História Ohana - Capítulo 4


Escrita por: e FahKitsune

Postado
Categorias Lilo & Stitch, Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Emma Swan, Once Upon A Time, Regina Mills, Swan Mills, Swan Queen, Swanqueen, Swen
Visualizações 179
Palavras 2.252
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Ficção, Lemon, Orange, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente espero que gostem

Louca para saber a opinião

Capítulo 4 - Descobertas


Fanfic / Fanfiction Ohana - Capítulo 4 - Descobertas

Emma se levantou mais mal-humorada do que de costume. Motivo? Ela não conseguia tirar os pensamentos das irmãs Mills. Ela estava frustrada. Primeiro: não conseguiu descobrir nada sobre Regina através dos relatórios. Segundo: Ela não conseguiu tirar da cabeça os olhos da morena mais velha, aquilo a deixou perturbada nunca antes alguém tinha conseguido a deixar tão desestruturada como a Mills mais velha. Com um humor pouco amigável, ela se levantou, tomou um banho rápido e seguiu para tomar seu desjejum e para piorar acabou encontrando com a professora da pequena Samantha no restaurante. Que sem nem pedir permissão se sentou em sua mesa e começou a relatar sobre a garotinha. Em como a menina tinha uma imaginação fértil. Às vezes ia fantasiada para a escolinha e isto a fazia ser motivos de chacota dos coleguinhas. Ela pontuou que Regina não tinha condições de cuidar de uma criança, pois para ela era incabível deixar uma criança sair de casa com fantasia de heroínas, ou com meias de cores diferentes assim como sapatos também com pares trocados. Pois para ela uma coisa é a criança brincar dentro de casa, mais outra bem diferente é a menina sair assim para a escola e passar por constrangimentos. Emma olhou para a mulher que parecia nem respirar entre uma frase e outra, aquela definitivamente gosta de falar e pior falar dos outros. Emma pensou que aquela era a fofoqueira da cidade, mas logo ela viu ali uma oportunidade.

 

- Eu vou averiguar estas questões. Mas para isto eu preciso saber sobre a mais velha. Veja tudo o que eu tenho de informação é muito pouco para poder saber se Regina está ou não em condições de cuidar da irmã - Emma viu os olhos da mulher brilhar por poder fazer fofoca.

 

- Bom. Regina sempre foi aquela que todos consideraram perfeitinha sabe. Olha não que eu esteja fazendo fofoca nem nada. Pois eu detesto este tipo de pessoa que fica falando da vida alheia. Porém eu me preocupo com o bem estar da pequena, então por este motivo eu sinto que é da minha obrigação falar o que eu vejo e sei. Afinal é do futuro da Samy que estamos falando - Emma nada falou apenas concordou com a cabeça - Regina nunca quis ficar presa na cidade. Ela sempre falou do sonho de viajar o mundo e conhecer tudo o que podia. As pessoas sempre falaram que ela tinha um futuro brilhante, o que na minha opinião sempre foi um exagero. Sim ela sempre teve as melhores notas na escola. Foi oradora da turma. Mais eu não acho que isto seja mérito dela e sim por conta da família dela. O povo gostava de bajular o pai dela e por isto a via e a tratava como a princesinha da cidade. Ela sempre foi aquela que se fazia de legal entende?! Aquela que conversa com todos independente da classe social. Eu sempre achei isto uma falsidade sem tamanho. Mas todos a adoravam. Ela foi eleita a rainha do baile. Na época estudávamos juntas eu estava no meu último ano e ela iniciando o seu primeiro ano e era sempre Regina que ganhava os elogios e a atenção dos garotos. Ela e a Zelena. Agora veja só para todos que acharam que elas iriam ganhar o mundo, aqui estão elas presas na cidade sem nem mesmo terem feitos faculdades. E a Regina está transformando a irmã em uma miniatura sua. Eu moro aqui pois sempre amei esta cidade. Sempre tive orgulho de ter nascido e crescido aqui. Mas ela. Ela nem aqui queria ficar e o povo a adorá - Mary falava fazendo caras e bocas.

 

- Você sabe se ela está se relacionando com alguém? - Emma perguntou pois a Mills pode até tratar bem a irmã mais isso nem sempre acontece com os parceiros.

