1. Spirit Fanfics >
  2. Older Than Me >
  3. Juntinhos

História Older Than Me - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, amores! Voltei! 😘💜🦋

Capítulo 15 - Juntinhos




              Sempre vivi esse amor por Tae de modo tão utópico, e justamente por ser platônico era algo que para mim parecia inalcançável, portanto, ouvi-lo falar de namoro realmente me assustou bastante. Achava que de repente tudo estava indo rápido demais, uma vez que algo que até então não existia me trazia inseguranças sobre como iria se desenrolar, eu tinha que confessar, isso me dava um certo medo. Era assustador de repente me imaginar em uma relação com Tae, é claro que eu sempre o desejei, mas nunca me preparei para que isso realmente pudesse acontecer, para que ele correspondesse aos meus anseios e sentimentos. Era tudo tão surreal!
Tae, como o homem experiente que era, percebeu minhas inseguranças, sem que eu precisasse abrir a boca para falar uma só palavra.


- Desculpa, my honey! Não quis te assustar!!! – Ele dizia isso com uma das mãos em minha cintura e a outra tocando a lateral do meu rosto, fazendo um carinho gostoso com o polegar em minha bochecha, enquanto ainda estávamos sentados naquele tronco. - Vamos ir aos poucos e fazer tudo no seu tempo, ok? Eu já esperei tanto tempo, não me importo de esperar um pouco mais. Você vale muito a pena! – Eu assenti e sorri pequeno para ele.


                 Ouvir aquelas palavras daquele homem só fez com que eu me derretesse ainda mais por ele. Senti novamente a maciez dos seus lábios, os movimentos habilidosos de sua língua experiente e o deslizar de suas mãos pelas curvas do meu corpo. – Caralho de homem gostoso!!!


                 Estávamos imersos no prazer daquele momento de uma intimidade ímpar. Até então nos conhecíamos quase como tio-sobrinho, mas agora nos descobríamos como dois homens de gerações distintas, mas que se desejavam mutuamente, num sentimento singelo com nuances de luxúria e pureza simultaneamente. Eu desejava desfrutar de cada nova etapa que essa relação que estávamos construindo pudesse me proporcionar. Na verdade, eu estava me redescobrindo um novo Jungkook, pois Tae despertava em mim algo indescritível e um lado que eu nem mesmo sabia que existia. Era como se estar ao seu lado me trouxesse o mesmo sentimento de estar em casa. No fundo eu sentia que aquele ali era o meu lugar.


De repente escutamos um trotar aproximando-se de nós dois, foi somente o tempo de nos afastarmos e então vermos Jimin chegar perto da gente e dizer de cima do cavalo:


- Graças a Deus achei vocês dois em tempo! – Ele dizia isso com uma das mãos sobre o coração.


- O que houve, Minnie? – Questionei isso enquanto saíamos do tronco e colocávamo-nos em pé.
- O seu pai saiu a cavalo e assim que vi saí o mais rápido possível, ainda bem que os achei antes dele.


              - Putz! – Eu disse e na sequência olhei para Tae que estava bem apreensivo alternando seu olhar entre Jimin e eu, pude perceber que não era somente pela possibilidade de meu pai nos pegar ali. – O quê? – Eu disse. - Fica tranquilo, Tae, o Minnie já sabe de tudo. Não se esqueça que ele é o meu melhor amigo.


             - É isso aí, tio! Pode contar comigo! – Jimin deu uma risadinha e uma piscada para Tae que retribuiu com um sorriso.


- Ok. Bom, mas há quanto tempo Kwan saiu, Minnie? – Perguntou Tae.


- Não sei, acho que há uns vinte minutos, mas eu fui muito rápido, saímos quase que juntos, porém em algum momento acabamos nos separando. Acho que ele não veio por essa direção.


- Obrigado! A gente fica te devendo essa. – Eu disse para o meu amigo.


- Aceito ser o padrinho do casamento, Kookie. – Ele disse num sorriso debochado, me deixando extremamente desconcertado e corado, enquanto Tae ria alto, me abraçando por trás e dando um beijo no topo da minha cabeça. – Só me poupem ver de novo essa cena de vocês dois se agarrando. – Olhei para Jimin que se divertia com minhas feições então eu o fuzilei com os olhos. – Garoto abusado! Intimidade é uma merda!!!!


