História Olha a Cobra - Capítulo 1


Escrita por: e JikookCouple

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Arraial, Arraialjkc, Comedia, Concurso, Crossdress, Jikook, Kookmin, Quadrilha
Visualizações 263
Palavras 3.198
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aqui Jikook é adolescente idiota, qualquer piada de mal gosto é intencional para demonstrar a imaturidade deles.

A musica usada é do Luiz Gonzaga: Asa Branca. Se não conhece, você perdeu metade da sua vida.

FIC para o Concurso Arraial do JKC. (Não ganho nada por ser adm)

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Olha a Cobra - Capítulo 1 - Capítulo Único

— Cuidado! — Gritou Jeon quando viu a escada pender para o lado, e o peso morto de Jimin despencar lá de cima. Não precisou de mais outro grito para sair correndo até o corpo imóvel no chão. Jungkook pegou-se segurando a risada assim que viu o melhor amigo jogado no chão, por cima das sobras dos tecidos, a boca aberta como se procurasse ar e o tubo de tinta aberto sobre suas bochechas, escorrendo para baixo.

— … — Jimin não conseguia respirar. Suas costas doíam e ele sentia pequenas lágrimas se formando em seus olhos. Um tapa forte em seu peitoral o fez reagir assim que uma das gotículas escorregou por sua bochecha. O ar entrou em seus pulmões, e a tosse se fez presente rasgando sua garganta a cada arfada. 

— Você ainda nem se formou e já tá pensando em morrer. — Disse Jungkook em forma de deboche ajoelhado ao lado do baixinho, todos os colegas de sala ao redor dos dois assistindo os mais idiotas da escola sendo… Bem, os mais idiotas da escola.

— É assim que você salva alguém? — Resmungou Jimin quando se viu com ar suficiente na cabeça para poder raciocinar. Sua voz entrecortada pela garganta agora ardida e o pulmão tentando puxar mais ar do que era capaz. — Me avisa que da próxima pulo de mais alto… Babaca. — Continuou o mais velho afastando o amigo com um empurrão, fazendo-o aterrissar no chão ao seu lado, caindo de bunda e reclamando em voz baixa. Park Jimin expirou e respirou fundo novamente, pondo-se finalmente sobre seus pés, balançando no lugar enquanto sentia o corpo estalar. — Acho que voltou pro lugar. — Referiu-se o jovem ao ombro que havia machucado na aula de educação física no dia anterior. Dando de ombros, e como se nada tivesse acontecido, Jimin pôs-se de pé, puxando a escada junto de si e voltando a subir.

A grande maioria dos colegas de sala assistiram embasbacados como o mais velho de todos eles subia novamente nos degraus perigosos, e voltava a repetir as mesmas peripécias para grudar a faixa sobre a porta da sala de aula. Jeon, ainda no chão, observou como Jimin balançava novamente na escada e por alguns segundos se preocupou, mas a tinta vermelha agora espalhada pelas sobras do tecido lhe deram uma ideia.

Com cuidado, pegou um dos pedaços e se levantou, subindo ele também na escada, levando um grito e uma quase patada no rosto do outro; só que sem desistir, Jeon continuou subindo, espremendo-se entre o corpo do melhor amigo e o vão que dava direto ao chão.

— Mas que merda você tá fazendo? — Reclamou um Jimin com o cenho franzido e extremamente incomodado com a proximidade do corpo esquálido ao seu lado. — Caralho, sorte que você não tá mais uma baleia, senão eu ia te devolver pro mar desse jeito. — Disse o mais velho a modo de piada, rindo em seguida do que ele achava que era sua própria esperteza.

— Ha, ha, muito engraçado. — Respondeu Jeon com a voz amarga, revirando os olhos, lembrando bem de como até um ano atrás seu corpo ainda preservava as gorduras das inúmeras batatas fritas e salgadinhos que vivia comendo. — Toma! — Disse esquecendo a ofensa, e jogando no rosto do outro o tecido com a tinta vermelha, espalhando ainda mais o líquido viscoso nas bochechas de Jimin.

Com um pulo, e a agilidade felina que Jungkook agora tinha com vários quilos a menos, este aterrissou no chão com um grito e saiu correndo sabendo bem que levaria alguns esporros do mais velho.

