História Oceans - Capítulo 38


Escrita por:

Postado
Categorias Michael Fassbender
Personagens Michael Fassbender, Personagens Originais
Tags Jared Leto, Keanu Reeves, Michael Fassbender
Visualizações 52
Palavras 3.181
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu voltei mais cedo dessa vez e com um capítulo bem menor.O último foi um massacre,admito.A história começa a esquentar a partir daqui meu povo.Espero que gostem.

Capítulo 38 - Oh,darling what have I done?


Fanfic / Fanfiction Oceans - Capítulo 38 - Oh,darling what have I done?

    O natal na casa da avó de Joy não pôde trazer mais felicidades para ela.Todos os seus tios e primos estavam presentes,além de sobrinhos que ela ainda não tinha tido a chance de conhecer.A casa estava muito bem enfeitada e aconchegante,a ceia estava bem do jeito que ela gostava: farta.A noite foi cheia de muitas risadas,histórias,nostalgia e alegria.Joy estava sempre grudada com Michael,afinal ela não conseguia parar de agradecer por aquele presente.

    Depois,nos dias anteriores ao ano novo,Joy subiu até o sótão para mostrar a Michael as suas coisas que sua tia Emma tinha mantido guardadas.Lá estavam suas botas,suas calças jeans,suas bonecas de pano,seu único chapéu de vaqueira e a sela que usava para montar no seu cavalo.Ela também foi com ele até o estábulo e mostrou o grande buraco no andar de cima que ela tinha feito.Estava surpresa que seus tios ainda não o tivessem concertado.Os cavalos ficaram um pouco agitados com a presença dos dois e eles logo saíram.Depois disso,Joy levou Michael pela mata até a cachoeira que ela costumava brincar quando era criança com seus primos e sua irmã.Estava congelada é claro,mas pelo menos ela teve a chance de mostrar a ele o local que tanto a fizera feliz nos tempos passados.Voltaram para casa em seguida,porque a neve estava começando a congelar seus pés e o vento estava muito gelado.A boca e o nariz dos dois estavam da cor de cerejas.Durante a noite jogaram cartas com o tio Matthew e Joy e Michael aqueceram a noite de novo depois que todos foram dormir.

    O ano novo tinha sido muito pacífico.Na fazenda,era somente mais um dia que estava começando.Sem fogos,sem barulho,sem gritos.Somente paz.

    Mas era só uma questão de tempo até que ela terminasse...

 

 

    10 de Janeiro de 2015

   Los Angeles

    Michael e Joy retornaram para L.A apenas dois dias depois do ano novo,pois Michael retornaria em breve para Londres,onde iria gravar seu novo filme Trespass Against us,o que não demoraria mais que 1 mês e meio.Ele já vinha estudando o roteiro a algum tempo e seria relativamente fácil gravar o longa. Depois sua carga horária iria aumentar com as gravações de X-men Apocalypse e ele mal teria tempo de ficar com Joy,apesar das gravações serem em L.A.Havia também a dificuldade de Joy nem estar na cidade,pois também estaria muito ocupada gravando TWD e ela iria ter que se deslocar até Atlanta durante 4 meses inteiros.Sua personagem estará muito mais ativa na nova temporada,já que Joy está se sentindo bem melhor de sua doença e já tem mais energia para gravar cenas mais ativas e cinéticas.

    Como as gravações de Michael só iriam começar no final do mês,ele aproveitou o seu tempo livre para relaxar com Joy.Eles faziam a mesma coisa de sempre: saiam de carro para ver a praia bem cedo de manhã,assistiam filmes,faziam o jantar ou saíam para comer,iam ao teatro disfarçados da melhor maneira possível e conversavam por horas e horas antes de dormir sobre a vida em geral.Michael a contara tudo sobre a infância,adolescência,a universidade de cinema,os primeiros trabalhos que fizera e o quanto odiou fazer algum deles,os sonhos que ele também tinha além de ser ator e os que ainda nutre profundamente,como ser piloto de fórmula 1.

-É claro que eu ia estar torcendo por você nos bastidores.-disse Joy.Eles estavam deitados no sofá.Michael deitava-se cuidadosamente por cima de Joy,descansando a cabeça no ombro dela.-Mas eu ia estar o tempo todo com o cu na mão,com medo de você sofrer um acidente.

-Que pessimismo!-reclamou ele. –Você tem que relaxar mais,amor.Está sempre muito tensa a respeito das coisas.

