História Obsession Paulo Dybala - Capítulo 24


Escrita por:

Visualizações 27
Palavras 4.986
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


IRRAAAAA AGORA SIM A FANFIC TA INDO POR UM CAMINHO QUE EU GOSTO

Feliz aniversário pra bea, te amo e sei que você está lendo <3

Capítulo 24 - Vigésimo terceiro capítulo


Antonella 

 

Itália, Turim.

 

11 de outubro 2018

 

20:00

 

Não foi uma boa ideia ter vindo, mais ele insistiu tanto que eu realmente quis ver Paulo feliz. Melissa me detonou para as amigas dela e influenciou com uma imagem completamente diferente do que sou. Mais quem vai acreditar que foi amor e eu nunca na vida poderia imaginar que faria isso com ela. O tapa me doeu na alma, mais eu tive que ser forte e me posicionar. 

 

Daniela me controlou para não voltar l. Ela parece ser uma boa pessoa, pelo menos é o que parece. Estou esperando Paulo como ela espera João.

 

- Por que ela tem tanto ódio de você? - Daniela pergunta para mim.- Óbvio que é por Paulo mais... Tem algo mais eu sinto.

 

- Você sabe que ela acha que eu praticamente " tirei Paulo dela". mais não foi assim, eu não queria. Foi difícil a resistência no começo, mais depois que ele disse que me amava e que faria qualquer coisa por mim, eu me vi sem saída e eu também gosto muito dele. Fizemos tudo calculado, ele terminou com ela e Melissa inventou uma mentira para segurar o Paulo. - Bufo analisando mais a frente os dois vindo em nossa direção sorrindo. - E deve ser esse o fio todo, não tem explicação sempre fomos amigas.

 

Nos calamos assim que os garotos se aproximam.

 

- Vejo que encontrou uma nova amiga! - Paulo sorri selando nossos lábios. 

 

- Ela é um amor e não é mandona como Melissa. -Daniela sorri para mim. 

 

- Amor, era o jeito dela. - João diz - Enfim, Paulo está feliz e isso que importa, porque não vão a festa que vamos dar no domingo, porque sábado é uma porra. - Ele bufa.

 

- Claro, obrigado pelo convite. - Sorri.

 

- Vocês estavam falando mal da gente? - Cancelo pergunta brincalhão .

 

- Pararam de conversar quando eu cheguei. - Paulo diz.

 

- Não era nada apenas conversando sobre sua ex. 

 

- Esquece ela, Melissa é louca. - Dybala revira os olhos.

 

- Louca mesmo, mais vocês precisavam ver o tapa que Antonella deu em Melissa por ela falar coisas horríveis sobre ela. 

 

Eu encaro Daniela que está com um sorriso no rosto.

 

- Puta que pariu. - Dybala diz encredulo. - Anto, você sabe que ela é uma pessoa descontrolada.

 

- Eu posso ouvir desaforo e ficar quieta é isso? - Questiono.

 

- Não, não é isso que eu queria dizer. - Ele me encara. - Eu só não quero que aconteça nada com você.

 

- Eu sei me cuidar.

 

- Queria estar la para ver tudo, ela é tão arrogante. - João ri. - Antonella você tem todo meu respeito.

 

- Eu não posso dizer que não gostei. - Paulo riu. - Talvez ela mereça por tudo que aprontou.

 

- Merece e como merece. - Daniela sorri. 

 

- Precisamos ir. - João diz se despedindo.

 

- Tchau! - Paulo e eu dissemos juntos. - Estamos atrasados, mamãe esta nós esperando. - Ele diz me dando um leve empurrão para prosseguir andando e eu apenas reviro os olhos. - Entra ai barraqueira.-  Paulo diz abrindo o carro para mim que não questiono  e entro.

 

- Paulo, não é muito cedo para...- Ele sorri e uma de suas mãos vão até minha perna.

 

- Confia em mim? - Pergunta e eu confirmo. - Então meu amor, eu sei que ela vai te amar assim como eu te amo.

 

Eu sorri rapidamente.

 

- Paulo, ela sabe que eu sou....

 

- amor, relaxa! - Ele insiste - Eu pedi para ela não levar Gustavo, ele é meu agente e eu realmente não estou com paciência paras as merdas que ela fala.

 

- Está mesmo sem paciência? - Olhei para ele é coloquei uma das minhas mais próxima ao seu membro.

