História Obsession Paulo Dybala - Capítulo 31


Escrita por:

Visualizações 49
Palavras 2.552
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


TRINTA CAPÍTULOs CARALHOOOOOO

Capítulo 31 - Trigésimo capitulo


Fanfic / Fanfiction Obsession Paulo Dybala - Capítulo 31 - Trigésimo capitulo

Lorenzo Capucho

 

Milão, Itália

 

A música humble do Kendrick Lamar toca pela terceira vez no carro de Petrônios. Estamos do outro lado da cidade e eu não consigo parar de pensar na droga de Melissa. 

 

Ela é uma idiota, engravidar agora! Eu tinha planos eu tinha uma ponta de esperança que ela esquecesse esse jogador. Eu tenho dinheiro, influência, as mulheres se oferecem para mim e eu continuo ajudando essa garota com suas paranóias. Tão bonita e maldosa, eu tenho medo dela quando coloca algo na cabeça.

 

Eu sinto raiva dessa criança, ela não é bem-vinda, eu nunca mais vou ter uma boa relação com Melissa por causa dela! Eu não quero saber desse bebê que ela espera, é uma parte de Dybala, o cara que roubou a mulher que eu amo. 

 

- Eu vou ser tio. - O idiota gargalha enquanto dirige até a boate.

 

- Que coisa chata, você sabe que vai ser um péssimo tio. - ironizo. - Se essa criança nascer.

 

- Qual é? É coisa que se fale? - Ele revira os olhos. - Não vai me dizer que está apaixonadinha pela minha irmã, por isso está com essa cara e dizendo coisas negativas? - Ele ri. - Queria que o bebê fosse seu?

 

- Cala a porra da boca, eu já te disse que buceta não me prende.- Eu grito. - Você não sabe nada sobre mim, eu não tenho tendência a me apaixonar. - explico. - E eu nunca imaginei ser pai. 

 

- Deve ter imaginado nos teus sonhos, você casado com minha irmã ou Antonella,  ai você acordou e percebeu que foi chutado pelas duas.

 

- Dirige essa merda, preciso beber até não poder mais - Bato em seu ombro.

 

- Claro, porque chegando lá todas as garotas vão abrir as pernas para você, por tanto você só quer beber. - Ele ironiza.

 

Eu adoro Milão, me sinto muito melhor aqui do que em Turim! Preciso apenas me esquecer de tudo que Melissa, me disse ao celular. Estou chateado como se tivesse perdido algo. 

 

Preciso me esquecer apenas por hoje que a amo! Porém ela não me deixa esquecer de tanto me mandar mensagens querendo minha ajuda.

 

Porém hoje não, ela que se vire sozinha.

 

Paulo Dybala|

 

Turim, Itália 

 

28 de outubro

 

Estou me encarando no espelho a horas, aquela sensação de dor não saiu de mim. Um filho, eu vou ter um filho. 

 

Não tenho condições psicológicas para isso, eu tinha planos de me casar com Antonella e agora o mínimo que ela irá fazer é me arrancar da vida dela. A conheço e sei que ela é justa.

 

Em nenhum momento a ideia de que o bebê não fosse meu me passou na cabeça, porém eu estava nervoso e já me disseram tantas coisas sobre ela e Enzo. 

 

Eu esperei tanto por esse momento de ser pai, mais a ideia ainda me constrange. 

 

Isso vai ser uma bomba na imprensa eu sou um idiota. Eu pedi para que Antonella viesse aqui para conversarmos sobre isso. Eu to puto porque eu sei que isso vai acabar com a nossa relação, mais eu preciso dizer antes que Melissa conte. Melissa é uma bomba atômica.

 

A campanhia tocou, a empregada já deve ter mandado a própria entrar e eu estou repensando sobre falar ou não. Eu poderia ficar bem quietinho na minha e esperar a gravidez se firmar. 

