História Of The Future - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Arrow, Legends of Tomorrow, Supergirl, The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Cisco Ramon (Vibro), Detetive Joe West, Dra. Caitlin Snow (Nevasca / Killer Frost), Felicity Smoak, Iris West, John Diggle, J'onn J'onzz "John Jones" (Caçador de Marte), Kara Zor-El (Supergirl), Lar Gand (Mon-El), Mick Rory (Onda Térmica), Oliver Queen (Arqueiro Verde), Personagens Originais, Raymond "Ray" Palmer (Átomo)
Tags Drama, Karamel, Olicity, Revelaçoes, Romance, Snowbarry, The Flash, Viagem No Tempo
Visualizações 27
Palavras 1.119
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, já faz um tempo, eu queria vir aqui avisar que amo demais essa fanfic, e senti muita falta de escreve-lá, mas ela está chegando ao fim.

Em relação a minha outra fanfic, minha amada co-autora não faz a mínima ideia do que escrever e eu também.

Vou tentar postar o mais rápido possível essa fanfic. E por fim, boa leitura.

Capítulo 22 - That Woman


_01 de Janeiro de 2019

Nanda Reynolds Ramon. 

Eu corri, muito. Pra mim, chegar aquela mulher era importante. Minha magia não estava funcionando, mas a dela funcionava, era uma feiticeira, eu tenho certeza. 

Em um momento, paramos num corredor sem saída. 

- Quem é você? - Eu disse pronta pra pegar um frasco na minha bolsa que com certeza me ajudaria a descobrir quem ela era. 

- Eu não sabia que iam culpa-la. - A mulher parecia culpada. Ela era loira de olhos azuis, bem padrão, mas algo nela me era familiar. - Eu não sabia que ela estava aqui, me disseram que ela ainda não tinha nascido. 

Notei que ela falava de uma das meninas. 

- De quem você está falando? - Perguntei apenas para ter certeza. 

- Beatriz... - Ela disse num sussurro. 

- O que você fez? - Eu perguntei, mas, ela provavelmente nem chegou a ouvir. 

Uma fumaça amarela a cobriu, antes que ela pudesse responder, e a levou embora. 

Era ela. 

Eu notei. 

Era minha mãe. 

_Quebra de Tempo_

Candy D. Darhk Palmer. 

Meu primeiro instinto, depois de apagar a memória dos adultos, era levá-los para longe o mais rápido possível. O segundo era ir atrás do Daniel e Nanda. 

Encontramos eles em um corredor sem saída. E fomos até a cena do crime. 

O Museu estava fechado e Joe deu um jeito de entrarmos, dizendo pros guardas que tinha algo pra fazer na investigação. 

- Faça sua mágica, Robbie. - Sarah disse após entrarmos na sala onde ficava o diamante. 

Ela começou a analisar o local, apenas com os olhos, sem sair do lugar. Ela colocou a mão no queixo e dizer: 

- A única maneira de saber o que houve aqui de verdade... - Ela deu uma pausa fazendo suspense. - É com a reconstituiçã.. 

- Não. - Sarah a cortou. 

- Pelo visto nunca vamos saber o que houve aqu... - Ela murmurou e de novo foi cortada. 

- Não. - Foi a minha vez. - Faça, seja lá o que for isso, não quero que minha namorada vá pra cadeia. 

- Não vai ser a primeira vez dela. - Quentin pensou alto

- Ela já foi pra cadeia? - Perguntou Joe finalmente se pronunciando. 

- Salém, acharam que ela era uma bruxa. - Eu expliquei. 

- Eu tava falando da era medieval. - Disse Quentin. 

- Se esqueceu do Pacto de nunca falar sobre o que houve? - Eu disse furiosa. - Faça de uma vez, Robbie. 

- Não dá, não consigo fazer sozinha. 

- Como assim? - Eu perguntei aflita. 

- Minha matéria escura não é o suficiente. - Ela explicou. 

- É necessário três pessoas pra funcionar. - Explicou Sarah. 

- E tem que ter os mesmo poderes. - Robbie disse.

- Que bom, conhecemos três pessoas com esses poderes. - Eu disse. 

