História Olhares - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Henrique Fogaça, Paola Carosella
Tags Farosella, Henrique Fogaça, Paola Carosella
Visualizações 222
Palavras 1.456
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


como sempre obrigada pelos comentarios e favs vcs sao tops

Capítulo 13 - 13


Paola entrou no Cão Veio tendo Rodrigo logo atrás de si, o lugar não estava tão cheio, pois ainda era 12h30, mas já haviam algumas pessoas. Paola sabia que aquela hamburgueria vivia cheia de clientes por ser uma das melhores de São Paulo e isso no fundo causava um certo orgulho nela,  pois tinha conhecimento que Fogaça era um dos responsáveis pelo sucesso do lugar.

Eduarda guiou Paola e Rodrigo para uma mesa mais perto da janela e ambos sentaram-se um de frente para o outro. Enquanto conversavam escolheram seus pedidos e Eduarda os anotou levando logo em seguida para a cozinha. 

— Mesa dez. — Eduarda disse deixando a comanda no lugar indicado e se aproximou de Fogaça que preparava os hambúrgueres. — Henrique acho que perdi meu boy.

— Rodrigo tá ai? — Fogaça perguntou e riu da expressão facial que Eduarda fazia claramente ela estava decepcionada. 

— É... E tá acompanhado... E ela é linda. — Eduarda respirou fundo. — Por que Deus?

— Ele tá acompanhado de quem? — Fogaça perguntou divertido.

— Não sei... Ela é alta, bonitona e eu olha pra mim. — Eduarda disse e apontou para si. Eduarda tinha uma estatura baixa, seu corpo era magro, no entanto suas coxas eram mais grossas, seus cabelos eram de um castanho claro que valorizava seus belos cachos. Ela não tinha um padrão de modelo, mas era incrivelmente linda. 

— Relaxa Duda você nem sabe se ele tem um lance sério com essa mulher e você é linda. — Fogaça sorriu e deu um rápido beijo na bochecha de Eduarda. — Agora vai trabalhar.

— Você é um grande amigo. — Eduarda sorriu irônica e saiu da cozinha deixando Fogaça se concentrar em seu trabalho. Contudo, o tatuado não conseguiu segurar sua ansiedade para saber quem era a pessoa que estaria com Rodrigo já que dificilmente alguém o via acompanhado. Fogaça foi até uma janela da cozinha que dava visão para o salão e se surpreendeu ao ver quem era — Paola.

— Mas que porra... — Fogaça sussurrou para si. — Que isso? Esse cabelinho de anjo perdeu a noção do perigo? 

Fogaça revirou os olhos e sendo chamado na cozinha voltou a cozinhar tentando se concentrar em seu trabalho. 

 

Paola vez ou outra involuntariamente olhava para cozinha, entretanto logo tentava voltar sua atenção para Rodrigo que falava animado sobre algumas aventuras da vida dele. 

— Mas então Paola me fala mais de você. — Rodrigo disse e Paola apenas o encarou sabia exatamente onde ele queria chegar com aquela conversa, no entanto preferiu não corta-lo de maneira grosseira – método esse que ela usava muito com os homens.

— No tem muito o que dizer... Cursei publicidade, mas não pratico em nada a profissão sinceramente a deixei de lado principalmente depois que meu pai faleceu. — Paola suspirou. — O restaurante nunca foi um sonho meu, mas acho que finalmente eu me entendi com ele e não quero que o Arturito caia nas mãos de qualquer um.

— E você está certa... Ele é seu Paola. — Rodrigo sorriu e deu um gole em seu suco de laranja. — Aliás sinto muito pelo seu pai.

— Eu também sinto. — Paola o olhou e sorriu leve abaixando o olhar logo em seguida sentindo um nó se formar em sua garganta, infelizmente ainda não se sentia pronta para falar sobre seu pai.

— Amo os camarões daqui. — Rodrigo comentou mudando de assunto e Paola o olhou. 

— Eu como pouco camarão porque nasce umas bolinhas no meu rosto, mas podemos pedir se você quiser eu adoraria experimentar o que eles fazem aqui. — Paola disse amigável e viu Eduarda voltando para a mesa deles trazendo seus pedidos.

— Bom apetite. — Eduarda disse colocando os hambúrgueres em cima da mesa e saiu dali.

— Faz tempo que não como um hambúrguer. — Paola riu fazendo Rodrigo rir junto. Ambos começaram a comer entre conversas e risadas, Paola se sentia extremamente bem na presença de Rodrigo. 

Assim que terminaram seus hambúrgueres, Paola e Rodrigo pediram uma porção pequena de camarão e enquanto comiam Paola contava mais sobre seus projetos para o restaurante, porém a mesma parou o assunto assim que viu Fogaça a observando de longe pelo vidro da cozinha. Assim que Paola o encarou, Fogaça sorriu leve e movimentou os lábios:

— Gostou? 

Paola apenas sorriu e balançou a cabeça positivamente antes de ouvir Rodrigo lhe chamar:

— Fogaça é um cara bem legal né?!

