História Oceans - Capítulo 44


Escrita por:

Postado
Categorias Michael Fassbender
Personagens Michael Fassbender, Personagens Originais
Tags Jared Leto, Keanu Reeves, Michael Fassbender
Visualizações 55
Palavras 2.831
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo mais curtinho.Juro que agora eles serão menores,porque tem menos coisa mais explicar e mais tretas para acontecer.Não estamos tão perto do fim,mas também não estamos longe. :)
Espero que estejam gostando e aproveitem o cap!

Capítulo 44 - Behind blue eyes parte I


Fanfic / Fanfiction Oceans - Capítulo 44 - Behind blue eyes parte I

 

 

   -Joy,o que está fazendo?

     O sangue dela gelou.Michael estava parado a alguns metros dela segurando sua toca e uma garrafa de água.Tinha uma expressão desconfiada no rosto.Joy retesou.Tinha sido pega.Ou talvez não.Ele estava parado a pelo menos 3 metros de distância dela, e era quase impossível que tivesse visto o que ela estava fazendo.Joy usou de seu talento de atuação e mascarou sua reação surpresa e amedrontada.

-Puta que pariu.Não chega assim! – ela abriu outra aba no navegador e fechou a outra rapidamente. –Eu acabei de ligar.Ia olhar as notícias no The Guardian.

-Por que não olhou no seu celular? – perguntou Michael se aproximando.Ele espiou o computador e de fato sua namorada estava no site do The Guardian.

    Boa pergunta.Mas ela sabia bem como sair daquela encurralada.Suspirou,sorriu e se levantou.Michael correu os olhos por ela e viu que ela só vestia a calcinha e uma de suas camisas de botão.Uma das mais caras inclusive.Mas ele não se importava.A loira caminhou até ele e abriu os botões das vestes um por um.

-É que na verdade...Eu estava pensando em gravar um vídeo pra você.Eu ia deixar na sua área de trabalho pra quando você ligar o computador,ter uma surpresinha.- explicou a moça enquanto terminava de desabotoar a camisa.Michael sentiu um calor fustigar suas partes baixas quando notou que ela estava nua embaixo da roupa.

    Ela sorriu e mordeu os lábios quando percebeu o quanto Michael viajava nos pensamentos enquanto olhava para sua pele descoberta.Joy tinha se sarfado direitinho de ser pega ao desviar a atenção dele para outra coisa e contar uma simples mentira.Para incrementar mais o seu ato,ela decidiu tirar toda a camisa.

-Que tal fazermos esse vídeo juntos? –perguntou Michael olhando fundo nos olhos dela.Ele pingava de suor.

-Já é a terceira vez hoje...- implicou a loira.Ela o testaria a noite inteira,até quando aguentasse.Se ele realmente tivesse um vício,muito nunca seria o suficiente. –Tem certeza de que você aguenta?- sorriu malandra.

    Fassbender riu incrédulo e começou a tirar as roupas.Já completamente nu,ele ligou a webcam.

-Eu vou te mostrar o quanto eu ainda aguento.- ele se sentou no sofá.-Senta aqui!

                                                         >>>>>>>>>>>>>><<<<<<<<<<<<<<

 

    Joy teve a proeza de fazer com que Michael entrasse no meio de suas pernas mais uma vez naquela noite depois do jantar. No dia seguinte ela o acordou pedindo por sexo, portanto fizeram antes mesmo de se levantar da cama, durante o banho e depois de novo depois do café da manhã. E ele ainda não estava cansado ou satisfeito, apesar de ela estar quase morrendo de cansaço. Joy não estava  fazendo por mal, ela só queria saber se Michael realmente gostava de fazer tanto sexo assim, se ele era viciado e escondia isso dela. Seus parceiros de antes mal aguentavam uma segunda rodada, quanto mais fazer 3 vezes somente em uma única manhã.Aquilo era um recorde.