 

Preciso ser sincero, mesmo sabendo que ela vai me odiar. Infelizmente tenho uma bomba relógio prestes a explodir em minha mão.

 

Os passos dela subindo por todo meu quarto e eu apenas me acalmo e encaro a mulher mais linda que conheço! Ela está linda com um vestido cor de abóbora, bem justo que a deixa ainda mais sensual. 

 

Pena que esse momento não é apropriado para pensar em sexo.

 

- Oi meu amor. - Ela me beijou e eu sorri. Está radiante como se quisesse me dizer algo.

 

- Oi princesa. - Eu digo acariciando seu rosto.

 

Eu preciso falar antes que dê merda!

 

- Então eu preciso falar com você sobre uma coisa. - Ela sorri como se oque eu fosse dizer fosse bom ou algo do tipo.

 

- Eu também quero dizer uma coisa! - Ela se senta na cama.

 

- Primeiro eu. - Digo um pouco mais serio. - Me promete, que independente do que eu disser aqui você vai continua me amando? Anda Antonella responde.

 

Ela mudou a expressão, está seria e me encarando. 

 

- Diz, tem haver com Melissa? Se for diga logo. - Parece que mulher tem um ótimo faro para problemas. - Paulo, você prometeu que não haveria mais segredos entre nós.

 

Eu tenho que começar a falar e me manter calmo.

 

- Sim, é sobre ela.... Mais me promete que.. - Ela me interrompe.

 

- Diz logo, Paulo não esconda nada! - Ela se afastou de mim.

 

- Lembra aquele dia no restaurante? Quando você foi embora e me deixou com a minha mãe lá? - Ela concordou sabendo que era algo serio. - Minha mãe chamou Melissa, para sentar na mesa e eu tive que aturar, ela durante um bom tempo. Até que minha mãe resolveu ir embora. E eu obviamente me levantei para ir mais eu havia feito um acordo de trégua com sua prima, bom ela me pediu para ficar e beber uma ultima vez antes de ir. - Ela me encara e eu não sei como vou prosseguir. - Antonella, a questão é que eu não me lembro oque aconteceu eu bebi e depois disso não conseguia nem se quer falar, eu não conseguia nem dirigir, as palavra estavam escapando de meus lábios e ela me pediu para dirigir e me deixar em casa.

 

- Ótimo, não precisa me dizer mais nada! Vocês transaram não foi? Você me traiu. - Ela se levanta da cama e anda de um lado ao outro sem me deixar falar. - É assim que você corresponde ao meu amor? Transando com outra? Com a sua ex -  Ela grita. - os brincos dela estavam aqui, você mentiu dizendo que não havia ninguém no seu apartamento! Mais que ingênua eu fui, as vezes eu me pergunto porque acreditar tanto em alguém como eu acredito em você. 

 

- Amor, eu não sei como aconteceu, eu não me lembro. - Eu tento me explicar mais ela não quer me ouvir. - Ela está gravida! - Eu grito para que ela pare de me atrapalhar e gritar comigo.

 

Ela ficou seus olhos cheios de lágrimas em mim, se controlou para poder me dizer alguma coisa. Ela se aproximou de mim e acertou um tapa dolorido em meu rosto.

 

- Ela sempre teve razão, você sempre volta para ela. - Antonella se senta na cama e limpa as lágrimas. - Burra, idiota e tapada! É isso que eu sou por acreditar em você! De novo Paulo, mais uma vez você errou. Eu vou embora, chega. Me esquece e vai para casa do caralho. Puta merda todo dia uma história diferente com a minha prima. Eu tenho pena desse bebê por ter uma mãe como ela e mais pena de você por ser o pai. - Ela se levanta. - To indo embora, eu te apoiaria se tivesse sido diferente e você tivesse sido sincero desde o início.

 

- Antonella eu fiquei com medo de contar e perder você! - Eu digo. - infelizmente eu não sei como aconteceu, foi tão estranho eu confesso. Não teve amor e nem nada do tipo eu nem sei como transamos.

