1. Spirit Fanfics >
  2. Ódio e amor - imagine jeon jungkook >
  3. Punição deliciosa

História Ódio e amor - imagine jeon jungkook - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


aín, não me conte e já mandei outro cap um pouco mais quente do que os outros.




escrevi ele escutando - Expectations da Lauren Jauregui. ;)

Capítulo 16 - Punição deliciosa



Esperando pela Lizz que havia ido ao banheiro e Baek foi ver como estava o Min-ho. Eu e Jeon estávamos comendo enroladinho de salsicha enquanto riamos das pessoas gritando de medo na montanha russa. Eu não teria uma lembrança boa desse brinquedo se não fosse o Jeongguk ter feito eu mudar de ideia e não ter medo.


-Olha aquele senhor. - apontou para um velhinho vomitando no chão, rimos alto sem ligar pros olhares estranhos das pessoas vendo dois retardados rindo de tudo. Lizz finalmente saiu do banheiro, ela estava com os cabelos mas penteados e boca com gloss. E um aroma de puta se espalhou pelo ar.


-Oppa, vamos na roda gigante? - droga, tinha esquecido do maldito plano da Lizz de beijar o Jeonggunk na roda gigante. O moreno me olhou e negou com a cabeça.


-Não podemos deixá-la sozinha. Seu irmão ainda não voltou. - Disse o moreno, Lizz bufou e cruzou os braços. Eu estava ficando irritada com ela já, porque céus ela que tanto beija a boca dele? Mas um lado ela não sabe, ninguém sabe que eu gosto do Jeongguk. Não posso impedi-los de ficarem juntos.


-Tudo bem...Baek-hyun já está voltando, podem ir. - sorri fraco jogando fora o palito do antigo salgado. Jeongguk mesmo hesitante se deixou ser levado por Lizz, bufei frustrada e no meio daquela multidão animada eu posso ver Baek-hyun vindo em minha direção, sorri e cruzei os braços. 


-Você quer ir em qual brinquedo? - Perguntou olhando em volta.


-Naquele. - Apontei, era um dos jogos mais clichês que tinham em todos os parques, derrubar as garrafas com arminhas de água. Eu e Baek ficamos um ao lado do outro e seguramos a arma inofensiva, quando o homem contou até 3 começando a atirar nas garrafas. Eu acabei ganhando dele, pelo menos do Baek-hyun eu tinha uma chance de ganhar. 


-A ganhadora quer qual prêmio? - Perguntou o barbudo, coloquei a mão no queixo e vi um patinho fofo e um homem aranha miniatura. Apontei para o que eu queria e saímos do brinquedo, andando sem rumo pelo parque. 


-Onde está a Lizz e o Jeongguk? - Baek-hyun perguntou, logo agora que eu queria esquecer que eles podem está se beijando agora. Suspirei e ergue meus ombros.


-Não sei…- Disse baixo, Baek me olhou e estendeu sua mão. Mesmo não sabendo o que ele queria eu segurei sua mão apertando firme ela, o garoto entrelaçou nossos dedos e sorriu.


-Assim a gente pode ficar um tempo a sós. - Sorri e senti minhas bochechas queimarem, Baek-hyun se aproximou e segurou meu queixo dando um selinho nos meus lábios. - Você está linda. 


-Obrigada…- Agradeci, Baek-hyun sorriu e voltamos a caminhar. Eu estava feliz por não ter ficado sozinha aqui, Baek-hyun sempre vai ser a melhor companhia. 


[...]


Já estávamos em outra fila, a fila da casa do terror. Eu estava mais animada pra entrar nesse brinquedo, sempre fui a louca dos filmes de terror e pra falar a verdade eu nunca senti medo desse tipo de filme ou coisas. Ainda de mãos dadas, vimos Jeongguk e Lizz voltando finalmente da roda gigante. Lizz segurava o braço do moreno e os dois riam de algo, quando chegaram perto eles pararam de rir e entortaram o olhar. Quando eu entendi pra eles estava olhando: minha mão entrelaçada com a de Baek. 


-Vocês demoram, onde estavam? - Baek-hyun perguntou, Jeongguk me encarou por alguns segundos passando a língua sobre o interior da bochecha e trincando seu maxilar. Eu conheço aquela expressão.


-Estávamos na roda gigante, e pelo que vi vocês gostaram. - Sorriu maliciosa olhando pra mim e Baek, o loiro riu tímido.