   Depois do almoço,Michael teve que tomar seu tempo para estudar o script e se isolou na sala como sempre fazia.Joy sabia que ele tinha uma postura muito profissional e levava seu trabalho muito a sério.Muito a sério.Qual seria a única coisa que tiraria sua atenção completamente?Será?Ela decidiu testar de novo.Joy desceu as escadas vestida em sua lingerie e hobby preto,exatamente como fazia todo o santo dia, e foi para cozinha.Abriu a geladeira e pegou as cerejas.Colocou-as em um prato e derramou chantilly em cima.Ela caminhou lentamente até a sala.Michael estava sentado na poltrona com o roteiro em mãos,analisando-o cautelosamente com um marca texto na boca.Quando ela passou,viu os olhos do homem pousarem sobre ela até ela se sentar no sofá do outro lado da sala em frente a ele.

-Que está fazendo ? – perguntou ele atônito.

-Vendo você trabalhar...- ela pegou uma cereja e levou aos lábios.

-Sabe que gosto de ficar sozinho.

-Não vou fazer barulho,prometo.

    Não importava quanto tempo ele conseguisse ficar sem olhar para ela,sempre acabava levantando os olhos por trás do papel do script para ter uma visão.E ela estava sempre olhando de volta com uma cereja quase tão vermelha quanto seus lábios entre estes.O rapaz suspirou e se remexeu na poltrona.

-Eu sei o que você está fazendo.Pare de me provocar,estou trabalhando.- proferiu Michael.

    A loira riu.

-Está zangado por que está funcionando?Eu estou vendo que está duro daqui.Sua bermuda é fina demais.

-Outra hora,Joy.-ele olhou-a nos olhos. –Por favor?

    Ela bufou,vencida.Pegou o prato e se levantou.

-Agora eu sei porque você me quer longe quando está estudando.

     Joy podia ter perdido para ele naquela hora,mas mais tarde ela tinha ganhado nas duas vezes.A cada minuto que passava ela pensava mais e mais no fato de Michael ser um viciado em sexo.O que havia naquilo que o deixava tão envergonhado afinal?Por que teria medo e evitaria contar pra ela sobre aquilo?Ela transaria com ele todas as vezes que ele pedisse até que não pudesse mais.Não havia problema.Ele poderia confiar nela.Ela nunca o julgaria por aquilo.

    Naquela noite,deitada na cama com Michael se recuperando de mais um episódio de sexo,Joy decidiu que tocaria no assunto.Ela queria tanto que ele se abrisse e confiasse nela.Era o seu maior desejo naquele momento e provavelmente seria até que ele decidisse se abrir.

-Sabe o que eu estava pensando?-ela perguntou.

-Hm?- Michael se aproximou e deu um beijo no rosto dela.

-Nós devíamos usar um daqueles seus brinquedos.Sou curiosa.Nunca usei.

   Michael,bruscamente,se pôs sentado.Sua expressão já mudara.Ele estava notavelmente nervoso.

-Do que está falando?

    Ela se sentou também e sorriu.

-Ah.Eu acabei achando acidentalmente o seu esconderijo.-contou.Os olhos de Michael se encheram de trevas. – Por que nunca me contou?Achou que eu não fosse gostar?

-MAS QUE MERDA! –esbravejou o homem levando as mãos a cabeça.Ele se levantou da cama e olhou angustiado pela janela.Joy inspirou fundo,ansiosa. – Quem te autorizou a mexer ali?É pessoal!

-Michael,se acalme.São só brinquedos.Muitas pessoas tem...- argumentou ela.

    Ele ficou calado e mordeu os lábios.

-E as revistas...-continuou ela.-Não sabia que você gostava desse tipo de coisa.

    Michael parou instantanemanente.Ele fechou os olhos e inspirou fundo.Contou até 5.Não podia acreditar que ela tinha achado aquela parte também.Ele olhou para ela com as mãos na cintura.

-Michael,por que está tão zangado?Eu sou sua namorada,você pode me contar tudo!- disse Joy com os olhos meigos.Ela ergueu o corpo e tentou pegar na mão de Michael,mas ele recuou prontamente.- O que foi?!

-Não,só não...Não mexa nas minhas coisas de novo,okay?

