1. Spirit Fanfics >
  2. Old Summer - Noart >
  3. "...a sensação de lar."- S.D

História Old Summer - Noart - Capítulo 29


Escrita por:


Capítulo 29 - "...a sensação de lar."- S.D


A festa estava animada. Até o momento.

Any havia se certificado de contratar o melhor DJ de Los Angeles. O cara sabia mesmo como animar qualquer coisa!

A casa não estava cheia, só havia amigos íntimos, colegas de trabalho e seus acompanhantes. Exatamente como Noah havia me dito. Mas não pense que fiquei mais tranquila por haver pouca gente e esse ser geralmente meu círculo social. De forma alguma! Costumo dizer que prefiro me apresentar em um local amarrotado de pessoas do que em um show fechado para determinada quantia. O nervosismo aumenta em um grau consideravelmente perigoso! É como se as pessoas me olhassem mais e eu estive sujeita a qualquer tipo de erro.

Simplesmente horrível!

- Quer dançar um pouco? - Noah sussurrou em meu ouvido.

Senti seu bafo quente bater contra o meu rosto,me causando um leve arrepio.

- Estou bem aqui. Você quer?

Ele me mostrou uma careta,negando.

- Ainda sou um dançarino terrível!

- Não é, não! Vi com Heyoon uma das apresentações da The One. - Sorri. - Confesso ter pensado que você fosse tropeçar nos primeiros passos complexos...- Noah me empurrou, jogando meu corpo no encosto do sofá. - e me surpreendi quando foi muito melhor do que isso!

- Ah fui?

Afirmei.

- Fico extremamente lisonjeado a saber que recebi um elogio de Sina Deinert!

Ri com som nasal, ao roubar o copo da bebida fraca das mãos de Noah, bebericando um pouco.

- Não foi exatamente um elogio. Foi uma observação! - Mostrei os dentes, dando de ombros.

- Tudo bem então! - Ele se jogou também no sofá, mantendo nossas cabeças encostadas.

Passei mais uma vez o olhar pelo recinto. Pessoas famosas estavam aqui. Acabei de ver Camila Cabelo e Shawn Mendes fugindo para o jardim, acredita? Lamar conversava com algumas garotas e pareciam falar sério. Talvez estivesse dando dicas sobre canto ou gravadoras profissionais. Krystian animava tudo, na pista de dança improvisada próxima ao pequeno bar. Bailey conversava animado com um pequeno grupo de pessoas diversas. Observo Any próxima a eles, sendo abraçada por trás por um cara alto, bronzeado como Bailey de cabelos castanhos, assistindo a mim e a Noah.

- Any está nos observando.- Sussurrei virando o rosto para Noah.

Aqui todos nós, pessoas que nos prezamos, podemos perceber o tamanho da besteira cometida por minha pessoa.

O meu ato fez com que eu e Noah ficassemos a milímetros de distância. Milímetros esses que não haviam sido quebrados por muito mais tempo do que havíamos ficado separados. Nossas bocas não tinham o perigo de se tocarem,mas seus lábios podiam tocar minhas pálpebras e os meus o final de seu queixo e seu maxilar.

- Está mesmo? - Noah sussurrou.

Não consegui me mexer para responder. Apenas soltei um murmúrio em concordância.

Não esperava que Noah me beijasse,e ele não o fez, não os meus lábios. Nosso máximo foi um encostar da sua boca em minha têmpora e eu me agarrar ao seu tronco, passando os braços ao seu redor.

- Você me falou sobre a The One lançar outro sucesso. Pelos meus cálculos é para essa semana, não?

- É.- Noah suspirou. Pude sentir pelo ar quente próximo à minha testa.- Vai ser o meu último com a boy band.

- E está animado?

- Um pouco. Os fãs estão loucos por ser... a minha despedida.

- Não vai me dizer que tem o vocal principal nessa!

- Não. Seria muito difícil apresentar em shows onde eu não vou estar. - Concordei com um aceno.- Mesmo assim não acho que seja o suficiente.

- Como assim o suficiente? - levantei um pouco a cabeça para o olhar, encontrando seus olhos.

- Eles merecem uma despedida decente, não só apenas uma música onde eu não vou aparecer muito por questões futuras.

