1. Spirit Fanfics >
  2. Obstinada Domme >
  3. Que velha amiga?

História Obstinada Domme - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor


Ei amores. Capítulo fresquinho para vocês rs
O que será dessa relação maluca de Kara e Lena? No próximo capítulo terão uma surpresinha e algo meio inesperado, ou nem tanto rs.
Tenham paciência com a Lena ok?!
Enfim, que situação está nosso mundo ;( se cuidem ok? Lavem as mãos, evitem contato, e por favor, não saiam de casa!!! Só pra lembrar!
E também, quero agradecer pelos mais de 100 favs e comentários, significa muito pra mim. E eu não sei descrever o quanto sou grata e isto me deixa feliz! Então, realmente obrigada a todos vcs que me acompanham e me motivam a continuar sempre ❤️
Essa história acontece por vocês meus queridxs leitores 🥰.
Sem mais delongas, espero que gostem, e façam uma boa leitura!

Capítulo 21 - Que velha amiga?


Fanfic / Fanfiction Obstinada Domme - Capítulo 21 - Que velha amiga?

 

Alex e eu paramos em frente à área de desembarque do terminal do Aeroporto. Ela me dá um abraço. 

 

— Aproveite o apto só pra você.

 

— Até a volta. Não deixe a velha ricaça consumi-la. 

 

— Não vou deixar. 

 

Tornamos a nos abraçar, e então fico sozinha. Dirijo-me ao check-in e fico na fila, esperando com minha bagagem de mão. Não me preocupei com mala, só trouxe a mochila que Jeremiah me deu em meu último aniversário. 

 

— A passagem, por favor. — O jovem entediado atrás do balcão estende a mão sem me olhar. 

 

Espelhando seu tédio, entrego a passagem e minha carteira de motorista como identificação. Estou torcendo por um lugar na janela se for possível. 

 

— Tudo bem, Srta. Danvers. A senhora teve um upgrade para a primeira classe. 

 

— O quê? 

 

— Se a senhora quiser ir para a sala da primeira classe e aguardar lá o voo... 

 

Parece que ele acordou e está sorrindo para mim como se eu fosse o Papai Noel ou o Coelhinho da Páscoa. 

 

— Com certeza há algum engano. 

 

— Não, não. — Ele torna a olhar a tela do computador. 

 

— Kara Danvers: upgrade. — Ele dá um sorriso forçado.

 

Epa. Aperto os olhos. Ele me entrega o cartão de embarque, e me dirijo à sala da primeira classe resmungando baixinho. Maldita Lena Luthor, maníaca por controle intrometida, ela simplesmente não consegue deixar ninguém em paz.

 

Faço as unhas, uma massagem e já tomei duas taças de champanhe. A sala da primeira classe tem muitas vantagens. A cada gole de Moët, sinto-me ligeiramente mais propensa a perdoar Lena e sua intervenção. Abro o MacBook, esperando testar a teoria de que ele funciona em qualquer lugar do planeta.
 

____________________________________ 

De: Kara Danvers 

Assunto: Gestos excessivamente extravagantes 

Data: 30 de maio de 2020, 21:53 

Para: Lena Luthor

 

Prezada Sra. Luthor, 

O que realmente me deixa alarmada é como soube em que voo eu estava. Sua perseguição não conhece limites. Esperemos que o Dr. Flynn já tenha voltado das férias. Fiz as unhas, uma massagem nas costas e tomei duas taças de champanhe, uma forma muito agradável de começar minha viagem. Obrigada. 

 

Kara

___________________________________

 De: Lena Luthor

Assunto: Não há de quê 

Data: 30 de maio de 2020, 21:59 

Para: Kara Danvers 

 

Cara Srta. Danvers, 

O Dr. Flynn já voltou, e tenho uma consulta esta semana.

Quem fez a massagem nas suas costas? 

 

Lena Luthor 

CEO com amigos nos lugares certos, LCorp Enterprises Holdings, Inc.

 

 A-há! Tempo de recuperação do investimento. Nosso voo foi chamado, então tenho que lhe mandar um e-mail do avião. Será mais seguro. Quase me abraço com uma alegria travessa. 

 

                                **** 

A primeira classe é muito espaçosa. Com um coquetel de champanhe em punho, instalo-me na suntuosa poltrona de couro ao lado da janela enquanto a cabine vai enchendo devagar. Ligo para Jeremiah para lhe contar onde estou, uma ligação curta, felizmente, pois é muito tarde para ele. 

 

— Te amo, pai — murmuro. — Boa noite. Desligo.

 

Jeremiah parece estar bem. Fico olhando para o meu Mac, e, com a mesma alegria infantil crescendo, abro o laptop e acesso meu e-mail. 

 

____________________________________ 

De: Kara Danvers 

Assunto: Mãos fortes e competentes

Data: 30 de maio de 2020, 22:22 

Para: Lena Luthor 

 

Prezada Senhora, 

Um rapaz muito agradável massageou minhas costas. Sim. Muito agradável mesmo. Eu não teria conhecido Jean Paul na sala de embarque normal, portanto, obrigada mais uma vez por este presente. Não sei se é permitido enviar e-mails depois da decolagem, e preciso do meu sono de beleza, já que não ando dormindo muito bem ultimamente. Durma bem, Sra. Luthor. Pensando na senhora, 

 

Kara.