Logo em seguida avistamos meu pai chegando em um dos cavalos. Graças a Jimin fomos poupados de um belo flagra.


Pelo jeito ele não desconfiou de nada, pois se aproximou e conversou conosco normalmente. Aproveitamos os quatro para cavalgarmos mais um pouco pela extensa propriedade de Tae e em mais uns quarenta minutos todos retornamos à casa para descansarmos e nos prepararmos para o jantar de mais tarde, pois após este todos voltaríamos para casa logo em seguida. Eu e Tae nos despedimos através de olhares cúmplices e cada qual partiu para o seu quarto para banhar-se.


No jantar desci juntamente com Jimin no momento exato em que vários estavam se colocando à mesa, porém não consegui sentar-me ao lado de Tae. Acabei sentando-me em sua frente, com Jimin ao meu lado. Por vezes trocávamos alguns olhares, no entanto procurávamos ser mais discretos, havia muitas pessoas lá e não queríamos levantar nenhuma suspeita.
Todos conversavam animados e o jantar estava delicioso! Yug estava sentado ao lado de Tae e com Bianca ao lado também.


- Caramba, Kookie!!! Você tá fazendo sucesso, hein? – Yug disse.


- Eu? Por quê? – Eu o questionei sem fazer a mínima ideia do que ele estava falando.


- Baek não pôde vir à minha festa porque ele tava viajando, mas já ficou sabendo do seu rolo com o Nathan, que a propósito já me mandou mensagem me pedindo o seu contato, ele diz que tá louco pra te ver de novo. O Baek ficou pistola quando soube de vocês dois na festa.


Eu sentia minhas bochechas corarem e conseguia ver o maxilar trincado de Tae. – Por que será que Yug não podia ficar de bico fechado? Esse garoto sempre amou me irritar.


- Primeiro, Yug, eu não tenho nada com Nathan....


- Pois não foi o que pareceu. – Ele me disse cortando a minha fala.


- Nós tivemos algo na Inglaterra, mas acabou e eu não pretendo fazer uma reprise. Segundo Baek não tem nada a ver comigo, então ele não tem por que ficar pistola com nada e terceiro, espero que você não tenha passado o meu contato para o Nathan sem a minha autorização, caso contrário quem vai ficar pistola aqui sou eu.


- Epa, epa, epa!!! – Yug disse sorrindo e erguendo as mãos em sinal de rendição. – Não precisa ficar todo bravinho assim não! E não, eu não passei o seu contato pra ele.


- Amor, para de ficar enchendo o saco do Jungkook! – Disse Bianca, dando uma bronca no namorado. Ao menos alguém sensato pra colocar juízo nesse cabeça de vento.


- O que é isso, amor? O Kookie já tá acostumado comigo. Vivemos juntos a vida toda, somos praticamente irmãos. – Olhei para ele cerrando os olhos e vi uma careta em desgosto na feição de Tae quando Yug mencionou a palavra irmãos.


- Yug, deixa o Kookie em paz, garoto!!! Essa não foi a educação que eu te dei. – Tia Yuna interveio em meu favor. – Graças!!! Estava a ponto de dar uma bicuda nesse enxerido!!!


- Obrigado, tia! Não sei por que amam tanto colocar em pausa a minha vida amorosa quando estamos na mesa. – Eu disse e revirei os olhos, todos riram juntos.


Então Jimin cochichou em meu ouvido:


- Imagine se soubessem quem é a bola da vez!!! – Naja!!! – Dei-lhe uma cotovelada de leve, o que não o impediu de rir escandalosamente, chegando a dobrar-se. – Filho da mãe!!! – Tae só acompanhava os nossos movimentos com os olhos, franzindo as sobrancelhas e eu gesticulei minimamente querendo dizer que não era nada.


- Então vamos mudar o foco dessa prosa, Kookie. – Disse Bogum, o pai de Jimin, olhando para mim e dando uma piscadinha. – Kwan, eu tava pensando em trazer o Kookie, Yug e o Jimin para aquele jantar que teremos daqui a duas semanas, o que você acha? Aliás, vocês! – Bogum olhava para meu pai e para Tae. Ele trabalhava com eles na empresa, era diretor jurídico e por vezes participava de jantares e reuniões de negócios.