- Hum...e se fizessem um show transmitindo internacionalmente?

- Show? - Noah passou a mão pela minha cintura,me acomodando para mais perto de si.

Um arrepio subiu pela minha espinha. Arrepio esse que eu espero com todas as minhas forças ter passado por despercebido.

- Uma pequena apresentação aqui mesmo em Los Angeles,a última tendo você como um dos membros da The One!

- Seria algo muito em cima da hora Sina... Não sei se nosso empresário consegue algo assim tão rápido!

- Então não cobrem ingresso,outro presente para os fãs! - Dei de ombros.

Noah pareceu avaliar bem a situação, pois ficou calado por alguns segundos. Senti um carinho delicioso em minha cintura mesmo coberta pelo vestido tubinho branco. Urrea fazia círculos imaginários delicados com seu polegar, às vezes subindo e descendo os outros dedos da mão semi aberta pela lateral do meu tronco.

- Sina isso seria incrível!

- Gostou mesmo da ideia? - Me afastei um pouco de seu corpo para ver sua reação.

Noah balançou a cabeça em afirmativo repetidas vezes.

- É incrível! Poderia ser em um local aberto onde poderíamos alocar centenas de pessoas e montar um equipamento de som, não tão ótimo quanto aos de turnê mas ainda assim bom!

O carinho em minha cintura parou. Os dedos de Noah a apertaram,me levando novamente junto a ele, nos embaraçando em um abraço eufórico.

- Isso é exatamente o que eu estava precisando,como isso nunca passou pela minha cabeça?

Estávamos muito próximos agora. Eu geralmente tenho uma resposta na língua para tudo,mas nesses últimos dias Noah parece ter conseguido não só me trazer lembranças vivas como me desarmar por inteira.

Não era bom.

Não fazia sentido depois de tudo o que tivemos que passar. Simplesmente para mim não tinha lógica!

Tossi quebrando o contato imediatamente, me arrumando no sofá, porém não me afastando tanto a ponto que as pessoas ao nosso redor estranhassem.

- Porque Jacob não consegue pensar sem Maria. Lembra? - Sorri fraco.

- 2002.

Afirmei.

- Sinto saudades daquela época, quando as coisas não eram tão complicadas nas nossas cabeças e nós éramos crianças.

Ele havia percebido o meu estranhamento ao seu contato íntimo. Claro que perceberia!

- É uma merda ser adulto! - Dei de ombros.

- Só quando você não sabe o que quer.

Não tive coragem de encarar suas órbitas verdes. Mantive os meus olhos firmes em um jarro de porcelana adorável pertencente à Any, com certeza posto ali para deixar tudo com um ar mais elegante.

Noah respiro fundo.

- Ok. Eu vou falar com os caras sobre a sua ideia, é realmente algo a ser considerado.

- Quando voltar já podemos ir para casa? - Fiz a minha melhor cara de bebê chorona. - Honestamente, esse não é bem o meu tipo de festa.

O ar entre mim e Noah continuava pesado, mas isso não o impediu de rir sarcástico.

- E qual é o seu tipo? Aquelas em que podemos escutar a música há quarteirões antes da festa e onde acaba em polícia e multa de sonorização?

- São as melhores,eu te garanto! Qualquer dia desses eu te levo para as que sempre acontecem em Vegas. - Junto o indicador com o meu polegar, erguendo os dois no ar, mostrado um símbolo de aprovação. - Você vai adorar!

Noah apenas franziu a testa.

- Vou resucar o convite, muito obrigado! Eu já volto, tudo bem?

Assenti.

- Vê se me arranja uma bebida forte quando vinher! Essa que você pegou não tem a menor graça!

Noah não precisou falar quando vi em seu olhar "Eu dirijo, não posso beber nada forte".

- E quem vai beber dessa vez sou eu, não você! - Falei um pouco mais alto quando ele se afastou.

Observei Noah encontrando os amigos em diferentes lugares e ri ao ver Bailey arrastando Krystian para a entrada de um cômodo mais reservado da casa, provavelmente a cozinha por ter um garçom saindo de lá com uma bandeja repleta de petiscos.

Talvez eles demorassem uns cinco minutinhos.

Tocava Beyoncé agora. Ah sim,música que preste!