 

Ah, ela vai ficar uma fera, e eu estarei no ar e inalcançável. Bem-feito. Se eu estivesse na sala de embarque normal, Jean Paul não teria posto as mãos em mim. Ele era um rapaz muito simpático, louro e com um bronzeado artificial, francamente, quem é bronzeado em Star City? Simplesmente não dá. Acho que ele era gay, mas vou guardar esse detalhe só para mim. Fico olhando para meu e-mail. Nia tem razão. Com ela, não precisa de muito. Meu inconsciente me olha de cara feia. Quer mesmo provocá-lá? Ela foi um amor com você, você sabe! Ela gosta de você e quer que você viaje com estilo. Sim, mas poderia ter me perguntado ou me avisado. Não me deixar com cara de idiota no check-in. Aperto “enviar” e aguardo, sentindo-me uma garota muito má. 

 

— Srta. Sanvers, a senhora vai precisar guardar seu laptop para a decolagem — diz educadamente a comissária supermaquiada. Ela me dá um susto. Minha consciência culpada está em ação. 

 

— Ah, sinto muito. 

 

Merda. Agora vou ter que esperar para ver se ela respondeu. A comissária me entrega uma manta e um cobertor macios, mostrando os dentes perfeitos. Coloco a manta nos joelhos. Às vezes é bom a gente se sentir mimada. A primeira classe encheu, a não ser por um lugar ao meu lado, que continua desocupado. Ah, não... uma ideia perturbadora me passa pela cabeça. Vai ver que a poltrona é de Lena. Ah, merda... não... ela não faria isso. Faria? Eu lhe disse que não queria que viesse comigo. Olho aflita para o relógio, e aí a voz impessoal da cabine de comando anuncia: “Tripulação, portas em automático, preparar para a decolagem.” O que significa isso? Estão fechando as portas? Fico na expectativa, o couro cabeludo formigando e o coração disparado. A poltrona ao meu lado é a única desocupada na cabine de dezesseis lugares. O avião sacode ao se afastar do portão de embarque, e suspiro aliviada mas um pouco decepcionada também... nada de Lena durante quatro dias. Dou uma olhada no BlackBerry. 

 

____________________________________

 De: Lena Luthor  

Assunto: Aproveite enquanto pode 

Data: 30 de maio de 2020, 22:25 

Para: Kara Danvers

 

Cara Srta. Danvers, 

Sei o que está tentando fazer, e pode acreditar, conseguiu. Da próxima vez, você estará no porão de carga, amarrada e amordaçada dentro de um caixote. Acredite em mim quando digo que tê-la nesse estado me dará muito mais prazer do que simplesmente fazer um upgrade na sua passagem. Aguardo ansiosa a sua volta. 

 

Lena Luthor 

CEO Com Coceira na Mão, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

Puta merda. Esse é o problema com o humor de Lena, nunca posso ter certeza se ela está brincando ou se está zangada de verdade. Desconfio neste momento que ela esteja zangada de verdade. Disfarçadamente, para a comissária não ver, digito uma resposta embaixo da manta.

 

____________________________________ 

De: Kara Danvers

Assunto: Brincadeira? 

Data: 30 de maio de 2020, 22:30 

Para: Lena Luthor 

 

Não sei se está brincando, e, se não estiver, acho que ficarei em Star City. Caixotes são limites rígidos para mim. Desculpe por tê-la irritado. Diga que me perdoa.

 

Kara 

 

____________________________________

 

 De: Lena Luthor

Assunto: Brincadeira 

Data: 30 de maio de 2020, 22:31 

Para: Kara Danvers

 

Como pode estar mandando e-mail? Está colocando em risco a vida de todo mundo a bordo, inclusive a sua, usando o BlackBerry? Acho que isso infringe uma das regras. 

 

Lena Luthor 

CEO,  LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

Duas mãos! Guardo o BlackBerry, endireito-me na poltrona enquanto o avião taxia para a pista de decolagem, e pego meu exemplar em frangalhos de Tess, uma leitura leve para a viagem. Uma vez no ar, inclino a poltrona, e logo estou dormindo. A comissária me acorda quando iniciamos a descida para Gotham. A hora local cinco e quarenta e cinco da manhã, mas só dormi mais ou menos umas quatro horas... Estou grogue, porém agradecida pelo copo de suco de laranja que ela me entrega. Olho aflita para o BlackBerry. Não há mais e-mails de Lena. Bem, são quase três da manhã em Metrópoles, e ela provavelmente quer me impedir de atrapalhar os equipamentos eletrônicos do avião ou seja o que for que impeça os aviões de voarem se houver telefones celulares ligados. 

 

 

                                  * * * * 

 

A espera em Gotham é só de uma hora. E, mais uma vez, estou me deleitando na sala da primeira classe. Fui tentada a me deitar encolhida num dos sofás fofos e convidativos que afundam sob meu peso. Mas não vai dar tempo. Para me manter acordada, começo a escrever no laptop um longo e-mail para Lena deixando fluir tudo o que me vem à cabeça. 

 

____________________________________

 

 De: Kara Danvers

Assunto: Você gosta de me assustar?

