História "Oh Encre..." 2 Temp. - Capítulo 11


Escrita por: e abruxakatty

Postado
Categorias Undertale
Personagens Chara, Frisk, Muffet, Personagens Originais, Sans, Undyne
Tags Calamimi, Encre, Errink, Fallacy, Fibi, Jasper, Mpreg, Suave, Vampire Verse
Visualizações 204
Palavras 1.008
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiew gente!!! Como estão?! Desculpem a demora pra postar, mas antes de atirarem pedras vamos ao capitulo ^^'

Capítulo 11 - De volta a vila-parte 2


Narradora POV's on

O pintor dormia como um anjo na cama do rei, o mesmo alisava seu rosto delicadamente com as costas de suas mãos, ele sorria ao ver os suspiros longos que Encre emitia no lugar de roncos.

Fallacy: Heh... És tão belo dormindo doce Encre...

Sussurrava palavras doces no ouvido (?) de Encre, fazendo o menor dar leves espasmos corando seu rosto em um tom colorido leve.

Fibi entra no quarto.

Fibi: Majestade o-

Fallacy: ! Shh...

Repreendeu sua empregada ao chegar falando alto.

Fibi: ! Perdão majestade... O cocheiro chegou... E... O café de Encre já esta pronto.

Sussurou fibi.

Fallacy: Perfeito... Obrigada Fibi.

A empregada saiu do quarto, deixando o casal a sós. Fallacy beija a cabeça do artista, e balança levemente seu ombro, o menor rapidamente acorda bocejando docemente.

Fallacy: Bonjour mon amour.

Encre: Ounw... Bonjour...

Se espreguiçando, e sentando na cama, deixando sua camisa larga a mostra, fazendo Fallacy sorrir por lembrar que as roupas de dormir de seu amado eram apenas essa camisa e sua roupa intima.

Fallacy: Dormiu bem doce Encre?

Encre: H-hm... Oui.

Disse o artista esfregando os olhos ainda sonolento, Fallacy abraça Encre pelas costas lhe beijando o pescoço, o menor tenta livrar-se dos braços de Fallacy que ao perceber a relutância do menor se afasta, deixando Encre cobrir seu rosto que estava muito corado.

Fallacy: Seu café está pronto meu amor.

Encre: M-merci...

*corta no tempo*

Encre descia as escadas companhado de Jasper, que estava segurando a mão do artista.

Jasper: Fico feliz que está finalmente indo a vila.

Encre: Oui! Eu também! Minha mamã deve estar preocupada ou aflita comigo... Pena que ela non poderá vir comigo...

Jasper:  Então é verdade que ela tem a peste?

Disse o príncipe meio ofegante.

Encre: Non acho que seja a peste... Ela melhora as vezes... No dia que sai ela até saia da cama, e também tem sintomas que ela non apresenta.

Jasper: ... Sendo assim acho que seria justo ela ficar aqui contigo.

Encre: ! Sério?! Verdade?!

Disse Encre ficando na frente de Jasper e o ajudando a descer o ultimo degrau.

Jasper: Sim! Ela pode ter médicos melhores aqui, que podem ajudar a cura e o diagnóstico dela.

Encre: Oh Jasper... Que Dieu te bénisse! (Deus te abençoe!)

Jasper: Heh... Abençoe a você Encre, pelo que faz por mim e pelo meu bebê.

Disse o príncipe largando as mãos do artista.

Encre: Descanse Jasper... E tire essa cinta quando o fizer... Essa pobre criaturinha deve estar apertada ai dentro.

Disse Encre abraçando o ventre de Jasper, que riu em resposta mesmo ofegante.

Fallacy: ! Encre?

Encre: ! A-ah... Olá!

Fallacy: O que voc-

Encre se joga no chão aos pés de Jasper, que se afasta com o susto.

Encre: Fui pegar uma pedrinha da minha roupa que caiu! Hehe...

