram o carro de Yoongi antes que pudéssemos entrar. Yoongi abaixou apenas um pouco do vidro da janela do carro e deixou que um dos seguranças encarasse os seus olhos, reconhecendo-o e permitindo a nossa entrada.

"Acredite, morar nessa casa enorme não era tão bom quando parece." Comentou em um tom baixo, quase como um murmuro. Tentei ignorá-lo enquanto saía do carro, fazendo forças para não deixar minhas pernas ficarem bambas por estar nesta casa.

Yoongi trancou o carro e eu o segui enquanto era guiada por dentro da mansão de seu pai, ele optou por entrar pela porta principal para me mostrar tudo o que conseguisse por aqui. Assim que senti o calor da sala de recepções me senti - de certa forma - mais acolhida. Tirei o sobretudo e entreguei o mesmo para o Yoongi, que pendurou-o sobre os ganchos da entrada junto a sua jaqueta.

Escutei passos vindo de um outro cômodo, em seguida uma mulher loira de olhos negros profundos surgiu no ambiente, ela não aparentava ter mais de quarenta e poucos anos e olhava para o Yoongi deslumbrada.

"Mãe?" Ouvi a voz dele soando logo atrás de mim. Yoongi foi ao encontro da mulher e ambos se encontraram em um abraço, eu jamais imaginaria ver uma cena dessas com o Yoongi envolvido. Sua mãe olhava fixamente para ele, analisando cada parte de seu corpo.

"Senti sua falta, filho." Ela disse emocionada com um enorme sorriso no rosto. "Não tem ideia de como essa casa fica chata sem você, Jong não tem a mesma energia que você. Como vai lá na fraternidade e..oh, quem é aquela moça?" A mãe dele focou em mim enquanto estava a falar.

"Mãe essa é a Chloe. Clo, essa é a minha mãe Liz." Ele nos apresentou, Liz sorri para mim e me recebeu um um abraço inesperado, no qual eu correspondi.

"Bem, estão com fome? A Lea avisou que vocês iriam vir aqui comer e eu mesma preparei algumas coisinhas." Disse Liz orgulhosa. "Venham." Nos chamou, puxando tanto ele quando eu até a grande sala de jantar.

Me sentei na mesa um pouco sem jeito, tendo Yoongi ao meu lado logo em seguida. Ele não disse nada enquanto a mãe estava presente e só teve coragem de abrir a boca assim que Liz deixou a sala de jantar para ir buscar os pratos na cozinha, mesmo depois de ter recusado a minha ajuda.

"Eu não sabia que minha mãe estava aqui, achei que ela tinha saído com o meu pai, assim como sempre faz." Comentou, soltando um longo suspiro. "Clo, só peço que não comente nada sobre o meu vício, minha mãe é sensível com esse assunto, ela não sabe a intensidade do meu vício, acha que eu sou só um garoto de dezoito anos 'mais ativo do que os outros', não faz ideia de que eu sou ninfomaníaco." Ele falou extremamente rápido e eu fui obrigada a ouvir com atenção para entender tudo.

"Sem problemas." Concordei sorrindo fraco. Ele iria dizer mais alguma coisa, porém se calou quando sua mãe chegou com alguns pratos na mão, me olhando feio quando eu ameacei levantar para ajudá-la.

Uma mulher mais velha - que sugiro que seja uma das empregadas - apareceu na sala de jantar com uma panela nas mãos, seguida de Liz com uma outra bem parecida, ambas colocando-as sobre a mesa.

"Espero que gostem, eu fiz a minha massa especial, sei que o Yoongi adora." Sorri para nós e ambos fizemos questão de sorri de volta. Um delicioso cheiro invadiu as minhas narinas quando as panelas foram abertas, a mãe de Yoongi nos serviu e se pôs a comer conosco, e assim como nós, apreciou sua própria comida.

O jantar foi extremamente agradável. Liz é uma mulher muito simpática e contava sobre absolutamente tudo à mesa, sobre Jong e comentou coisas sobre a infância de Yoongi, e eu me segurava para não rir dele ouvindo as histórias.

Yoongi já estava no segundo ou terceiro prato de massa, colocando cada vez mais do molho da mãe sobre a comida. O clima estava ótimo e pela primeira vez eu via o Yoongi sorrir graças à presença da mãe, porém ele voltou a ficar tenso assim que Liz começou a falar sobre o vício dele.

"Filho, você anda indo aos grupos de apoio?"

