História Ódio X Desejo - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Arthur Aguiar, Chay Suede, Lua Blanco, Melanie "Mel" Fronckowiak, Micael Borges, Sophia Abrahão
Personagens Arthur Aguiar, Chay Suede, Lua Blanco, Melanie Fronckowiak, Micael Borges, Personagens Originais, Sophia Abrahão
Tags Chamel, Luar, Somic
Visualizações 19
Palavras 1.529
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ♡

Capítulo 25 - Essa noite você é minha


Fanfic / Fanfiction Ódio X Desejo - Capítulo 25 - Essa noite você é minha

P.O.V Chay 

O Arthur só pode ter fumado alguma coisa, por que ele acha que eu estou apaixonado pela Fronckowiak? Que Louco! Tá certo que ela não sai da minha cabeça mas isso não significa que estou gostando dela, né? Fiquei pensando no que ele disse e comecei a rir

- Cara, eu sou o Chay Suede e não me apaixono 

Arthur: - Hum, não é o que está parecendo 

- Pow cara! É sério! Eu só amo 3 pessoas: minha mãe, minha irmã e você meu delícia. - falei fazendo voz de gay 

Arthur: - Cara eu sei que você me ama mas tô com a Lua e você tá liberado pra ser feliz com a Mel. - ele falou com a sua voz de gay 

- A convivência com você e o Mika tá me deixando meio já. - falei rindo 

Arthur: - Mas sem zueira, se você gosta dela ou odeia admite. Por que eu sou seu amigo e não estou afim de secar lágrimas de bebê chorão não. - falou rindo 

- Nossa como ele tá engraçado hoje. - falei irônico.  - Já desse papo que já está me dando sono, vou dormir por que graças ao senhor amanhã É SEXTA!. - falei levantando a mão pro céu 

Arthur: - Amanhã eu tô meio ferrado, vou viajar com a Lua e com os pais dela. - falou fazendo uma cara de desanimado 

- Se fodeu

Arthur: - Eu sei, mas eu não sei o que fazer 

- Eu até poderia te dar uns conselhos mas como você sabe eu não sei por que eu nunca tive sogros. - falei com um sorriso no rosto mas logo se desmanchou com o que o viado do Arthur falou: 

Arthur: - Quem sabe os Fronckowiak's não podem ser seus sogros futuramente. - falou rindo 

- Vai se ferrar Arthur. - falei saindo de lá nervoso 

Arthur: - TAMBÉM TE AMO!. - ouvi ele gritar 

Da onde o Arthur tira essas ideias que eu Chay Suede tô apaixonado pela Fronckowiak? As vezes o Arthur não sabe o que fala, não fui pro quarto por que sabia que o Arthur e o Mika iam encher o meu saco com essa história, resolvi esperar pra ir pro quarto. Depois de um tempo  andando na escola resolvi voltar por meu quarto, tava passando pelo correndo do quarto das meninas até que esbarro em alguém 

Mel: - Aí!. - sem querer acabei derrubando a pessoa no chão 

- Desculpa! Como tava escuro eu não vi você

Mel: - Suede. - assim que a pessoa falou meu sobrenome eu já sabia quem era 

- Fronckowiak

Mel: - Agora deu pra me seguir?

- Se liga garota, eu tenho mais o que fazer do que seguir você 

Mel: - E o que você tá fazendo aqui? 

- Tava indo pro meu quarto e você o que está fazendo aqui a essa hora e com esse pijama?. - tava escuro mais mesmo assim conseguia enchegar o corpo dela e ela estava com o seu famoso pijama curto, o que deixou ela ainda mais gostosa 

Mel: - Eu não devo satisfações da minha vida pra você Suede e sai da minha frenteque quero dormir. - ela falou tentando me empurrar mas segurei seu braço 

- Não antes disso. - me aproximei mais dela e passei minha língua sobre seus lábios pedindo passagem que demorou um pouco mas logo ela cedeu, o nosso beijo era calmo mas depois começou a esquentar. Minha língua percorria cada centímetro da boca da Mel e ela fazia o mesmo. Logo o ar faltou e fui descendo o beijo pro seu pescoço fazendo ela se arrepiar

Mel: - Su-suede para! Não quero mais olhar pra você e não é pra você me beijar!. - ela me empurrou e cruzou os braços, me aproximei mais dela e a olhei nos olhos 

- Olha, eu sei que você não me quer ver nem pintado de ouro mas me deixa tornar essa noite especial pra você e depois disso, eu juro! Que te deixou em paz 

Mel: - Você acha mesmo que eu vou cair nos seus encantos? Não sou burra igual essas garotas que você pega e... - calei ela de novo com mais um beijo, quebrei o  beijo e fui até o seu ouvido e sussurei: 

- Eu sei que você não confia na minha palavra mas deixa eu te fazer minha essa noite? 

