1. Spirit Fanfics >
  2. OEI Adventures >
  3. Gêmeos do mal

História OEI Adventures - Capítulo 2


Escrita por: e Rianh


Notas do Autor


Hey pessoal!
Demorou, mas saiu kkk

Antes de vocês lerem eu queria deixar uma indicação para melhor leitura e entendimento.

=> Nos momentos em que um dos Blanchet falar, eu peço que imaginem eles falando com um sotaque francês. Eu vou deixar um link para vocês lá nas notas finais, onde eles ensinam como ter um sotaque francês, ok?

Bem, sem mais papo,

Boa leitura!
..
..
..

Capítulo 2 - Gêmeos do mal


{Paris - França - 22:36}


Do avião que sobrevoava a cidade de Paris, saltou dois jovens espiões que, rapidamente, ligaram os jatos das botas e pousaram sobre uma das grandes construções da cidade.

Eles corriam pelos belos prédios, atravessando-os com movimentos rápidos e tão ligeiramente, que não eram percebidos por ninguém.

Ao se aproximarem do seu destino, ambos pularam. A energia das botas criadas por Taylor deram a eles o impulso necessário para atravessar a rua e planar por alguns segundos.

Ambos pousaram sobre o Palácio do Louvre com uma precisão impressionante.

- A informação que a Hanna conseguiu estava certa. 

O garoto falou, arrumando a touca que deixava apenas seus olhos verdes e uma pequena parte do rosto a mostra.

- É o que parece.

A companheira disse, um tanto quanto seca.

- Eu sinceramente não entendo essa desavença de vocês. Ela é legal.

- Agora não é hora para discutirmos as minhas amizades, não acha?

A garota disse, arrumando o comunicador na orelha e o ligando, ação que foi repetida pelo amigo que já estava acostumado com o mal-humor da mesma.

- James, está me ouvindo?

- Em alto e bom tom, senhora. 

- Ótimo. Alguma informação recente.

- Nada ainda, mas fiquem de olhos abertos, falta pouco tempo para o horário que Hanna nos informou.

Ficaremos, obrigado Jimi! - o moreno disse, sempre gentil.

A garota se sentou em um lugar onde pudesse observar a movimentação do museu sem ser percebida. 

- É tão bonito! - ela disse após alguns segundos de silêncio.

- Verdade. - o moreno concordou se sentando também, ao lado da amiga.

Os olhos castanhos passeavam por todos os centímetros do local, observando cada detalhe, ainda havia algumas poucas pessoas, provavelmente turistas, tirando fotos e coisas do tipo.

O único barulho perceptível do local onde eles estavam era o som do vento que, naquela noite em particular, estava frio para a data.

- Podíamos vir aqui um dia, sabe, para aproveitar e relaxar um pouco. Esses últimos dias tem sido bem cheios, merecemos um descanso, não?

- Tem razão Mark, merecemos um descanso.

A garota disse sorrindo para o amigo que a olhava também sorrindo.

- Ei! Eu quero ser convidado pra esse rolê também. - Jimi disse tentando parecer sério, mas soltando uma gargalhada logo depois.

- Não se preocupe, Jimi. Você também está convidado. - Mark disse enquanto ria.

- Agora eu estou feliz, mas olha aqui, eu não quero ficar de vela não. - Jimi falou e os ouvintes acabaram corando com a afirmação do garoto, pois entenderam o que ele queria dizer.

- Não começa, Jimi. - Luna repreendeu o menino que acabou rindo da situação.

- Ok! Vou ficar quietinho então. Se precisarem é só chamar, meu casal preferido.

Jimi! - os dois gritaram.

O garoto realmente não tinha escrúpulos, mas isso é o que fazia do Jimi, o Jimi.

Os dois se olharam e voltaram a olhar para a maravilhosa vista que aquele local proporcionava, apenas aproveitando o momento, que mesmo depois de Jimi, ainda estava calmo. Porém, como nada dura para sempre, o 'peace moment' dos dois acabou com uma movimentação estranha perto do Louvre.

Os agentes, então, se prepararam para a ação.

Lá embaixo estavam dois rostos conhecidos pela OEI e não era de hoje.

Os irmãos Blanchet eram conhecidos por sua sede de riquezas e por seus roubos orquestrados pelos museus e galerias de arte mais famosos do mundo. Mesmo já tendo cometidos vários roubos pelo mundo, eles ainda não haviam sido presos, e quando eram, sempre saíam, o que é bastante suspeito.

O alvo da vez era a Monalisa, o que, para eles, seria o auge de seus roubos, caso conseguissem completá-lo. 

Mas isso não iria acontecer, não se dependesse dos espiões escalados para o trabalho.

- Jimi, se prepare. - Luna disse para o amigo enquanto se posicionava.

- Está pronta? - Mark perguntou.

- Eu nasci pronta. - Luna respondeu, um pouco (só um pouco?) convencida.

Os espiões então pularam juntos, de costas para dar uma emoção maior, do teto do Palácio iniciando sua queda aproveitando a adrenalina.

As botas foram acionadas e, na hora do pouso, amenizaram o impacto, como se eles caíssem sobre um colchão fofinho.

- Temos que agradecer a Taylor depois. - Mark disse.

- Vamos, não temos tempo a perder. - Luna disse mandona. 

A verdade era que os irmãos já tinham começado o roubo.

- Jimi, vamos entrar pelo mesmo lugar que eles, fique atento.

- Sim, senhora.

