1. Spirit Fanfics >
  2. Old Love (Jaeyong) >
  3. N.I.N.E

História Old Love (Jaeyong) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Primeiro quero deixar claro que este capítulo contém cenas para maiores de dezoito anos, caso não goste avance a parte em que acontecerá o ato sexual para que não perca algo importante para o próximo capítulo!

Agora, boa leitura!

Capítulo 9 - N.I.N.E


Já havíamos comido, estávamos jogados no sofá apenas falando sobre coisas aleatórias, de vez em quanto roubávamos um beijo da boca alheia ou até mesmo fazíamos cócegas um no outro. 


Neste momento ele estava entre minhas pernas enquanto jogava em seu celular, eu fazia um carinho em seus cabelos o observando jogar através do seu ombro, o vejo bufar quando perde me fazendo rir baixo e o abraçar pela cintura deixando vários beijinhos em seu ombro e pescoço o ouvido rir baixinho e se encolher. 


— Amor!! Aí não, você sabe que eu sou extremamente frágil no pescoço... — Ele cobre seu pescoço com as mãos enquanto eu ria baixo. 


— Você é? Que pena queria deixar minhas marcas em você. — Faço bico o vendo me olhar por cima do ombro e negar com a cabeça se remexendo e sentando no meu colo de frente para mim agora, seus braços rodeavam meu pescoço e seu olhar penetrante adentrava meus olhos. 


Eu preferia que deixasse memórias.. Marcas desaparecem com tempo, ações vivem comigo para sempre. — Foi tudo que ele disse antes de colar nossos lábios num beijo inicialmente calmo. 


Minha mãos passeavam pela lateral do seu corpo subindo um pouco sua camisa conforme o beijo ia ganhando intensidade.


Com o tempo o ar começou a ficar quente. Seu corpo perto do meu começou a despertar novas sensações, levo uma mão aos seus cabelos os puxando de leve e nos trocando de posição, prendo seus braços por cima de sua cabeça e o observo.


Sua boca se encontrava entreaberta e vermelha, bochechas coradas e cabelo já levemente bagunçando. Aquilo foi o meu limite.


Fico no meio de suas pernas e retiro minha camisa a jogando no chão e seguro sua cintura a apertando com um pouco de força atacando seus lábios com força e vontade. 


Suas mãos passeiam pelo meu abdómen arranhando de leve me fazendo arrepiar com seus toques, passo minhas mãos por dentro de sua camisa indo até seus mamilos já duros pelos meu toques. Começo uma leve carícia neles ouvindo um gemido vindo daquela boca tão maravilhosa. 


Que saudades... 


Ele me afasta para retirar sua própria camisa e me puxa de novo contra si começando a se roçar em mim, minhas mãos atrevidas passavam pelas suas coxas as apertando com força, os únicos sons possíveis ouvir naquele cómodo era seus gemidos baixos e arrastados. 


Sua mão passo pela minha cintura até meu membro que já dava sinais de vida e o apertou por cima das vestes abrindo a mesma já querendo me despir por completo, obvio que não discordei do seu pedido e me afastei deixando que o mesmo me deixasse pelado fazendo exatamente o mesmo com ele. 


Suas pernas rodeiam minhas cintura e me empurram, seu corpo agora acima do meu rebolava em meu colo, meu membro já acordado se roçava entre suas nádegas, ele arranhava meu abdómen enquanto beijava meu peito me fazendo gemer seu nome baixo. Pude ver seu sorriso malicioso ao passar a língua pelo meu mamilo esquerdo e o mordiscando o puxando entre dentes. 


— Porra amor, você já esta tão duro.. — Falou baixo ao pressionar aquela bunda gostosa em meu sexo. 


— Tudo para si. — Respondo passando minhas mãos pela sua bunda apertando a mesma com força deixando um tapa forte no local o sentindo se empinar mais em minha direção. 


Naquele momento éramos apenas eu e ele, seu corpo contra o meu e o calor do ato ao nosso redor. 


Ele se levanta um pouco pegando meu pau e o encaixando em sua entrada e num ato rápido ele senta com tudo gemendo alto e me retirando um gemido quase no mesmo tom. Aperto sua cintura com força sentindo o aperto que seu interior fazia contra mim e puxo seus cabelos inclinando sua cabeça para o lado começando a chupar com força sua pele. 


— Caralho... Tão grande.. — Ele xinga começando a quicar, inicialmente num tom lento, enquanto eu apenas o ajudava a se movimentar. 


— Você aguenta ele todo, bebe. — Respondo o vendo afirmar e aumentar a velocidade dos seus movimentos. 


Eu encarava aquele homem em meu colo, ele se movendo de cima para baixo com rapidez, testa franzida e boca entre aberta, seja apertando meus ombros procurando um apoio fixo para ajudar seus movimentos e seus gemidos acompanhando seu ritmo.


Deixo vários tapas estalados e fortes em suas coxas juntamente de sua bunda ouvindo aqueles sons tão maravilhosos saindo da sua boca. 


Agarro seu corpo começando a remeter meu quadril para cima o fodendo com força gemendo arrastado, a sensação de estar dentro do mesmo era maravilhoso, sentindo meu pau o abrindo a cada instante. 


O suor descia por nossos corpos os tornando brilhantes de sujidade. O sofá já fazia uns barulhos que denunciavam a nossa prática ali. O clima em minha mente estava perfeito. Além das luzes apagadas e apenas a da TV iluminando o espaço em que nós estávamos, as cortinas da porta da sacada estavam abertas, ou seja, era possível observar o céu escuro porém estrelante de onde nós estávamos. 


