História Oh,Hades! - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Madara Uchiha, Sakura Haruno
Tags Bimmbinha, Hades, Madara Uchiha, Madasaku, Mitologiagrega, Perséfone, Sakumada, Sakura Haruno
Visualizações 149
Palavras 1.618
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Capítulo Um


SEJA BEM-VINDA AO INFERNO.

 

Sakura caminhava apressada pelos corredores da universidade, levando consigo a pasta transparente com as atividades do primeiro mês devidamente corrigidas pelo professor.  Diferentemente dos seus colegas de classe, que detestavam papeis – algo controverso, afinal, se tinha algo que um bom aluno de história deveria ter em mente é que suas futuras pesquisas dependeriam e muito de papéis, pergaminhos e livros antigos – e exigiam que as notas fossem postadas diretamente no portal do curso, a rosada perambulava para cima e para baixo alegremente. Gostava de analisar todos os documentos que parassem em suas mãos, e especialmente de revisar as próprias atividades, para saber as questões que havia errado, as questões que havia acertado e etc. Claro que sua atitude de aluna dedicada e apaixonada não era bem vista pelos demais colegas de classe, mas ela não se importava.

Cantarolando ela chegou ao seu lugar preferido: a biblioteca. Cumprimentou com um sorriso amigável a bibliotecária, que retribuiu o sorriso, balbuciando alguma coisa que a Haruno não conseguiu compreender.  Ela depositou cuidadosamente sua pasta transparente em cima da mesa, e então seguiu em direção a seção de livros de história, lugar onde passava boa parte do dia, perdida entre os inúmeros volumes. Sakura estava tão concentrada em sua procura, que sequer notou a aproximação nada sutil do namorado de olhos azuis, que colocou o rosto entre um espaço livre de alguns livros, ela exprimiu um grito escandaloso e deu um pulo para trás instintivamente levando a mão até seu peito esquerdo. Naruto tombou a cabeça para trás, rindo alto antes de deixar seu esconderijo.

—Inferno! — vociferou a estudante de história, respirando fundo. — Qual é a porra do seu problema, Naruto? Quer me matar?! — e então voltou a estapeá-lo diversas vezes, fazendo-o rir ainda mais.

—Você tinha que ver a sua cara. — o loiro balançou a cabeça. Era tão fácil assustá-la! Ele aproximou-se dela sorrateiramente,e a trouxe para perto de si, a puxando pela cintura. A rosada fez um beicinho dengoso, antes de retribuir o beijo. Afastaram-se alguns minutos depois, com a respiração descompassada. — O que você está fazendo aqui?

—Acho que a pergunta aqui é o que você está fazendo aqui? Achei que fosse alérgico a livros e especialmente a História — provocou sarcasticamente e o namorado riu.

—E eu continuo sendo cruelmente alérgico a ambos — afirmou o loiro categoricamente — Mas o professor quer que eu leia alguma baboseira sobre anatomia humana para a próxima prova, então cá estou eu — deu de ombros.

—Você... Lendo um livro? — Sakura riu incrédula. — Está aí algo que eu nunca achei que fosse ver na minha vida — cantarolou divertidamente e ele inflou as narinas. — Me dê cinco minutos, ok? Eu só vou pegar o livro e já vou para a mesa, me sentar com você.

Naruto concordou e então voltou a beijá-la nos lábios mais uma vez, deslocando-se em direção a mesa. Todos aqueles livros velhos e empoeirados o fazia espirrar terrivelmente.  Sakura sorriu minimamente, orgulhosa por vê-lo se esforçando, sabia o quanto ele detestava ler e, depois de vê-lo se afastar, com o livro de anatomia embaixo de seu braço, ela tornou a caminhar por entre as seções, a procura dos contos da Idade Média, estava vasculhando título por título quando um em particular despertou sua atenção instantaneamente. A rosada estreitou os olhos, e passou o dedo por cima, retirando o excesso de poeira antes de soprá-lo e,na seqüencia tossiu.  Era provavelmente um dos exemplares mais velhos – senão o  mais velho – daquela coleção, considerou, segurando-o cautelosamente com ambas as mãos.

Caminho para o Tártaro. Ela franziu o cenho, interessada e então abriu o livro desinibidamente, folheando as primeiras páginas com a típica curiosidade de uma estudante de história do primeiro semestre. Ali continha desde a origem de Hades e Tânatos até algumas histórias envolvendo a disputa entre Poseidon, Zeus e os demais deuses e mencionava muito superficialmente o rapto de Perséfone, mas o que realmente captou a atenção da Haruno foi o fato de ter um mapa muito bem desenhado entre as páginas cento e sessenta e cinco e cento e sessenta e oito. Ao virar na página cento e sessenta e nove, havia algo parecido com uma prece.

Para ao coração do inferno chegar,

Do fundo da sua alma você deve desejar,

E esperar o lorde das trevas a recepcionar,

Não diga o nome de Hades em voz alta,

A menos que queira o encontrar.

Sakura fez uma careta, esboçando um sorriso de pura diversão nos lábio. Embaixo da prece estava escrito uma espécie de advertência, porém,ela não tinha certeza já que as letras estavam muito pequenininhas,tornando a leitura impossível.

Oh, Hades! Leve-me para o Tártaro! — leu em voz alta, divertindo-se com as supostas implicâncias que aquela reza traria.