    Ela suspirou,entristecida,porém conformada:

-Eu sei...Mas a ansiedade é assim.Ela sempre me faz pensar nos cenários mais caóticos possíveis.Não consigo evitar.

    Michael levantou a cabeça e olhou nos olhos brilhantes de Joy,que pareciam um pouco tristes.

-Eu te ajudo.-disse ele.

    O rapaz conseguiu arrancar um sorriso dela e depois ficou em seu topo,dando-lhe um beijo nos lábios.A pele da barriga dela estava quente e macia embaixo da dele.Ambos estavam com pouca roupa;Michael só vestia uma calça moletom cinza e Joy vestia o que geralmente usava em casa:sua lingerie e um hobby transparente florido.Michael adorava quando ela se vestia assim.

-Você sabe um ótimo remédio pra ansiedade?-perguntou ela com um sorriso no rosto.Passou as mãos delicadas pelos braços de Michael,deslizando em direção as costas do homem.

-O que?

    Joy empurrou o quadril de Michael pelas nádegas dele contra o seu,abrindo as pernas para ele.Michael apenas deu um sorriso de canto,já tendo entendido claramente o recado.Joy mordeu os lábios quando ele começou a beijar seu pescoço enquanto a barba dele arranhava sua pele.Michael a esfregava contra Joy propositalmente,só para ver a vermelhidão contrastando com a cor alva dela e ela amava quando ele fazia aquilo,por isso não deixava que ele raspasse a barba em circunstância alguma.Joy passava as unhas levemente pelas costas dele,o suficiente para arrepiá-lo,pois ela bem sabia que ele era sensível ali.

-Você já está duro?-perguntou Joy.

   Michael sorriu tolamente com a pergunta dela.

-Você está com fome assim?

   Ela o beijou,respondendo a ele daquela forma.Em seguida,Michael ficou de joelhos e abaixou sua calça,assistindo a namorada tirar a calcinha e a jogar no chão ao lado dela.Ele não estava pronto o suficiente ainda,por isso usou da ajuda de sua mão por uns instantes.Joy observava,com seus olhos grandes e famintos.O ruivo não conseguia parar de imaginar o que ela não poderia estar fazendo por ele.Os lábios vermelhos e úmidos dela o estavam chamando muita atenção e ela parecia saber disso,pois se levantou devagar e foi na direção dele.Levantou os olhos lascivos para ele e depois tomou o membro dele em sua boca.Michael suspirou satisfeito e realizado ao sentir a umidade e o calor da namorada o envolvendo.Segurou de leve na cabeça dela,a incentivando.Ela certamente não conseguia o colocar inteiro na boca,mas sabia fazer direito até onde era possível.

    Quando ele estava ereto o suficiente,ele a colocou deitada de volta no sofá e Joy instantaneamente abriu as pernas para ele.Michael observou a intimidade dela por um instante,mais do convidativa para ele.Posicionou-se na entrada dela e a invadiu.Joy arfou em prazer e o puxou pelo pescoço para beijá-la enquanto ele investia nela.

  E o interfone tocou.Eles separaram seus lábios e ambos se olharam com o mesmo pensamento.

-Isso foi aqui?-perguntou Michael parando de se mover.

    Visivelmente furiosa,Joy fez um bico irritado e maneou a cabeça positivamente.

-Quem é esse filho da puta?-ralhou Michael puxando novamente a calça moletom para cima.Ele se encaminhou até o interfone ao lado da porta.-Quem é?

“É o Fred!Precisamos conversar.É urgente.A Famke está aqui também.” Respondeu a voz rouca do homem do outro lado em meio a estática.

   Michael e Joy se entreolharam confusos e preocupados.O que os agentes dos dois estariam fazendo ali ás 3 da tarde em plenas férias,sem nem mesmo ter ligado antes para avisar que estavam indo?Era uma coisa incomum e deveria haver um motivo muito bom para estarem ali.

-Abra para eles.Eu vou subir para pôr uma roupa e volto em um segundo.-disse Joy subindo as escadas sem a peça de baixo.