    A moça o observou com preocupação.Era alarmante o quanto falar sobre aquilo o afetava.Ela podia jurar que conseguia vê-lo suando,além de enxergar suas pupilas dilatadas,um claro sinal de que estava muito nervoso.Apesar de ver que poderia ser desconfortável ao extremo tocar no assunto,ela sentia que precisava continuar insistindo.Ele era seu namorado e Joy tinha a necessidade de conhece-lo tão profundamente como ele a conhecia.Ela sabia que aquela era uma grande parte dele.

-Antes de começarmos a namorar,a Emily me disse que eu deveria ser cautelosa com você...- afirmou a loira. – Por que você era, aparentemente, viciado em sexo...

    Ele olhou para ela como se Joy tivesse acabado de cometer um crime.Mas ela continuou:

-Norman tinha dito e depois ele mesmo me disse...Eu não acreditei.Não achava que isso existisse.Mas agora...Depois de ter visto aquilo,acho que existe uma possibilidade de ser verdade.

-É por isso que desde ontem você está se jogando pra cima de mim o tempo inteiro?Me testando?VENDO SE EU VOU FODER VOCÊ PORQUE ACHA QUE SOU VICIADO? – ele deu um passo a frente.

-Michael,você pode me cont...

-CALA A BOCA!

    Joy soluçou,uma lágrima caiu de seus olhos.Michael também parecia estar perto de um colapso emocional.Ele estava dando passos inquietos,suava,tremia e estava vermelho.Mesmo estando com medo de enfrenta-lo sabendo do descontrole que ele poderia vir a ter,ela continuou.Se levantou da cama e avançou nele agarrando em seus pulsos.

-Michael,eu amo você...- disse tentando fazer com que ele olhasse para ela,mas Michael a evitava e tentava se desfazer de seu toque. – Não precisa se esconder de mim,por favor...Fale comigo.

-Não,não...Larga da porra do meu braço.Não encosta em mim.

-Michael! – ela já começara a chorar. – Por favor,eu te amo...Você não precisa ter vergonha.

    Apesar de todas as declarações,Michael não cedia.Não queria conversar,não queria falar,não queria tocar,não queria amar.Ele finalmente se desfez do toque dela,que tentava trazer seus braços em volta dela e fazê-lo olhar em seus olhos.Michael entrou apressado no closet.Seu sangue corria quente por suas veias,seus sentidos estavam aflorados por conta da adrenalina e seu peito estava prestes a explodir.

-O que está fazendo? – perguntou a moça vindo atrás dele.Joy se pôs na frente dele tentando trazer sua atenção para ela,mas Michael era mais forte. –Você não vai sair...Não,Michael...

    Ele a ignorava completamente,apesar de seu coração se quebrar ao vê-la chorar por ele.De novo.Ele vestiu uma calça escura de tecido,uma blusa de manga e um casaco verde de frio com capuz.Saiu do quarto e Joy vinha o seguindo,gritando seu nome e implorando para que ficasse.

-Que merda você está fazendo?!Michael, por favor!Por favor,não vá.Fale comigo!

    Ele só fez pegar a carteira na mesa e rumou em direção à porta.

-Michael,eu sinto muito.- soluçou a loira atrás dele o puxando pelo casaco sem sucesso algum.-Me desculpe...

    Foi somente isso que ela pôde dizer antes de vê-lo saindo pela porta da frente.

                                           >>>>>>>>>>>>>>>>><<<<<<<<<<<<<<<<<<

        “Eu te acho nojento,te acho inconsolável.Você é um miserável doente.” Michael nunca conseguiu se livrar das palavras que sua primeira namorada jogou contra ele quando ele decidiu conta-la sobre seu vício em sexo.Já tinha mais de 10 anos que tinha sido bombardeado com aquilo.Ele a amava,assim como ama Joy.E ela dizia ama-lo,assim como Joy o amava.Ela era carinhosa,dizia que faria tudo por ele,que ficariam sempre juntos não importasse o que.Até que ele decidiu que era a hora de se abrir para ela e revelar seu segredo.Ele confiava nela o suficiente para tal e a reação que recebeu dela foi uma expressão de nojo e uma risada a principio cética e depois de desprezo.Nos meses que se seguiram,tudo o que ela fazia era perguntar toda hora se ele estava pensando em transar com a velha gorda que tinha atravessado a rua,ou se sentia tara por uma qualquer no set de filmagens.Era uma humilhação constante.Não demorou muito até que ela se apaixonasse por um moreno alto e forte e o despachasse com aqueles dizeres tão dolorosos.

