1. Spirit Fanfics >
  2. Oh... Cupid? >
  3. Comemoração barata !

História Oh... Cupid? - Capítulo 1


Escrita por: yukivs

Notas do Autor


opa, oláolá.
espero que estejam bem !
essa é uma pequena tentativa de produzir algo com minhas ideias meio (???
aquelas que tu tem no chuveiro tlgd? então por favor, sejam gentis com minha escrita, sou bem inseguro com ela.

Capítulo 1 - Comemoração barata !


O claro céu sem uma sequer nuvem brilhava por conta do belo e reluzente Sol. Casas decoradas se destacavam pela cidade, a maioria continha pequenos corações em um tom vermelho vibrante que só chamavam ainda mais atenção pendurados por invisíveis fios em varandas, além de fitas coloridas, variando entre tons de rosa e vermelho, que estavam presas em janelas. Várias pessoas caminhavam pelas ruas em pura harmonia, seja admirando os detalhes apaixonantes das casas, ou até mesmo o céu limpo e aconchegante.

 O motivo de tamanha decoração era a chegada do dia dos namorados em Seul, um dia considerado de extrema importância para a grande maioria.

A comemoração ganhou grande reconhecimento há anos, isso claro, por conta de uma temida lenda antiga, essa que contava sobre a possível história de um jovem casal homossexual, eram eles, Han Jisung de dezessete anos e Lee Minho, de apenas um ano mais velho com seus dezoito. Os rapazes, assim como um comum casal adolescente mantinham seus pequenos conflitos, no início sendo apenas ofensas vindas de lá e cá, mas claro que havia amor lá. Talvez gostassem de uma leve degradação, afinal cada um com seus fetiches. Porém a situação piorava de mês em mês, acabando por sair do controle assim que Minho ousou levantar sua mão para o menor, insinuando um ato de violência, alguns dizem que Lee apenas ergueu sua mão ficando por isso mesmo, já outros, dizem que realmente chegou a agredir Han. Isso foi o bastante para descontentar o cupido chefe de nome Hwang que não suportava mais ver seu trabalho desperdiçado em pura briga. No dia dos namorados resolveu tomar uma atitude, sendo assim, separando o casal e retirando o poder de suas flechas que os mantinham juntos. Hwang prometeu que quem ousasse o tirar do sério com grandes brigas seriam permanentemente separados, o dia deveria ser repleto de amor puro e sincero, e claro, aqueles que não cumprissem as devidas tradições ficariam nas mãos de seu reino vizinho. 

Os reinos eram divididos, havia Lirryan, o mágico e adorável reino, repleto de casas em tons pastéis e paz por cada respirar. Lá viviam os bons e treinados cupidos, aqueles que realmente tinham a intenção de propagar o afeto, todos eles liderados por Hwang Hyunjin, o chefe de asas grandes e reluzentes da cor mais branca possível, seus cabelos loiros que batiam nos ombros eram seu toque especial, e o acompanhamento do belo uniforme vermelho com gráficos de coração e flechas tornava-se a cereja do bolo para deixar Hyunjin ainda mais atraente. Nenhuma lenda era capaz de descrever tamanha beleza de forma exata.

Já do outro lado, era possível localizar o reino de Lavier, a parte obscura do brilhante lugar dos apaixonados. Lavier tinha um toque só seu, com tons escuros pelas casas e detalhes de raízes de árvores escalando muros. Pelo chão, tinha-se a visão de folhas secas e alaranjadas, caídas em uma grama verde musgo. As folhas faziam barulhos um tanto altos ao serem esmagadas pela bota de couro. E lá estava, Bang Christopher Chan, com seus cabelos agora pretos curiosamente jamais vistos em outro alguém, seu rosto esboçava o típico sorriso sarcástico e suas pretas asas sem vida se camuflavam nas paredes das moradias. As vestes provocantes causavam murmúrios por onde quer que passasse, a curta blusa vermelha vinha apenas até sua cintura mostrando boa parte de seu abdômen definido, por cima se destacava uma jaqueta da mesma cor acompanhada por um par de correntes prateadas, sendo uma de cada lado penduradas pela barra. A calça rasgada marcando suas coxas e o cigarro ainda aceso na mão direita completavam o estilo do caso perdido de Hyunjin. Afinal, para o chefe, não era possível um cúpido tão diferente, jamais havia lidado com aquela espécie e não estava nem um pouco curioso em tentar.