Fallacy pega a mão de Encre e o ajuda a levantar.

Fallacy: Bem... Vamos, o cocheiro já nos espera a horas!

Encre: ! Nós? V-você, vai comigo?!

Exclamou Encre surpreso, olhando para Fallacy que ainda segurava seu pulso.

Fallacy: Vou... Algum problema?

Encre: Err...

Encre olhou para Jasper desesperado, pedindo ajuda em silêncio, Jasper apenas balançou a cabeça de forma afirmativa e sorrindo, Encre suspira e olha para o vampiro em sua frente.

Encre: N-nada, eu só estou surpreso...

Fallacy pega o rosto de seu amado lhe fazendo carinho com os polegares.

Fallacy: Não tem por que estar assim, afinal estou indo conhecer minha futura sogra.

Disse o maior dando um sorriso largo que fez o artista engolir a seco, ele não queria que sua mãe soubesse do casamento, o que era inevitável, já que ele estaria casando com o rei da França.

Então eles partiram para a vila, assim que pararam na frente da casa do artista, muitas pessoas se juntaram ao pintor e ao rei, muitas sorrindo dando vivas ao rei que estava finalmente fora do castelo, mas muitas mulheres estranhavam Encre tão próximo a majestade, logo os guardas afastaram a multidão, que rodeava o casal sem deixar los ir ao seu destino.

Azure que estava cuidando de Comyet ao ouvir o alvoroço no lado de fora da casa, foi ver o que ocorria, e ao abrir a porta alargou o sorriso ao ver Encre e Fallacy juntos a sua frente.

Comyet mesmo fraca, se levantou de sua cama e espiou pela aresta da larga porta de madeira de seu quarto. 

Ao ver seu filho e o rei de mãos dadas na sala, ela fechou a porta e se virou para o armário, e foi cambaleando até o mesmo, abriu as portas e apanhou uma caixa de carvalho e bordas douradas com detalhes e desenhos de flores douradas, ela abriu a tranca em formato de coração e pegou um pequeno saquinho de sementes douradas da caixa e entrou no armário fechando a porta e sumindo.

*na sala*

Azure : Aaahh! Minhas estrelas! Vocês vão se casar! Encre! Que felicidade!

Encre: O-oui.

Fallacy: Heh... Sim é uma felicidade, mas... Ainda temos que nos conhecer melhor... Não quero que Encre se sinta forçado a nada, quero casar-me com ele apenas com seu coração também me desejando.

Azure: Tens razão... 

Encre: Onde esta minha mamã?

Azure: Está no quarto, venha... Ela estava doida esperando por você ... Eu tive de contar a verdade.

Encre: Fez certo ami...

Os tres foram em direção ao quarto da mais velha, Azure abre a porta e se assuta por não ver a senhora deitada em sua cama.

Azure: Ai mon Dieu.

Encre: ? Azure, cadê minha mamã?

Azure correu pelo quarto, olhando pelo mesmo em todas as direções.

Azure: E-ela estava aqui! Eu juro! Ela estava deitada aqui!

Disse o guarda real apontando para a cama da senhora Comyet.

Fallacy: Mas onde ela está agora?

Azure: Eu não sei!

Encre: ! Azure onde está minha mamã?!!

Berrou Encre já desesperado por não ver sua amada mãe.

*nos fundos da casa*

Comyet abre a porta do alçapão escondido na madeira do terreno morto que tinha atrás da enorme casa de sua família, a mesma suspira, sorrindo.

Comyet: A hora chegou... Já esta na hora de voltar querido...

Ela jogou as sementes ao vento e todo aquele terreno cinza e sem vida virou verde e se encheu de flores, até um monte de pedras empilhadas uma na outra sem estrutura alguma havia se transformado em uma linda cachoeira, que começou a formar um rio e vários peixes coloridos subiam magicamente do mesmo, logo o jardim secreto foi reconstituido e descoberto.


Notas Finais


'0'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...