 

- Para você? Eu tenho toda a paciência do mundo. - Ele sorri - Se você continuar com essa mão ai, juro que não vamos chegar ao restaurante e sim na minha casa para terminarmos oque está pendente.

 

- Eu não me importo nenhum pouco de ir para sua casa e fugir deste encontro com tua mãe. - Encaro ele.

 

- Minha mãe é difícil mais você consegue dobrar ela, assim como a Meli.... - Eu sei muito bem o que ele iria querer dizer mais ignoro.

 

- Enfim, depois você pode dormir agarradinho comigo. - Digo e ele concorda.

 

- Na minha casa? - Pergunta - E quando vamos anunciar para seus pais e confirmar para a mídia?

 

Esse assunto de contar aos meus pais é delicado, não por mamãe e sim meu Pai, ele não vai aceitar esse namoro por nada eu o conheço.

 

- Paulo.... Eu...- ele estaciona o carro e não me deixa falar.

 

Chegamos ao restaurante, encaro a entrada que me espanta. Esse restaurante deve ser um absurdo de tão caro, vejo o quão nervosa estou pelo simples fato de minhas mãos suarem. Temo estar mal arrumada, mais Alicia, pelo que Paulo disse é uma mulher simples que não gosta de coisas caras e prefere morar em uma fazenda na Argentina. 

 

- Meu amor, confia em mim. - Ele sorri pegando minha mão. - Pelo amor de Deus não desmaia, suas mãos estão congelandas.

 

Sorri e adentramos o lugar juntos, eu observo cada mesa esperando mentalmente que minha sogra esteja feliz hoje.

 

Quero ter uma conversa legal, eu não conheço direito apenas de vista. Não conheço seus modos e como vai reagir ao me ver com Paulo.

 

Observo cada mesa tentando desvendar 

Onde ela está, foi ai que vi a própria no canto parece ler algo no celular. De simples ela não parece ter nada. Super elegante. 

 

- Ela está ali, você já a conhece. - Ele me acompanha até a mesa porque eu havia travado.

 

- Paulo, que merda! - Susurro - Ela vai me odiar.

 

- Mãe! - Paulo diz e a senhora bem vestida e com uma ótima aparência nos encara. Ela se levanta e abraça o filho com saudades.

 

- Bruno, você não sabe como eu fiquei preocupada com você! Não foi me visitar nem nada do tipo! Me sinto sozinha. - Ela praticamente da uma bronca nela.

 

- Mãe, essa é Antonella. - Paulo aponta para mim e ela me cumprimenta sorridente.

 

- Olá, eu te vi com Melissa mais de vezes, como está? - ela pergunta e eu me sinto tranquila.

 

- Muito bem e a senhora? - Sorri.

 

- Senhora não, Alicia. - Ela brinca. - Estou ótima, porém decepcionada por Paulo ter terminado com uma garota tão boa quanto sua prima, mais enfim os filhos não escutam mais as mães. - Eu aperto as mãos de Paulo. - Cade a sua namorada filho? Não chegou ainda? - Eu mordo o lábio inferior e ele logo fala. - Você arranjou uma pessoa que se atrasa igual a você.

 

- Ela é minha namorada mãe. -  Ele diz calmo se sentando na cadeira assim como eu fiz.

 

- O quê? - Ela diz se sentando e pausando seu olhar sobre o meu. -  Você já é grande para brincar com a sua mãe, ela não é sua namorada. Ela é a prima da sua ex. 

 

- Mãe, ela é o amor da minha vida. - Paulo fala sem delongas.

 

- Você é louco? Cade a moral e ética que te ensinei? - Ela diz encarando o filho de modo feio - Está surtando ? Como você teve coragem de fazer isso com Melissa? E você Antonella, não tem o mínimo de compostura? - Ela dispara, eu não sabia que ela era tão cruel assim. Me seguro para não chorar e Paulo me encara.

 

- Essas coisas acontecem mãe, eu amo Antonella. E sim, estamos juntos e não me vejo sem ela - Ele ignora o silêncio dela.

 

- Senhora, antes que me julgue.... Eu amo seu filho e nós fizemos tudo certo. - Eu digo com a voz baixa - Ele terminou com ela, e eu terminei meu relacionamento.

 

- Não me importa, desde quando é certo roubar o homem dos outrao? - Ela diz com desdém. - Como você Paulo, foi tão burro a esse ponto? O pai da Melissa pode te tirar assim! - Ela estrala os dedos. - Deste pais, ele é simplesmente o governador - Ela encara Paulo que morde a mandíbula com força - O escândalo que isso vai render, muito pior que a história do teu amigo Icardi .