    Michael avisou que iria abrir para eles e depois procurou a parte de cima do seu moletom na poltrona,o vestindo rapidamente e depois indo ajeitar o cabelo no espelho perto da escada.Estava completamente bagunçado depois de Joy ter passado horas passando a mão por ele.Ele estava frustrado e zangado por ter sido interrompido naquele momento,mas ao ver quem os havia incomodado,seus sentimentos se converteram em pura curiosidade e ansiedade.Ele sabia que Fred jamais aparecia do nada se não fosse algo muito sério e ele tinha muito medo de quando isso acontecia.Quanto a Famke,ele não sabia o que pensar.Talvez tenha sido ela quem chamara Fred e não o contrário.Seria sobre Joy ou sobre ele?Seria algum papel imperdível em um filme que iria lhe render seu primeiro Oscar?Ele conseguia pensar em apenas alguns motivos para aquela visita,mas sabia que podia ser qualquer coisa.Seu coração estava um pouco acelerado,talvez pela preocupação ou pelo fato de que estava transando alguns segundos atrás.Michael tentou ajeitar seu membro ainda ereto dentro das calças quando se deu conta,mas a coisa estava acordada demais para passar despercebida.

    Joy desceu as escadas no mesmo instante em que os agentes bateram na porta.Michael a abriu prontamente e encontrou Fred completamente descabelado,com a barba grande e o sapatos de corrida contrastando com a calça social e a camisa polo.Famke também estava com uma aparência nada profissional.Seu cabelo não estava bem arrumado e alisado do jeito de sempre e ela também não usava o batom cor de sangue de usualmente,porém tinha em mãos sua ferramenta principal e mais importante : seu blackberry.Joy apareceu no campo de visão dos dois e sua agente lhe lançou um olhar decepcionado.

-É melhor vocês se sentarem...

                                                >>>>>>>>>>>>><<<<<<<<<<<<<<<<<

    Famke e Fred entraram na casa e a mulher trancou a porta atrás de si e não disse uma palavra.Fred encarou Michael com um olhar aflito que fez o ruivo arrepiar a espinha.

-Há algo muito sério acontecendo por agora.-disse o agente sentando-se na poltrona.Joy olhou para Famke com uma expressão angustiada no rosto.-Você se lembra muito bem de quando a Joy estava doente e que você...teve um conflito com o médico dela no hospital.

   Michael lembrou-se imediatamente do que aconteceu.O Dr.Schwimmer estava sendo petulante com Joy,dizendo que os sintomas dela não faziam sentido e que ela deveria voltar pra casa naquele estado.Ele se descontrolou ao ouvi-lo dizer aquilo e voou para cima do homem,esmurrando seu nariz.Tinha sido colocado pra fora do hospital.Ele se desesperou um pouco com o fato da urgência ter a ver com aquilo.

-Nós dois sabíamos que você não ia sair ileso dessa,só não sabíamos quando você responderia pelo o que fez.-o homem falou entrelaçando seus dedos.

-O que quer dizer com isso?-perguntou Michael aturdido,olhando na direção de Joy que estava igualmente assustada.

-O médico que você agrediu parece ter arquitetado um plano de vingança contra você.-explicou o agente.Michael caiu sentado no sofá.Joy cruzou os braços,em pé ao lado de Famke.-Segundo ele,depois que você fez aquilo com ele, ele ganhou uma má fama nos hospitais que trabalhava e perdeu muitos clientes.Ninguém confia mais no seu diagnóstico depois da história da Joy.É claro que as enfermeiras ficaram sabendo quando foi revelado que você tinha Lyme e compararam com o diagnóstico ridículo que ele tinha feito.Espalharam pelo hospital e daí começou a decadência do médico.

-Ótimo!Assim ninguém mais coloca a vida nas mãos daquele incompetente.-rosnou Joy dando um passo a frente. -Ele merece.Não consigo entender como ele se tornou tão bem sucedido e cresceu um nome sendo ruim dessa forma.

    Nessa hora,Famke,que até então só estava observando,entrou na conversa.

-Mas ele merecia ter sido espancado?- perguntou com uma expressão severa para Joy e depois olhou na direção de Michael. –Eu não sei porque você não me contou isso Joy.É algo importante de se dizer.

     A loira se calou e sentou-se no sofá ao lado de Michael,esfregando as têmporas visivelmente estressada.Fred continuou.

-Ele preencheu uma petição contra você nesse Natal.Ele tem evidências do que aconteceu.Fotos,laudo médico e testemunhas.Está pedindo por uma indenização de nada menos que 30 mil dólares.

    Michael levantou as sobrancelhas,surpreso e zangado.É óbvio que 30 mil não era muita coisa pra ele relativo ao que ele ganhava em seus filmes,mas todo o tumulto que o homem tinha causado estava o deixando muito atordoado e irritado.

-Certo.Eu pago essa merda.Eu dou em dinheiro vivo se ele quiser.Vou na casa dele e entrego essa porra bem nas suas mãos se é isso que ele quer.-esbravejou ele,levantando-se com violência.