-E vocês, onde estavam? - Jeongguk perguntou sério, engoli em seco. Baek-hyun coçou a nuca e sorriu me olhando. Vendo que não ia ter resposta, Jeongguk revirou os olhos. 


-Conta! Vocês se beijaram? - Lizz perguntou empolgada. Tendo atenção do Jeongguk para me outra vez, eu não iria falar nada. Eu nem sabia o que eu e Baek temos. - Esse silêncio, eu conheço muito bem. 


-Cala boca Lizz! Vamos, temos que buscar o Min-ho. - O loiro puxou o braço da irmã e saiu na frente enquanto Lizz ria da cara envergonhada do mais velho. 


-Você queria que a Lizz me levasse pra roda gigante, só pra você e o playboyzinho se beijarem. Legal, da próxima vez eu vou saber. - Jeongguk disse, revirei os olhos. Eu estava cansada de todo esse ciúmes idiota do Jeongguk, sendo que ele sempre beija a Lizz.


-Até parece que você não beijou a Lizz na roda gigante, não adianta Jeongguk. Eu não as meninas bobas que você vive pegando. - Jeongguk riu soprado e irônico enquanto se aproximava, me afastei. - Não venha querer me beijar, primeiro você deve me respeitar e depois você vem querer falar alguma coisa comigo. Pervertido. - Me virei e sai na frente tentando alcançar os outros dois.


[...]


Quando finalmente chegamos na nossa vizinhança, eu já havia me despedido de Baek e Min-ho o que foi uma coisa difícil pois o garotinho não queria se desgrudar de mim. Eu tinha uma espécie de dom que eu sempre me dava bem com todas as crianças, eu achava aquilo legal. Eu gosto de crianças, elas são sinceras. 


-Gatinha…- Já de frente a minha porta, eu escutei Jeongguk me chamar. O único que me chama por aquele nome e eu também conseguiria reconhecer sua voz de longe. Não virei pro garoto e continuei a procurar as chaves da minha casa. - Ei, eu posso falar com você? 


-Já está falando. - Retruquei, Jeongguk suspirou e ficou ao meu lado agora eu conseguia ver seu rosto, ignorei o fato dele estar ali e ainda continuava a procura das minhas chaves. 


-Vocês se beijaram? - Perguntou, revirei os olhos e encarei o garoto.


-Em vez de ficar me perturbando, me ajuda a procurar a merda da minha chave! - gritei, Jeongguk suspirou e puxou a bolsa da minha mão começando a procurar a chave. Ponderei alguns segundos e bufei me escorando na parede. - A gente se beijou. - Jeongguk me olhou indignado encontrando a chave dourada da casa. 


-Hm, certo. - Jeongguk disse depois de alguns minutos me encarando, abrir a porta da casa e adentrar, parando na porta. - te vejo amanhã. - Ele disse ainda mantendo o contato visual fixamente. Sabe aquelas olhadas que ficam um silêncio confuso? Antes que eu pudesse falar qualquer coisa, Jeongguk agarrou minha cintura e uniu nossos lábios pra um beijo quente e único, com seu pé ele fechou a porta e me segurou no colo, me deitando sobre o sofá. O beijo do garoto foi ficando cada vez mais cheio de luxúria, com a mão desocupada, o moreno levou sua mão até debaixo da minha camisa indo em direção aos meus peito apertando levemente eles. seguro os ombros do maior, uma tentativa de afastar ele. Mas por ser forte ele não moveu nenhum músculo. - Você pode beijar quem você quiser... mas sempre vai ganhar uma punição por isso. - o garoto segurou meus pulsos e levou meus braços para cima da minha cabeça, começando a da selares molhado sobre meu pescoço descobertos. 


-Jeongguk…- Eu ia dizer alguma coisa, mas a única coisa que saiu da minha boca foi um suspiro depois de sentir que o garoto mordeu levemente meus lábios. Eu já estava entregue a todos os seus toques, eu não podia negar que minha vontade de muito tempo era estar aqui com o Jeongguk. Iniciamos outro beijo, nossa língua se chocava com perfeita sincronia e o beijo com desejo se tornou um beijo lento e sensual...


Notas Finais


querem um capítulo com o hot completo? KKK, desculpem. Eu prometo que trago um dia ele completo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...