O sorriso que anteriormente ela tinha nos lábios morreu, quando as prateleiras começaram a tremer violentamente ao seu redor, fazendo com que todos os livros caíssem abruptamente ao chão, e as lâmpadas da biblioteca estourassem em uma única vez.  A Haruno piscou os olhos, assustada e exprimiu um grito de puro pavor ao ver que os vidros das janelas, atrás de si, estilhaçaram-se completamente.

Sakura gritou largamente, jogando o livro para o alto e então tentou correr em direção ao local em que Naruto se encontrava, quando um buraco surgiu literalmente no meio do corredor e a tragou para dentro.  Ela arregalou os olhos esmeraldinos, olhando para baixo completamente estática, algo parecido com garras puxava suas pernas violentamente, arrastando-a para o buraco. 

—NARUTO! — gritou desesperadamente, antes de, enfim, desaparecer, sendo engolida pelo buraco.

[*]

O loiro assustado manteve-se debaixo da mesa, com os olhos azuis ligeiramente arregalados enquanto tornava a chamar repetidamente a namorada, não obteve respostas exceto por um grito realmente histérico. Ele tentou correr em direção a rosada, mas paralisou ao ver o buraco literalmente tragando-a para baixo. Quando estava perto o suficiente, porém, foi arremessado para o outro lado da biblioteca, onde bateu a cabeça contra a janela de vidro e acabou desmaiando.

Ela sentiu um poderoso cheiro de enxofre invadir suas narinas. Era uma mistura desagradável de enxofre com o que parecia ser cinza de cigarro e outro cheiro que não conseguiria descrever; ela tossiu violentamente algumas vezes, sua cabeça latejava em uma dor insuportável, sua garganta estava seca e seu corpo, estranhamente dolorido. Abriu e fechou os olhos algumas vezes, em meio a gemidos de dor.

—Minha cabeça está doendo tanto... — dizia, levando intuitivamente as mãos até a cabeça, somente para choramingar. Felizmente ou não,  estava deitada no que parecia ser um colchão profundamente macio e aconchegante.

—Não estou surpreso—uma voz rouca, grave e masculina se manifestou no ambiente. — Julgando pela forma como você despencou na minha sala de estar, fico surpreso de você não ter sofrido uma contusão mais grave.

Espera. Aquela voz não era a do Naruto; Sakura piscou os olhos mais algumas vezes antes de enfim abri-los, ligeiramente confusa e atordoada.

Pigarreando, a Haruno sentou-se na cama profundamente assustada, encolhendo-se.

—Quem é você? Onde é que eu estou?

—Você está na minha casa — o homem terrivelmente alto e musculoso murmurou, demonstrando um desgosto quase palpável. — Você meio que se convidou para cá, na verdade — continuou em tom debochado. A universitária franziu o cenho, ligeiramente confusa, não conseguia se lembrar de muitos detalhes, exceto pelo misterioso acontecimento na biblioteca e... Ela fez uma careta, confusa. — Eu sou Madara, deus do submundo e das trevas, ou como vocês mortais gostam irritantemente de me chamar, sou Hades.

Sakura voltou a piscar os olhos, claramente perplexa e incerta.

—Está me dizendo que eu estou no tártaro? — perguntou, e o deus revirou os olhos entediado. Ela então tombou a cabeça e gargalhou histericamente, gesticulando com os dedos para o olimpiano que franziu o cenho, revoltado. — E você... Você... é o Hades? — prosseguiu, em tom de escárnio meneando a cabeça negativamente. — Ok, ok, essa  foi genial. Quanto meu namorado te pagou para fazer isso? Fala sério, quanto de alucinógeno você usou, cara?

O deus das trevas encarou demoradamente, numa mescla de perplexidade com irritação, a criatura insolente de cabelos róseos a sua frente.

—O que é que você está achando engraçado, mortal insolente?

—Você! Você é hilário! — ela gargalhou, antes de fazer aspas com as mãos — Eu sou “Hades” — debochou, imitando a voz dele. — Essa foi incrivelmente inteligente, é sério, eu estou pensando em até realizar o sonho do Naruto e fazer o famoso bola de gato hoje a noite e... — ela interrompeu-se.

O riso morreu em seus lábios, enquanto lentamente a universitária inclinava-se, somente para ver que o chão estava pegando fogo, exatamente como todo o cômodo, exceto pela cama em que estava deitada. Tremulamente e assustada, Sakura virou-se para fitar o homem de longos e espessos cabelos negros, que estava perfeitamente vestido em um terno e paletó também preto e tinha uma expressão indecifrável no rosto.

—Mas... Que merda...?

—Você me invocou, senhorita Haruno. E como eu não posso subir, você teve que descer. — ele tinha um sorriso cruel e mórbido estampado nos lábios. — Você está, literalmente, no inferno. Espero que aproveite a estadia.

Sakura engoliu em seco, antes de voltar a tossir, com os olhos arregalados em descrença. O tal Hades estalou os dedos, fazendo com que parasse instantaneamente de pegar fogo dentro do quarto e ela olhou ao redor, espantada.

—Eu... Eu estou mesmo no tártaro? — questionou-se aos sussurros. —  Pelas bolas de Zeus! O Naruto...

Ela gritou  escandalosamente, ao ver o deus terrivelmente  próximo a si.

—Se não quiser antecipar a sua morte, é melhor tomar cuidado com os nomes que você pronuncia aqui, mortal. — vociferou ele, afastando-se lentamente.

Oh deuses! É igual Percy Jackson! Pensou animadamente.

—Não é nada como Percy Jackson. — a divindade grega rosnou e ela imediatamente se calou.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...