Data: 31 de maio de 2020, 06:52

Para: Lena Luthor 

 

Você sabe o quanto eu não gosto que você gaste dinheiro comigo. Sim, você é muito rica, mas mesmo assim isso me deixa constrangida, como se você estivesse me pagando pelo sexo. No entanto, gosto de viajar de primeira classe, é muito mais civilizado do que de econômica. Então, obrigada. Estou sendo sincera, e gostei, sim, da massagem do Jean Paul. Ele era muito gay. Omiti isso no meu e-mail para provocá-la, porque estava irritada com você, e sinto muito por isso. Mas, como sempre, sua reação é exagerada. Você não pode escrever coisas assim para mim, amarrada e amordaçada dentro de um caixote. (Você falou sério ou era brincadeira?) Isso me assusta... você me assusta... estou completamente envolvida por seu encanto, considerando um estilo de vida com você que eu nem sabia que existia até a semana passada, e aí você escreve uma coisa assim e quero fugir aos gritos para as montanhas. Não vou fazer isso, claro, porque sentiria sua falta. Sentiria mesmo. Quero que a gente dê certo, mas estou apavorada com a profundidade do sentimento que tenho por você e com o caminho escuro para onde você está me levando. O que está oferecendo é erótico e sensual, e tenho curiosidade, mas também tenho medo de que você me machuque, física e emocionalmente. Depois de aceitar, você poderia dizer adeus, e como é que vou ficar se você fizer isso? Embora tenha de admitir que esse risco existe em qualquer relacionamento. Este não é o tipo de relação que algum dia imaginei ter, especialmente para a primeira. Isso é um enorme passo para mim. 

 

Você tinha razão ao dizer que eu não possuía um único osso submisso no corpo... e concordo com você agora. Tendo dito isso, quero estar com você, e se isso for o que tenho que fazer, eu gostaria de tentar, mas acho que não vai dar certo e vou acabar toda roxa, não fico nem um pouco entusiasmada com essa ideia. Gostei muito de você ter dito que se esforçará mais. Só preciso pensar no que “mais” significa para mim, e essa é uma das razões pelas quais eu queria um pouco de distância. Você me deslumbra tanto que tenho dificuldade de pensar com clareza quando estamos juntas. Estão chamando meu voo. Tenho que ir. Depois continuo. 

 

Sua Kara. 

 

Aperto “enviar” e me dirijo sonolenta ao portão de embarque para tomar o outro avião. Este só tem seis lugares na primeira classe, e, quando estamos no ar, me encolho embaixo da manta macia e adormeço. Mais cedo do que eu gostaria, sou acordada pela comissária me oferecendo mais suco de laranja ao iniciarmos a aproximação do Aeroporto Internacional de Star City. Bebo lentamente, para lá de cansada, e me permito sentir um mínimo de excitação. Não vejo minha mãe há seis meses. Dando outra olhada disfarçada no BlackBerry, me lembro vagamente de ter enviado um e-mail longo e desconexo a Lena, mas não há resposta. São cinco da manhã em Metrópoles. Tomara que ela ainda esteja dormindo e não tocando lamentos tristes ao piano. 

 

 

                                     ****

 

A parte boa de viajar só com bagagem de mão é que é possível sair despreocupadamente do aeroporto sem esperar a vida inteira pelas malas nas esteiras. A parte boa de viajar de primeira classe é que deixam a gente desembarcar primeiro. Minha mãe está esperando com John, e é muito bom vê-los. Não sei se é por causa da exaustão, da viagem longa ou de toda a situação com Lena, mas assim que minha mãe me abraça começo a chorar. 

 

— Ah, Kara, querida. Você deve estar muito cansada. — Ela olha aflita para John. 

 

— Não, mãe, é só que... estou muito feliz em ver você. 

 

Dou um abraço apertado nela, e é um contato gostoso e acolhedor, como o lar. Com relutância, solto-a, e John me abraça sem jeito com um braço só. Ele parece meio trôpego, e me lembro que machucou a perna. 

 

— Seja bem-vinda, Kara. Por que está chorando? — pergunta. 

 

— Ai, John, só estou feliz em ver você também. 

 

Olho para seu bonito rosto quadrado e seus brilhantes olhos negros que me fitam com carinho. Gosto desse marido, mãe. Pode ficar com ele. Ele pega minha mochila. 

 

— Nossa, Kara, o que você tem aí? 

 

Deve ser o Mac, e vamos os três abraçados para o estacionamento. Sempre me esqueço do calor insuportável que faz. Saindo dos limites refrigerados do terminal de desembarque, entramos no calor da cidade como se o estivéssemos vestindo. Ufa! Ele mina tudo. Preciso me desvencilhar do abraço de mamãe e de John para tirar o casaco de capuz. Ainda bem que trouxe uns shorts. Às vezes sinto falta do calor seco, onde morei com mamãe e John aos dezessete anos, mas custo a me acostumar com este calor úmido, mesmo às oito e meia da manhã. Quando estou no banco traseiro do utilitário esportivo Tahoe maravilhosamente refrigerado, sinto-me fraca, e meu cabelo já iniciou um protesto frisado diante do calor. Ali no Tahoe, rapidamente envio uma mensagem de texto para Jeremiah, Nia, Alex e Lena: 

 “Cheguei bem em Star City. K :)” 

Penso rapidamente em Jimmy ao apertar “enviar”, e, através da névoa do meu cansaço, lembro-me de nossa confusão. Será que eu devia tentar falar com ele? Lena, como ela reagiria se soubesse? Será que ela ainda vai querer me ver depois daquele e-mail? Estremeço ao pensar nisso, e então tiro o assunto da cabeça. Vou tratar disso depois. No momento, vou aproveitar a companhia de minha mãe. 