Eles escalaram as paredes de vidro e entraram pela abertura feita anteriormente pelos irmãos.

- Tomara que não chova! - Mark falou divertido e recebeu um olhar faiscante da menina.

 Ao adentrar mais o museu, se depararam com guardas desacordados. Gás do sono, pensou Luna. Quando iam continuar, a voz de Jimi soou pelo comunicador.

- Gente, espera! Encontrei sinais de câmeras de segurança.

E o que fazemos? - Mark perguntou.

- Eu posso paralisar as imagens das câmeras, mas não duraria por muito tempo e eu precisaria de ajuda. Hmmm... é isso! - ele exclamou e então, por alguns segundos seu comunicador ficou em silêncio.

Os dois espiões então se encararam.

- Jimi! - falaram juntos seguindo um suspiro.

- Voltei! Com uma ajudinha especial. Lembrem-se, vocês têm que ser rápidos.

- Estamos prontos. - o hacker falou

- Nós também. - os espiões concordaram.

- Ok, ao meu sinal. - Jimi disse e a dupla se preparou -  Agora!

Os dois então começaram a correr por todas as salas, atravessando os corredores e seguindo até o lugar onde ficava a Monalisa, enquanto os hackers, com maestria, controlavam o sistema de segurança impedindo que a dupla fosse descoberta.

Antes de chegar realmente na sala, já era possível ver os Blanchet que estavam a cada vez mais perto de conquistar a Monalisa.

- A festinha acabou. - Luna disse apontando para os dois ao adentrarem a sala.

Os irmãos então se viraram para a direção da dupla, deixando os materiais do roubo de lado.

- Ora, ora, ora. Se não são nossos agentes preferidos.- o sotaque francês do loiro ecoou pela sala.

Pierre Blanchet, o gêmeo mais velho, mas não por isso o mais inteligente. Alto e dono de olhos azuis cristalinos. 

- Bem como ele disse que seria.

Jacqueline Blanchet, a gêmea mais nova. Loira como o seu irmão e o que diferenciava era apenas a cor dos olhos, que nela eram de um azul mais escuro.

Os Blanchet mantinham um rosto cínico no rosto.

- Vocês sabem que nunca irão conseguir roubar alguma coisa com a gente aqui, então, apenas desistam. Me poupe, se poupe, nos poupem. - Luna disse com um tom um pouco debochado apontando para ela, depois para eles e por último fazendo um círculo com a mão, arrancando uma leve risada de Mark.

- Você se acha muito inteligente, não é?

- Correção amiguinho, eu não acho, eu sei. - a garota respondeu.

- O que acha de darmos uma lição nesses pirralhos irmão? - Jacqueline disse sorrindo maleficamente.

- Vamos lá maninha. -  correspondendo o sorriso.

Assim os dois partiram para cima dos agentes, que não ficando para trás, desviaram dos golpes direcionados à eles.

Enquanto Luna lutava com Jacqueline, Mark cuidava de Pierre.

- Gente, mais rápido, as possibilidades estão se esgotando. - Jimi falou e sua voz saiu com um tom aflito.

Luna desviou de um soco e então deu um salto para trás, tentando pensar em alguma solução. Foi então que teve uma ideia.

- Mark. - a garota chamou fazendo um sinal apontando para sua cintura.

O garoto entendeu e, enquanto desviava dos golpes do Blanchet, retirou um pequeno aparelho de um dos bolsos do cinto de utilidades que fazia parte do seu uniforme.

- Haha - Pierre gargalhou - Eu não tenho medo de um brinquedinho.

Pierre então correu na direção de Mark, dando um um salto e preparando um chute que acertaria em cheio o espião, porém o garoto, que era um dos melhores de sua turma em artes marciais, se abaixou e, no momento certo, ligou o aparelho atingindo em cheio o lombar do francês que caiu, paralisado.

A verdade é que o aparelho era muito mais que um "brinquedinho". Mais uma das invenções de Taylor, o aparelho emitia ondas que "desaceleravam" os neurônios, fazendo com que o indivíduo apagasse, como se estivesse dormindo.

- Luna! - ele gritou e então atirou o aparelho que foi capturado no ar pela garota.

Ela correu na direção de Jacqueline que tentou desviar.

- Bom sonhos! - ela falou e então ligou o aparelho, acertando Jacqueline, que caiu em um sono profundo.

- Jimi, acione a polícia. - Mark falou enquanto se aproximava de Luna.

- Bom trabalho, garotão. - eles bateram os punhos, como faziam na maioria das missões bem finalizadas.

- O que fazemos com eles? - ela perguntou, se referindo aos dois irmãos que dormiam profundamente e até babavam, no caso, Pierre era o indivíduo.

- Vamos deixar que as autoridades decidam, temos que ir. - Mark falou, escutando o barulho das sirenes.

- Jimi, nossa fuga.

- É pra já.

A dupla então deixou o Louvre, guiados por Jimi, deixando para trás os gêmeos que agora tinham a companhia da Interpol. 

Ligando suas MVs, que agora já haviam sido testadas e aprovadas por Taylor, eles atravessaram Paris, indo até o local onde Alex os esperava.

Havia sido mais uma missão completada com sucesso pela nossa equipe.


{Em algum lugar do mundo}

Vocês se acham muito espertos, não é OEI? Mas um dia vocês irão perecer, nem que eu mesmo tenha que fazer isso.


Notas Finais


Agradeço a criadora da Hanna que me emprestou ela antes da história começar.
Mas, o que acharam?
Quero saber kkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...