-Espere...-disse Joy.Todos pararam para olhar para ela.A loira tinha um semblante pensativo e seus olhos faiscaram no momento que a ficha caiu para ela. – Não é só isso,Michael. Você não recebeu nenhum mandado de citação.Uma petição passa pelo juiz antes e depois de aprovada,envia-se isso para o réu.Você não recebeu nada e vocês dois- ela apontou para os agentes.- não tinham como saber de nada.-Joy cobriu a boca,chocada.-Eu não acredito que ele fez isso...

    Michael ficou atônito, tentando acompanhar o pensamento de Joy mas estava muito cego pelo nervosismo.

-O que quer dizer?

-O que ela quer dizer ,Fassbender,é que Fred usou muito bem o termo “vingança”.- explanou Famke fazendo um bico zangado. – O Dr.Schwimmer não quer somente arrancar dinheiro de você,ele também quis destruir um pouquinho da sua imagem.Ele foi atrás de um jornalista da TMZ e contou absolutamente tudo o que aconteceu,mostrou as evidencias inclusive e sinceramente...-ela riu. –A internet está detonando você.Estou surpresa que ainda não saibam.Isso está rolando na web desde ontem a noite.

    Michael ficou parado por um instante,perplexo.Joy o observou,nervosa por ele e com ele.A raiva estava emergindo no rosto dele cada vez mais e Michael finalmente exalou o que sentia,ao dar um tapão a jarra de vidro na mesa ao lado do sofá,arremessando-o ao chão e quebrando-o em mil pedaços.Joy estremeceu e desviou o olhar,escondendo sutilmente o seu rosto.Não sabia que Michael tinha esse tipo de temperamento quando ficava zangado e ficou um pouco assustada.

-PUTA QUE PARIU,MAS QUE FILHO DUMA PUTA!- gritou.-O que é que eu vou fazer agora,Fred?Han?Quem é que vai querer trabalhar com alguém que sai esmurrando os outros?- os olhos de Michael estavam quase saindo das órbitas e ele estava muito vermelho.

-E você está perdendo a linha de novo.Acalme-se.-disse Fred calmamente.-Nós vamos arrumar um jeito de consertar as coisas ou pelo menos de ameniza-las.- Michael se sentou.- Você vai  chamar seu advogado pra tomar conta disso,pagar os 30 mil na boa e dar adeus a essa história.

   Joy se aproximou dele afim de consolá-lo e colocou uma mão nas costas do namorado.

-Não.Não encoste em mim.

   Joy recuou chocada com a resposta dele.Os lábios dela se partiram e suas sobrancelhas se franziram ainda o olhando sem compreender aquele comportamento.Michael nunca tinha sido bruto com ela daquela forma.A moça se levantou do sofá enfurecida e decepcionada e se dirigiu até a cozinha.Famke a seguiu silenciosamente enquanto Fred continuava a conversar com Michael.

-Mas que merda...-disse Joy entredentes quando notou a presença de Famke. – Você viu como ele falou comigo?

   Joy foi até o armário e pegou sua caixa de Clonazepam.Famke a olhou com desaprovação.

-Só vou tomar uma banda.Estou muito nervosa,não posso arriscar a ter outra crise daquelas.

   A agente suspirou.

-Você deveria tomar cuidado...- disse ela enquanto Joy partia o comprimido ao meio com uma faca.- Com ele.

   Joy olhou curiosa para Famke,segurando o remédio em mãos.

-O que quer dizer ? Está dizendo para eu ter medo do Michael?

   Famke se aproximou mais dela e,com um olhar pedante,disse:

-Ele me parece uma pessoa um pouco instável.Comecei a perceber isso a algum tempo atrás e tive certeza disso quando você contou pra ele no hospital que tinha sido estuprada.Ele me parecia muito nervoso com algo e não era somente com o que ele tinha acabado de ouvir.Ele luta contra seus próprios demônios e eu vejo ,e acabo de ter certeza, que você não sabe quais são.Precisa cavar mais a fundo sobre quem seu namorado é,Joy.E peço que seja cautelosa.

    Elas se encararam.Joy podia ver a sinceridade e seriedade estampadas no rosto de Famke.Sabia que os conselhos dela eram os melhores e que ela nunca falhava na sua intuição.Mas aquilo era difícil de engolir.Michael era uma das pessoas mais doces,afetuosas e companheiras que ela já tinha conhecido.E ela o amava.Estava triste de ter que se confrontar com esse tipo de pensamento.Seus olhos marejaram um pouco  mas ela logo evitou suas lágrimas.Foi até a geladeira e se serviu de água para tomar o remédio.