 Chan era o típico adolescente revoltado que talvez tenha passado da faixa etária, isso era o que muitos levavam consigo no pensamento. Depois de anos tentando o educar, só se viram mais assustados, nunca compreenderam os pensamentos do menino sobre o significado do amor, em sua opinião, não deveria existir nenhum tipo de interferência feita por terceiros, já que, se realmente for paixão, ambos iriam sentir por conta própria. Não deveria ser algo propagado de forma tão perfeita e calculada.Viver a mesma coisa por anos, com apenas melosidade e carinho atrás de carinho. Onde estavam as brigas resultantes de importantes conversas sérias para o melhor entendimento de uma relação? Tais questionamentos complementam a indignação que sentiam pelo outro.Cansados de nenhuma evolução vinda do rapaz, apenas o deixaram de lado, fazendo com que, as asas perfeitamente brancas e os fios de cabelo loiros perdessem a cor e se tornassem pretos e sem vida, afinal, Chris não praticava sua magia tampouco ia para missões, enfraquecendo assim seus gloriosos poderes. Mas Hwang tinha em mente, que simplesmente não podia o deixar desamparado, todos deveriam ter sua utilidade para continuarem com a perfeita harmonia, por esse fato, criou o segundo reino, apenas para Chris, assim ele não teria como influenciar nenhum jovem aprendiz, muito menos colocar missões sérias em risco, ainda mais com o grande dia chegando mas de qualquer forma, poderia contribuir em certo ponto, se o humano fosse realmente um caso perdido, lá estava o obscuro rapaz, seja para o briguento casal ou até pela pessoa na qual não respeitava a grandiosa comemoração. Ficaria ao redor do amaldiçoado por uma semana, apenas para assegurar que não iriam desfrutar do amor.

“Bobagem …”

O acastanhado de olhos cor de mel Kim Seungmin encontrava-se em sua aconchegante sala de estar, sentado em um pequeno sofá de cor marrom, suas mãos seguravam o controle enquanto os dedos já apertavam o botão vermelho desligando a televisão em sua frente, aquela que só passava mais um dos fúteis documentários sobre o tão aclamado dia dos namorados. Desde que saiu da Malásia, vulgo seu país natal, vem se perguntando o problema dos habitantes da Coreia do Sul, tantas lendas para temer, tantas comemorações para se importarem, mas optaram pela mais idiota possível.

Kim se sentia perdido, era literalmente seu primeiro ano em Seul, era o único que parecia não se importar, sua casa não estava nem um pouco decorada, continuava com seus tons escuros e discretos. Nunca se importou com o amor de fato, bom, não em sua realidade, era o típico leitor de fantasia, admirador de Sarah J. Maas, o livro localizado em cima da mesa de centro, Corte De Névoa & Fúria entregava seu pensamento de que não havia ninguém para si na Terra. Perdeu as contas de quantas vezes dispensou pessoas que vinham se confessar para si, claro que se sentia péssimo depois, mas simplesmente não tinha muita noção de como realmente reagir, mas gostava de acreditar que agia de tal forma por ainda não sentir ter encontrado alguém verdadeiro. Seungmin não podia mentir, curtia levemente um clichê, mas de qualquer forma, queria algo diferente, alguém que lhe valorizasse, que lhe causasse sensações únicas, que o provocasse até conseguir um carinho mais afetivo, que o elogiasse de um jeito diferente. 

Os olhos sarcásticos o observavam debochar. Continuaria ele achando uma completa bobeira até o esperado dia?


Notas Finais


se tiverem algum tipo de dúvida ou até mesmo sugestões estarei por aqui.
agradeço caso tenha tirado um pouquinho do teu tempo p ler <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...