História Obsessive - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Midoriya Izuku
Tags Dekushin, Hicchan, Midoriya Izuku, Midoriya Seme, Midoshin, Omegaverse, Shinsou Hitoshi, Shinsou Uke, Yandere
Visualizações 196
Palavras 2.192
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo novo!
Primeiramente, peço desculpas pelo atraso em responder aos comentários de todos, mas infelizmente será assim por um tempo... MAS pretendo em breve(quando puder) ir respondendo vocês direitinho! Obrigada pela compreensão XD
Enfim, estamos quase indo para a parte "boa"(ou ruim?) da história, só avisando mesmo...
Aviso: tirem as crianças da sala!
Boa leitura.

Capítulo 4 - Loucura


Fanfic / Fanfiction Obsessive - Capítulo 4 - Loucura

Faziam exatamente cinco dias que Izuku estava mantendo Hitoshi "preso" em sua casa, à contar do momento em que chegaram da escola. Cinco dias que o ômega passava seu ciclo de cio ininterrupto, mais forte e ao lado do alfa.

Desses cinco dias, faziam dois que ambos não precisaram comparecer à escola, pois esta havia sido fechada temporariamente por conta de alguns acidentes pequenos, então necessitou passar por reformas. Como os tais acidentes ocorreram no final de semana, a escola precisou comunicar à todos os pais e responsáveis que, durante uma semana, não haveriam aulas.

Sobre Hitoshi, Izuku podia se aproveitar do quão vulnerável ele estava e seguir fazendo-o acreditar que tentava conseguir os medicamentos, porém como não conseguia e também por estar preocupado em deixá-lo sozinho por muito tempo e naquele estado, saía pouco da casa. Aproveitou ainda para avisar que a escola havia fechado por alguns dias para passar por pequenas reformas, então o ômega não precisaria se preocupar pois não estavam perdendo nenhum dia de aula.

Agora, mais uma vez, Izuku cuidaria de acalmar o ciclo de Hitoshi. Mesmo que tivessem feito aquilo por diversas vezes durante aqueles poucos dias, Izuku não estava nem perto de se cansar do corpo de Hitoshi, como se a cada nova entrega do ômega seu desejo por ele somente aumentasse ainda mais. O problema, talvez, era que cada vez que o perfume adocicado do ômega se fazia fortemente presente no ambiente - e os instintos de Izuku se externavam por impulso - o alfa ficava ainda mais possessivo e agressivo.

Entretanto, para sua sorte, Hitoshi pensava aquilo ser da natureza dos alfas naquele tipo de situação, o que não estava totalmente errado. Além disso, Izuku sempre compensava tornando a agir amavelmente com o amigo, muitas vezes com ainda mais carinho, para que talvez o ômega se apaixonasse o quanto antes. Izuku possuía uma grande vantagem, pois ômegas, instintivamente, se apegavam muito ao alfa com quem passassem o primeiro cio, e já percebia Hitoshi, em alguns momentos, demostrar sentir ainda mais carinho através do olhar que lhe transmitia.

Faltava pouco, e agora somente precisava torcer para que Hitoshi dissesse o amar antes de os sete dias do ciclo do ômega se acabarem, caso contrário, precisaria partir para o plano B. Izuku sabia o quão arriscado era o plano B, e tinha noção do pavor que aquilo causaria à seu amado Hitoshi, porém mesmo não querendo o faria se necessário.

Estando Hitoshi deitado na cama de Izuku, ficava suspirando enquanto o alfa ocupava uma das mãos de realizar diversos toques pelo corpo do ômega, já tendo conhecimento de como ele preferia ser tocado. A outra mão de Izuku tratava de explorar uma parte em especial do corpo de Hitoshi, com os dedos invadindo rapidamente e de forma um tanto rude a entrada lubrificada do ômega, estimulando aquela área para o que fariam em breve, mais uma vez.

- ... Midoriya... Rápido... - o maior pediu indireto, porém de forma que o outro entendesse.

- Shinsou-kun, eu não posso agora... - disse, chamando a atenção do ômega - Estou tentando fazer isso ser o bastante pra você, mas... - o menor aumentou o ritmo com que movia os dedos contra o interior do outro.

- ... Você não quer? - perguntou com a voz baixa.

- Desculpe, eu quero muito... - dizendo isso, Izuku se acomodou na cama para que Hitoshi o visse melhor - Só de olhar pra mim dá pra perceber o quanto eu quero... Me desculpe por querer tanto você... - comentou, com as bochechas coradas.

- ... Então porque...?

- É que... Já fizemos tantas vezes... - disse, para logo explicar melhor - Não tenho mais nenhuma camisinha pra usar, então... - por um momento, percebeu que o ômega entendeu o problema - Eu teria de ir sem usar uma... Mas você pode não querer...