   Joy e Famke retornaram para a sala.Fred logo as incluiu novamente na conversa.

-Bom.Vocês devem estar se perguntando porque eu chamei a Famke aqui.-disse Fred.

   Joy concordou com a cabeça e se sentou na outra ponta do sofá,bem longe de Michael.Ele a encarou,vendo o quão afastada ela estava,e se sentiu arrependido pela grosseria.Ela ignorou seu olhar.

-Eu chamei a Famke porque a única forma de tentar amenizar o estrago que ele fez com a sua imagem é que a Joy saia em sua defesa.-disse ele.Joy encarou Famke,e a mulher deixou bem claro em seu olhar que não estava nada contente em ter que concordar com aquilo. – Os paparazzi vão perguntar,as revistas vão perguntar e a sua fonte,que é a Famke,vai ter que informa-los sobre seu posicionamento nisso.

-Você está querendo dizer que eu devo justificar um ato de violência? – Joy perguntou ofendida.

   Fred assentiu.

-Basicamente. Ele é seu namorado.Precisa ajuda-lo e você o conhece.Sabe muito bem que ele nunca faria esse tipo de coisa e que fez justamente porque estava muito temeroso pelo seu estado de saúde,afinal você estava morrendo.-argumentou o homem.

-Ei,ei espere um minuto!-disse Famke zangada.- Antes de virmos você deixou bem claro que seria uma escolha dela fazer isso ou não.

   Fred se levantou da poltrona nervoso.

-Eu sei o que eu disse,Famke!Mas você sabe como nós trabalhamos.Sempre queremos o melhor para nossos clientes.A Joy precisa ajudar ele.Imagine quantos trabalhos ele não vai perder por causa disso.O comportamento dele precisa ser...justificado para que não seja tão afetado.Boas referencias de outros diretores são facilmente anuladas nesse tipo de situação.

-Como você bem disse: nós fazemos o melhor para nossos clientes e a MINHA cliente defender essa agressão também vai trazer pontos negativos pra ela.Ela acaba de estrelar em uma das maiores séries de TV do mundo e você quer estragar isso porque O SEU cliente cometeu um erro?

   Joy começou a se aborrecer e ficar nervosa como quanto que os dois agentes estavam erguendo seus tons de voz.

-Ela em todo o direito de escolher se vai querer defende-lo para o público ou não e não cabe a você tomar essa decisão por ela.-continuou a agente,bastante nervosa.

-Okay...-Fred suspirou.-Okay.Então...O que você decide,Joy?

   Todos os olhares da sala recaíram sobre ela.Famke estava com aquela pesada desaprovação no seu rosto,Fred tinha olhos desesperados  e braços cruzados que a pressionavam.Já Michael estava neutro.Ele sabia que não podia julgá-la se ela não quisesse.Não queria que ela se sentisse culpada se dissesse não.Ela sabia disso.Sabia que ele a compreendia.Apesar de ter grandes chances das pessoas a julgarem muito na internet se ela decidisse defende-lo,sabia que precisava fazer aquilo por ele.Michael já tinha feito muito por ela,até mais do que lhe era possível.Esse era o momento de retribuir tudo o que ele fizera por ela até o momento.

   Preocupada e relutante,Joy declarou:

-Okay...Eu vou fazer.

 

    Famke e Fred passaram mais algum tempo na casa de Joy enquanto ela escrevia cuidadosamente em um papel a sua defesa em prol de Michael.Famke a auxiliava,tentando ao máximo fazer deixar parecer que Joy não apoiava de forma alguma a violência praticada por Michael.Quando ela terminou,Famke pegou o papel e foi-se embora com Fred. Michael e Joy foram deixados sozinhos.Eles não trocaram nenhuma palavra inicialmente e somente quando ela subiu as escadas para tomar um banho,Michael decidiu dizer algo:

-Eu sinto muito.Por ter...afastado você.

    Ela olhou para ele,que ainda estava sentado no sofá,do topo da escada.Olhou fundo em seus olhos por um instante,sem deixar transparecer nenhum tipo de sentimento.Ele notou seu olhar frio e engoliu seco.

-É...Tudo bem.

   Foi tudo o que ela disse antes de ser engolida pela escuridão e desaparecer dentro do quarto.

 

   


Notas Finais


Gostaram?Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...