 

Merda, como ela pode ser tão grosseira? Como ela pode no primeiro instante me tratar bem e agora como um nada? Eu apenas quero ir embora.

 

- Mamãe, para de ser arrogante! Da minha vida cuido eu - Paulo dispara. - Eu só queria mostrar minha nova namorada para a senhora e.... - Antes que ele termine de falar observa a mãe olhar para a entrada do restaurante onde analisa algo e eu me viro no mesmo instante, me arrependendo.

 

Era Melissa, ela acompanhada com aquela gangue de metidas e ricas. 

 

Maldita hora que aceitei esse convite de Paulo. 

 

- Merda.- Paulo esbraveja.

 

- Cada ação tem uma reação, no caso a sua é Melissa. - Alicia diz bebendo sua água e logo em seguida levantando. - Com licença. - Ela diz caminhando até Melissa que se sentou e me encarou ascenando.

 

- Eu te disse que não era uma boa ideia, não disse? - suspiro olhando para ele. - Que porra.

 

- Eu já fui claro, você me escutou? - Ele beijou meu rosto. - mais que merda ela faz aqui?

 

- Ótima pergunta, parece perseguição. - Retruco - Eu quero muito que esse jantar passe logo.

 

- Que porra, eu só quero pedir logo esse jantar e ir embora.... Perdoe a minha mãe. - Ele bufa - Ela esta brava e preocupada com a minha situação no país.

 

- Ele não pode extraditar você, pode? - Pergunto confusa.

 

- Amor, não pensei nisso. - Paulo beijou minha mão - se preciso for retruque com ela, não deixe ela ser uma idiota contigo!

 

Ótimo, eu vou falar oque eu quiser agora é esperar flores dela? Essa mulher é uma arrogante, abusada e religiosa doentia.

 

Ela estava voltando para a mesa com um sorriso enorme no rosto.

 

- Ela está linda, não acha Paulo? - Ela de refere a Melissa. 

 

 Quer me deixar com ciúmes.

 

- A minha namorada? Antonella? é incrível. - Ele provoca me fazendo rir - Você diz que é falta de educação deixar a mesa.

 

- Falta de educação é não cumprimentar alguém incrível como Melissa -sorriu. - Jesus amado, eu não consigo acreditar que me desloquei da Argentina aqui para isso

 

O garçom chegou e eu imploro para que ele traga os pedidos logo. Optei por uma salada e nada mais, meu estômago gira apenas com  olhar desta mulher.

 

- Você trabalha como? - sua mãe parece interessada agora.

 

- Eu sou administradora em uma revista de moda. - Digo mais seria.

 

- Está concorrendo a vaga de Editora chefe - Paulo diz orgulhoso.

 

- Mais Melissa não trabalha nesta área? - Ela pergunta confusa.

 

- sim.... - Digo e antes que termine ela novamente me irrita com o comentário.

 

- caramba, você quer usurpar o lugar de sua prima em diversas áreas. - Ela ri me deixado desconfortável.

 

- Alicia, não gostei do teu comentário. Eu não quero usurpar um lugar que estou batalhando para ter e sim mostrar o que de melhor tenho a oferecer a empresa. Meu projeto foi aprovado, e eu comando a direção do próprio que irá me ocupar até julho do ano que vem. - Sorri satisfeita assim como Paulo .

 

- Ela não é incrível? - Ele diz tomando sua bebida que o garçom acabará de colocar no copo.

 

- E você Paulo? Eu vi a patifaria que fez no evento? - Ela encara o filho. - Eu vi tudo, não se fala em outra coisa. Aliás, falaram que supostamente Antonella havia te ajudado porque estava bêbado. Bom foi o que falaram para abaixar a poeira.

 

- Melissa mentiu para mim, disse que havia sofrido uma tentativa de estupro e era tudo mentira, ela me enganou por dois meses - ele ironiza - Essa é sua doce Melissa.

 

- Eu tenho minhas razões para gostar dela. Posso listar se quiser e aposto que ela fez isso por medo. -Alicia debocha. - Bonita, sexy, influenciadora, uma das mulher mais importantes da Itália, tem todos os requisitos de nora ideal.

 

- Que pena! Eu não a amo - Paulo arqueia a sobrancelha .

