História Ok, Denny. (Romance Gay Yaoi) - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Child, Gay, Paixão, Romance Gay, Yaoi
Visualizações 293
Palavras 1.430
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - Céu


Olhava em seus olhos fixamente, sua respiração abafada batia sobre às minhas narinas. O hálito doce, e um sorriso que sem nenhum esforço, me desmancha por inteiro. Com um dos dedos, tocou à minha bochecha, deslizando até meus lábios.

Dennis - Olly, eu esperei muito por você. - ainda estávamos deitados ao chão - Eu sei, que não sou bom em demonstrar sentimentos, mas... saiba que até o momento, a única pessoa que realmente sinto me completar... é você. - sorri com seu dedo ainda sobre o meu lábio inferior.

Olly - Eu sou muito idiota. - olhou-me confuso - Não importa o tempo que lutei para te esquecer, sempre meu coração dizia que estava sendo impaciente demais, que nada era na pressa. Mas... essa pressa sempre me machuca. - o mesmo juntou sua testa à minha - Tudo parece ser um sonho. - sorriu a mostrar os dentes.

Dennis - Então, você já pode acordar. Por que eu... estou aqui. - puxou meu rosto para frente, unindo nossos lábios - E dessa vez, eu vou te segurar, Ozinho...

Olly - E se eu ralar o joelho de novo? - sorrimos.

Dennis - Confie em mim. - mordeu o lábio inferior - Não tenha medo. - assenti.

Devagar, aproximou seu rosto a encontrar meus lábios novamente de maneira calma. Suas mãos guiadas à minha cintura, acariciando entre leves apertos. Nossos beijos eram intensos, puz uma das mãos entre seu cabelo, dando puxões, a colar e descolar os lábios dos seus.

Meu rosto fervia, o mesmo me ergueu, pondo-me em seu colo. Com sua ajuda retirei minha camisa, senti uma corrente fria contra o peito, mas sua temperatura me equilibrava. Passou a mão em brasa sobre minha barriga, subindo lentamente até meu pescoço. Podia sentir seu membro já rígido em sua calça, bem marcado. Guiei uma das mãos até ele, fazendo uma massagem. Dennis jogou a cabeça contra o meu o peito, ouvi gemidos baixos cada vez que remexia -me sobre seu membro.

Dennis - Olly, você gosta de atiçar às pessoas. - pôs um dos dedos em minha boca, fazendo-me chupá-lo - Mas... não é o único que sabe brincar aqui. - sorri com seu dedo ainda em minha boca, o mordendo.

Retirou sua blusa com fúria, a jogando para trás. Pôs uma das mãos em minha cintura, e senti que alguns de seus dedos entraram em minha bermuda, a apalpar minha bunda de leve. Entrelacei meus braços em seu pescoço, a beijá-lo. Desde a primeira vez que toquei seus lábios já me senti viciado.

A falta de ar nos pegou, então o mesmo grudou seus dentes em meu pescoço, fazendo gemer com mais intensidade. Olhei para os meus ombros, e ali já haviam marcas bem notáveis. Ele queria mostrar para todos sua "posse". A face suada, abaixou minha bermuda, e deixando minha bunda à mostra, lançava alguns tapas que ecoavam pelo quarto. Tinha medo que minha mãe notasse. Mas a essa hora, seu sono havia lhe pegado.

Deitei a cabeça em seu ombro, ele mordia minha orelha, a fazendo queimar. Apertando-me contra o seu membro extremamente duro.

Seria a minha primeira vez. E... estava bem nervoso com isso. Ele já parecia experiente, e confesso, isso me deu um certo ciúme. Do nada, parou de beijar-me a fitar meus olhos.

Dennis - Fiz algo de errado? - disse preocupado, passou sua mão ao meu rosto e abaixei o olhar, triste.

Olly - E se eu não te der prazer? - olhou-me confuso.

Dennis - Como assim? - sorriu - Você é virgem, Olly? - assenti com muita vergonha - Não precisa ficar assim, eu também sou. - o olhei bem surpreso - Talvez não pareça, mas... eu também estou bastante nervoso com isso. É uma coisa importante, e... eu queria fazer isso apenas quando lhe tivesse em meus braços.

Olly - Eu também. - sorri mais calmo - Então... vamos fazer isso juntos? - assentiu.

Dennis - Com toda a calma necessária. - sorri, vendo seu rosto vermelho.

Voltei a beijá-lo, dessa vez ele me pegou no colo, deitando-me sobre a cama. Ficou sobre mim, ergui às pernas e o mesmo, rápido, retirou minha bermuda e cueca. Deixando-me apenas de meias. Corei com aquilo, e principalmente ao vê-lo tirar a sua roupa na minha frente, tampei a face lhe causando uma risada.

- Ãnhhh. - abaixei às mãos devagar, fitando seu corpo.

