1. Spirit Fanfics >
  2. Ocean Eyes >
  3. A shoulder friend

História Ocean Eyes - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Leia com responsabilidade. Sem querer me matar.
Postando hoje porque não postei no domingo, talvez na quarta-feira eu poste outro capítulo, estou vendo ainda.
Boa leitura.
Xoxo:Roh

Capítulo 7 - A shoulder friend


Fanfic / Fanfiction Ocean Eyes - Capítulo 7 - A shoulder friend

Por que você tem que deixar as coisas tão complicadas? O jeito que você age, como se fosse outra pessoa, me deixa frustrada. A vida é assim e você cai, e você rasteja, e você quebra, você pega o que você recebe e transforma isso em honestidade. Me prometa que eu nunca vou descobrir que você está fingindo. Não, não, não.

(......................................................................)

- Eu não escolho ninguém, eu tenho o Gaara, não preciso escolher nada, já tenho minha pessoa. - Shikamaru revira os olhos. Pois para ele não fazia sentido algum, já que Naruto traiu o pobre do Gaara com o Sasuke. - Dessa vez é sério, eu não vou mais me envolver com o Sasuke, é maluquice, é... é... errado!

- Ah! Até parece. Estou te dizendo, cai fora do Sasuke, ele é encrenca. Se for atração sexual, dá teu jeito com Gaara, fantasia, não sei. Outra coisa que te recomendo é falar com teus pais para você voltar a falar com o Dr. Hatake. Seria uma boa idéia ter uma sessão com ele. - Naruto se joga no sofá pensando sobre o assunto de ver seu psicólogo de novo.

Depois que Sasuke foi levado à força para o japão, Naruto se sentia culpado por tudo o que estava acontecendo com o Uchiha. Seus pais tiveram noites insuportáveis com o Uzumaki gritando para pararem de pegar o Sasuke e leva-lo contra sua vontade. Foram pesadelos atrás de pesadelos, e não aguentando ver o filho sofrendo, Kushina marcou uma sessão com o psicólogo Kakashi Hatake, que também trabalha na ala psiquiátrica do hospital que Kushina é médica. Levou um mês e meio para o garoto parar totalmente com os pesadelos e depois de quase três meses de namoro com Gaara, Naruto só visitara Dr. Hatake uma vez na semana, até parar completamente.

A agradável noite rendeu para Naruto um grande pote de sorvete e um filme de ação bem clichê. O loiro detesta ação, mas Shikamaru quem comandava o controle, e Naruto mal tinha força contra o moreno ao seu lado.

Depois do sorvete e filme, Nara lhe deu um pijama laranja, que ele considera horrível, mas Naruto amou, e uma escova nova de dentes. Apois o banho e a muda de roupa, foi deitar no quarto de hóspede. Mas aquele vira de um lado e vira do outro deixava Naruto desconfortável. Ele foi até o quarto de casal em que Shikamaru estava, sem pudor algum deitou ao lado do moreno de fios grossos, puxando um pouco a coberta do mesmo.

- Mas que droga, Uzumaki. Por que não está na sua cama? - Pergunta sem nem mesmo abrir os olhos.

- O que custa me deixar dormir aqui?

- Custa meu casamento.

- Você não tem a menor chance comigo. - Rebate Naruto.

- E nem você comigo. - Realmente, Shikamaru além de ser hetero, é perdidamente apaixonado por Temari e considera Naruto como se fosse seu irmão, mentalmente, mais novo. - Mas esse lado é da Temari, se ela te ver ai vai te matar. Vamos trocar de lado, ao menos ela vai ficar menos zangada.

- Quanta frescura, a Temari me ama, jamais ficaria brava comigo. - Shikamaru passa por cima de Naruto, trocando de lado.

- Uhum, então conta para ela sobre o que aconteceu entre você e o Sasuke. - Naruto não gostou do tapa que levou do Shikamaru com aquela frase. Mas resolveu não rebater, afinal, ele tem razão, se Temari souber daquilo, ela mataria Naruto, se não, ela provavelmente o deixaria em coma. No mínimo.