 

— Querida, você deve estar cansada. Vai querer dormir quando chegar em casa? 

 

— Não, mãe. Eu queria ir à praia.

 

Após um almoço leve em casa, começo a desfazer a mala. E vou me dar o capricho de um cochilo. Minha mãe desapareceu para moldar umas velas ou o que quer que ela faça com elas, e John está no trabalho, de modo que tenho tempo de botar o sono em dia. Ligo o Mac. São duas da tarde, onze da manhã em Metrópoles. Pergunto-me se tenho uma resposta de Lena. Com agitação, abro meu e-mail.

 

____________________________________ 

De: Lena Luthor

Assunto: Finalmente!

Data: 31 de maio de 2020, 07:30

Para: Kara Danvers 

 

Kara, 

Estou aborrecida porque, assim que a gente se afasta um pouco, você se comunica aberta e honestamente comigo. Por que não pode fazer isso quando estamos juntas? 

Sim, eu sou rica. Vá se acostumando com isso. Por que eu não deveria gastar dinheiro com você? Já contamos a seu pai que sou namorada, pelo amor de Deus. Não é o que os namorados fazem? Como sua Dominadora, eu esperaria que você aceitasse sem discutir o que quer que eu gaste com você. Por falar nisso, conte a sua mãe, também.

Não sei como responder a seu comentário sobre se sentir uma puta. Sei que não foi isso que escreveu, mas é o que sugere. Não sei o que posso dizer ou fazer para erradicar esses sentimentos. Eu gostaria que você tivesse tudo do melhor. Dou um duro extraordinário para poder gastar meu dinheiro como achar melhor. Eu poderia lhe comprar o que você quisesse, Kara, e quero comprar. Chame isso de redistribuição de riqueza, se quiser. Ou saiba simplesmente que eu não pensaria, nem jamais poderia pensar em você do jeito que você descreveu, e fico furiosa por ser esta a maneira como você se vê. Para uma moça tão inteligente, espirituosa e bonita, você tem alguns autênticos problemas de autoestima, e me dá vontade de marcar uma consulta para você com o Dr. Flynn.

Peço desculpas por tê-la assustado. Acho abominável a ideia de lhe causar medo. Acha mesmo que eu iria deixá-la viajar no porão? Ofereci-lhe meu jato particular, por favor. Sim, foi uma brincadeira, de mau gosto, é óbvio. No entanto, o fato é que pensar em você amarrada e amordaçada me excita (isso não é brincadeira — é verdade). Posso ficar sem o caixote: não ligo para caixotes. Sei que você tem problemas com amordaçamento, já falamos sobre isso, e se/ou quando eu amordaçá-la, vamos discutir antes. O que acho que você não percebe é que, em relações Dom/sub, é a sub que tem todo o poder. Não eu. No ancoradouro você disse não. Não posso tocar em você se você disser não; por isso temos um contrato, o que você fará e o que não fará. Se experimentarmos coisas e você não gostar, podemos rever o contrato. Isso é com você, não comigo. E se você não quiser ser amarrada e amordaçada dentro de um caixote, então isso não vai acontecer. Quero compartilhar meu estilo de vida com você. Eu nunca quis tanto uma coisa. Francamente, estou assombrada com você, com o fato de uma pessoa tão inocente estar disposta a tentar. Isso me diz mais do que você jamais poderia imaginar. Você não consegue ver que estou envolvida pelo seu encanto, também, embora eu já tenha lhe dito isso inúmeras vezes. Não quero perdê-la. Estou aflita por você ter viajado quase cinco mil quilômetros para se afastar de mim por uns dias, porque não consegue pensar com clareza perto de mim. É a mesma coisa comigo, Kara. Perco o juízo quando estamos juntas, esta é a profundidade do meu sentimento por você. Entendo seu nervosismo. Tentei, sim, ficar longe de você. Eu sabia que você não tinha experiência, embora eu jamais a tivesse perseguido se soubesse exatamente quão inocente você era, e no entanto você ainda consegue me desarmar completamente de um jeito que ninguém conseguiu antes. Seu e-mail, por exemplo: Li-o e reli-o inúmeras vezes tentando entender seu ponto de vista.
 

O que a deixaria confortável?

Diga. Entendo que se trate de um grande passo para você. Tenho que ganhar sua confiança, mas, do mesmo modo, você tem que me avisar quando eu não estiver conseguindo fazer isso. Você parece muito forte e independente, e aí eu leio o que você escreveu aqui, e vejo outro lado seu. Temos que guiar uma a outra, Kara, e só você pode me dar as deixas. Você tem que ser honesta comigo, e temos que encontrar um jeito de fazer este acordo funcionar. Você se preocupa em não ser submissa. Bem, talvez isso seja verdade. Dito isso, você só assume a atitude correta de uma sub no quarto de jogos. Parece que é o único lugar em que me deixa exercer um controle adequado sobre você e é o único lugar em que você obedece. 

“Exemplar” é o termo que me ocorre. E eu nunca bateria em você para deixá-la roxa, meu objetivo é o cor-de-rosa. Fora do quarto de jogos, gosto que você me desafie. Trata-se de uma experiência muito nova e revigorante, e eu não iria querer mudar isso. Portanto, sim, me diga o que quer em termos de mais. Vou me esforçar para conservar a mente aberta, e tentarei lhe dar o espaço de que precisa e ficar longe de você enquanto estiver em Star City. Aguardo com ansiedade seu próximo e-mail.