 

- Vocês vão mesmo continuar com essa vergonha ? Paulo você vai ser detonado pela mídia.

 

- o importante é o meu futebol, minha vida profissional cuido eu devo repetir novamente?  - Agora é ele que se levanta. - Vou ao banheiro.

 

Apenas concordo e o vejo sair da mesa. Rezo mentalmente para que ela não fale alguma merda.

 

- Garota! - Alicia diz com nojo - O que você quer pra parar com essa brincadeira? Se você não se separar dele vou pedir uma oração forte na igreja para que Deus resolva esta situação. - Eu me choco com a própria, encaro ela da mesma forma, eu quero rir e também chorar.

 

Deus, espero que não estava com ódio de mim.

 

- Senhora, sinto muito não estou negociando o amor do teu filho.  -digo friamente - Isso que a senhora está fazendo é ridículo, nos deixe ser feliz! Aposto que Deus vai abençoar a união.

 

- Quer ser Feliz? Meu amor a felicidade é a glória, ele merece mais...muito mais. -Ela pausa - Está vendo Melissa? - Ela aponta e eu me viro a vendo sorrir com as amigas. - Ela é a mulher certa para ele? Você sabe bem, eu sei que você quer apenas atenção da mídia.

 

- Você esta sendo arrogante e completamente desumana.

 

- Você quer acabar com meu filho não é? Ele vai se sujar na mídia por um romance ridículo. - Eu sinto minhas lágrimas caírem e as limpo. - Eu não vou concordar com isso.

 

Estou quebrada, fui insultada e não merecia passar por isso pela segunda vez, eu quero ir para casa chorar com minha mãe, sei que não é culpa de Paulo, não merece a mãe que tem.

 

Paulo havia voltado do banheiro, eu tento mostra que estou ótima e sigo uma pouco arrogante.

 

- Aconteceu alguma coisa? - ele pergunta assim que nossos pedidos chegaram.

 

Eu não vou fazer uma refeição se quer com essa bruxa.

 

- Paulo, não me sinto bem vou para a casa - Pego meus pertences na mesa e começo a caminhar até sentir sua mão em meu braço.

 

- Eu te levo. - Ele diz preocupado.

 

- Não, eu quero ficar sozinha. - Fui rude. - Sua mãe vem em vez e nunca, fique com ela - eu beijo seus lábios rapidamente o deixando para trás.

Antonella 

 

Itália, Turim.

 

11 de outubro 2018

 

20:00

 

Não foi uma boa ideia ter vindo, mais ele insistiu tanto que eu realmente quis ver Paulo feliz. Melissa me detonou para as amigas dela e influenciou com uma imagem completamente diferente do que sou. Mais quem vai acreditar que foi amor e eu nunca na vida poderia imaginar que faria isso com ela. O tapa me doeu na alma, mais eu tive que ser forte e me posicionar. 

 

Daniela me controlou para não voltar l. Ela parece ser uma boa pessoa, pelo menos é o que parece. Estou esperando Paulo como ela espera João.

 

- Por que ela tem tanto ódio de você? - Daniela pergunta para mim.- Óbvio que é por Paulo mais... Tem algo mais eu sinto.

 

- Você sabe que ela acha que eu praticamente " tirei Paulo dela". mais não foi assim, eu não queria. Foi difícil a resistência no começo, mais depois que ele disse que me amava e que faria qualquer coisa por mim, eu me vi sem saída e eu também gosto muito dele. Fizemos tudo calculado, ele terminou com ela e Melissa inventou uma mentira para segurar o Paulo. - Bufo analisando mais a frente os dois vindo em nossa direção sorrindo. - E deve ser esse o fio todo, não tem explicação sempre fomos amigas.

 

Nos calamos assim que os garotos se aproximam.

 

- Vejo que encontrou uma nova amiga! - Paulo sorri selando nossos lábios. 

 

- Ela é um amor e não é mandona como Melissa. -Daniela sorri para mim. 

 

- Amor, era o jeito dela. - João diz - Enfim, Paulo está feliz e isso que importa, porque não vão a festa que vamos dar no domingo, porque sábado é uma porra. - Ele bufa.

 

- Claro, obrigado pelo convite. - Sorri.

 

- Vocês estavam falando mal da gente? - Cancelo pergunta brincalhão .

 

- Pararam de conversar quando eu cheguei. - Paulo diz.

 

- Não era nada apenas conversando sobre sua ex. 