Na manhã de quarta-feira, o loiro se levanta mais tarde do que deveria, resolve não ir a faculdade, não atender e nem retornar as ligações, VÁRIAS, de Gaara. Mas lembra de ir ao hospital que sua mãe trabalha para ver o que Neji queria. Shikamaru não se encontra mais na cama ao seu lado, ele fez bico agarrando o travesseiro do moreno. Shikamaru facilmente poderia ser o irmão que Naruto nunca teve, pois o loiro além de se sentir protegido com ele, ainda sente que pode contar tudo para ele.

Naruto larga o travesseiro na cama e volta para o quarto de hóspede vendo sua roupa finalmente limpa na cama, e só ai se deu conta do quão tarde acordou. Tomou um rápido banho, escova os dentes e se vestiu.

Shikamaru está pilotando o fogão, enquanto Temari bebe um copo de leite olhando para a tela do celular. Uzumaki senta ao lado dela lhe dando bom dia, ela retribui com um sorriso simbólico. Shikamaru lhe serve panquecas e bota mais um copo na mesa.

- Olha, odeio me meter nos relacionamentos dos meus irmãos, mas Gaara está surtando. Quando que você vai parar de dá gelo nele?

- Temari? - Shikamaru a repreende. A loira cruza os braços após largar o celular na mesa. Ela esperava uma resposta de Naruto, e pelos hormônios estarem a flor da pele, seu humor naquela manhã está mais intenso que o normal.

- E-eu estou em conflito comigo mesmo, preciso de um tempo, mas vou falar com ele, prometo. - Ele se serve de suco, toma um gole para tentar desviar o assunto.

- Conflito? - Ela o olha com desconfiança. Típico de Temari, pensa Naruto.

- Termina seu leite, precisa para...

- Não me diga o que fazer! Não pense que esqueci. Falando nisso... Naruto? - Shikamaru revira os olhos escondendo o rosto nas mãos. - Se o Gaara olhasse para a bunda de outro homem, você iria se sentir traído? - Naruto erra em como beber o suco, e acaba engasgando.

- E-eu não sei. Ele olhou?

- Claro que não. Meu irmão é louco por você, jamais iria te trair, de forma alguma. - Que facada foi ouvir aquilo. Como se fosse o destino lhe avisando para nunca magoar Gaara, e levar aquela noite com Sasuke para o túmulo. - Diferente de certas pessoas... - Naruto enxuga a boca com o guardanapo olhando para Temari assustado. - Não é?... - "Que jogo perigoso é esse que Temari está jogando?" Se pergunta Naruto, "e se ela sabe alguma coisa?" Se culpa o loiro. - Shikamaru?! - O alívio por ouvir o nome do amigo saindo pela boca de Temari, após aquela frase, foi gratificante para Naruto.

- Eu já disse:''olhei por olhar'' - Shikamaru tenta se explicar.

- Minha vontade é de te bater até você sangrar e se ajoelhar no chão me implorando por perdão.

- Eu já implorei por desculpas e você já desculpou. O que mais você quer? - Ela dá um soco na mesa o encarando. Shikamaru suspira quase sem paciência.

- Gente... Acho melhor eu ir...

- Não!!! Você fica. Eu já tomei o leite do Shikamaru. - Naruto teria a piada perfeita para aquela frase, mas a loira estava para poucos amigos, então Naruto sorri levemente pensando se poderia falar algo naquele momento para menter um clima leve.

- Ok, então você poderia, por favor, ir para o quarto descansar? - Temari sorri forçada.

- Eu vou porque eu quero.

- Obrigado por querer. - Ela finalmente sai, furiosa, mas não relutante como sempre foi. Shikamaru até ficou surpreso por ela ter 'obedecido'. Ele tenta relaxar na cadeira. Temari é sem duvidas a matéria que Shikamaru menos domina. O que é bizarro, pois ele é um ótimo conselheiro amoroso.

- Vocês transam? - Perguntou Naruto, arrancando uma risada do melhor amigo.

- Não, Naruto, essa criança foi Temari quem fez sozinha. - Naruto revira os olhos, Shikamaru teve mesmo coragem de fazer aquela piada, pensou o loiro.

- Quis dizer se faz com frequência. - Explicou o óbvio.