Enquanto isso, divirta-se. Mas não exagere. 

 

Lena Luthor 

CEO, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

 Puta merda. Ela escreveu uma redação, como se estivéssemos de novo na escola, e a maior parte dela é boa. Releio apavorada a sua epístola, e me encolho na cama extra praticamente abraçada com o Mac. Tomar suas palavras ao pé da letra, é o que minha mãe diz. Ela não quer me perder. Já disse isso duas vezes! Quer fazer com que isso dê certo. Ah, Lena, eu também! Ela vai tentar ficar longe! Será que isso significa que poderia não conseguir ficar? De repente, torço para que não consiga. Quero vê-la. Estamos afastas há menos de vinte e quatro horas, e, sabendo que vou ficar quatro dias sem poder vê-la, percebo o quanto sinto sua falta. O quanto a amo. 

 

— Kara, querida. 

 

A voz é meiga e carinhosa, cheia de amor e doces lembranças do passado. Sinto uma mão delicada passando em meu rosto. Minha mãe me acorda, e estou agarrada com o laptop. 

 

— Kara, meu amor — continua ela com aquela voz macia e musical enquanto pisco sonolenta na claridade rosada do crepúsculo. 

 

— Oi, mãe. Espreguiço-me e sorrio. 

 

— Vamos sair para jantar em meia hora. Você quer vir? — pergunta ela de maneira amável. 

 

— Ah, sim, mãe, claro. — Tento, mas não consigo conter um bocejo. 

 

— É um objeto impressionante. — Ela aponta para o laptop. Ah, merda. 

 

— Ah... isso? — digo buscando um tom displicente e surpreso. Será que mamãe vai notar? Ela parece ter ficado mais esperta depois que arranjei uma “namorada”

 

— Lena me emprestou. Acho que eu poderia pilotar um ônibus espacial com isso, mas só uso para mandar e-mails e ter acesso à internet.

 

Realmente, não é nada. Olhando desconfiada para mim, ela se senta na cama e coloca atrás da minha orelha um cacho de cabelo que se soltou. 

 

— Ela escreveu para você? 

 

Ah, puta merda. 

 

— Escreveu.  — Minha displicência está minguando, e enrubesço. 

 

— Vai ver que ela está sentindo sua falta, não é? 

 

— Espero que sim, mãe. 

 

— O que ela diz? 

 

Droga. Tento freneticamente pensar em alguma parte daquele e-mail que eu possa contar a minha mãe. Tenho certeza de que ela não quer ouvir sobre Dominadores nem sobre seu hábito de amarrar e amordaçar, mas não posso mesmo lhe contar porque existe o Termo de Confidencialidade. 

 

— Ela disse para eu me divertir mas não exagerar. 

 

— Isso é razoável. Vou deixar você se aprontar, querida. — Ela se inclina e beija minha testa. — Estou muito feliz por estar aqui, Kara. É ótimo ver você.

 

E com essa declaração de amor, ela se retira. Hum, Lena e razoável... dois conceitos que julguei serem mutuamente excludentes, mas depois do e-mail dela, talvez tudo seja possível. Vou precisar de tempo para digerir suas palavras. Provavelmente depois do jantar, e posso lhe responder então. Levanto da cama, tiro depressa a camiseta e o short e vou para o chuveiro. Trouxe o vestido frente única de Nia que usei na formatura. É a única peça formal que tenho. Uma vantagem do calor é que a roupa desamassa, então acho que vai dar para ir com esse vestido ao clube de golfe. Enquanto me visto, abro o laptop. Não há novidade nenhuma de Lena, e fico decepcionada. Muito rapidamente, digito um e-mail para ela.

 

____________________________________

 

De: Kara Danvers

Assunto: Loquaz? 

Data: 31 de maio de 2020, 19:08

Para: Lena Luthor

 

Senhora,

o senhora é uma escritora muito prolixa. Tenho que ir jantar no clube de golfe de John, e, só para sua informação, estou revirando os olhos para a ideia. Mas como sua pessoa e sua mão coçando estão muito longe de mim, meu traseiro está seguro, por ora.

Adorei seu e-mail.

Responderei quando puder. Já sinto sua falta.

Aproveite a tarde. 

 

Sua Kara

 ____________________________________

 

De: Lena Luthor 

Assunto: Seu traseiro

Data: 31 de maio de 2020, 16:10

Para: Kara Danvers 

 

Prezada Srta. Danvers, 

O título deste e-mail está me distraindo. Não é preciso dizer que ele está seguro, por ora. Aproveite o jantar, e eu também sinto sua falta, especialmente do seu traseiro e das suas gracinhas. Minha tarde será monótona, animada apenas pelos meus pensamentos em você e em seu hábito de revirar os olhos. Acho que foi você que tão acertadamente me mostrou que eu também tenho esse costume desagradável. 

 

Lena Luthor 

CEO, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

____________________________________ 

 

De: Kara Danvers 

Assunto: Revirar os olhos

Data: 31 de maio de 2020, 19:14

Para: Lena Luthor 

 

Cara Sra. Luthor, 

Pare de me enviar e-mails. Estou tentando me aprontar para o jantar. Você me distrai muito, mesmo quando está do outro lado do país. E, sim quem bate em você quando revira os olhos? 