 

- Não que eu saiba. Regina nunca foi do tipo namoradeira. E pelo o que a Samy fala, quando ela não está na escola ela está com a irmã. Ela sempre conta dos passeios que elas fazem juntas e é sempre as duas sozinhas. Samy é apaixonada pela praia e ela diz que a irmã não a deixa ir sozinha mesmo a praia sendo ao lado da casa delas. Então Regina sempre a leva. E acredito se ela tivesse um namorado ele as acompanharia em algum momento - Mary disse dando de ombros - Bom eu tenho que ir espero ter podido ajudar - Mary completou se levantando.

 

- Sim você ajudou. Porém antes só mais uma pergunta. - Emma falou a parando - Você costumava ser amiga da Regina ou algo do tipo? - Emma a olhou ao perguntar.

 

- Como eu disse eu não era da mesma turma que Regina. Ela sempre estava na companhia do David que hoje é o ajudante do Xerife e a Zelena que mora na mansão perto da colina. O pouco que sei da Regina é coisas que algumas pessoas falam, eu nunca conversei diretamente com ela - Mary respondeu.

 

- Talvez se você conversasse com ela mudaria a forma que a ver, o pouco que eu vi dela, ela me parece uma pessoa bem diferente desta que você acha que ela é - Emma disse ainda olhando para Mary que ficou calada - E sei que não é a sua obrigação, mas ontem durante a minha visita a Samantha não me pareceu muito bem, você poderia me ligar se ela passar mal ou se acontecer alguma coisa com ela? - Emma perguntou preocupada.

 

- Claro. Eu ligo se algo acontecer e sobre a Regina eu só falo o que vejo - Mary finalizou saindo do restaurante.

 

Emma terminou seu café seguindo para o seu escritório, ao entrar encontrou com David justo a pessoa que Mary mencionou ser amigo da Regina.

 

- Bom dia - Ela comprimentou o rapaz - Eu posso conversar com você por um instante? - Ela perguntou se aproximando dele, o ajudante do xerife deu um sorriso e maneou a cabeça concordando - Eu soube que você é íntimo das Mills e como eu sou a responsável do caso da menor estou tentando criar uma ficha sobre ela e sobre a mais velha, para assim eu não cometer nenhuma injustiça - Emma completou.

 

- Claro. E você está certa eu sou amigo da Regina apesar de ser mais velho. Estudamos juntos pois acabei tendo que parar por um tempo os estudo quando minha mãe adoeceu e quando voltei Regina foi minha tutora. Apesar de ser mais nova ela sempre foi muito inteligente, quando viu que eu estava com dificuldades se prontificou em me ajudar. Olha eu sei que você é da cidade grande e que nesses lugares as pessoas tende a ser afastadas uma da outra. Mas aqui nós conhecemos todos e criamos um laço de amizade muito forte. Eu sei que você está tentando agir da melhor forma possível. Mas veja nem tudo é preto e branco. Quando os Mills morreram eu estava lá e fiz questão de ficar com a Samy até a Gina chegar. Elas apesar da grande diferença de idade sempre foram muito apegadas uma na outra eu lembro quando Regina descobriu que ia ter um irmão e lembro quando ela descobriu que seria uma menina. Eu nunca vi alguém tão feliz como ela estava. Sei que vocês a julgam nova. Mais Regina faz tudo pela a Irmã. Se tem pessoas que ame mais aquela garotinha neste mundo saiba que eles eram os pais delas. - David disse sério. Zelena havia ligado para ele e contado que tinha falado com a Regina e a mesma estava com medo de que a irmã fosse tirada dela.

 

- Eu percebi que ela tem um grande amor com a irmã Sr. Nolan mais eu tenho que ver o quadro geral. Você como agente da lei sabe que às vezes não é só o amor que temos que levar em conta.

 

- Sim você tem razão, nem sempre podemos ver apenas pelo lado sentimental. Porém em alguns casos é exatamente por este lado que devemos ver. - David completou.

 