Virei o copo na boca,derramando os últimos goles da bebida na minha garganta. Uh! Fraca mas nem tanto!

- Olá! - O perfume extremamente doce de Any invadiu as minhas narinas.

- E aí?

- Gostando da festa?

Reprimi a careta. Devia estar a altura da ex do meu falso atual.

- Está ótima! Parabéns!

Está chata e o DJ já não está animando como antes. Pessoas estão indo embora, compare a quantidade do começo da noite com a de agora, é avassaladora minha querida! Eu particularmente nunca tive esse problema, talvez possa lhe dar umas aulas. Sabe, não é tão difícil ser negligente...

- Que bom! - Any cruzou as pernas.- E você e Noah, como andam?

Com as pernas graças a Deus!

- Estamos bem. Melhores do que quando éramos um grude na faculdade. Antes éramos unha e carne e agora somos mais como algum tipo de super cola! - Ri fraco.

- Quando nós namorávamos, não éramos tão grudados. Noah não gostava. - Ela jogou uma cartada perigosa!

Perigosa para ela...

- Sabe como é Any, quando a gente encontra a pessoa certa, não quer desgrudar nem por um segundinho. Cada momento conta, cada um é precioso. Ainda mais eu e Noah que moramos em lugares extremamente distantes!

- Ah! Então ainda está em Nova York?

Afirmei com um aceno.

- Fundei a Young Blood lá, não posso abandonar minha própria instituição.

- Mas Noah está gravando o CD solo dele, não é? Não vai poder te acompanhar para o outro lado do país. Será que o namoro suporta? - Any bebeu mais um gole de sua bebida.

Ela não tinha feito isso...

Não mesmo!

- Ainda não estamos namorando.- Desviei o olhar de Any,procurando Noah pela entrada da cozinha, torcendo para que ele vinhesse me salvar.- Vamos esperar um pouquinho, é recente isso de...- tossi constrangida com a mentira.- ir além da amizade.

- Quer dizer que não vão se ver muito?

Ela continuava batendo na mesma tecla. Retrai a vontade de revirar os olhos.

- Vou tirar férias da YB. Até lá Noah tem gravado o álbum e pode passar um tempinho comigo em Nova York. Ou podemos viajar juntos para algum lugar. Queremos fazer alguma coisa para compensar esses seis anos longe, mas não sabemos o que ainda.

- Eu e Pedro sempre quisemos viajar para o México. De repente nós podemos ir juntos,de casais!

Sorri simpática.

- Ah, é? Poxa Any,eu acho super legal!

Super legal não passar nem perto...

- Eu vi vocês dois de longe.

Sério? Quase não percebi quando mordeu o lábio encarando meu namorado. Falso namorado, quero dizer.

- Formam um belo casal,devo admitir. Mais bonitos até quando éramos eu e ele. Você vai amar quando ele fizer cafuné em você quando for dormir. Oh! E quando acordar com beijos quentes em suas costas...

Chega.

- Não acha que é muita cara de pau me falar isso? Ainda mais quando se está saindo com outra pessoa e conversando comigo. Principalmente comigo?

- Não vi nada de incoveniente na minha frase, você pode me mostrar em quê eu...

- Não se faça de sonsa,Any Gabrielly, porque nessa matéria,eu me dou muito bem. - Pisquei levantando do sofá.

- Ué, ainda não consigo entender o qu...

Observei sua bebida ainda quase cheia. Sorri de canto ao enfiar o meu copo vazio na superfície do dela, a fazendo perder o drinque que havia transbordado.

- Passar bem Anyzinha,a gente se vê por aí! - Balancei meus dedos no cumprimento mais falso,de todos do catálogo de ações superficiais.

Virei as costas deixando Any com suas sobrancelhas perfeitas arqueadas. Garota ridícula.

Noah não estava na cozinha,nem na sala de jantar, quintal ou varanda. Me perdi da minha carona,que ótimo!

- Bu!

Meu coração palpitou veloz. Abafei um grito com a mão, identificando o mesmo perfume de sempre me rodeando.

- Da próxima vez,eu vou colocar um sino em seu pescoço. Toda vez que se aproximar para me assustar, eu vou saber pelo sino!

- Vai ser tipo aquelas coisas que põe em vaca? - Noah juntou as sobrancelhas.