 

- Por que você faz isso? Você só me machucou desde que estamos juntos! Não tenho um dia decente de paz. - Ela jogou as palavras na minha cara.

 

- O que? Antonella tudo que aconteceu foi um acidente... Eu não me lembro de ter bebido mais do que um copo naquele bar. - Me explico. - Eu amo você, e esse bebê não vai nos separar. Por favor me perdoe e me de uma chance, a ultima! Eu te amo garota.

 

- Eu me sinto traída, me sinto tão.... - Eu não posso ver a mulher que eu amo assim, não mais. Ela chorava descontroladamente. - Eu tentei Paulo, como eu tentei! Agora vocês estão ligados para sempre eu sou a louca da história, a madrasta má. 

 

- Hey, eu errei! Mais eu vou concertar tudo. - beijo seu rosto e limpo suas lágrimas. - Preciso de você agora, não me abandone! Eu vou fazer de tudo para que Melissa não se aproveite desta gravidez. Uma chance apenas, eu amo você, eu vou resolver tudo.

 

- Você sabe que essa relação é quase impossível. - Ela tocou meu rosto. - Eu não posso prometer que vou ficar na sua vida, a prioridade são eles.

 

- O que? Você... Por favor! Você está terminado comigo porra? - Eu digo extremamente bravo. - Eu te amo, e eu juro que vai ser o meu último erro! Eu não quero que você me abandone, eu não consigo pensar na possibilidade.

 

Ela me observa por alguns segundos.

 

- Paulo, se nossa relação prejudicar o seu filho ou a droga da Melissa, infelizmente eu vou ter que terminar. - Ela bufa. - É ultima vez que te dou a oportunidade de você não me machucar! - Ela diz com a voz embargada. - Eu juro que se ela tentar mais alguma coisa contra você ou eu... nossa relação. Eu vou embora, juro que te deixo com ela. - Antonella se levantou e caminhou até o banheiro para lavar o rosto. 

 

- Prometo, por mim é por você que nada vai nos separar. - Digo entre a porta. - Eu pensei por um segundo que você ia me deixar, eu não iria agüentar. - Beijo seu rosto enquanto ela parece não querer nenhum assunto comigo.

 

- Eu vou te apoiar, vamos ficar juntos nessa, mais você sabe que vai ser impossível nos duas mantendo o mínimo de uma relação. Mais o bebê não tem culpa, não é?

 

- É, o bebê não tem culpa.

 

- Vou receber ele ou ela com todo o carinho do mundo, mais não me peça para conviver com Melissa como se fossemos melhores amigas.

 

- Meu anjo? Eu nunca pediria isso.

 

- Tudo bem, eu posso me controlar! Estou ansiosa com o bebê, eu posso ajudar com oque quiser.

 

Como que eu vou dizer para ela que Melissa provavelmente não vai deixar ela nem ao menos se aproximar do bebê? Temos nove meses para muda isso.

 

- Eu não quero falar sobre o bebê, não consegui aceitar totalmente a ideia. - Eu digo indo para o quarto.

 

- Seu filho Paulo, querendo ou não! 

 

- É! Eu já disse que te amo hoje? - Eu digo a abraçando.

 

- Não, mais hoje estou de mau com você. - Ela diz seria e eu compreendo.

 

Eu não consegui nem ao menos respirar e já escuto a voz de Gustavo, meu irmão gritando comigo. Me sento na cama para escutar as merdas que ele vai me dizer e tento me controlar. Antonella apenas apoiou seus braços   em meu ombro.

 

- Ainda bem que encontrei os dois! - Ele diz alto apontando para Antonella. - Você tá muito fudido na imprensa. - Ele jogou o jornal na minha cara.

 

Merda, é uma nota sobre a noite no restaurante o e barraco que Melissa fez na frente de todo mundo. Minha foto e a de Antonella aos beijos na porta do restaurante " A traição do ano". Esta lá na minha frente aquela merda.