- Não vou te falar sobre minha intimidade com a Temari. - Agora Naruto se sentiu ofendido. Ok, de fato, ele é um pouco língua solta, mesmo que seja sem querer, mas queria saber sobre o assunto, agora que Shikamaru rejeitou contar.

- Te falei sobre Gaara ser o meu primeiro, poxa. Me conta Shikamaru, a Temari foi sua primeira vez? - O moreno levanta-se da cadeira, pondo a louça para lavar, querendo fugir daquele assunto. - Ela foi? - insistiu Naruto. Mas ainda escuta o nada do silêncio. - Ao menos pode me responder se pode me dá uma carona até o hospital? - Shikamaru olha para o amigo, que após receber seu olhar, Naruto junta as mãos e sorri em forma de implorar por mais uma gentileza de Shikamaru.

- Tá! Eu te levo, deixa só terminar de limpar aqui.

- Ok! Já que está falando, me responde uma coisa?

- O que? - Shikamaru cruza os braços.

- A Temari foi sua primeira vez?

- ARG!!! NARUTO QUE SACO!

(...)

No hospital, Naruto logo na entrada se pergunta o que estava acontecendo com Neji, para chama-lo ali. Já se passa na cabecinha loira várias suposições, do tipo câncer, leucemia, até cegueira. Vai que Neji está em seu último estágio de vida e quer se despedir dos principais amigos. OK, mas o que isso tem a ver com Neji mandar a mensagem pelo celular da prima? Bem... Nada, se Naruto pensar bem. E se for a própria garota de olhos claros que tem essa doença? Deus livre a podre Hinata das possibilidades de Naruto, uma pior que a outra.

Quando o loiro avistou uma mulher toda de azul, com um rabo de cavalo de fios vermelho feito uma rosa vermelha, logo percebeu que se trata de ser sua mãe. A mulher vira, vendo seu filho, ela bufa como se não gostasse nada do rapaz está ali, então caminhou na direção dele, junto ao seu lado uma enfermeira morena.

- O que está fazendo aqui, Naruto? Não tem faculdade hoje? - A mulher ao lado fica surpresa, olhando Naruto de cima abaixo.

- Meu Deus. É o Narutinho? Aquele que Minato trouxe nos braços quando estava com febre? - Kushina sorriu para a moça. - Ai Dra. Namikaze, como ele cresceu. Minha filha iria amar conhecê-lo. - Ela cutucou Kushina com o cotovelo. Naruto percebendo a intenção em que aquelas palavras foram ditas, logo inflou seu ego e orgulho gay, então sorriu para a colega de sua mãe, buscando o máximo de simpatia e humor.

- Eu também iria amar conhecê-la. Poderíamos ser amigos e fofocar o quão o Haru de Super Lovers é gostoso!!! - Comentou escandalosamente. Como se tivesse levado um puxão de orelha, a mulher logo sorriu tímida.

- Doutora. - Fez referência à Kushina e logo saiu, deixando a ruiva ali, se segurando para não gargalhar. Naruto se pergunta:"Como a mãe pode ser uma médica séria e rir daquelas piadas, ao mesmo tempo?"

- Seu tolo. - Ela se segura para não demonstrar, mas Naruto sabe bem que sua mãe achou engraçado. - Seu pai e eu não trablhamos duro, para juntar grana, pagar a faculdade e você matar aula. - Ela cruza os braços encarando os olhos azuis do filho, esperando por uma explicação do garoto.

- Dormi na casa de um bicho preguiça. - Fez piada se referindo ao melhor amigo. Kushina solta os braços suspirando. - Perdi a hora, desculpe.

- Ok. Amanhã sem falta, ou eu vou te bater até a faculdade.  - Naruto deu sua melhor risada, mas sua mãe percebeu que ele tem uma tensão de preocupação. Ela passa as mãos nos fios rebeldes perto da testa, para abaixar o volume. - Neji te chamou, não foi? - "BINGO!" Pensou Naruto. Mas apenas balançou a cabeça concordando.

- Ele está bem? - Kushina o olhou surpresa. Ela de verdade acreditou que Neji já estivesse dito o que estava acontecendo, mas pelo visto, o loiro não fazia idéia. - Mãe? O que está acontecendo? - Kushina solta todo o ar preciso, se preparando para dizer aquilo para o filho. Mentalmente xinga o pobre do Hyuga por não ter dito a Naruto sobre a situação,  deixando esse peso para ela.