Entre gritos, risadas, e vários minutos perdidos correndo por aí, Jimin finalmente alcançou Jungkook em uma esquina perto da diretoria. Era óbvio que toda aquela balbúrdia chamou a atenção da secretária mal-humorada, e se não fosse pela alegria festiva do diretor, eles teriam levado mais uma suspensão para sua coleção.

— Deixa eles, Carmem! — Dizia o homem grisalho quase cantando com um pedaço de bolo de milho na mão. — Vivam as festas, crianças! Viva! — Continuou o velho rindo e comendo.

— Crianças… Dois marmanjos inconsequentes… — Começou a secretaria voltando a se sentar no seu lugar, seu olhar ainda cortante para os jovens que tentavam não rir em tom alto. — Vão repetir de novo, isso sim. — Completou ela, negando com a cabeça, resolvendo ignorar os dois, mandando-os embora apenas com um balançar de mão.

Jimin e Jungkook, aproveitando a bondade das festas, correram na direção contrária, voltando a gritar assim que viraram a esquina. Entre uma incoerência e outra, os dois chegaram à porta da sala de aula, cansados e suados, mas entre sorrisos e beliscadas.

— Você ainda me paga. — Ameaçou Jimin antes de respirar fundo, o dedo em riste no rosto de Jungkook. Este apenas riu e deu um tapa na mão do mais velho. — Me paga! — Repetiu ele entrando de vez na sala, encontrando com a mesma bagunça de antes e alguns olhares desgostosos sobre si. — Que é? — Reclamou para o grupo de alunos mais perto, revirando os olhos assim que todos eles se viraram como se antes não o estivessem julgando internamente. — Idiotas. — Resmungou Park jogando-se no chão perto da janela. Estava cansado de ter que ajudar mais uma vez na decoração da Festa Junina. — Isso não acaba nunca.

— Próximo ano! — Disse Jeon tentando animar o amigo.

— Se você descobrir como se formar do terceiro ano, me conta. — Desdenhou Jimin lembrando que aquela era a terceira vez que estava naquela turma.

— Você acha que se eu soubesse ia contar pra você? — Brincou Jeon sabendo que aquele era um tema delicado que o mais velho evitava, mas naquela altura da amizade deles, Jungkook dificilmente se complicava com qualquer assunto. 

— Idiota. — Xingou Park tentando acertar um soco no amigo que desviou empurrando o baixinho com o pé.

— Não mais que você. — Devolveu Jeon sorrindo, feliz por ver sua marca nas bochechas de Jimin. O rosto do mais velho estava quase todo coberto por tinta vermelho, e se não fosse pelo talco branco que havia jogado um no outro mais cedo, Park não estaria um legítimo palhaço.

— Qual é, tá querendo brigar? — Provocou Jimin ao ver o sorrisinho de lado no rosto mais jovem. A risada que estava sendo pobremente segurada na garganta de Jungkook, saiu a flote, enfurecendo o baixinho que estreitou os olhos e cruzou os braços.

— Longe de mim. 

— Babaca. — Xingou Park novamente bufando alto. Ele até sentia o líquido da tinta no rosto, e sabia que devia estar bem ridículo, mas estava com preguiça e raiva os suficientes para não se importar. Todo ano era a mesma coisa, o deixavam para fazer o trabalho pesado por ser o “mais forte”, e não escondiam o pouco interesse que tinham em deixá-lo de lado na hora da festa.

— Isso tá ficando cada vez menos junino, não acha? — Perguntou Jeon quando sua risada acabou. Jimin apenas deu de ombros, olhando ao redor, vendo que o melhor amigo tinha razão. — Tudo muito chique...  — Completou o mais novo, suspirando. Ao contrário de Jimin, seus colegas não lhe davam tarefas importantes; igual que no ano passado, onde também estivera no terceiro ano, o máximo que havia feito fora entregar panfletos pelos corredores ou infernizar a vida de um Jimin estranhamente concentrado. — Acha que—

— EU NÃO ACREDITO NISSO! — Um grito feminino veio da frente da sala, e todas as cabeças, sem exceção se viraram para ver como a Representante de Classe levantava o tecido manchado com tinta vermelha do chão. — PARK JIMIN, EU VOU MATAR VOCÊ! — Continuou a gritaria que deixou ao menos metade dos presentes com medo. Solar, em plena fúria, se virou para onde ele sabia que estava o mais inconsequente dos alunos, e o viu se levantar para correr, mas Min Yoongi o parou no meio do caminho. Preparando-se para gritar mais um pouco, a garota andou a passos rápidos, mas não foi preciso já que no momento seguinte o quase sempre calado Yoongi empurrou Park Jimin pelos ombros.