    Depois daquilo,Michael nunca mais disse a mulher nenhuma sobre seu vício.Já bastava sua irmã também saber e jogar na cara dele que “ seu pau vai cair por transar com tanto” depois de descobrir que ele tinha fodido quase o ensino médio inteiro.Catherine nunca esqueceu disso e continuou perguntando se Michael continuava insaciável na sua época de faculdade,se continuava fodendo descontroladamente Ela até o recomendou terapia uma vez.

    Michael contou para James quando se tornaram amigos muito íntimos e pensou que,talvez por ele ser homem,o compreendesse melhor.E ele o fez.James nunca fez piadas ou tratou o vício do amigo como uma desculpa para foder todo mundo.Já Norman nunca fora um amigo muito íntimo,mas Michael tinha contado para ele antes de ter contado a sua primeira namorada séria.Ele se arrependia muito de te-lo feito,pois agora tinha descoberto que a informação tinha se perpetuado até Joy.Ele não suportaria que ela o tratasse da mesma forma que a outra namorada o tratara se soubesse do seu vício.Já era o suficiente o nojo e repúdio que Michael tinha de si mesmo,ele não precisava daquilo vindo de Joy.

    Ninguém sabia o quão insuportável era estar na pele de Michael.Do momento em que ele abria os olhos até quando ia dormir ele estava pensando em sexo de uma maneira ou outra.Eram pensamentos constantes e irritantes,incessantes.Deixavam-no nervoso,duro e frustrado.Ele odiava ter que ir no banheiro toda hora para se masturbar.Odiava voltar para o set e gravar uma cena importante depois de ter batido uma.Ele era seu próprio assédio.Ele imaginava o quanto as pessoas não o achariam nojento se soubessem o que passa na sua cabeça,se soubessem o que é ter uma ereção 5,6 vezes ao dia.Michael não sabia lidar com o estresse que aquilo o causava e muito menos sabia lidar com qualquer outra situação que o causasse angústia e ansiedade.Seu ópio sempre seria o sexo.Ele o procurava para se aliviar quando estava sob pressão.Um dia,ele simplesmente decidiu que a saída mais fácil para se livrar do desejo de sexo constante era o uso de drogas.Ele tentara maconha,mas tinha sido pouco pra ele.Foi quando começou a usar a cocaína.Ele nunca teria seguido esse caminho se a dor que sentia por ser do jeito que era não fosse tão insuportável.

    Enquanto Michael não estava em um relacionamento,o que era muito difícil quando ele era mais jovem e trabalhava duro para estrelar em filmes bons,ele sempre frequentava clubes noturnos,puteiros e cabarés para transar.Porém,aqueles lugares nunca eram os melhores,principalmente em se tratando da área na qual ele morava em Londres.Michael já tinha visto de tudo dentro daqueles lugares.Estupros,assassinatos,garotas traficadas...Ele nem sempre descobria e fazia de tudo para não frequentar esses locais,mas ás vezes ele errava e voltava para casa com os nervos a flor da pele,a beira de um ataque de pânico na possibilidade de ter dormido com uma pobre garota traficada.Eventualmente,Michael chegou em um ponto que não podia mais suportar aquilo.Foi quando começou a frequentar o Le Lune.

    Le Lune era uma casa noturna subterrânea no centro de Londres.Era ao mesmo tempo,para prostituição e para shows.Era um cabaré praticamente,no estilo frânces.Muitas luzes,muitas performances de dança,garotas fazendo pirofagia dentro de gaiolas,fazendo apresentações em tecido acrobático e assim por diante.Era muito luxuoso e também muito caro.Nesse cabaré,Michael conheceu Ginger,a prostituta ruiva com quem se encontrara meses atrás na noite do incidente no hospital.Ela o cobrava 3 vezes mais caro para que mantivesse o bico calado e não espalhasse para mídia que uma realeza de Hollywood frequentava seu quarto.Quando Michael comprou os serviços dela pela primeira vez,Ginger tinha apenas 18 anos.Agora,depois de 7 anos,ela continuava a mesma coisa,só que sabia exatamente como satisfazê-lo,afinal,depois de todos esses anos,Michael a frequentou muitas e muitas vezes.Ginger chegara a dizer que ele praticamente a dera dinheiro para viajar a Europa inteira.Michael já chegara a pensar que era triste e absurdo que ele e Ginger se conhecessem melhor do que ele e Joy.Ginger era seu poço de miséria.Ela sabia de tudo.Das drogas,do vício...