A luz da lua refletia naquela mesma porta, fazendo com que tudo ficasse mais intenso, mais verdadeiro. 


Quando senti que o mesmo estava se cansando o retiro do meu colo o jogando no sofá e colocando sua perna em meu ombro voltando a entrar com tudo colocando força, rapidez e afinco em meus movimentos ouvindo meu nome sendo chamado em gemidos. 


— Ah... Isso... merda.. — Ele arqueava as costas arranhando as minha, sua cabeça estava inclinando para trás e seus olhos fechados. Aproveito para beijar seu peito e levando minhas mãos novamente as suas nádegas as separando começando a estoquiar mais fundo ouvindo um grito. — Isso!! Aí .. Ahh... De novo.. — Ele pedia o que me fez desconfiar que tinha encontrando seu ponto fraco. 


— Achei, amor? — Pergunto o vendo afirmar com a cabeça e começo a “socar” aquele local retirando mais sons altos de sua boca. — Tão gostoso, chama por mim, bebe! Chama por quem te fode gostoso. 


Rapidamente meu nome começou a ser o foco dos seus gemidos, levo uma mão ao seu membro começando a lhe tocar com rapidez enquanto seus dedos estavam mergulhados em meus fios de cabelos os puxando enquanto ele ainda tentava quicar contra mim procurando cada vez mais de mim. 


Não demorou muito para que juntos a gente alcançasse o limite, seu corpo cai no sofá trémulo e sustentando o meu que cai por cima do mesmo, o encho de selinhos rindo fraco com seus múrmuros manhosos e mordo seu ombro de leve.


— Não tinha isto em meus planos.. Mas foi gostoso.. Assim como você! — Ele comenta baixinho passando os braços pelo meu pescoço me enchendo de selinhos. 


— Que bom, mas agora temos que tomar banho, bebe! — Falo arrumando seus cabelos que se encontravam oleosos por causa do suor. 


— Me fodeu agora me carrega até o banheiro!





Passava pouco mais do meio dia, estava na bancada vendo Jaehyun que agora jogava com seus colegas de equipa, Mark ao meu lado apenas comentava sobre algum assunto que eu já havia desligado. 


— Taeyong!! — Acordo com uma repreensão vindo do mais novo que cruza os braços me olhando. — Eu estava falando com você, sabia?


— Desculpe, pode repetir? — Sorrio fraco coçando a nuca, ele suspira e nega com a cabeça.


— Esquece, deixa para lá.. — Ele balança as mãos, estava pronto para insistir quando vários gritos despertam minha atenção, um grupo de meninas chegam começando a dançar para os garotos, entre elas Jiwon se encontrava que em um momento vai até o Jaehyun sussurrando algo no ouvido do mesmo que apenas revira os olhos e se afasta já vindo em direção da bancada, a garota o olhava desapontada? 


— Mas que caralhos está acontecendo? — Pergunto quando ele chega perto de mim e se senta ao meu lado resmungando alto.


— Faz uns dias que ela me enche de mensagens, ela acredita que eu estou confuso e quer me reconquistar! Que raiva. — Ouço a voz do meu namorado, nego com a cabeça a observando. A mesma não desviava a atenção de nós dois. 


— Essa garota está merecendo ouvir umas verdades! — Resmungo suspirando fraco. O mesmo pega a minha mão e a beija me abraçando de lado.


— Apenas ignore, vou trocar de número e se ela continuar me chateando é só falar para o diretor! Fique calmo, amor! — Ele fala beijando meu rosto e depois me encarando. 


— Jaehyun, ela não lhe larga! Eu até pensei que ela já tivesse aceitado o facto de que você estava comigo, sabe? — Seguro seu rosto lhe roubando um selinho vendo o Mark revirar os olhos me fazendo rir.


— Ela acredita que isto é uma fase, a Jiwon sempre foi mulher de ir atrás do que quer até sangrar, até morrer! Eu sabia que aquele discurso de garota bonitinha foi mais uma tentativa de que eu fosse atrás dela, entende? Ela na verdade não irá desistir tão cedo. Mas até lá, eu continuarei contigo e sendo seu! Só se ela me sequestre e me mate. — Ele fala a última vez com voz de brincadeira me fazendo rir e afirmar o puxando para o meu colo e o enchendo de beijos.


— Tudo bem, vou confiar em você! Mas, eu vou falar com ela. De qualquer jeito acredito que nós precisamos de ter uma conversinha. Então, fique aqui com o Mark. — Falo sério o olhando, ele resmunga e afirma com a cabeça. 


Ele sabia que não ia adiantar muito então apenas me levanto e vou andando até a garota agarrando seu pulso.


— Hey! O que você está fazendo? Me solta! — Ela fala tentando se livrar do aperto e eu apenas a olho sério. 


— O que eu estou fazendo? Vou lhe ensinar a se meter na sua vida e parar de perturbar os outros. — A vejo engolir seco e gritar para  que eu a largar-se mas apenas dou as costas e a puxo para fora daquele local.


Agora está garota não me escapa. 


Notas Finais


Gente foca aqui rapidinho, o próximo capítulo será o último, então eu quero agradecer ao apoio de vocês! Estamos nos 90 favoritos e isso me deixa bastante feliz!

Já agora, peço desculpa pelo lemon meio bosta, eu não sou la muito boa com isso, espero que não tenha ficado de todo ruim!

Um beijo com sabor a nutella e fui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...