- Você não é burra, o que acontece com tanta matéria escura direcionado para algo? - Sarah disse. 

- Pode perder o controle. - Eu respondi baixinho. 

- Da última vez congelamos a sala. - A Sarah disse um pouco baixo. 

- Eu sei, mas temos que tentar. - Eu disse com a voz mais alta e com mais confiança. 

- Ok! - Ela disse se rendendo. - Vou atrás da mamãe. 

Ela abriu um portal e saiu. 

Sarah T. Caetano Dibny. 

Estava de volta na delegacia. 

- Mãe. - Chamei ela ao vê-la no corredor. 

- Posso falar com você? - Nós duas perguntamos juntas. 

- Vem. - Eu disse a pegando pelo braço e abrindo um portal. 

- O que é isso? - Ela perguntou ao passar. 

- Um portal temporal que serve pra se deslocar de um lugar para o outro. - Disse Candy. - Quer dizer, o da Sarah só pode fazer isso. 

- Ignora ela. - Disse Robbie. 

- Quem é você e o que estamos fazendo... - ela começou a olhar em volta. - Numa cena de crime? 

- Eu também não entendo muito bem. - Admitiu Joe. - Mas elas vão tirar a Bex da cadeia. 

- Só precisamos usar um pouco seus poderes. - Disse Robbie. 

- E eu só preciso que responda minha pergunta. - Minha mãe disse firme e o que houve com a doce mulher que não conseguia dizer "não" pra seu ex-namorado? 

- Digamos, que sou uma velha amiga detetive que veio de longe e compartilha dos mesmo poderes que você. - Respondeu Robbie. - Pode me chamar de detetive Mistério. 

- O nome dela é Roberta, mas conhecida como Robbie. - Eu disse cortando seu barato. 

- Ok, pra que precisam dos meus poderes? - Ela perguntou. 

Eu a levei pro centro da sala e disse. 

- Não se preocupe, confia em mim, você confia em mim? - Perguntei. 

- Sim. 

- Então, segura a minha mãe. - Eu disse pegando ela e na de Robbie que nessa altura já segurava na de mamãe. 

- Tente congelar a minha mão. - Robbie disse despreocupada. - Não vai me machucar, e faça o mesmo com a mão da Sarah. 

Dito e feito. Logo todos nós fechamos os olhos e ouvimos os "Uou!" Extremamente comum quando usamos nossos poderes dessa forma. 

Quando abrimos a sala estava coberta de neve, havia o que parecia a Bex de Neve. Prestamos atenção no que estava acontecendo. 

Ela se aproximou do diamante e perguntou pra alguém: 

- Posso pegar? 

- Pode! - Ouvimos o que parecia ser a voz da Candy, que porra é essa? 

A voz vinha dum segundo andar que havia na sala onde ficava os controles. Todos olhamos pra lá. 

Havia uma Candy de Neve e um... Quentin de Neve? 

- Não dá pra pegar aquela parte com as câmeras. - Murmurou Joe. 

- Eu cheguei aqui hoje. - Disse Quentin. 

Então, a Bex de Neve foi pegou o diamante e foi em direção a saída. Só que por um momento seu corpo foi cobertos pela Neve como fumaça. Quando a Neve se foi, não parecia mais a Bex e sim a mãe da Nanda. 

Então a Neve se foi e a sala voltou ao normal. 

- Foi o que ela quis dizer com "não sabia que ela estava aqui". - Disse Nanda. 

- Quem disse isso? - minha mãe perguntou. 

- Aquela mulher que acabaram de ver. A magia dela deve estar falhando. - Nanda tentou explicar. 

O telefone de Joe tocou. 

- O que houve? - Ele perguntou ao telefone. - Oque? Eu também acabei de resolver outra parte. Me encontra na delegacia. 

- Aconteceu alguma coisa Joe? - Perguntou Candy. 

- Encontraram o tal diamante, ela foi encontrado num beco. - Ele disse. - Como se ele não valesse nada, com se fosse lixo. 

Continua... 


Notas Finais


Obrigado por ter lido até aqui.
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...