   Naquela noite,depois de ter saído pela porta de casa,Michael precisava dela.Não a via desde a noite do hospital,afinal,ele estava namorando e não precisava dos serviços dela.Ele desejava, na verdade,nunca mais precisar vê-la de novo.Mas aquela noite...Ele precisa dela.Não para transar,mas para pedir ajudar.

   Ele seguiu em seu carro até a avenida onde ficava o prédio de referência.O prédio era de uma companhia de revistas de moda não muito conhecida e o Le Lune ficava dois andares abaixo do terréo.Michael estacionou o carro em uma rua deserta  perpendicular á avenida e foi andando até o prédio.Ele puxou o capuz do casaco para não ser reconhecido e acendeu um cigarro.Ao chegar em frente ao prédio,ele se direcionou para a entrada da garagem.Michael caminhou pelo estacionamento ainda com alguns carros e foi até os elevadores.Entrou e apertou o botão do 2 andar subterrâneo.Pareceu uma eternidade até que o elevador chegasse em seu destino.Ao abrir as portas,Michael seguiu por alguns corredores,onde passava a tubulação da água,até chegar em uma porta dourada de metal.Ele a puxou mas estava trancada. “Estranhou” pensou ele.A porta estava sempre aberta.Ele chegou a pensar que talvez tivesse fechado,mas conseguia ouvir a música tocando e ver a luz brilhando entre as frestas da porta.Ele deu dois toques pesados na porta.Nada de resposta.Tentou de novo.Estava quase desistindo quando a porta se abriu.Um homem alto e musculoso deu as caras com uma expressão furiosa e incomodada.

-Estamos fechados.Volte amanhã.-disse áspero.

-Eu só preciso falar com a Ginger...

-Não.As garotas estão ensaiando.Dá o fora daqui.

   Michael suspirou enraivado.

-Eu PRECISO falar com ela.Deixe-me passar

-Eu disse não,seu filho da puta!

-GINGER!GING...

    Antes que Michael continuasse com a sua tentativa de fazer com que ela viesse até ele,se era o caso de não poder ir até ela,recebeu um murro violento no osso da bochecha e tombou para trás,caindo no chão com um baque.O homem ainda veio na direção dele e deu um chute no seu estômago.Michael se encolheu e gemeu de dor.

-Pra você aprender ,seu filho da puta do caralho.- rosnou o homem e cuspiu em cima de Michael antes de entrar no cabaré de novo e fechar a porta com um estrondo.

                                         >>>>>>>>>>>>>>>>>><<<<<<<<<<<<<<<<<<

    Quando Michael voltou pra casa,humilhado,quebrado e sem forças fisicamente e psicologicamente,ele encontrou Joy dormindo no sofá segurando o telefone na mão.Ele checou o telefone dele e viu todas as chamadas perdidas dela.Suspirou.Olhou-a dormindo.Mesmo adormecida,Joy parecia preocupada.Ele se sentia mal por fazê-la se sentir assim.Decidiu deixa-la ali.Michael subiu as escadas e foi para o seu quarto,entrou no banheiro e se olhou no espelho.Havia um corte horrendo na sua bochecha,ele sangrava e ardia.Parecia que alguém tinha enfiado uma faca ali.A dor irradiava até seus dentes.Michael não cedeu ao choro e inspirou fundo com coragem.Ele entrou embaixo do chuveiro e se lavou.Desceu,já vestido,e cobriu Joy com um edredom cautelosamente para não acordá-la e depois subiu de novo para o quarto.Apagou as luzes e tentou dormir.

   


Notas Finais


Gostaram?Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...