- Naruto, o Neji não está mais aqui... - O corpo de Naruto tremeu só pelo começo da história.

- O que? - Ele nem deixou a mãe terminar. Já com o peito sendo surrado pelo pensamento de Neji morto o assustava. - Neji morreu? Que droga! Ele me ligou, pediu pra vir cedo, será que ele queria se despedir de mim? Todas as vezes que deu em cima de mim e eu só recusei. Se soubesse estava com seus dias contados, ao menos um alguém parecido comigo eu teria chamado para ele... - Kushina aperta os ombros de Naruto o sacudindo.

- Garoto? Cala a boca. Ta louco? Neji não morreu. Você que me interrompeu. Ele não está mais aqui, porque foi pra casa! - Ela deu um tapa na testa de Naruto, que passou a mão se queixando de dor. Mas agora aliviado pelo amigo está aparentemente bem. - Ele passou a noite toda cuidando da Hinata, os pais dela estão viajando, na verdade estavam, chegaram hoje. Eles passam por aqui daqui à pouco. Acho que Neji queria trocar de turno com você. - Ela sorriu nervosa. E Naruto conhecendo a mãe, sabia que tinha mais, ele cruzou os braços já com seu olhar pidão de "desembucha" - Ai filho, não conta para ninguém que fui eu quem te falou, estou indo contra as regras. - Ela puxa Naruto para um canto afastado das pessoas. Parecendo lutar contra sua vontade de falar, mas Naruto já estava sem paciência, então mexia as mãos pedindo para que ela desenrole logo o que tinha pra lhe dizer. - Eu estou indo marcar uma seção com o Hatake para a Hinata. - O rapaz não estava entendendo, "Hinata surtou? Está tendo pesadelos? Está com culpa?" Se perguntava. Então sua mãe continua - Ela teve uma overdose, tomou vários comprimidos para dor de cabeça. - Ela falou do jeito mais informal possível, para que Naruto entendesse. Naruto não estava entendendo, porque Neji ligou para ele e não deixou claro logo aquele acidente da Hinata. - Neji... Bem, ele acha que ela fez isso por você. - Olha com pena para o filho.

Ok! O baque que levou não foi tão grande quanto imaginar a morte de um amigo, mas foi um belo baque. Ele já podia imaginar que Hinata era louca por ele, mas não a ponto de virar comprimidos goela abaixo, para tirar sua vida. Aquilo parecia sem sentido para o garoto, ela é linda, inteligente e sempre foi popular no colegial só pelo seu jeitinho doce e meigo, não entra na cabeça de Naruto, Hinata tentar tirar a própria vida por um cara que nem gosta de meninas. Isso não poderia ser possível.

- Me leva até ela? - Ele pediu para sua mãe. Tão decidido de ver de perto, só assim para acreditar, talvez.

- Não está no horário de visitas, ela está descansando agora. Não acho que te ver vai ser bom para ela, Naruto. Vamos esperar uma ordem do Dr. Hatake. Assim que ele liberar eu te ligo e você vem. - Uzumaki loiro nega com a cabeça fazendo birra, mas querendo ou não,  Kushina quem é a Uzumaki mais forte dali. - Você não tem opção, Uzumaki! É isso ou nada! - Naruto bufa se dando por vencido, só porque conhece bem a mãe que tem.

- Vou pra casa. Meu pai está lá?

- Não, não. Ele não me disse para onde iria, mas disse que quer te comprar um presente depois do trabalho. - Ela fala sorridente. Mesmo sabendo que iria ganhar um presente do pai, Naruto ainda pensa em Hinata, se culpando por ter ignorado tanto as mensagens e convites da garota. Percebendo o desânimo de Naruto,  Kushina o abraça forte, dando um beijo na bochecha dele. - Não foi sua culpa, meu amor. Se precisar conversar com alguém, seu pai está de braços e ouvidos abertos, você sabe disso. - Ela sorriu triste. - Poderia te oferecer o meu ombro de mãe, mas você sempre parece não se sentir confortável em se abrir comigo. 