— Você tem noção de quantas horas eu demorei fazendo essa roupa? — Perguntou o garoto quase em cólera. Seu rosto vermelho e as mãos gesticulando para todo lado. — VOCÊ TEM UMA PUTA IDEIA DE QUANTO TRABALHO DÁ ISSO? — Jimin, espantado com o tamanho da força na voz de Yoongi, andou para trás, sentindo como batia suas costas em Jungkook.

— Desculpa? — Pediu ele, incerto. 

— Desculpa? DESCULPA? EU VOU MAT—

— Querido. — Solar, um pouco mais calma, e com o cérebro já arquitetando a vingança perfeita, terminou de andar o que faltava até onde estava o culpado, e bastou apenas um olhar torto da garota para Jimin se arrepender de toda sua vida. Park conhecia a garota, tinha até infernizando sua vida antes por ser sempre a inteligente da escola, e agora… Bem, agora Park Jimin sentia um suor frio escorrer por suas costas. — Eu tive uma ideia.

 

-x-

 

Jimin fechou a cortina pela segunda vez. Uma gargalhada lhe acometeu na barriga, e quase o fez se dobrar para frente para rir, porém ele segurou firme, respirou fundo e abriu a cortina de novo. Não era necessário dizer que a risada foi maior que sua força de vontade e em poucos segundos sua voz ecoava pela enfermaria enquanto um sapato voava na direção de seu rosto.

— Eu vou te matar.— Disse Jeon Jungkook entredentes. O mais novo estava com o saiote enrolado nos braços finos, o rosto completamente vermelho e suado, e a vergonha de toda a sua vida enterrada entre todos aqueles tecidos do vestido. Ele não achou que acabaria cedendo às ameaças de Jimin, e muito menos que concordaria em trocar de lugar com ele. 

— Mas tá bonito, ue. — Tentou amenizar o mais velho, mesmo que ainda estivesse no meio da crise de riso. Jungkook deu um passo para frente da raiva, totalmente disposto a socar a cara do outro, mas quando soltou o saiote este prendeu em uma das pontas de metal da maca e acabou por puxá-lo para trás. Ele caiu no chão, a bunda novamente se estatelando no chão, e sua dignidade caindo alguns andares para baixo. — Aí por… Cadê meu celular? — Questionou-se Jimin ao ver o amigo no chão, o vestido todo levantado, a cueca box a mostra.

EU VOU TE MATAR, JIMIN!— Gritou Jeon assim que ouviu o barulho de uma foto sendo tirada. O vestido imediatamente voltou ao lugar com Jeon se atrapalhando com tanto tecido e babados. — Como conseguem vestir essa merda? Caralho, que bosta.

— Olha a boca, rapazes. — A voz de Solar entrando na enfermaria chamou a atenção dos dois jovens dentro. A garota andou até a cortina e a puxou com força para o lado, revelando por inteiro um Jeon Jungkook no chão. Se antes seu rosto estava avermelhado, agora Jimin tinha certeza que ele estava um pimentão. Por muito que os dois odiassem a mais sabidinha da escola, Solar ainda continuava sendo uma garota, e bem… Eles continuavam sendo garotos. — Até que não ficou tão ruim… Mas não foi você que eu mandei pôr a roupa. — Disse Solar com o olhar avaliando tanto Jungkook quanto Jimin, parando neste último. 

— Ah, qual é, Solar. Você sabe que eu não entro nessa roupa. É ridiculamente pequena! — Reclamou o mais velho pondo toda a ênfase na última palavra, querendo lembrar-lhe que ele tinha músculos por demais para entrar em um vestido cheio de frufruzinhos.

— Ridículo. Você é um ridículo. — Reclamou ela ao escutar a desculpa esfarrapada do outro. Era óbvio que ela sabia disso, mas teria adorado vê-lo com uma roupa inadequada e passando a vergonha de sua vida no meio do pátio da escola… Pena que Jeon Jungkook era um panaca tão submisso. — Mas não importa. Agora venham, precisam ensaiar. — Continuou Solar ao se virar para sair, dando as costas aos dois.

