História Olá, Happy. - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Happy, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Mavis Vermilion, Michelle Lobster, Natsu Dragneel, Zeref
Tags Diário, Drama, Gale, Gruvia, Jerza, Letley, Nalu, Olá Happy, Romance, Zervis
Visualizações 93
Palavras 1.057
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Mutilação
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eae meus repsons, tudo bem com vocês? rsrsr
Gente desculpa a demora acontece que eu fui assaltada e fiquei sem celular e como vocês devem saber eu tava sem notebook porque o meu quebrou maaaas consegui arranjar um pra ficar usando ainda bem e também eu fiquei doente um tempo, enfim muita desgraça eu tava super chateada sem celular sem vida social sem criatividade sem vontade de viver mas sigo firme
não ta lá essas coisas mas é o melhor que consigo fazer por agora então me perdoem e boa leitura <3

Capítulo 36 - Terça-feira, 19 de Setembro de 2017.


Olá, Happy.

Acho que essa é a primeira vez que escrevo em você sem que eu esteja me sentindo triste, confusa ou com medo. De alguma forma, sinto que eu nunca te conto as coisas boas que acontecem comigo, quando leio as coisas que o Natsu escreveu em você e vejo como ele mudou por causa disso começo a me perguntar porque não me acontece o mesmo. Sinceramente, recorri a você porque estava desesperada e nunca pensei que precisasse escrever coisas boas, mas eu realmente quero te contar isso.

Para começar, eu voltei para o meu apartamento. Eu não podia continuar com medo ou na casa do Natsu para sempre, então voltei. Passei a tarde arrumando tudo porque eu dispensei os empregados, dei férias ou seja lá o nome do que quer que eu tenha feito, eu apenas disse que queria um tempo sozinha na minha casa e eles foram embora. Achei que ia ficar completamente sozinha por um tempo, mas quando anoiteceu Natsu apareceu por aqui, ele havia acabado de sair do trabalho e pelo jeito que ele me olhou quando abri a porta provavelmente estava preocupado. Ele não havia dito nada quando avisei que voltaria para casa, Mavis e Zeref insistiram para que eu ficasse mais tempo (eles sabiam a verdade então eu acho que isso preocupou eles), mas Natsu não disse literalmente nada naquele momento, então foi uma surpresa quando ele resolver dizer algo.

– Eu não gosto da ideia de você estar vivendo aqui sozinha.

Estávamos fazendo o jantar, ou melhor, ele estava. Eu estava apenas observando sentada no balcão da cozinha, não sou boa cozinhando, provavelmente não conseguiria fritar um ovo sequer, mas o Natsu é realmente bom cozinhando.

– Porque? Está tudo bem.

– Não sei dizer exatamente, é só que… acho que estava me acostumando a ter você sempre por perto.

Concordei com ele, porque também me sinto da mesma forma. Na verdade, isso era um pouco estranho para mim, meu pai trabalhava muito e raramente estava em casa, mas só quando ele morreu eu me senti solitária de verdade. Senti como se o mundo estivesse jogando na minha cara que eu não tinha amigos ou família e isso fez com que eu começasse a me incomodar com o fato de estar escondendo coisas do Natsu.

– Você realmente não se importa de eu não te contar tudo?

Natsu parou o que estava fazendo e olhou para mim, curioso.

– Eu realmente não me importo, mas irei ouvir se tiver algo que você queira me contar – Ele se aproximou e me encurralou no balcão da cozinha – Está escondendo algo de mim, Lucy?

– Ninguém falou em esconder nada – Respondi escapando dele. Peguei um copo e fingi que estava ocupada demais procurando uma garrafa de água na geladeira para notar o olhar dele sobre mim – Mas talvez eu esteja.

Ele deu um grande suspiro e se escorou no balcão, ele me parecia um pouco bravo. Eu nunca vi o Natsu irritado e sinceramente não é algo que eu deseje ver.

– Eu disse que você não precisava me contar tudo, mas também disse que não queria que você se colocasse em situações difíceis sem ter a certeza de que teria meu apoio.

– Acha que me coloquei em uma situação difícil? – Perguntei. Essa deve ter sido a coisa mais sincera que saiu de mim a dias, eu não sabia como classificar essa bagunça em que estou agora.

– Não estaríamos tocando no assunto se você não tivesse se colocado em uma.

É, bom, ele definitivamente estava irritado e eu pensei que se não dissesse nada ele simplesmente esqueceria, mas mesmo depois do jantar ele continuou com a mesma expressão carrancuda no rosto, não deu nem um sorrisinho quando elogiei a comida dele ou falei de August e isso geralmente deixava ele muito animado.

– Eu não acho que esteja escondendo algo de você – Falei quando ele já estava se aprontando para ir embora. Eu não queria que ele ficasse pensando muito naquilo – São só coisas sobre a empresa que você não pode me ajudar mesmo que queira. E em relação as outras coisas eu só estou um pouco… assustada com o rumo que tudo está tomando. Não esperava que todas essas coisas acontecessem e eu não quero que você me odeie por algo idiota que fiz. Me desculpe se te deixei irritado.

Natsu me encarou de uma forma que minhas bochechas coraram de vergonha. O olhar dele me lembrou de como meu pai me olhava quando fazia alguma coisa errada, isso sempre me deixava morrendo de vergonha e eu acabava chorando e pedindo desculpas para ele, mas isso é diferente. Natsu não é meu pai, pais não beijam suas filhas como ele fez, talvez abracem da mesma maneira, mas a sensação é definitivamente diferente.

– Eu também estou meio assustado – Natsu respondeu. Tentei me desfazer do seu abraço para olhar para ele, mas ele apenas me apertou mais forte – Você é milionária, é esperta e bonita, pode conseguir coisa muito melhor do que um idiota como eu que não consegue nem mesmo estar do seu lado quando você precisa. Eu já sabia de tudo isso quando decidi ficar com você, mas eu me sinto meio inútil por não poder te ajudar. Mas mesmo com todas essas coisas, ainda assim, eu não quero que você me deixe.

Eu não achava isso triste ou coisa assim, mas a forma como Natsu falou me pareceu tão dolorosa que me fez chorar. Não sou muito de chorar, faço carrancas, dou sorrisos amarelos, olho feio para as pessoas, tenho até minha própria cara triste, mas chorar? Não, isso é algo que só acontecesse quando não consigo controlar.

– Eu nunca vou deixar você, Natsu – Murmurei me agarrando ainda mais a ele.

E ficamos ali, abraçados como dois idiotas na porta. Ele não foi embora essa noite, de alguma forma nossa relação evoluiu um pouco. Foi algo bom termos tido essa conversa, na verdade, acho que foi a melhor coisa que me aconteceu na última semana. Saber como o Natsu se sentia me deixou aliviada, sabe? Tirou um peso enorme de cima de mim. Ao invés de ficar pensando que ele pode me deixar a qualquer momento prefiro pensar em como vamos ser daqui para a frente e coisas desse tipo, é meio brega, eu sei, mas acho que todo mundo se torna meio piegas quando se apaixona.

L.H.


Notas Finais


bah é isso meus beberes prometo que vou tentar postar mais rápido mas não garanto nada ok só me perdoem de verdade eu não queria ter demorado tanto mas quem já foi assaltado ainda mais a mão armada entende o cagaço que eu ando passando ultimamente :(
beijão amo vocês me digam o que estão achando até a próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...