História Oh, Baby - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Dominação, Drama, Jesse, Paixão, Sadomasoquismo, Senhor, Spencer, Submissa
Visualizações 14
Palavras 1.303
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais um capítulo prontinho, talvez esteja mais curto, porém é porque eu quero fazer capítulos mais curtos mas com uma história melhor.

Eu recentemente comecei a ter uma epifania de ideias então isso é um bom sinal pra história, vocês vão se surpreender.

Boa leitura!

Capítulo 26 - Capítulo 25


Fanfic / Fanfiction Oh, Baby - Capítulo 26 - Capítulo 25

Uma onda de sentimentos atingiu Jesse assim que seus pés tocaram a calçada do orfanato. O lugar onde ela havia crescido ainda estava de pé e funcionando, mesmo depois de sua fuga, 3 anos atrás. O coração da garota se encheu de emoções mistas, mas ela não demonstrou nenhuma expressão enquanto observava lentamente a entrada do lugar. As cores das paredes haviam desbotado e podia-se ver rachaduras abrindo na estrutura do prédio, isso sem mencionar o velho portão preto que parecia estar perto de cair devido ao tanto de ferrugem que o cobria.

Spencer também se surpreendeu ao ver o estado do orfanato, ele sentiu seu coração apertar no peito e não gostava de pensar que sua namorada havia crescido naquele lugar. Seu olhar foi até Jesse, curioso para saber qual era a expressão dela diante da situação, mas para sua surpresa ela não possuía nenhuma emoção em seu rosto.

 

~ Jes? - ele a chamou num tom baixo.

 

Finalmente Jesse piscou pela primeira vez em alguns minutos e olhou para Spencer, colocando um sorriso fraco em sua face.

 

~ Sim?

 

~ Você está bem? Não precisamos entrar se não quiser.

 

~ Não! Eu estou bem, apenas surpresa com tudo isso - ela disse mas no fundo se sentia nervosa por voltar ali - Vamos entrar, eu te mostro o lugar.

 

Spencer segurou a mão de Jes com firmeza antes de passarem pelo portão, e pôde senti-la apertar sua mão após adentrarem o pátio do orfanato.

Haviam várias crianças brincando em grupos, e algumas mulheres mais velhas cuidando delas, e ao verem Jesse e Spencer passar, os olhares curiosos das crianças os acompanharam, umas pensando se ele era alguém importante, outras pensando se eles estavam ali para adotar alguma criança. Eles atravessaram o pátio rapidamente e chegaram até a porta principal, onde Jesse parou subitamente para repensar sua decisão de ir visitar aquele prédio, mas acabou decidindo que deveria enfrentar as memórias de seu passado e deixá-las logo para trás, para poder enfim viver sua vida do jeito certo, com Spencer. Então, tomou um passo à frente e girou a maçaneta oval da porta de vidro até que a mesma se abrisse para ela, permitindo que ambos entrassem no hall do orfanato, que estava numa condição quase tão ruim quanto o exterior do prédio.

 

Eles avançaram pelo hall até chegarem em uma pequena sala com vários brinquedos espalhados pelo chão, todos velhos e com aparência suja, e outros até estavam quebrados ou faltando peças. Jes olhou ao redor, impressionada com as mudanças naquela sala que antes costumava ser mais organizada e limpa, ela andou até um pequeno trem de brinquedo que estava sem duas de suas rodas e o pegou, lembrou-se de que ela e uma outra garotinha costumavam brincar com aquele brinquedo quando tinham seus 8 anos de idade.

 

~ Muitos dos brinquedos continuam os mesmos desde que eu era pequena… - ela falou enquanto se levantava e segurava a mão de Spencer novamente - O orfanato não estava tão ruim assim quando eu fugi…

 

~ Quando você havia fugido daqui? - ele segurou a mão dela com gentileza, pois sabia que ela estava espantada.

 

~ 3 anos atrás. Eu tinha fugido da casa do último casal que me adotou e voltei para cá, mas a diretora daqui ameaçou chamar a polícia caso eu não voltasse para a casa dos meus pais adotivos, então eu peguei minhas coisas e fugi da cidade.

 

~ E assim foi parar em Montreal.

 

Ela assentiu com a cabeça e olhou para Spencer.

 

~ Estou assustada, Spencer. Não consigo acreditar que todas aquelas crianças estão vivendo aqui nessas condições…

 

Spencer a puxou para perto de si e abraçou-a, na tentativa fazê-la se sentir melhor. Jes abriu a boca para falar algo mas logo foi interrompida por passos no hall, que se aproximavam de onde eles estavam, ela então se afastou um pouco de seu namorado e foi surpreendida quando viu a pessoa que chegara ali na sala.