Não é drama de Kushina, de verdade, Naruto corre para a personalidade calma e relaxante do pai. Para ele, Kushina e ele são tão parecidos, que até mesmo os pensamentos são iguais, então quando ele fica nervoso, ela também fica nervosa, e duas pessoas nervosas é igual a zero de solução de problemas.

- Eu te amo, mãe. Sério, de verdade. - Deixa bem claro, retribuindo o Abraço.

(...)

- Ele não está na casa dele, não está na faculdade, ele só pode está aqui. - Invadiu a casa de Shikamaru, sem nem ao menos esperar o convite. Shikamaru sussurrou para ele mesmo um "pode entrar" ironicamente, já sabendo que mais dos problemas de Naruto bate em sua porta. - NARUTO?!!! - Berrou o ruivo subindo as escadas. Shikamaru teve que apressar seus passos para acompanhar o homem que se encontra agoniado. Como se fosse de se esperar, ele foi direto para o quarto de hóspede, sabe bem o caminho, já que uma vez dormiu na casa da irmã e do cunhado no aniversário do Shikamaru.

- Ele não está aqui. - Disse o moreno entrando no quarto, vendo a cama que Naruto nem dormiu bagunçada e as roupas que Shikamaru emprestou na cama.

Gaara pegou a peça de cima, sentou na cama e cheirou a roupa fechando os olhos. Como um cão de caça, ele reconhece o cheiro doce do Naruto. Sua mente foi invadida por lembranças das noites que passaram juntos, dos Beijos, amassos e risadas. Abriu os olhos com o choque que sentiu em seu estômago só de imaginar que possívelmente Naruto esteja querendo terminar com ele.

- Ele conversou com você, Shikamaru. - Voltou a ficar de pé. - Ele dormiu aqui, então provavelmente vocês conversaram a noite toda. - Voz de Gaara estava rouca, seus olhos com bolsas de noite mal dormida, o retrato do desespero. - O que eu fiz? Por que ele me ignora? Eu liguei, mandei mensagens. O que porra está acontecendo com ele?!!! - Exclamou ficando frente a frente a Shikamaru. - Me diz!

- Ele vai falar com você, Gaara. Dá um tempo só para ele pensar. - Gaara rir sem ter graça.

- Tempo de que? Como posso dá tempo de algo que eu nem sei o que é. - O ruivo puxa os fios do cabelo para frente, andando de um lado para o outro.

- Você vai enlouquecer desse jeito...

- Não, Shikamaru, eu não vou enlouquecer, PORQUE EU JÁ ESTOU LOUCO! Eu sou louco pelo Naruto, você sabe que eu faço de tudo por ele. Eu me dou por completo nessa merda! Eu não estou entendendo o que está acontecendo com ele, mas eu sei que tem dedo daquele tal de Sake!!! - Explodiu em frete ao cunhado. Que coçou a cabeça pronto para corrigir o nome de Sasuke, mas preferiu ficar calado. Seu celular toca e por mais que ele queira ignorar, olhou a tela, vendo o nome "Naruto-kun" piscar. Olhou para Gaara e depois para o celular. Gaara lendo a mente de Nara já sabia quem era, então em um passe de segundos tomou o celular da mão de Shikamaru. Que não lutou para pegar de volta, acreditando que Naruto precisava resolver de uma vez por todas com Gaara.

- Oi, Shikamaru, preciso de mais um favor, juro que vai ser o último. Nessa semana. - Brincou no outro lado da linha. Gaara respira fundo, sentindo seu coração esmurrar seu peito só de ouvir a voz do seu amado.

- Não sei o que está acontecendo,  Naruto, mas seja lá o que for, precisamos conversar e sem fugir. No café dos Haruno, às 14:00 em ponto.

E por incrível que pareça, ele quem encerra a chamada. Entrega o celular nas mãos de Shikamaru e saiu sem se despedir ou agradecer o cunhado pela gentileza de emprestar o celular.

Gaara está louco para ouvir a resposta ou desculpa de Naruto sobre a rejeição vinda da parte do loiro. Nem passa por sua cabecinha ruiva, que pode ser traição e que isso nem ousa a surgir.

Gaara não seria responsável pelos seus atos.



Notas Finais


Obrigada por ler. Perdão por não está perfeito.
Xoxo:Roh


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...