— OI? — Exclamaram em unissom. A garota soltou uma risadinha baixinha e malévola antes de virar a cabeça, jogando o cabelo para o lado e os olhando de cima. 

— Ue, acharam que só iam vestir as roupas? 

Assim que Solar saiu, Jimin olhou seu amigo em pânico. Pensou que havia se salvado da vergonha ao fugir do vestido, não era possível que a pirralha estivesse lhe dando mais um castigo.

— Nem olha pra mim assim, você que meteu a gente nisso. — Reclamou Jungkook finalmente levantando do chão, a vergonha ainda pintada em suas bochechas. De pé, olhou Jimin de cima a baixo, demorando-se nos braços onde a camisa da quadrilha estava quase estourando o tecido. — Você definitivamente não ia caber no vestido… — Comentou Jeon dando de ombros e suspirando. 

Park, recuperado do susto inicial, sorriu de lado ao perceber o olhar do outro. Levantou os braços, orgulhoso e disse:

— Tudo bem, princesa. Você sim. — Um tapa sonoro e vários resmungos foi o que Jimin escutou antes de seguir atrás de Jeon que já andava a passos velozes pelo corredor.

 

-x-

 

“... Quando olhei a terra ardendo

Qual fogueira de São João

Eu perguntei a Deus do céu, aí

Por que tamanha judiação

Eu perguntei a Deus do céu, aí

Por que tamanha judiação”

 

— Se você pisar no meu pé mais uma vez… — Ameaçou Jimin ao sentir o dedão do pé dolorido. Os sapatos que haviam dado ao mais novo eram pesados e duros, e Park não sabia se aguentaria mais uma vez um pisão desses.

— Ah, cala a boca. A culpa é sua. Engole calado. — Repreendeu Jeon, seus braços tensos e duros, as mãos agarradas no tecido da camisa de Jimin sentindo claramente o movimento de cada músculo trabalhado sobre a roupa. Seus olhos não saiam do chão, estava concentrando tentando ignorar as risadinhas dos colegas e os dois pés esquerdos que tinha pra dançar. — Isso vai ser impossível. —  Choramingou assim que pisou de novo no pé de Jimin.

— Eu que o diga… — Suspirou o mais velho. 

 

“Que braseiro, que fornalha

Nem um pé de plantação

Por falta d'água perdi meu gado

Morreu de sede meu alazão”

 

Nenhum dos dois nunca na vida havia participado ativamente das festas. Na verdade, desde o ano anterior tinham o costume de fugir mais cedo da escola para ir jogar vídeo game e se aventurar em atividades menos vergonhosas. Então, aquilo, ali, no pátio, era extremamente idiota. 

— Se eu sair vivo dessa, juro que passo de ano… — Continuou Jimin lamentando-se de novo quando o pé de Jeon pisou no seu. — Assim vai sair sangue.

— VOCÊS NÃO ESTÃO PRESTANDO ATENÇÃO SEUS IDIOTAS! — Reclamou Solar, empurrando Jungkook pelas costas, o fazendo cair nos braços de Jimin que gemeu novamente ao ter o pé esmagado sobre o peso do amigo. Jeon podia pesar bem menos que ele, mas isso não significava que não havia dor.

— Quer parar de gritar? — Reclamou o mais novo um pouco desconfortável por estar na frente de toda a escola com o vestido e ainda todo desleixado entre os músculos de Jimin. — E você, faz alguma coisa! — Exclamou ele em voz baixa querendo que Park lhe desse a solução da vida para eles naquele momento. Só que o mais velho estava em transe com o dedão latejando e a sensação do corpo maleável de Jungkook contra o seu, pulando, esfregando e empurrando.

— Eu to fazendo! — Disse Jimin entre dentes, abrindo e fechando os olhos com dificuldade. O mais novo o olhou desconfiado e confuso.

— E o que você tá fazendo? — Indagou Jeon. Jimin, afoito, olhou para o rosto perto do seu, e puxou-o para perto, seguindo a coreografia corretamente pela primeira vez desde que começaram.

— Ficando duro. — Sussurrou ele no ouvido do mais novo.