 

Sua Kara. 

 

Aperto em “enviar”, e imediatamente a imagem daquela bruxa má da Mrs. Robinson me vem à cabeça. Simplesmente não consigo imaginar. Lena apanhando de uma pessoa da idade da minha mãe, simplesmente não dá. De novo me pergunto se isso lhe causou muitos danos. Minha boca se contrai numa expressão triste. Preciso de uma boneca de vodu para espetar uns alfinetes, talvez assim eu possa descarregar um pouco da raiva que sinto dessa mulher estranha. 

 

____________________________________

 

De: Lena Luthor

Assunto: Seu traseiro

Data: 31 de maio de 2020, 16:18

Para: Kara Danvers

 

Cara Srta. Danvers,

Ainda prefiro meu título ao seu, em vários aspectos. Ainda bem que sou a mestre do meu próprio destino e ninguém me castiga. A não ser minha mãe, às vezes, e o Dr. Flynn, claro. E você. 

 

Lena Luthor

CEO, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

____________________________________ 

 

De: Kara Danvers 

Assunto: Castigar... Eu?

Data: 31 de maio de 2020, 19:22 

Para: Lena Luthor

 

Prezada senhora, 

Quando já tive coragem de castigá-la? Acho que está me confundindo com outra pessoa... o que é muito preocupante. Realmente tenho que me aprontar. 

 

Sua Kara. 

 

 ____________________________________ 

 

De: Lena Luthor 

Assunto: Seu traseiro

Data: 31 de maio de 2020, 16:25 

Para: Kara Danvers 

 

Cara Srta. Danvers, 

Você faz isso o tempo todo por escrito. Posso fechar o zíper do seu vestido? 

 

Lena Luthor 

CEO, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

 

Por algum motivo desconhecido, as palavras dela saltam da tela e me fazem arquejar. Ah... ela quer fazer um joguinho. 

 

____________________________________

 

De: Kara Danvers 

Assunto: Conteúdo adulto

Data: 31 de maio de 2020, 19:28

Para: Lena Luthor

 

Eu preferiria que você o abrisse. 

 

____________________________________ 

 

De: Lena Luthor 

Assunto: Cuidado com o que deseja...

Data: 31 de maio de 2020, 16:31

Para: Kara Danvers

 

EU TAMBÉM. 

 

Lena Luthor 

CEO, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

____________________________________ 

 

De: Kara Danvers 

Assunto: Arfando 

Data: 31 de maio de 2020, 19:33

Para: Lena Luthor 

 

Devagarinho... 

 

____________________________________ 

 

De: Lena Luthor 

Assunto: Gemendo... 

Data: 31 de maio de 2020, 16:35 

Para: Kara Danvers

 

Eu queria estar aí. 

 

Lena Luthor 

CEO, LcCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

____________________________________ 

 

De: Kara Danvers 

Assunto: Gemendo

Data: 31 de maio de 2020, 19:37

Para: Lena Luthor

 

EU TAMBÉM... 

 

— Kara! — Minha mãe me chama, sobressaltando-me. Merda. Por que me sinto tão culpada? 

 

— Já vou, mãe. 

 

____________________________________ 

 

De: Kara Danvers 

Assunto: Gemendo

Data: 31 de maio de 2020, 19:39

Para: Lena Luthor

 

Tenho que ir. Até mais, baby. 

 

 

Entro correndo no hall, onde John e minha mãe aguardam. Minha mãe tem uma expressão preocupada. 

 

— Querida, está se sentindo bem? Está com o rosto vermelho. 

 

— Mãe, estou bem. 

 

— Você está linda, querida. 

 

— Ah, esse vestido é da Nia. Gostou? — Ela faz uma expressão ainda mais preocupada. 

 

— Por que está usando o vestido da Kate? Ah... não.
 

— Bom, eu gosto dele e ela não — improviso depressa.

Ela me olha com malícia enquanto John destila impaciência com uma cara triste e faminta.

— Amanhã levo você para fazer compras — diz ela.

— Ah, mãe, não precisa. Tenho muita roupa.

— Será que não posso fazer nada pela minha filha? Vamos, John está morrendo de fome.

— Estou mesmo — geme John, esfregando a barriga e fazendo cara de sofrimento. Rio e ele revira os olhos, e saímos de casa.

 

                                    * * * * 

 

Mais tarde, quando estou no banho me refrescando embaixo da água fresca, penso no quanto minha mãe mudou. Pelo que vi no jantar, ela estava na dela: engraçada e sedutora e entre muitos amigos do clube de golfe. John estava carinhoso e atencioso... eles parecem fazer muito bem um ao outro. Estou muito feliz por ela. Isso significa que posso parar de me preocupar, de criticar suas decisões e esquecer os dias sombrios do Marido Número Três. John é protetor. E ela está me dando bons conselhos. Desde quando? Desde que conheci Lena. Por quê?
 

Quando termino, seco-me rapidamente, com muita vontade de voltar para Lena. Há um e-mail à minha espera, enviado logo depois que saí para jantar. 

 

____________________________________ 

 

De: Lena Luthor 

Assunto: Plágio

Data: 31 de maio de 2020, 16:41

Para: Kara Danvers

 

Você roubou minha fala. 

E me deixou louca. Bom jantar. 