Veio até mim, o colchão afundava cada vez que subia sobre. Com uma das mãos, segurou meu pescoço, a dar-me um beijo caloroso. Sua língua brigava por espaço e minhas mãos corriam por suas costas suadas; meu coração estava acelerado. O anseio por tê-lo dentro de mim, o mais rápido possível, crescia. Porém agia com calma, deixando-me mais tranquilo e confiante.

Troquei de posição e o deitei sobre a cama. Passava a língua por seu peitoral, ele mordia o lábio, e num instante guiou minha cabeça para mais baixo. Dei de cara com seu membro, era grande e por pouco eu achei não conseguir continuar.

Passei a língua por sua extensão, o mesmo apertou os dedos dos pés a morder o lábio com mais intensidade. Aos poucos fui pondo na boca, e com movimentos de vai e vem, sugava carinhosamente seu membro.

Dennis - Olly... sua boca é tão quente... - arfou e fechar os olhos.

Mordi sua glande, minha face já estava completamente irrigada por minha saliva e seu membro batia em minha garganta com força, a cada estocada que dava, forçando minha cabeça mais para perto. Engasguei uma vez, pegando fôlego em seguida, ele beijou minha testa e meu rosto já pingava suor.

Dennis - Você é tão doce, até o seu gosto. - sorri - Posso? - assenti.

Ele puxou-me pelas pernas, a jogar-me sobre os travesseiros. Abriu minhas pernas e num molhar de seus dedos, adentrou minha entrada. A sensação era prazerosa, ele beijava minhas coxas a mordê-las algumas vezes, marcando seus dentes. Meus cabelos estavam fora de ordem, e quase cobriam minha visão em tamanho prazer.

Olly - Acho que já estou pronto. - disse ofegante.

Dennis - Perfeito. - sorriu, veio até mim a dar-me um beijo, sobre a testa e em seguida nas duas bochechas - Com calma...

Olly - E paciência. - assentiu.

Guiou seu membro a minha entrada, devagar colocou e logo cravei minhas unhas ao lençol, quase o arrancando. Ele pôs sua testa sobre a minha, estava com os olhos fechados e a dor era imensa. Mexeu-se lento quase como uma massagem, a dor passava aos poucos. Acenei com a cabeça, o mesmo entendeu o recado.

Com movimentos mais rápidos, estocava com força. Meus gemidos foram abafados por minhas mãos, e quase mordia meus dedos por tanta tensão. O quarto era iluminado pela Lua, num tom azulado. Dennis com a cabeça erguida, mordia o lábio com os olhos fechados e um sorriso de canto.

Os abriu, e olhou-me sorridente.

Dennis - Olly... - sussurrou e veio até mim para um beijo.

Tampou minha boca, e assim aumentou sua velocidade, ao ponto de quase não sentir minhas pernas. Estava descontrolado, e por outro lado aquilo só me deixava mais excitado. Os meus gemidos quase não eram ouvidos, através de suas grandes mãos. Deu-me um tapa na bunda, pude ver a marca perfeita de seus dedos.

Olly - Eu... - acabei chegando em meu ápice sobre minha barriga, uma dor correu por minha cintura, sumindo aos poucos.

Logo, Dennis foi diminuindo os movimentos. E me senti preenchido por algo quente e correr-me pelas coxas. Ele respirava ofegante, e retirou seu membro de dentro de mim. Seu corpo brilhava, assim como o meu. Controlei meus batimentos aos poucos e o mesmo deitou ao meu lado.

Olly - O que foi isso? - olhava o teto, sorrindo como bobo.

Dennis - Eu... não sei. Mas... foi a melhor coisa que já aconteceu na minha vida. - virou o rosto para mim - Eu te amo, Ozinho. - passou um dos dedos em meu rosto.

Olly - Eu também te amo, Denny. - sorri, e assim, nós unimos nossos lábios calmamente - E seu pai? - disse já com medo da reação dele.

Dennis - Eu não ligo para o que ele acha. Eu gosto de você, e pronto. Aliás, contei para a minha mãe. Nós já temos o apoio dela. - sorri - Agora... - entrelaçou sua mão à minha - Quero saber de apenas uma coisa.

Olly - O que? - o olhei aos olhos.

Dennis - Aceita namorar comigo? - meus olhos começaram a encher de água, não contive o choro. Aquilo era o que eu mais desejava ouvir em toda a minha vida.

Olly - Eu aceito. - sorriu, puxou-me para mais um beijo.

Deitei sobre seu peito, a relaxar com as batidas de seu coração. Eram como uma sinfonia, perfeita e suave.


Notas Finais


Talvez o Lemon não ficou muito Hot, mas foi por que eu optei em ser assim. Já que é a primeira vez dos dois, porémmmm os próximos já serão mais detalhados, ein.💓💕

Até o próximo capítulo, amores.🌚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...