História Ocean Eyes - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Junghan "Jeonghan", Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi"
Tags Azul, Céu, Heterocromia, Jeongcheol, Jeonghan, Mar, Romance, Seungcheol, Seventeen
Visualizações 17
Palavras 1.272
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Fluffy, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Depois dessa capa eu não me aguentei e necessitei postar❣
Eae nenixx, se é pra falar de seventeen e shipps não pode faltar meus pais aka S. Coups e Jeonghan, um OTP fofo desse que vive me deixando soft pede fluffy então...

Espero que gostem 💙

Se houver algum erro gramatical desculpa a pessoa que aqui vos fala, a lerdeza é grande em revisar direitinho :3

Capítulo 1 - Everything is Blue


Fanfic / Fanfiction Ocean Eyes - Capítulo 1 - Everything is Blue

Azul. Uma das cores mais bonitas que existe, o azul está em praticamente tudo: no céu, no mar, no arco íris, algumas espécies de flores, em quadros, casas, entre outras coisas. Remete à estabilidade e profundidade mas também simboliza confiança, lealdade, sabedoria - obrigado google pela ajuda -  brincadeiras à parte, os vários tons dessa cor tem seu significado e trazem sensações diferentes. Porém, nenhum azul se compara ao dos olhos de Jeonghan. Posso chamar de irônica a forma como nos conhecemos, foi no segundo ano do colegial, estava apresentando um trabalho sobre o mundo marinho e suas espécies submarinas ainda desconhecidas na aula de biologia quando de repente ele apareceu na porta da sala ofegante e com os fios longos e claros um pouco bagunçados como se tivesse corrido uma maratona.

- Com licença, perdoe o atraso professora, acabei perdendo o ônibus. Sou aluno novo, posso entrar? - explicou recuperando o fôlego.

A senhora Jung não era uma das profissionais mais gentis daquela escola mas levando em conta ser o primeiro dia de aula do loiro ela permitiu que assistisse o restante do horário. No momento que ele sentou-se e começou a prestar atenção em mim foi como se as palavras tivessem sumido da minha mente, aqueles olhos bicolores me hipnotizaram, foi como se eu fosse o marinheiro e o Yoon a sereia - ou tritão, no caso - que puxa a vítima para baixo d’água e leva consigo atestando seu fim.

Depois disso ele veio falar comigo sobre como tinha achado a assunto interessante e perguntando se eu poderia ser seu parceiro nas aulas, claro que aceitei, com a condição que ele também me ajudasse em geografia já que o assunto de astronomia não me era muito fácil, ao contrário dele que adorava o universo e o que fosse relacionado. Lá se foram dias, semanas… nos tornamos bons amigos, Jeonghan sempre foi do tipo curioso e sociável, sempre procurando obter respostas para suas perguntas enquanto me contava as ideias mirabolantes que tinha constantemente depois dos cochilos vespertinos. A beleza, inteligência, e o carisma de Hannie combinavam com seus olhos, azuis com quase nada de castanho, únicos. Durante o dia ficávamos na área verde que havia atrás do colégio sempre que tinha horário vago ou nas poucas vezes que deixávamos o espírito rebelde tomar conta e faltávamos às aulas de física do rabugento Senhor Kang, era muito bem deitar na grama e olhar as nuvens enquanto tentávamos adivinhar com o que se pareciam, houve uma vez em que entramos numa discussão acirrada para ver quem estava certo.

- É um coelho Cheollie! - teimava o Yoon.

- Não é Jeonghan, é um anjo! - afirmava eu com toda a certeza.

- Ali são as orelhas, não asas!

- Como não? Olhe direito, estão inclinadas e tem formato de asas!  

- E as patinhas? Não tem como ser outra coisa.

- São os sapatos Hannie.

- Aish! Não dá para discutir com você, que teimosia. - sentou olhando para mim formando um bico chateado nos lábios, fofo.

Sentei assim como ele e fiquei em posição de índio com as pernas dobradas me divertindo de sua revolta.

- Tem razão, eu sou teimoso mesmo mas ok, você venceu.

- Do nada aceitou que aquela nuvem é um coelho, o que você quer Choi Seungcheol? - perguntou desconfiado.

- Nada, apenas percebi que o único anjo que estou vendo aqui é você.