 

- Esquece ela, Melissa é louca. - Dybala revira os olhos.

 

- Louca mesmo, mais vocês precisavam ver o tapa que Antonella deu em Melissa por ela falar coisas horríveis sobre ela. 

 

Eu encaro Daniela que está com um sorriso no rosto.

 

- Puta que pariu. - Dybala diz encredulo. - Anto, você sabe que ela é uma pessoa descontrolada.

 

- Eu posso ouvir desaforo e ficar quieta é isso? - Questiono.

 

- Não, não é isso que eu queria dizer. - Ele me encara. - Eu só não quero que aconteça nada com você.

 

- Eu sei me cuidar.

 

- Queria estar la para ver tudo, ela é tão arrogante. - João ri. - Antonella você tem todo meu respeito.

 

- Eu não posso dizer que não gostei. - Paulo riu. - Talvez ela mereça por tudo que aprontou.

 

- Merece e como merece. - Daniela sorri. 

 

- Precisamos ir. - João diz se despedindo.

 

- Tchau! - Paulo e eu dissemos juntos. - Estamos atrasados, mamãe esta nós esperando. - Ele diz me dando um leve empurrão para prosseguir andando e eu apenas reviro os olhos. - Entra ai barraqueira.-  Paulo diz abrindo o carro para mim que não questiono  e entro.

 

- Paulo, não é muito cedo para...- Ele sorri e uma de suas mãos vão até minha perna.

 

- Confia em mim? - Pergunta e eu confirmo. - Então meu amor, eu sei que ela vai te amar assim como eu te amo.

 

Eu sorri rapidamente.

 

- Paulo, ela sabe que eu sou....

 

- amor, relaxa! - Ele insiste - Eu pedi para ela não levar Gustavo, ele é meu agente e eu realmente não estou com paciência paras as merdas que ela fala.

 

- Está mesmo sem paciência? - Olhei para ele é coloquei uma das minhas mais próxima ao seu membro.

 

- Para você? Eu tenho toda a paciência do mundo. - Ele sorri - Se você continuar com essa mão ai, juro que não vamos chegar ao restaurante e sim na minha casa para terminarmos oque está pendente.

 

- Eu não me importo nenhum pouco de ir para sua casa e fugir deste encontro com tua mãe. - Encaro ele.

 

- Minha mãe é difícil mais você consegue dobrar ela, assim como a Meli.... - Eu sei muito bem o que ele iria querer dizer mais ignoro.

 

- Enfim, depois você pode dormir agarradinho comigo. - Digo e ele concorda.

 

- Na minha casa? - Pergunta - E quando vamos anunciar para seus pais e confirmar para a mídia?

 

Esse assunto de contar aos meus pais é delicado, não por mamãe e sim meu Pai, ele não vai aceitar esse namoro por nada eu o conheço.

 

- Paulo.... Eu...- ele estaciona o carro e não me deixa falar.

 

Chegamos ao restaurante, encaro a entrada que me espanta. Esse restaurante deve ser um absurdo de tão caro, vejo o quão nervosa estou pelo simples fato de minhas mãos suarem. Temo estar mal arrumada, mais Alicia, pelo que Paulo disse é uma mulher simples que não gosta de coisas caras e prefere morar em uma fazenda na Argentina. 

 

- Meu amor, confia em mim. - Ele sorri pegando minha mão. - Pelo amor de Deus não desmaia, suas mãos estão congelandas.

 

Sorri e adentramos o lugar juntos, eu observo cada mesa esperando mentalmente que minha sogra esteja feliz hoje.

 

Quero ter uma conversa legal, eu não conheço direito apenas de vista. Não conheço seus modos e como vai reagir ao me ver com Paulo.

 

Observo cada mesa tentando desvendar 

Onde ela está, foi ai que vi a própria no canto parece ler algo no celular. De simples ela não parece ter nada. Super elegante. 

 

- Ela está ali, você já a conhece. - Ele me acompanha até a mesa porque eu havia travado.

 

- Paulo, que merda! - Susurro - Ela vai me odiar.

 

- Mãe! - Paulo diz e a senhora bem vestida e com uma ótima aparência nos encara. Ela se levanta e abraça o filho com saudades.

 

- Bruno, você não sabe como eu fiquei preocupada com você! Não foi me visitar nem nada do tipo! Me sinto sozinha. - Ela praticamente da uma bronca nela.

 

- Mãe, essa é Antonella. - Paulo aponta para mim e ela me cumprimenta sorridente.