Yoongi não respondeu, apenas bebeu o suco servido de forma lenta, sem querer dar uma resposta a mãe.

"Yoongi." O tom de voz de Liz aumentou.

"Sim, mãe." Respondeu timidamente. Mal sabe a Liz que foi em um desses grupos que nós nos conhecemos.

"Uh, eu ainda não entendo o por quê de você frequentar esse grupos, Yoongi. Você não precisa disso filho, é só provar a si mesmo que não precisa."

"É claro que eu preciso, mãe. Se não fosse por conta da minha obsessão eu não teria sido expulso de casa pelo meu próprio pai." Revidou ressentido, conseguia sentir a dor em suas palavras de falar sobre o vício para a mãe.

"O que você fez foi uma coisa idiota de adolescente! Não é pra tanto filho, não tinha necessidade do se pai te expulsar. Jong inclusive quer que você volte!" Liz nos surpreendeu, mas principalmente ao Luke, que ficou sem palavras.

"Eu gastei 10 mil libras do dinheiro dele por conta do meu vício, não sei se ele quer mesmo que eu volte." Retrucou o Yoongi.

"Uhn, Chloe, me desculpa por isso, eu sei que você não está entendendo nada e-" Ela tentava justificar, mas o filho a interrompeu.

"Ela entende." Ele admitiu. "Ela sabe de tudo, mãe."

"S-Sabe?" Ela gaguejou. "M-Mas, você não quis se afastar dele por conta do que ele te falou? Não é tudo o que ele diz, não é tão sério assim, eu conheço o meu filho-"

"A Chloe não se afastaria, ela me conhece também." Me senti aliviada por ele não ter dito sobre o meu vício, isso assustaria a Liz. "E é pior do que você pensa mãe, eu detesto admitir isso, mas é verdade. Eu não sei se o meu pai gostaria que eu voltasse, ele deve saber da intensidade do meu vício."

"Eu gostaria muito que você voltasse Luke." Uma voz grave e que eu já tinha ouvido antes surgiu do nada. Jong.

"O que está fazendo aqui, pai? Eu achei que você estaria trabalhando ou em algum jantar de negócios uma hora dessas. " Disse Yoongi surpreso, revezando seu olhar entre eu e os pais.

"Liz, preciso conversar com ele." Jong ignorou totalmente a pergunta do Yoongi, fazendo com que Liz se levantasse e saísse da sala de jantar. Eu me preparava para fazer o mesmo mas quando ameacei levantar da cadeira Yoongi sussurrou no meu ouvido.

"Nem pense em se levantar."

Acabei por sentar novamente, cruzando os braços contra o meu corpo e esperando que o pai ou até o próprio Yoongi começasse a falar.

"Então, o que faz aqui pai?" Perguntou o moreno novamente, de forma rude.

"Eu vi no sistema de câmeras que você estava aqui, eu tenho um aplicativo no meu celular para isso, e bem, decidi vir." Deu os ombros. "Eu vou direto ao ponto, eu sei o quanto você odeia enrolação. Assim como a sua mãe disse, eu quero que você volte pra cá. O único problemas é que eu não posso confiar em você de novo sem correr o risco que você faça alguma besteira."

"Por que você sempre acha que eu vou fazer besteira?" Retrucou para o pai.

"Desde que você foi diagnosticado com compulsão sexual ficou difícil confiar em você sem ter medo que traga muitas garotas pra cá ou que pague prostitutas."

"Como você pode não confiar em mim sendo que faz a mesma coisa?"

Jong se calou com as palavras do filho, eu só queria me levantar e ir para casa ou para qualquer lugar sem ficar no meio dessa discussão familiar.

"Pai, você não consegue ser fiel a minha mãe! Fala que eu vivo com prostitutas e essas coisas mas você faz exatamente a mesma coisa! Minha mãe sabe do que você faz, ela só não quer admitir isso!" Yoongi passou a berrar, apertando os braços da cadeira.

"Tal pai tal filho, não?" Jong continuava com seu tom de voz calmo, mas com os olhos mostrando sua raiva. "Você também não pode ser fiel a ninguém, Yoongi. Essa garota por exemplo, quanto tempo mais ela vai durar até você levar outra para cama? Um, dois dias?"

"Cala a boca!" Yoongi gritou. "Por que você está envolvendo a Chloe na nossa discussão." Rosnou.

"Você só está dizendo isso porque sabe que o que eu falei é verdade. Eu estou errado por acaso?"