 

~ Jesse Reed? - perguntou a diretora do orfanato - O que faz aqui? Não te vemos há muito tempo.

 

~ Ah, olá, senhora Simmers, eu… vim visitar o orfanato com meu namorado - Jesse disse gaguejando um pouco por conta do nervosismo - Spencer, esta é a senhora Simmers, diretora desse orfanato. Senhora Simmers, este é meu namorado, Spencer Wenderburst.

 

Ao ouvir o sobrenome de Spencer os olhos da diretora se alargaram em surpresa, e Jesse já imaginava o porque. Definitivamente era estranho uma garota como ela conseguir um namorado importante como Spencer.

 

Ele deu um passo à frente e estendeu a mão para a diretora.

 

~ É um prazer conhecê-la, senhora Simmers. Eu quis conhecer o lugar onde Jesse havia crescido e decidimos vir aqui - ele falou e seus olhos passaram rapidamente pela sala.

 

A diretora observou os dois de mãos dadas e depois focou em Jesse novamente.

 

~ Bom, a situação aqui não é uma das melhores… Estamos ficando sem dinheiro então não conseguimos reformar nada, senão as crianças ficariam sem ter o que comer - a senhora disse e foi andando até o hall - Paramos de receber apoio das organizações de caridade destinadas a orfanatos e o dinheiro que recebemos do governo é bem pouco.

 

Preocupação era o que enchia o coração e a mente de Jes. Se o orfanato continuasse assim por mais tempo, logo eles teriam mais e mais dificuldades em manter as crianças. Ela precisava pensar em algo que pudesse ajudá-los. 

Não queria ver aquelas crianças vivendo nas ruas assim como ela fez um dia.

 

~ Você já tentou fazer eventos para pedir por caridade, senhora Simmers? - Jesse se aproximou da diretora, com sua mente pensando em qualquer coisa que pudesse ajudar o orfanato.

 

A diretora afirmou com a cabeça, já havia tentado coisas do tipo várias vezes.

 

~ Não temos apoio então pouquíssimas pessoas vinham visitar os eventos, e eram sempre pessoas da vizinhança.

 

A garota cruzou os braços e mordeu o lábio inferior com frustração. Andou até a porta de entrada e dali ficou observando as crianças brincarem, muitas delas com roupas aparentemente velhas e gastas. Spencer se aproximou dela e percebeu o que havia no olhar de sua namorada, pena e compaixão, mas também via que no fundo, tinha uma chama que mostrava que Jesse estava determinada em ajudar aquele lugar.

 

~ Querida, quer ir falar com as crianças? - ele perguntou e Jes confirmou.

 

Algumas crianças se amontoaram perto do casal, curiosas para saber o que eles faziam ali.

 

~ Vocês vão levar um de nós para casa? - perguntou uma garotinha morena que parecia ter 6 anos.

 

Um sorriso triste se formou nos lábios da garota enquanto ela negava.

 

~ Não, me desculpem.

 

~ Porque estão aqui então? - um garoto perguntou.

 

~ Queremos ajudar - Jesse se agachou perto das crianças -Vocês gostam daqui?

 

Alguns negaram e começaram a reclamar todos ao mesmo tempo.

 

~ Okay, calma, um de cada vez. O que vocês gostariam de ter aqui?

 

As crianças foram levantando as mãos, querendo falar sobre seus desejos, e Jesse ouviu-as, uma a uma.

 

~ Roupas novas!

 

~ Brinquedos novos - disseram algumas.

 

~ Um parquinho!

 

~ Mais comida.

 

Os dois ouviram todos os pedidos das crianças, desde coisas necessárias até pedidos pessoais. Então uma garotinha se aproximou deles, e timidamente puxou o braço de Jesse para que ela se inclinasse.

 

~ Eu queria que a gente pudesse fazer um orfanato novo, e que a gente pudesse pintar ele com cores bem legais - ela falou baixo no ouvido da garota e depois sorriu - Você vai ajudar a gente?

 

O casal afirmou e todas as crianças ficaram animadas.

No resto da tarde, Jesse brincou com as crianças enquanto Spencer apenas observava, e depois foram embora.

 

Jesse tinha sua mente fervilhando com ideias.

 


Notas Finais


O que acham desse capítulo?

Os próximos vão ser ainda melhores.
Estou me empenhando ao máximo pra escrever bastante, e estou até pegando outras histórias minhas pra escrever e possivelmente postar mais futuramente.

Espero que tenham gostado,

até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...