 

- Olá, eu te vi com Melissa mais de vezes, como está? - ela pergunta e eu me sinto tranquila.

 

- Muito bem e a senhora? - Sorri.

 

- Senhora não, Alicia. - Ela brinca. - Estou ótima, porém decepcionada por Paulo ter terminado com uma garota tão boa quanto sua prima, mais enfim os filhos não escutam mais as mães. - Eu aperto as mãos de Paulo. - Cade a sua namorada filho? Não chegou ainda? - Eu mordo o lábio inferior e ele logo fala. - Você arranjou uma pessoa que se atrasa igual a você.

 

- Ela é minha namorada mãe. -  Ele diz calmo se sentando na cadeira assim como eu fiz.

 

- O quê? - Ela diz se sentando e pausando seu olhar sobre o meu. -  Você já é grande para brincar com a sua mãe, ela não é sua namorada. Ela é a prima da sua ex. 

 

- Mãe, ela é o amor da minha vida. - Paulo fala sem delongas.

 

- Você é louco? Cade a moral e ética que te ensinei? - Ela diz encarando o filho de modo feio - Está surtando ? Como você teve coragem de fazer isso com Melissa? E você Antonella, não tem o mínimo de compostura? - Ela dispara, eu não sabia que ela era tão cruel assim. Me seguro para não chorar e Paulo me encara.

 

- Essas coisas acontecem mãe, eu amo Antonella. E sim, estamos juntos e não me vejo sem ela - Ele ignora o silêncio dela.

 

- Senhora, antes que me julgue.... Eu amo seu filho e nós fizemos tudo certo. - Eu digo com a voz baixa - Ele terminou com ela, e eu terminei meu relacionamento.

 

- Não me importa, desde quando é certo roubar o homem dos outrao? - Ela diz com desdém. - Como você Paulo, foi tão burro a esse ponto? O pai da Melissa pode te tirar assim! - Ela estrala os dedos. - Deste pais, ele é simplesmente o governador - Ela encara Paulo que morde a mandíbula com força - O escândalo que isso vai render, muito pior que a história do teu amigo Icardi .

 

Merda, como ela pode ser tão grosseira? Como ela pode no primeiro instante me tratar bem e agora como um nada? Eu apenas quero ir embora.

 

- Mamãe, para de ser arrogante! Da minha vida cuido eu - Paulo dispara. - Eu só queria mostrar minha nova namorada para a senhora e.... - Antes que ele termine de falar observa a mãe olhar para a entrada do restaurante onde analisa algo e eu me viro no mesmo instante, me arrependendo.

 

Era Melissa, ela acompanhada com aquela gangue de metidas e ricas. 

 

Maldita hora que aceitei esse convite de Paulo. 

 

- Merda.- Paulo esbraveja.

 

- Cada ação tem uma reação, no caso a sua é Melissa. - Alicia diz bebendo sua água e logo em seguida levantando. - Com licença. - Ela diz caminhando até Melissa que se sentou e me encarou ascenando.

 

- Eu te disse que não era uma boa ideia, não disse? - suspiro olhando para ele. - Que porra.

 

- Eu já fui claro, você me escutou? - Ele beijou meu rosto. - mais que merda ela faz aqui?

 

- Ótima pergunta, parece perseguição. - Retruco - Eu quero muito que esse jantar passe logo.

 

- Que porra, eu só quero pedir logo esse jantar e ir embora.... Perdoe a minha mãe. - Ele bufa - Ela esta brava e preocupada com a minha situação no país.

 

- Ele não pode extraditar você, pode? - Pergunto confusa.

 

- Amor, não pensei nisso. - Paulo beijou minha mão - se preciso for retruque com ela, não deixe ela ser uma idiota contigo!

 

Ótimo, eu vou falar oque eu quiser agora é esperar flores dela? Essa mulher é uma arrogante, abusada e religiosa doentia.

 

Ela estava voltando para a mesa com um sorriso enorme no rosto.

 

- Ela está linda, não acha Paulo? - Ela de refere a Melissa. 

 

 Quer me deixar com ciúmes.

 

- A minha namorada? Antonella? é incrível. - Ele provoca me fazendo rir - Você diz que é falta de educação deixar a mesa.

 

- Falta de educação é não cumprimentar alguém incrível como Melissa -sorriu. - Jesus amado, eu não consigo acreditar que me desloquei da Argentina aqui para isso

 

O garçom chegou e eu imploro para que ele traga os pedidos logo. Optei por uma salada e nada mais, meu estômago gira apenas com  olhar desta mulher.