Ele ficou mudo de primeira com os olhos quase arregalados pelo elogio inesperado enquanto eu começava a sentir as bochechas esquentarem, nem eu esperava dizer isso tão facilmente. Mesmo envergonhado não desviei o olhar de seu rosto, o loiro piscou algumas vezes e pareceu voltar a realidade.

- Aigoo! O que deu em você para dizer isso do nada?  Sabe que não sei reagir a esses comentários. - mesmo reclamando com a face corada e olhando baixo  continuava adorável.

- Hannie… - chamei.

Mesmo chamando pelo apelido favorito ele ainda permaneceu com a visão voltada para uma joaninha que havia pousado no joelho esquerdo, toquei seu queixo com o indicador fazendo-o enfim olhar para mim encontrando as orbes claras que naquele momento estavam mais escuras igual o mar próximo à linha do horizonte.

Azul no castanho formando uma ligação invisível, nossos rostos estavam próximos o suficiente para sentir o hálito de tutti frutti do chiclete mascado outrora pelo mais novo através dos lábios entreabertos, os traços delicados da face angelical - só em aparência mesmo - harmonizando com os fios loiros que eu insistia para deixá-los solto a fim de irritá-lo já que este os preferia presos num rabo de cavalo, joguei uma mecha de cabelo para atrás da orelha exibindo seu maxilar fino e bochecha macia a qual fiz um carinho suave trazendo-o mais perto roçando os narizes esperando a certeza para fazer o que queria, Jeonghan não se afastou então levando isso como um ‘sim’ colei sua boca na minha em um beijo leve e cheio de sentimento, os lábios finos bem desenhados combinavam perfeitamente com os meus, nos separamos após um tempo e Hannie permaneceu de olhos fechados com o rosto vermelhinho não muito diferente de mim.

Ao contrário do que pensei não ficou um clima estranho após o beijo, voltamos a conversar sobre assuntos variados e na semana seguinte tivemos nosso primeiro encontro. O restaurante tailandês foi onde abrimos o jogo de como nos sentíamos de verdade em relação ao outro e acabamos por nos declarar, contei que me senti atraído por ele desde o momento que nos conhecemos e por mais clichê que pareça o Yoon respondeu que começou a gostar de mim não muito depois daquilo.

Demorou dois meses e meio para que o pedisse em namoro no píer em Jeju quando fomos visitar Seungkwan, amigo de Jeonghan e namorado de Hansol que estava com ele passando algumas semanas na casa da sogra. Assim como o primeiro beijo o pedido também foi inesperado entretanto não me arrependi nenhum pouco, sou assim, ao contrário de Hannie não planejo onde nem quando farei algo, apenas penso no que quero fazer e aproveito o momento enquanto ele opta pela certeza de ter tudo planejado. Ficamos até o anoitecer olhando o mar iluminado pela lua e o céu repleto de pontos cintilantes sentindo a brisa gelada do local, era nosso momento, nossa bolha de cumplicidade. Nos olhos do meu anjo eu via o brilho das estrelas e as ondas do oceano peculiar onde me afoguei desde o início sem mais possibilidade de volta. Yoon Jeonghan é o conjunto de tudo que acho mais bonito, uma amostra que o mar e o céu ligam-se dentro de alguém, a heterocromia era um detalhe gracioso que poucos sabiam apreciar, minha felicidade é ser um deles.

♡♡♡♡♡

- Cheollie! Está na hora, os meninos acabaram de chegar. - avisa meu pequeno animado no batente da porta.

-  Ok amor, vou acabar isso aqui e já desço. - ele assente e sai.

Quatro anos de casamento passam voando! Parece que foi ontem que estávamos vestidos em ternos branco ouvindo as palavras do juiz de paz no jardim da casa dos pais do mais novo enquanto dizíamos os votos. A lua de mel foi em Yeongjongdo - uma ilha na costa oeste de Incheon -, os melhores dias na nossa nova vida e agora vamos com Seungkwan, Hansol, Jihoon, Soonyoung, Chan e mais seis amigos para um cruzeiro até o Hawaii, os sonhos de adolescente enfim se realizando. É engraçado pensar que está tudo voltado para uma mesma cor: azul. Meu mundo é azul, cor dos olhos daquele que me puxou para a mais profunda serenidade.


Notas Finais


Diabetes chega perto quando o assunto é esses dois❣
É isso brotinhos, não tomo vergonha na cara mesmo e continuo tacando fluffy e one's mesmo que não sejam lá as mil maravilhas. Vida que segue 🌹


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...