- Tipo isso.

Sorri ao ver a careta do moreno.

- Falou com os garotos? - ele afirmou reprimindo um sorriso.- E então? Vão fazer o show?

- Se o nosso empresário conseguir preparar tudo para daqui a duas semanas...

Sorri largo dando uma espiadinha pelo meu ombro. Any ainda estava no sofá,e nos olhava.

- Talvez seja hora de você agradecer sua namorada. Sei lá! - Passei os braços pelo pescoço de Noah, colando nossos corpos ao mesmo tempo que dei de ombros,como se não quisesse nada.

Percebi que Urrea ficou receoso, cauteloso com a aproximação anormal.

- O que você está fazendo? - Noah sussurrou para mim, mantendo seu rosto neutro,mas seu corpo rígido.

- Confia em mim. Agir como nós éramos antes, lembra? - Sussurrei. - Any está nos observando novamente.

Se essa garota não fosse humana, seria uma câmera de vigilância,eu tenho certeza!

Noah também olhou por cima dos meus ombros. Provavelmente viu o que eu vi porque circundou meu corpo, muito menor do que o seu, com seus braços. Sorri de canto, continuando com a minha encenação.

- Um carro,uma casa, comida, uma música... Estou aceitando qualquer tipo de agradecimentos!

- Música? - Noah curvou a boca pensativo. Céus, que homem! - Talvez eu possa dedicar umazinha, no meu próximo álbum,para minha namorada.

- Uma? - Estreitei os olhos.

- Foi o que eu gravei até agora.- Ele tombou a cabeça para o lado.

- Disse a Logan que já tinha quatro gravadas! - Com a mão que tinha passado por trás de seu pescoço, afundei os dedos no começo do cabelo em seu nuca, acariciando o local,o fazendo arrepiar.

Sorri satisfeita ao saber que também causo isso nele,mesmo depois de anos.

- Quero que os outros pensem que minha inspiração,e a minha disposição, está boa. Sabe,para manter o nome e não espantar outros trabalhos grandes.- Ele deu de ombros balando meus braços consequentemente.

- Sem inspiração?

- É sigilo, não posso contar a ninguém.

Revirei os olhos.

- Tudo bem.

Noah parecia não querer quebrar tanto com o contato físico, quanto com o visual. E nem eu, para falar a verdade. Meu corpo continuava a encaixar ao dele,me dando a sensação de lar.

- Acha que já podemos ir? - Noah sussurrou para mim.

- Dessa festa que definitivamente não é o meu tipo? - Ele riu com som nasal. - Não via a hora!

Noah então tomou coragem, depois de alguns segundos,e desfez o nosso "abraço", logo procurando minha mão para segurar com a sua.

Cumprimentamos quem estava ao nosso redor,conhecidos de Noah, os garotos e por último a dona da festa e seu namorado,a qual não vi soltar fumaça pelas narinas por um triz!

- Obrigado loirinha, você me tirou de uma fria.- Noah esperava encostado na parede, logo atrás de mim,eu conseguir abrir a porta do apartamento do meu irmão.

- Na verdade não. Era só não ter ido à festa Noah! - Girei a maçaneta mais uma vez e nada. Droga!

- Eu não podia "não ter ido à festa"! Any ia achar que não superei e ficaria feio na mídia, quando descobrissem que fui convidado e não compareci.

Girei a chave. Ainda nada.

- Esqueci de trazer sua bebida, não foi?

- Esqueceu. Mas tudo bem...- Girei a maçaneta. Abriu! Finalmente! - eu não estava mais a fim. - dei de ombros entrando no apê.

- Não estava mais a fim?

- É...

- Sina Maria Deinert Beauchamp? - Afirmei com a cabeça como se fosse o óbvio.- Hilário!

Revirei os olhos.

- Estou com dor de cabeça,acho que foi por ter passado as últimas quatro horas perto de você. Tchau! - Fechei a porta na cara do moreno.

- NÃO VAI NEM SE DESPEDIR DO SEU NAMORADO? - Noah gritou absurdamente alto para todo o prédio escutar.

- VAI SE FERRAR URREA! 


Notas Finais


Espero que gostem!!! 💕
Hoje demorou né?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...