 

- Sabe o que eu acho ridiculo? Você tem 24 anos Dybala! A maturidade tá no quinto dos infernos, não é? - Eu juro que vou expulsar ele daqui.

 

- Eles vão esquecer disso logo.  - Antonella me encara. - A mídia italiana mente muito, todos sabemos. Minha imagem está manchada por esse relacionamento também. Nada que o tempo não resolva.

 

- Concerteza, a família " REAL." da Itália foi seduzida por você! Caralho. - Meu irmão diz para mim. - Um jogador que pegou as duas primas e está feliz da vida no seu palácio enquanto os patrocinadores me bombardeiam. 

 

- Mano, relaxa. - Eu grito. - A mídia esquece, eu tenho outra bomba pra você. - Eu digo de uma vez - Melissa está gravida! Eu vou ser pai. - Eu odiava rodeios, sei que ele está nervoso e chocado.

 

Meu irmão ficou branco, e eu não consigo se quer dizer alguma coisa.

 

- Você esta acabando com a sua carreira por buceta?- Meu irmão diz e eu me controlo parar não o expulsar - Resolve você essa porra! Quando a mídia souber de tudo você vai se ferrar sozinho. Torcer para o pai de Melissa ser bonzinho com você, ou então você vai ter que procurar outro gigante europeu para jogar! Imagina a fama que você irá pegar. Que inferno nunca vi tanta merda feita em um mês.

 

- Gustavo, nada de ruim vai acontecer com a carreira dele, eu não vou deixar. - Antonella diz. - Eu posso explicar tudo inclusive oque aconteceu no restaurante. 

 

- Claro, eles vão acreditar na vadia da vez. - Quando ele disse isso eu não agüentei desferi um soco no rosto dele que não revidou.

 

- Sai da minha casa agora, filho da puta!  - Eu grito o empurrando para fora. - Eu faço a minha imagem sozinho, eu resolvo isso. - Nunca mais volte na minha casa sem ser que eu peça, você é a porra de um funcionário nada além disso, da minha vida cuido eu.

 

- Que bom, porque eu não vou querer te ver cair por mulher, eu não vou deixar meu irmão se fuder em um triângulo amoroso. - Ele apontou o dedo na minha cara - Sorte sua que o papai não está aqui, para ver tudo que a gente lutou ser destruído por você. Por um romance doentio. - Ele jogou as palavras na minha cara e eu desceu as escada para ir embora. - Se prepare para o furacão Melissa, ela tem todo meu apoio. 

 

- Vai pro inferno! - Digo por fim vendo ele sair furioso.

 

A empregada surge do nada com o telefone na mão, eu tento ser no mínimo educado mais quando ela fala quem é eu fico ainda mais nervoso.

 

- É a senhora Melissa. - Bufo, agora eu tenho que me preocupar com ela também.

 

- Merda! - Eu estava com tanta raiva que acabo por dar um soco na parede.

 

- Amor, atende pode ser importante. - Antonella pegou o telefone da mão de Layla e me entregou.

 

- Ela disse que o senhor não atende o celular e por isso ligou aqui no fixo.

 

Ligação online

 

- Oi Papai do ano! - Ela diz calmamente.

 

Eu apenas pego o telefone e entrego para Antonella.

 

" Sem ironia, não é uma boa hora. Sim eu sei, só quero o bem desta criança. Aviso, pode ficar tranquila. "

 

Ela desligou. 

 

***

- Amor, ela queria te avisar que ela pretende marcar a consulta, você vai ver seu bebê. - Antonella acariciou meu rosto. Tão calma como se as ofensas não fossem nada para ela.

 

Ótimo, eu mereço mais uma dessas! Eu terei nove longos meses de escândalos e problemas do furacão Melissa.


Notas Finais


Amo os comentários?? Obvio


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...