"Sim, você está. A Chloe e eu estamos juntos."

Quase me engasguei com o suco quando Yoongi disse aquilo. Eu e ele. Juntos. Com certeza não daria certo. Yoongi se acalmou um pouco e voltou a sentar, visto que já estava de pé.

"Juntos?" Jong questionou. "Isso é verdade, menina?" Perguntou para mim, e rapidamente o Yoongi entrelaçou nossas mãos por debaixo da mesa, apertando as mesmas com força e me lançando um olhar suspeito de lado.

"Sim, estamos." Disse brevemente.

Senti o moreno ficar mais calmo ao meu lado, relaxando na cadeira enquanto encarava o pai.

"Eu preciso conversar com você amanhã, Yoongi. É um assunto um pouco sério que eu estou adiando há um tempo."

"Tá." Yoongi bufou. "Amanhã eu passo na empresa de tarde."

"Não. Amanhã logo cedo. "

"Eu não vou vir aqui de manhã."

"Não precisa voltar pra fraternidade hoje então. Durma aqui, o seu quarto ainda está lá, do jeito que você deixou."

Eu via o brilho nos olhos de Yoongi ao ouvir isto. Ele apenas assentiu e soltou um ar cansado, levantando da mesa.

"Tudo bem. Se é assim eu já vou deitar, já está tarde." Avisou sem emoções enquanto eu me levantava. "Vem, Clo, eu vou te mostrar o andar de cima e já podemos dormir." Murmurou para mim.

Sem dizer mais nada ao pai, ele me puxou para fora da sala de jantar e foi me levando pelos corredores da casa, até chegar a uma escada e subir pela mesma. Fomos diretamente para o quarto dele, sem ter me mostrado o resto da casa como havia dito.

O quarto de Yoongi, diferente do resto da casa, não é tão sofisticado. As paredes pintadas de um azul bem escuro estão coberta de quadros de bandas de rock, caixas de som e algumas guitarras e violões são usando como decoração. Os olhos negros dele se iluminaram ao entrar em seu quarto, se jogando no pequeno sofá.

Por impulso eu acabei indo até ele e sentando próxima, enquanto observava o Min relaxando em seu quarto.

"Eu estou cansado pra caralho, mas ao mesmo tempo estou com uma vontade enorme de te fuder." Ele diz de repente. "Seu corpo dói?" Perguntou malicioso.

"Claro que dói." Admiti, o meio das minhas pernas latejava sempre que eu andava. "Acho que podemos dormir, o dia foi muito cheio hoje." Inclinei-me sobre ele, apoiando meu queixo sobre eu peitoral.

"Tudo bem." Disse, se levantando do sofá e me surpreendendo com seus lábios pressionados aos meus.

Yoongi e eu ficamos a nos beijar por um tempo, e quando me dei conta estávamos jogados de volta no sofá.

"Pra quem não beijava antes, você tem beijado demais." Comentei rindo de leve.

"Talvez eu tenha me acostumado com isso."

Yoongi se levantou novamente, dessa fez tirando as roupas e ficando só de cueca. Eu tentava não olhar para baixo - tentava - mas era quase impossível.

"Aqui, Clo, minha camiseta. É mais confortável para dormir do que as suas roupas."

"Sim." Aceitei, ficando só com as peças íntimas e vestindo a camiseta que tinha o cheiro que só ele tem tem.

Ele se jogou na cama e eu fiz o mesmo, deitando ao seu lado porém mantendo uma certa distancia entre nós, que foi quebrada com os braços dele ao meu redor poucos minutos depois.

***

Eu mal havia pregado os olhos quando escutei múrmuros ao meu lado. Era o Yoongi. Eu me encontrava de costas para ele e só tentava escutar o que dizia.

"Chloe."

Assim que ouvi meu nome me virei de imediato, me deparando com o garoto ao meu lado a dormir tenso.

"Clo." Ele repetia o meu nome. "Não... p-por favor não."

Eu me sentia mais preocupada a medida que os múrmuros se aumentavam, até finalmente decidi acordá-lo. O mexi e remexi várias vezes até finalmente ver seus olhos a se abrir. Olhos assutados.

"Yoongi, tá tudo bem?" Perguntei baixinho, ele apenas concordou tentando controlar a respiração acelerada.

"S-Sim." Engoliu seco. "Vem cá..." Pediu, me puxando para dentro dos seus braços suavemente e me prendendo a eles.

Yoongi estava sonhando comigo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...