- Eu acho uma ótima!!! – Disse o meu pai. – Além disso, se precisar os meninos nos ajudam com o idioma, confesso que o meu inglês anda meio enferrujado.


- Por mim sem problemas, Bogum, vai ser ótimo ter os meninos conosco! – Tae disse olhando para nós três e abrindo aquele sorriso retangular lindo.


- Nossos bebês estão crescendo. – Disse minha mãe toda emocionada.


- Ai, mãe!!! – Eu disse revirando os olhos e depois cobrindo o meu rosto com as duas mãos. - Por que ela sempre tinha que agir como se eu fosse um bebezinho? Que vergonha!!!


O restante do jantar correu calmamente. Ainda bem que o mala do Yug parou de me encher o saco com o assunto do Baek e Nathan. Tae ficou mais tranquilo também. Antes de irmos embora consegui dar uma escapadinha com Tae e fomos escondidos no quarto em que eu estava para darmos mais alguns beijinhos. Eu queria bem mais, porém não tínhamos tempo e com todos ali por perto seria muito arriscado, já que a qualquer momento qualquer um deles poderia aparecer.


Na semana seguinte, em uma das noites, Tae aproveitou que Yug não voltaria para casa, pois passaria a noite na casa da Bianca, para me chamar para jantar e assistirmos um filme. Dei um perdido nos meus pais, tendo Jimin como cúmplice e álibi e quando deu o horário apareci lá.


Bati na porta e ele abriu, estava lindo, como sempre, com os cabelos úmidos, levemente bagunçados, uma calça de moleton cinza, uma camiseta preta e um tênis branco.


- Oi! – Eu disse.


- Oi! Você tá lindo, my honey! – Eu estava com uma calça jeans lavagem clara, tênis preto e uma camiseta preta também. Seus olhos percorriam rapidamente o meu corpo de cima abaixo.


Mal tive tempo de cumprimentá-lo e ele então me puxou rápido para dentro e em seguida me prensou na porta de entrada assim que a trancou, dando mordidinhas no meu pescoço.


- Tae, seu louco!!! A Minji pode nos ver assim. – Falei com os olhos arregalados e olhando em todas as direções para ver se a sua empregada estava por perto.


- Eu dei a noite de folga pra ela, relaxa, pequeno!!! – Ele me disse isso ainda mordendo meu pescoço, em seguida lambeu a mesma região e depois foi subindo os lábios até encostar nos meus.
Iniciamos um beijo muito gostosinho, nossas línguas sedentas pelo toque alheio e cheias de saudades. Tae chupava a minha língua de modo tão erótico que eu estava me sentindo derreter em seus braços. Minhas mãos percorriam seus bíceps, ombros e costas, enquanto as dele apalpavam o meu bumbum com muita volúpia, enquanto roçava sua pré ereção na minha coxa. Em meio a todo esse momento quente eu soltava alguns gemidinhos, estava louco para tirar minhas roupas ali mesmo e deixá-lo meter em mim até que eu não pudesse mais andar.


Porém, tínhamos decidido ir com calma e por isso eu não queria pular etapas.  Fomos findando o beijo aos poucos, terminando com alguns selinhos estalados. Ao fim, encostamos nossas testas sorrindo e olhando nos olhos um do outro, ele com as mãos em minha cintura e eu com as minhas segurando os seus ombros.


- Eu não acredito que você tá aqui comigo e que isso tudo que a gente tá vivendo é real. – Ele dizia, com olhos brilhantes e acredito que os meus não deveriam estar diferentes. Fechei os olhos e dei um suspiro profundo.


- Nem eu, mas é real sim. – Eu disse, dando mais alguns selinhos e terminando com um beijinho na pintinha que ele possuía no nariz.


Ele me deu a mão e fomos em direção à sala de jantar.


- Pedi pra Minji deixar tudo pronto. Está uma delícia, espero que goste!


Realmente o jantar estava maravilhoso, a Minji era uma cozinheira de mão cheia. Ao fim do jantar ele virou para mim e disse:


- Pensei em assistirmos algo aqui, mas acho que a gente vai ficar mais confortável na minha cama. Tudo bem por você?