 

Lena Luthor 

CEO, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

____________________________________ 

 

De: Kara Danvers 

Assunto: Quem é você para gritar pega ladrão? 

Data: 31 de maio de 2020, 22:18

Para: Lena Luthor 

 

Senhora, 

creio que vai descobrir que a fala originalmente era de Sam. Louca?

 

Sua Kara.

 

 ____________________________________ 

 

De: Lena Luthor 

Assunto: Assunto inacabado

Data: 31 de maio de 2020, 19:22

Para: Kara Danvers

 

Srta. Danvers, 

Você voltou. Saiu tão de repente, logo na hora em que as coisas estavam ficando interessantes. Samantha não é muito original. Deve ter roubado essa fala de alguém.

Como foi o jantar? 

 

Lena Luthor 

CEO, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

____________________________________ 

 

De: Kara Danvers 

Assunto: Assunto inacabado?

Data: 31 de maio de 2020, 22:26

Para: Lena Luthor 

 

O jantar foi farto, você vai gostar de saber que comi demais. 

Ficando interessante? Como?

 

____________________________________

 

 De: Lena Luthor 

Assunto: Assunto inacabado — Definitivamente 

Data: 31 de maio de 2020, 19:30

Para: Kara Danvers 

 

Está sendo deliberadamente obtusa? Pensei que tivesse simplesmente me pedido para abrir seu zíper. E eu estava ansiosa para fazer exatamente isso. Também gostei de saber que você comeu bem. 

 

Lena Luthor 

CEO, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

____________________________________ 

 

De: Kara Danvers 

Assunto: Bem... Sempre há o fim de semana

Data: 31 de maio de 2020, 22:36

Para: Lena Luthor 

 

Claro que comi... 

É só a insegurança que sinto a seu lado que me tira o apetite. E eu nunca seria obtusa sem querer, Sra. Luthor. 

Com certeza já deve ter entendido isso. ;) 

 

____________________________________ 

 

De: Lena Luthor 

Assunto: Não posso esperar

Data: 31 de maio de 2020, 19:40

Para: Kara Danvers

 

Vou me lembrar disso, Srta. Danvers, e, sem dúvida, usar essa informação a meu favor. Lamento saber que lhe tiro o apetite. Julguei provocar um efeito mais concupiscente em você. É o efeito que ando experimentando, e é muito prazeroso, também.

Aguardo com muita ansiedade a próxima vez. 

 

Lena Luthor 

CEO, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

____________________________________ 

 

De: Kara Danvers 

Assunto: Linguística ginasta

Data: 31 de maio de 2020, 22:36

Para: Lena Luthor

 

Anda brincando com o dicionário de novo? 

 

____________________________________ 

 

De: Lena Luthor 

Assunto: No flagra

Data: 31 de maio de 2020, 19:40

Para: Kara Danvers

 

Você me conhece muito bem, Srta. Danvers.

Vou sair para jantar com uma velha amiga agora, portanto estarei dirigindo. Até mais, baby.

 

Lena Luthor 

CEO, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

 

Que velha amiga? Não pensei que Lena tivesse alguma velha amiga, a não ser... ela? Por que ela ainda tem que falar com ela? De repente, fico roxa de ciúmes. Quero bater em alguma coisa, de preferência na Mrs. Robinson. Desligo o laptop mal-humorada e vou me deitar. Eu deveria realmente responder ao longo e-mail dela de hoje de manhã, mas, de repente, fiquei muito zangada. Por que ela não consegue vê-la pelo que ela é, uma molestadora de crianças? Apago a luz, espumando, olhando para o escuro. Como ela se atreve? Como ela se atreve a se meter com uma adolescente vulnerável? Ela ainda está fazendo isso? Por que elas pararam? 

Vários cenários me passam pela cabeça: se ela tinha ficado farta, então por que ainda é amiga dela? Idem para ela, será que ela é casada? Divorciada? Putz , será que tem filhos? Será que teve filhos com Lena? Meu inconsciente empina a cabeça feia, lasciva, e fico chocada e nauseada com essa ideia. 

Será que o Dr. Flynn sabe sobre ela? Levanto com esforço da cama e torno a ligar a máquina do mal. Estou numa missão. Tamborilo os dedos com impaciência enquanto a tela azul não aparece. Seleciono o Google Images e digito “Lena Luthor” no mecanismo de busca. A tela subitamente se enche de imagens de Lena: de vestido de gala, de terno feminino, putz, as fotos de James do Heathman, de blusa branca e calça de flanela. Como essas fotos chegaram na internet? Nossa, ela está bem. Passo adiante rapidamente: algumas imagens com sócios em empreendimentos, depois uma foto atrás da outra da mulher mais fotogênica que conheço intimamente. Intimamente? Será que conheço Lena intimamente? Conheço-a sexualmente, e imagino que há muito mais a descobrir. Sei que ela é instável, difícil, engraçada, fria, calorosa... minha nossa, a mulher é uma contradição ambulante. Clico na página seguinte. Ela continua sozinha em todas as fotografias, e me lembro de Nia mencionar não ter conseguido encontrar nenhuma fotografia dela com uma figura feminina. Então, na terceira página, há uma foto minha, com ela, na minha formatura. A única foto dela com uma mulher, e sou eu. Caramba! Estou no Google! Fico olhando para nós duas juntas. Olho admirada para a câmera, nervosa, espantada. Isso foi justo antes de eu ter aceitado tentar. Da parte dela, Lena está lindíssima, calma e serena. Olho para ela, um rosto tão lindo, um rosto lindo que pode estar olhando para a Mrs. Robinson neste exato momento. Maldita! 