Emma nada respondeu apenas agradeceu e seguiu para sua sala. Ela ligou para sua amiga para saber se já estava tudo certo para sua mudança, assim que recebeu a confirmação respirou aliada, Ruby ocuparia o cargo de psicóloga. Agora ela só teria que arrumar uma secretaria para as ajudar e sua equipe estaria formada. Pegou os outros casos que foi passado para ela e começou a estudá-los quando seu telefone começou a tocar. Era Mary a avisando que Samantha não  foi a escolinha hoje. A loira se levantou e seguiu para a casa das Mills para se certificar que elas ou melhor a criança estava bem. Assim que saiu do carro bateu na porta várias vezes mas sem resposta preocupada ela levou mão na fechadura e percebeu que a porta estava de fato destrancada. Ela entrou com receio na casa e chamou mais algumas vezes constatando que não havia ninguém ali. Bufou pela displicência da mais velha ao sair e não trancar a porta. Onde já se viu deixar a casa aberta. Ela saiu olhando para todos os lados na esperança de ver uma das duas irmãs, logo se lembrou das palavras da professora sobre Regina sempre levar a irmã para a praia e assim travou o carro e seguiu em direção a praia. Emma não andou nem cinco minutos e as viu de longe correndo em uma espécie de pega pega. Emma parou sem querer atrapalhar a brincadeira e nem cortar os risos que ela conseguia ouvir de onde se encontrava. A loira ficou embaixo de uma sombra e observava as duas garotas que depois de tanto correr sentaram para assistir o pôr do sol. Ela se viu sorrindo para a imagem das duas. Mas também reparou nas nuvens que se formava a pouca distância, o vento começou a ficar mais forte. Ela viu Regina se levantar com a irmã nos braços a criança parecia ter dormido. Assistindo a dificuldade que a mais velha estava para juntar as coisas Emma resolveu ir até elas para ajudar.

 

Regina tomou um susto ao ver a assistente social o que fez Emma segurar o pequeno sorriso que se formou em seus lábios pela cara de espanto que a outra lhe deu.

 

- Fiquei sabendo que ela não foi a escola. E resolvi vir para ver se estava tudo bem! Fui até a sua casa mas não encontrei ninguém então vim ver se as achava - Emma falou enquanto recolhia os brinquedos e os colocavam dentro de um baldinho - A propósito não se sai de casa e deixa a mesma destrancada. Isto é de uma irresponsabilidade sem tamanho - Emma disse em um tom de repreensão.

 

- Aqui não é como as cidades grandes. A taxa de criminalidade daqui e mais do Laroy, o bêbado da cidade - Regina respondeu revirando os olhos e fazendo bico.

 

- Ainda sim Srta. Mills. E não revire os olhos para mim. Só estou preocupada com o se...o bem esta da menina - Emma respondeu bufando - pronto. Vamos rápido antes que a chuva nos apanhe - Ela disse assim que recolheu a cesta de piquenique.

 

Por mais que elas tenham andado rápidas  a chuva as pegou. Emma jogou seu blasé na criança. Elas deram uma pequena corrida em direção da casa. Assim que entraram Regina colocou a irmã deitada no sofá e correu para os fundos. Emma a olhou sem entender. Ela cobriu a pequena com uma manta que estava dobrada no canto do sofá e se virou ao ouvir a Mills mais velha voltando resmungando sobre ter esquecido de recolher as roupas antes de sair. Emma nada disse pois perdeu completamente a fala quando olhou para Regina completamente molhada e a camisa branca que a morena estava usando estava transparente e grudada no seu corpo lhe dando a visão completa do sutiã vermelho com um pingente dourado em formato de laço entre um bojo e o outro. Ela tentou desviar o olhar para aquela parte mais seus olhos parecia ter vida própria.

 

- Você irá pegar um resfriado se continuar com esta roupa - Ela disse séria com um olhar furioso. O qual fez Regina dar um passo para trás.

 

Regina apenas balançou a cabeça concordando antes de correr em direção a escada sem entender a raiva que a outra a olhou. Foi tudo rápido demais para ela processar. Ela pisou no primeiro degrau e escorregou fechou os olhos se preparando para o baque do seu corpo no chão. Mas tudo que sentiu foi sua cintura sendo segurada forte e seu corpo se chocando com o de Emma que assim que viu a morena correr se adiantou para a recriminar quando viu o escorregão que a outra tomou e sem nem pensar a pegou pela cintura.

 

- Menina insensata você está querendo quebrar o pescoço e deixar sua irmã órfã também? - Emma falou baixo e por entre os dentes no ouvido da morena que se arrepiou por inteira ao sentir a respiração da outra em sua nuca. Emma sem se conter puxou o ar forte e aproximou o nariz do pescoço da mulher a sua frente - Não corra na escada Srta. Mills - Emma sussurrou próximo ao ouvido da outra e depois a soltou desconcertada por sua própria atitude.

 

Regina sem dizer nada subiu a escada e assim que chegou no corredor saiu em disparada pelo mesmo, fazendo Emma bufar e sorrir.                        

              

 


Notas Finais


Gente quero a ajuda de vcs

Me ajudem a achar momentos comicos e fofos para a nossa Samy, e entre as proprias irmãs.

Me mande as ideia que eu crio encima delas

E não deixem de dizer oque acharam do cap de hoje.

xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...