- Claro, sem problemas! – Embora eu tenha concordado estava em um misto de expectativa e insegurança. Queria mais do que tudo me entregar para ele naquela noite, mas temia estar sendo apressado demais e estragar tudo entre nós. Resolvi deixar rolar e ver o que aconteceria no momento.


Subimos e quando chegamos no seu quarto é que me dei conta de que essa seria minha primeira vez naquele cômodo. Andei naquela casa toda desde pequeno, mas não me lembro de ir alguma vez no quarto dele e da tia Yuna. E pensar sobre ela com ele ali me trouxe uma sensação ruim, assim com pensar nele com mais alguém também.


- Depois que Yuna foi embora eu troquei todos os móveis e a decoração. Nunca trouxe ninguém aqui. – Ele me disse, parecendo ter lido os meus pensamentos. Tae era realmente um homem incrível!


Eu apenas assenti e dei um sorriso pequeno. Ele me puxou e abraçando-me pela cintura iniciamos mais um beijo molhadinho, porém esse não se prolongou muito. Andei pelo quarto olhando tudo em volta enquanto conversávamos amenidades. Depois de um certo tempo ele me questionou:


- O que você quer assistir, pequeno?


- Ah, não tenho preferência, Tae! Quer escolher?


Ele tirou o tênis e aconchegou-se nos travesseiros, dando batidinhas ao seu lado para que eu me deitasse ali com ele. Tirei meus tênis e subi na cama, engatinhando até onde ele estava. Então me deitei em seu peito, enquanto ele começou a procurar por algum filme para a gente assistir.


Chegamos a um consenso, optamos por um de ficção científica. O filme começou e prendemos nossa atenção na trama, mas depois de um certo tempo, ele se moveu na cama, virando de lado ficando meio de frente para mim, já que eu me coloquei de lado também. Ele acariciou o meu rosto e me disse:


- Você é muito lindo, my honey! Não tem noção de quantas vezes eu me imaginei aqui desse jeitinho com você.


Eu segurei em seu rosto e aproximei os meus lábios dos dele. Daí iniciamos um beijo que aos poucos foi se intensificando e tornando tudo muito mais quente naquele quarto. Comecei a chupar a sua língua, depois findei com uns selinhos e ele, ainda com seus lábios contra os meus, me disse:


- Não chupa a minha língua assim! Isso me faz lembrar aquele boquete delicioso que recebi de você. Foi o melhor da minha vida!!!


- Mesmo? – Eu disse entorpecido pela proximidade dos nossos corpos e pelo clima sensual no qual estávamos envolvidos.


- Mesmo. – E voltou a atacar os meus lábios vorazmente.


Nossos beijos foram ficando mais selvagens e as minhas mãos percorriam o seu peitoral. Eu já nem estava mais prestando atenção no que estava passando na tv, nem ele. Só queria me perder naquele corpo amorenado.


- Eu tô louco pra te comer!!! Tô alucinado!!! – Ele sussurrou com a boca colada à minha.


Essas palavras quase me fizeram ter um orgasmo só em imaginar que delícia devia ser tê-lo inteirinho dentro de mim.


Então mantive uma das mãos em seu peitoral, enquanto a outra desceu adentrando sua cueca e sua calça, indo até o seu membro duro, e comecei a apertá-lo sem nenhum pudor, punhentando-o meio desajeitado pela posição.


Estávamos tão malucos de tesão que uma de suas mãos entraram por trás da minha calça jeans, por dentro da cueca e um de seus dedos começou a cutucar a minha entradinha, friccionando-a e forçando-a levemente, mas sem entrar de fato.


- Porra, garoto!!! Eu preciso muito meter em você!!!


Eu só conseguia suspirar e me entregar mais ainda aos seus beijos luxuriosos, deixando que ele fizesse o que quisesse de mim. Ficamos nessa sacanagem mais alguns minutos. Então ele tirou a mão de dentro da minha calça e a minha de dentro da sua, me deitou na cama e veio por cima.
Começou a morder meu pescoço enquanto suas mãos passaram a abrir o botão da minha calça jeans e abaixar o meu zíper, enquanto ele sussurrava:


- Eu vou te comer tão gostosinho!!!


- Tae!!! - Eu só conseguia arfar e ficar totalmente entregue a ele.


Então após duas batidas na porta ouvimos:


- Pai! Posso entrar?



Notas Finais


Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...