Ela não falou nada, simplesmente me respondeu me beijando, minha mão percorria por tudo o seu corpo parando em suas coxas as apertando-as. Subi mais um pouco minha mão até a barra da sua blusa e passei minha mão pra sua barriga e de novo ela se arrepiou com o meu toque, encostei ela na parede e comecei a beijar ela de uma forma mais feroz que foi totalmente correspondido por ela, nossas línguas fazia uma guerra enterna dentro das nossas bocas por espaço. Parei de beijar ela e comecei a beijar seu pescoço até chegar no seu ouvido:  

- Tem alguém no seu quarto?. - perguntei com a voz falha 

Mel: - Não. - apenas sorri malicioso e fomos andando até seu quarto, entramos e tranquei a porta e virei de frente pra ela. - tem certeza que não vou me arrepender dessa noite? 

- Tenho. - falei puxando ela e devorando de novo seus lábios, a Mel desceu a minha calça me deixando apenas de cueca box branca, tirei seu shorts e blusa deixando apenas de calcinha e sutiã. Puxei ela até a cama e me deitei em cima dela sem deixar meu peso sobre ela, desci o beijo pelo seu pescoço até o sutiã onde abri e levei meus lábios estava no seu seio e quando minha outra mão massageava seu outro seio fazendo a Mel gemer manhosa

Mel: - Oh.. isso Suede. - ela me incentiva a continuar e óbvio que não ia ser nenhum sacrifício pra mim, depois de um tempo me deliciando daquela região do seu corpo. Fui distribuindo beijos pelo seu corpo passando pela sua barriga e cheguei até o cós da sua calcinha e brinquei com as pontas do meus dedos e logo a Mel se encontrava nua, admirei um pouco seu corpo e depois beijei ela e levei meus dedos até sua intimidade que se encontrava molhada

molhadinha por mim?. - sussurei no seu ouvido fazendo-a se arrepiar, desci de novo levando meus lábios na sua intimidade, fazendo a Mel gemer pra mim, enquanto suagava  mantinha os 2 dedos em sua intimidade não de moro muito e ela gozo, sorri satisfeito. Ela num impulso ficou por cima de mim 

Mel: - agora você que vai gemer pra mim. - falou safada, ela desceu até o meu membro e o abocanho  fazendo um vai e vem lento com a boca me provocando

- Não  provoca morena. - falei entre dentes fazendo ela sorrir e começou a a ir mais rápido, segurei em seus cabelos a ajudando com os movimentos, mas não estava mais aguentando. Precisava dela agora, puxei ela pra cima e ela me encarou confusa. - Eu preciso de você!. - deitei ela na cama ficando por cima, dei um beijo nela 

Mel: - Tem camisinha? 

- Sempre. - peguei a minha carteira que tava no bolso da minha calça, a Mel pegou a embalagem e abriu com os dentes e vocês não tem noção de como essa cena me deixou louco. Ela colocou a camisinha em mim e me posicionei na sua entrada e a fazendo ambos soltar um gemido longo, comecei a fazer movimentos devagar a torturando que nem ela fez comigo

Mel: - ma-mais rápido 

- Assim?. - falei aumentando a velocidade e diminuindo, queria ouvi -la pedindo por mais 

Mel: - Não provoca Chay! Mais rápido! 

- Então pede

Mel: - Me fode logo. - vocês não tem ideia de como isso me deixou louco 

Aumentei a velocidade, as vezes ia fundo e a Mel gemia alto e eu beijava ela pra abafar os seus gemidos, mas era meio impossível por que eu também gemia. Com mais duas estocadas ambos gozaram juntos e cai do seu lado, estava suado e ela não estaria diferente, nossas respirações estavam falhas e não sei como ela tirou forças e veio me beijando de novo e se encaixando no meu colo me fazendo a penetrar, ela começou a quicar e ela gritava de tanto prazer que eu estava dando a ela e não estava sendo diferente comigo, segurei em sua cintura a ajudando com os movimentos e de vez em quando ela rebolava sobre meu membro me deixando mais louco. Virei com ela e comecei a penetrar nela, a Mel arranhava minhas costas e eu não conseguia parar e pelo jeito nem ela por que pedia por mais. Ela estava com os olhos fechados e a única coisa que ela fazia era gemer meu nome, com mais 2 estocadas gozamos novamente e cai do seu lado, estava cansado e ela não estaria diferente. Levantei e fui jogar a camisinha no lixo, voltei e deitei do seu lado, nossas respirações estavam falhas e nossos corpos suados. Ela olhou pra mim e me deu um selinho demorado, deitou sobre meu peitoral e dormimos 








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...