 

- Você trabalha como? - sua mãe parece interessada agora.

 

- Eu sou administradora em uma revista de moda. - Digo mais seria.

 

- Está concorrendo a vaga de Editora chefe - Paulo diz orgulhoso.

 

- Mais Melissa não trabalha nesta área? - Ela pergunta confusa.

 

- sim.... - Digo e antes que termine ela novamente me irrita com o comentário.

 

- caramba, você quer usurpar o lugar de sua prima em diversas áreas. - Ela ri me deixado desconfortável.

 

- Alicia, não gostei do teu comentário. Eu não quero usurpar um lugar que estou batalhando para ter e sim mostrar o que de melhor tenho a oferecer a empresa. Meu projeto foi aprovado, e eu comando a direção do próprio que irá me ocupar até julho do ano que vem. - Sorri satisfeita assim como Paulo .

 

- Ela não é incrível? - Ele diz tomando sua bebida que o garçom acabará de colocar no copo.

 

- E você Paulo? Eu vi a patifaria que fez no evento? - Ela encara o filho. - Eu vi tudo, não se fala em outra coisa. Aliás, falaram que supostamente Antonella havia te ajudado porque estava bêbado. Bom foi o que falaram para abaixar a poeira.

 

- Melissa mentiu para mim, disse que havia sofrido uma tentativa de estupro e era tudo mentira, ela me enganou por dois meses - ele ironiza - Essa é sua doce Melissa.

 

- Eu tenho minhas razões para gostar dela. Posso listar se quiser e aposto que ela fez isso por medo. -Alicia debocha. - Bonita, sexy, influenciadora, uma das mulher mais importantes da Itália, tem todos os requisitos de nora ideal.

 

- Que pena! Eu não a amo - Paulo arqueia a sobrancelha .

 

- Vocês vão mesmo continuar com essa vergonha ? Paulo você vai ser detonado pela mídia.

 

- o importante é o meu futebol, minha vida profissional cuido eu devo repetir novamente?  - Agora é ele que se levanta. - Vou ao banheiro.

 

Apenas concordo e o vejo sair da mesa. Rezo mentalmente para que ela não fale alguma merda.

 

- Garota! - Alicia diz com nojo - O que você quer pra parar com essa brincadeira? Se você não se separar dele vou pedir uma oração forte na igreja para que Deus resolva esta situação. - Eu me choco com a própria, encaro ela da mesma forma, eu quero rir e também chorar.

 

Deus, espero que não estava com ódio de mim.

 

- Senhora, sinto muito não estou negociando o amor do teu filho.  -digo friamente - Isso que a senhora está fazendo é ridículo, nos deixe ser feliz! Aposto que Deus vai abençoar a união.

 

- Quer ser Feliz? Meu amor a felicidade é a glória, ele merece mais...muito mais. -Ela pausa - Está vendo Melissa? - Ela aponta e eu me viro a vendo sorrir com as amigas. - Ela é a mulher certa para ele? Você sabe bem, eu sei que você quer apenas atenção da mídia.

 

- Você esta sendo arrogante e completamente desumana.

 

- Você quer acabar com meu filho não é? Ele vai se sujar na mídia por um romance ridículo. - Eu sinto minhas lágrimas caírem e as limpo. - Eu não vou concordar com isso.

 

Estou quebrada, fui insultada e não merecia passar por isso pela segunda vez, eu quero ir para casa chorar com minha mãe, sei que não é culpa de Paulo, não merece a mãe que tem.

 

Paulo havia voltado do banheiro, eu tento mostra que estou ótima e sigo uma pouco arrogante.

 

- Aconteceu alguma coisa? - ele pergunta assim que nossos pedidos chegaram.

 

Eu não vou fazer uma refeição se quer com essa bruxa.

 

- Paulo, não me sinto bem vou para a casa - Pego meus pertences na mesa e começo a caminhar até sentir sua mão em meu braço.

 

- Eu te levo. - Ele diz preocupado.

 

- Não, eu quero ficar sozinha. - Fui rude. - Sua mãe vem em vez e nunca, fique com ela - eu beijo seus lábios rapidamente o deixando para trás.


Notas Finais


Eu publiquei dois capítulos seguidos to pensando em publicar mais um pq estou muito bondosa hj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...