Estava sendo difícil para Izuku se controlar, mas precisava, pois cada pequeno detalhe provando o quanto se importava poderia fazer a diferença para que Hitoshi se apaixonasse. Precisava ganhar ainda mais a confiança do ômega, e já tinha noção de que alfas, normalmente, não se prenderiam aquilo, então sua chance de mostrar ser diferente não podia ser desperdiçada.

- ... Vai rápido... - pediu Hitoshi, dando a autorização e cobrindo o rosto com os braços.

- Se quer assim... - disse Izuku, sorrindo ao ver o ômega tímido daquela forma - Colocarei dentro de você. - assim sendo, se posicionou e penetrou aquela cavidade.

Um suspirar profundo não foi evitado por Izuku quando se sentiu completamente dentro de Hitoshi, e dessa vez não havia nada atrapalhando o contato direto de suas peles uma à outra. Tornando a olhar para o ômega, notou que ele agora parecia estar um pouco curioso sobre ser ou não real aquela conexão que mantinham, pois este se ajeitou na cama, inclinando o corpo para frente, tentando visualizar mesmo que à certa distância o ponto onde se conectavam agora. Izuku amou aquela imagem, a expressão de Hitoshi estava tão cheia de desejo, e ele parecia ter gostado da sensação de seus corpos estarem unidos como agora, que o alfa precisou deixar de lado sua tentativa de ser paciente.

Começou a se mover fortemente, saindo quase por completo para logo o invadir totalmente, atingindo sem cuidado algum o ponto sensível do ômega - que o alfa sempre fazia questão de encontrar. Quando o menor começou a se mover, Hitoshi tornou a se deitar na cama, puxando o corpo de Izuku para que se deitasse sobre o seu, cravando por impulso as unhas contra as costas do alfa, em uma tentativa de conter a leve dor que sentia em conjunto ao alívio pelo início do ato. Para Izuku, aquela ação pareceu uma afirmação de Hitoshi gostar de sua falta de delicadeza no momento, então passou a "judiar" do pescoço do ômega, mordendo com força e sugando algumas vezes a pele branca do maior, formando diversas marcas avermelhadas naquela área.

Por estar ocupado marcando o pescoço de Hitoshi, Izuku não via as expressões de certo medo e ansiedade que o ômega fazia. Era sempre daquela forma, começava com pequenas ações que logo evoluíam para o que Hitoshi temia, ao que o ômega sempre torcia para que acabasse antes de chegar àquele ponto.

Izuku, com o tempo, já havia aumentado ainda mais o vigor de seus movimentos, ao que Hitoshi já tentava o fazer "se acalmar" por sentir dor em demasia pela força com a qual era invadido. O ômega repousou as mãos aos quadris do alfa, tentando o segurar para que parasse de se mover - ou ao menos o fizesse menos intensamente - e talvez encontrar um ritmo que não machucasse seu corpo. Era a partir dali que tudo mudava, e com sua ação para tentar guiar o ato - mesmo que minimamente - que o alfa se tornava ainda mais agressivo e dominador.

Cada toque - firme ou leve - que Hitoshi realizava em seu corpo, Izuku interpretava como uma forma do ômega pedir mais e o desejar como "alfa". Até mesmo aquela tentativa de o acalmar soou assim para o menor, então aproveitando a própria vontadr que sentia, faria o que acreditava o ômega querer.

Segurou as mãos de Hitoshi e as afastou do contato contra seus quadris, para em seguida sair de dentro do ômega que liberou um suspiro - quase gemido - em alívio por ter um breve descanso, fazendo-o acreditar que iriam mais devagar. Izuku virou bruscamente Hitoshi na cama, o deixando deitado de costas para si e um pouco empinado, vulnerável. Hitoshi virou levemente a cabeça na direção de Izuku, tentando com uma expressão assustada encarar o alfa, mas sentindo a mão de Izuku lhe pressionar com força a cabeça contra o travesseiro, quase o deixando sem conseguir respirar.

O alfa tornou à o penetrar, com menos cuidado do que teve no começo e em uma única investida, estando o suspirar alto e surpreso - com um pouco de dor - que o ômega liberou. Izuku estava sentado sob à área posterior das coxas de Hitoshi, lhe segurando a cintura com uma das mãos para que não tentasse fugir, e com a outra, ainda mantendo a cabeça do ômega firme contra o travesseiro. Para a sorte de Izuku, naquela posição, Hitoshi não conseguia ver o sorriso quase sádico que o menor mantinha nos lábios, afinal Izuku amava deixar Hitoshi submisso e totalmente à mercê de suas vontades.

Tornou a se mover, mesmo percebendo o maior se debater um pouco em sinal de desconforto - decorrente da dificuldade que tinha para respirar - e apreciando tanto a sensação do ato quanto os sons em um misto de desespero e luxúria - esse último principalmente pelo cio - que o ômega liberava. Por um momento voltou à si, então Izuku percebeu estar exagerando em suas ações, o que poderia causar o efeito oposto ao que desejava em Hitoshi.