Salvo a foto em meus favoritos e clico em todas as dezoito páginas de resultados de busca... nada. Não acharei a Mrs. Robinson no Google. Mas tenho que saber se ela está com ela. Digito um rápido e-mail para Lena. 

 

____________________________________ 

 

De: Kara Danvers 

Assunto: Companhias apropriadas para um jantar

Data: 31 de maio de 2020, 23:58

Para: Lena Luthor

 

Espero que você e sua amiga tenham tido um jantar muito agradável. 

 

Kara.

P.S.: Era a Robinson? 

 

Aperto em “enviar” e volto desanimada para a cama, resolvida a perguntar a Lena sobre sua relação com aquela mulher. Uma parte de mim está desesperada para saber mais, e outra parte quer esquecer que ela algum dia me contou. Deito-me e acabo caindo num sono agitado, desejando que estivéssemos na mesma cidade, não a quatro mil quilômetros de distância uma da outra.

 

 

                               **** 

 

Após uma manhã de compras e mais uma tarde na praia, minha mãe decretou que devíamos passar a noite num bar. Deixamos John com a tv e vamos ao elegante bar do hotel mais exclusivo de Star City. Estou no segundo Cosmopolitan. E minha  mãe no terceiro, não me lembro em que momento começamos a discutir sobre masculinidade frágil. 

— Está vendo, Kara, os homens acham que tudo que sai da boca de uma mulher é um problema a ser resolvido. Não uma vaga ideia que a gente gostaria de lançar e discutir um pouco e depois esquecer. Preferem ação. Já as mulheres é totalmente o contrário. 

 

— Mãe, por que está me dizendo isso? — pergunto, sem entender. Ela anda assim o dia inteiro. 

 

— Querida, você parece muito perdida. Nunca levou um garoto lá em casa. Nunca teve um namorado quando estávamos aqui. Pensei que poderia rolar alguma coisa com aquele rapaz que você conheceu na faculdade, o Jimmy. Aí você me aparece com uma namorada. 

 

— Mãe, James é só um amigo. 

 

— Eu sei, querida. Mas há alguma coisa, e acho que você não está me contando tudo. — Ela me olha, a preocupação de mãe estampada no rosto. 

 

— Eu só precisava me afastar um pouco de Lena para botar a cabeça no lugar... mais nada. Ela tende a me perturbar. 

 

— Perturbar? 

 

— É. Mas eu sinto falta dela. 

 

Franzo a testa. Passei o dia inteiro sem notícias de Lena. Nada de e-mails, nada. Estou tentada a ligar para ela para saber como está. Meu maior receio é que ela tenha sofrido um acidente de carro. O meu segundo maior receio é que Mrs. Robinson esteja de novo exercendo sua influência maligna sobre ela. Sei que isso é irracional, mas no que diz respeito a ela, parece que perdi toda a noção de objetividade. 

 

— Querida, tenho que ir ao toalete. 

 

A breve ausência de minha mãe me dá mais uma chance de olhar meu BlackBerry. Andei o dia inteiro tentando ver disfarçadamente meus e-mails. Finalmente, uma resposta de Lena! 

 

____________________________________ 

 

De:  Lena Luthor 

Assunto: Companhias para jantar

Data: 1 de junho de 2020, 21:40

Para: Kara Danvers

 

Sim, jantei com Mrs. Robinson. Ela é apenas uma velha amiga, Kara. 

Estou ansiosa para tornar a vê-la. Sinto sua falta. 

 

Lena Luthor 

CEO, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

Ela estava jantando com ela. Meu couro cabeludo formiga e a adrenalina e o ódio percorrem meu corpo quando vejo meus piores receios se confirmarem. Como ela pôde? Estou fora há dois dias, e ela corre para a peste daquela cachorra. 

 

____________________________________ 

 

De: Kara Danvers 

Assunto: VELHAS companhias para jantar

Data: 1 de junho de 2020, 21:42

Para: Lena Luthor 

 

Ela não é só uma velha amiga. Ela já encontrou outra adolescente para comer? Será que você ficou muito velha para ela? Foi por isso que a relação de vocês terminou? 

 

Aperto em “enviar” quando minha mãe volta. 

 

— Kara, você está muito pálida. O que aconteceu? — Balanço a cabeça. 

 

— Nada. Vamos tomar mais um Cosmopolitan — murmuro emburrada. 

 

Ela franze as sobrancelhas, mas olha para um dos garçons e aponta para nossos copos. O garçom compreende, conhece a linguagem universal do “mais uma rodada, por favor”. Assim como ela. Dou uma olhadinha no meu BlackBerry.

____________________________________ 

De: Lena Luthor 

Assunto: Cuidado...

Data: 1 de junho de 2020, 21:45 

Para: Kara Danvers

 

Isso não é um assunto que eu queira discutir por e-mail. 

Quantos Cosmopolitans mais você vai beber? 

 

Lena Luthor 

CEO, LCorp Enterprises Holdings, Inc. 

 

 

Puta merda, ela está aqui.

 

 


Notas Finais


E aí gente, qual será a treta ? Hahahah
Mrs. Robinson, possuem alguma ideia de quem possa ser ?
Até a próxima! 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...