 

“Por farta d'água perdi meu gado

Morreu de sede meu alazão

Até mesmo a asa branca

Bateu asas do sertão

Entonce eu disse, adeus Rosinha

Guarda contigo meu coração”

 

De imediato Jeon o empurrou, suas bochechas se colorindo de novo. Só que preparado, Jimin puxou o corpo do amigo para perto pelo vestido, escondendo aquela parte de sua anatomia que tinha escolhido um péssimo momento para dançar quadrilha.

— Você só pode tá de zoeira comigo! — Repreendeu Jeon com a voz baixa, mesmo sabendo que as pessoas ao seu redor estavam preocupadas com outras coisas e não com eles parados no meio do pátio, conversando.

— Eu bem queria. — Respondeu Park, puxando o vestido de novo, desta vez colando os dois quase que por completo.

— Para com isso! — Reclamou Jungkook ainda mais envergonhado. Estar de vestido naquele momento era o último de seus problemas, o idiota a sua frente não entendia que—

— Ah, qual é, Jungkook. Eles já sabem pra mais de ano, qual o problema. — Retrucou Jimin voltando a se aproximar, tentando desdobrar o rapaz à sua frente, mas não teve muito tempo para convencê-lo já que algo passou voando perto deles.

— VÃO ENSAIAR, CARALHO! — Gritou a representante, seu rosto tomado em fúria ao vê-los parados sem fazer nada.

— SOLAR! — A professora gritou chamando a atenção pelo palavrão proferido.

 

“Entoce eu disse, adeus Rosinha

Guarda contigo meu coração

Hoje longe, muitas léguas

Numa triste solidão

Espero a chuva cair de novo

Pra mim voltar pro meu sertão”

 

— Falamos em casa. — Falou Jimin no ouvido do mais novo, antes de puxá-lo novamente junto de si, pulando e fingindo dançar ao redor dos outros. Naquele momento Park percebeu que passara tanto tempo ajudando os outros durante os últimos três anos, que até decorar os benditos passos básicos já tinha decorado. 

Jeon, entregando-se finalmente à vergonha que sentia, seguiu o idiota que o segurava. A cada passo diferente e a cada pulo que tinha que dar era um pisão novo. Toda vez um palavrão variado saia da boca de Jimin, e isso mantinha tanto ele animado quanto à professora que já havia ameaçado pô-los de detenção novamente umas cinco vezes.

— Você me mata… — Reclamou Jimin depois da vigésima pisada e da terceira vez que Solar parava tudo porque algo não estava certo. Seus colegas estavam suados, ele estava cansado e ainda melado de tinta pelo rosto. Se Jimin parasse para pensar, aquela tintura toda combinava em muito com a blusa vermelha quadriculada e as calças com suspensórios amarelos.

— Tá cansado já, matuto?— Brincou Jungkook voltando a pular junto da quadrilha, a música no fundo quase estourando seus ouvidos de tão alto que o diretor, agora presente e ainda com o bolo de milho na mão, havia posto nos alto falantes.

— Bem que você queria. — Respondeu Jimin estreitando os olhos, vendo a clara aposta naquelas palavras. Se Jeon Jungkook queria ficar pulando de vestido por todo o pátio, HÁ!, era Park Jimin quem o iria desafiar!

 

“Espero a chuva cair de novo

Pra mim voltar pro meu sertão

Quando o verde dos teus olhos

Se espalhar na plantação

Eu te asseguro não chore não, viu

Que eu voltarei, viu

Meu coração”

-x-

 

— E agora, cansado? — Perguntou um Jimin sorridente. A camisa da quadrilha há muito esquecida em um canto do vestiário. As vozes dos colegas indo embora foram ficando abafadas assim que a porta foi fechada. Jeon, que estava sentado no chão com a parte de cima do vestido aberto, olhou para cima e viu o babaca do namorado em pé na sua frente.

— Bem que você queria.— O mais novo sorriu e esperou que o outro ficasse de cócoras, quase na altura perfeita, para empurrá-lo para trás e rir da cara de espanto. — Bem que você queria.

 

“Eu te asseguro não chore não, viu

Que eu voltarei, viu

Meu coração”

 

.

 

 


Notas Finais


JIKOOKCOUPLE MAIOR E MELHOR


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...