Parou de pressionar a mão contra a cabeça de Hitoshi, permitindo enfim que ele respirasse um pouco melhor, se concentrando em manter agora as duas mãos firmes na cintura do ômega. Curiosamente, foi quando teve a respiração liberada que Hitoshi atingiu o orgasmo, e isso, além de deixar Izuku ainda mais animado, contribuiu para o fazer imaginar que o ômega gostava mesmo de sua agressividade.

Izuku adorava ser aquele à fazer Hitoshi se sentir plenamente bem, porém também amava ser aquele que lhe causava angústia e desespero. Izuku queria ser o causador de toda e qualquer emoção naquele ômega, queria ser o único a dominar seus pensamentos, e queria, também, o arrastar para a loucura na qual já se encontrava.

Tornou a aumentar o vigor de seus movimentos, buscando também o próprio climax. Aquilo mais uma vez incomodou Hitoshi, que estendeu os braços um pouco para trás, até que suas mãos alcançassem as coxas de Izuku, empurrando um pouco aquela área para tentar o afastar de si, sem sucesso. Izuku gostava de quando Hitoshi tentava resistir, pois dessa vez percebeu a intenção do ômega, e só conseguiu se incentivar a continuar, indo até um pouco mais. Foi com o que sentiu em seguida que Hitoshi ficaria ainda mais desesperado.

O ômega sentiu uma certa parte do membro do alfa "inchar" dentro de si, indicando que Izuku havia se prendido em seu interior. Hitoshi não queria aquilo, seria perigoso o alfa, por não estar usando nenhuma proteção, se desfazer justo ali, sendo que pelo ciclo, o risco de engravidar era absurdamente alto. Mesmo sabendo ser inútil - pois uma vez que um alfa se prende, só se solta quando termina o que deve fazer - o ômega tentou ainda mais o empurrar para longe de si, com a voz um pouco chorosa em prova de seu desespero, sem saber que suas reações somente estavam tornando tudo ainda mais excitante para o alfa.

Izuku, em meio às falhas tentativas de Hitoshi se soltar, atingiu o orgasmo, gozando dentro do ômega que somente então se aquietou. Ambos com o corpo estremecendo levemento pelo máximo de prazer que aquela ação lhes causava, até mesmo o ômega, que entre gemidos pedia que o alfa saísse, era tomado por aquela sensação ainda mais intensa que a anterior. Levaram uns bons minutos daquela forma, até que Izuku acabasse e por fim se soltasse de dentro de Hitoshi, saindo de dentro do maior e se deitando ao lado dele, olhando na direção que evitava o encarar.

- Shinsou-kun, eu sinto muito... Eu não pude me conter... - começou, tentando chamar a atenção do maior.

- ... Porque fez isso? - ainda sem o encarar, perguntou.

- Shinsou-kun, foi sem querer... Mas vai ficar tudo bem, eu prometo!

- Como? - somente agora o encarou - Como vai ficar tudo bem?

- Eu... Sei que não é muito... Mas eu prometo ir atrás de anticoncepcionais pra você. - disse, tentando acalmar o maior - Você não vai engravidar...

- E se eu engravidar? - ressaltou aquele ponto, pois era sua principal preocupação - E se eu engravidar, o que faço?

- Shinsou-kun, você não está pensando no lado bom... - começou, vendo a expressão descontente do outro - Agora, eu posso ir comprar seus inibidores também!

- Como assim? - perguntou, sem entender - Você já não estava procurando isso?

- Sim, mas só pelas redondezas. Agora, você ficará bem por mais tempo antes de seu ciclo se fortalecer de novo. Eu posso ir até onde saibamos que vendam os inibidores para não ômegas também.

- ....

- Você sabe onde vendem, né? Tem alguma farmácia em especial onde você compre seus inibidores? Prometo voltar com os anticoncepcionais também.

- Sim...

Assim, Izuku escutou as instruções de Hitoshi, mesmo que o ômega ainda não estivesse bem pelo que recentemente aconteceu. Prometeu uma última vez que voltaria com o que precisava antes de se vestir e sair da casa, deixando Hitoshi sozinho por alguns instantes. Na verdade, Izuku há algum tempo já havia deixado tudo comprado e escondido na área externa da casa, só precisaria esperar algum tempo antes de voltar para casa então sua saída de agora não seria para ir à farmácia, mas sim para verificar algumas outras coisas.

Não se preocupava em deixar Hitoshi sozinho, afinal como marcou, já sentia muito à respeito do ômega. Essa seria uma boa oportunidade para checar o quão forte a marca ainda em transição já estava.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Gente, alguém sabe como encontrar um "beta reader"? É que eu estou procurando alguém que me ajude com a penca de erros de cometo ^^''
Para qualquer uma das minhas fics(completas ou em andamento) ou para todas! Caso saibam como solicitar esse serviço, favor, me avisar! Obrigada!
Até a próxima.
Bye Bye ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...