— Ele é sim, me ajudou muito sou grata a ele. — Paola disse e deu um gole em seu suco. 

— Imagino. — Rodrigo disse e Paola apenas sorriu para ele. 

Depois do almoço – que por incrível que pareça foi muito agradável – Paola pediu licença para Rodrigo e caminhou até o banheiro da lanchonete fazendo um pequeno sinal para Fogaça – que a olhava pelo vidro – lhe seguir. 

Paola entrou no banheiro e logo em seguida ouviu batidas na porta e a abriu vendo Fogaça entrar rapidamente.

— Vejo que você e o Rodrigo se deram bem. — Fogaça disse num tom mais firme. — O quão bem exatamente vocês se deram? 

Paola o encarou com os olhos confusos, mas respondeu:

— Muito... Você tinha razão quando disse que ele era um cara legal.

— Se arrependimento matasse. — Fogaça sorriu irônico.

— Onde quer chegar com isso? 

— A pergunta seria onde eu espero que o cabelinho angelical não tente chegar com isso. — Fogaça disse irônico e Paola o encarou divertida.

— Ele pode chegar a muitos lugares. — Paola deu de ombros e riu leve quando Fogaça revirou os olhos.

— Mas enfim... E ai como foi o projeto? — Fogaça perguntou.

— Foi ótimo o projeto... — Paola disse animada. — Ele vai me mandar por e-mail e eu te mostro, mas te chamei aqui por outro motivo quero aprender a cozinhar cada vez mais ai pensei podemos nos encontrar essa noite? Tem umas receitas que quero testar.

— E por que precisaria de mim? — Fogaça perguntou e Paola lhe olhou como se fosse óbvio.

— Você me ajudou na primeira vez... Podemos cozinhar juntos de novo então na minha casa ou na sua? — Paola perguntou e ajeitou o cabelo. — Podia ser no Arturito, mas tá uma bagunça lá.

— Não vou poder cozinhar com você hoje... Vou ficar aqui até tarde e depois pretendo ir pra casa descansar. — Fogaça disse e caminhou até a porta. — Na minha folga a gente cozinha.

— Aconteceu alguma coisa? — Paola perguntou e Fogaça a encarou e sorriu leve.

— Só estou cansado... Realmente hoje não consigo cozinhar, mas podemos marcar depois de amanhã? Vou estar de folga. — Fogaça sugeriu e Paola apenas balançou a cabeça concordando. — Que bom.

Fogaça deu um rápido beijo no rosto dela e saiu do banheiro deixando Paola completamente confusa, porém a mesma preferiu não se preocupar e saiu do banheiro voltando para perto de Rodrigo e juntos saíram dali. 

 

Paola e Rodrigo caminharam juntos até estarem numa espécie de praça onde as famílias conversavam, as crianças brincavam e algumas pessoas passeavam com seus cães, ambos caminharam para perto de um banco onde se sentaram.

— Daqui a pouco tenho que voltar para o trabalho. — Rodrigo disse e fez uma careta. — Queria ficar aqui.

— Você trabalha há muito tempo como arquiteto? — Paola perguntou. 

— Faz uns cinco, seis anos antes de ir para a arquitetura eu fiz uns cursos aleatórios para ver onde eu me encaixava, mas nunca fui uma pessoa que nasceu sabendo o que quer. 

— Ah nem eu. — Paola concordou fazendo ambos rirem. — Na Argentina eu pensava em ser advogada acho que era porque minha mãe era.

— Você tem vontade de voltar para a Argentina? — Rodrigo perguntou curioso.

— Ah no... Eu amo meu país de nascença, mas sinto que meu lugar é aqui agora. — Paola sorriu e viu Rodrigo também sorrir. — O que?!

— Sorte a minha então. — Rodrigo disse e se sentou mais perto de Paola.

— Eu tenho que ir preciso depositar o salário dos meus funcionários. — Paola disse e encarou Rodrigo. — E você tem namorada? 

— Não, não tenho. — Rodrigo sorriu. 

— As vezes a gente não tem um relacionamento, mas isso no quer dizer que estamos sozinhos. — Paola disse e Rodrigo sorriu leve para ela.

— E você não tá sozinha não é? 

— Não. — Paola respondeu e olhou para os dedos antes de voltar a olhar para Rodrigo. — Sinceramente não tenho que ser fiel a ele porque no temos nada, mas eu...

— Quer ficar só com ele? — Rodrigo a interrompeu e Paola balançou a cabeça positivamente. — Eu entendo e respeito isso Paola.

— Que bom... — Paola sorriu sem graça e se levantou. — Agora eu tenho que ir obrigada pelo almoço foi maravilhoso.

— Obrigado você... Te mando por e-mail o projeto que te mostrei no Arturito o oficial mesmo vai demorar alguns dias somente. — Rodrigo explicou.

— Tudo bem, obrigada. — Paola disse e deu um rápido beijo na bochecha de Rodrigo. — Tchau.

— Tchau Paola. — Rodrigo acenou e Paola saiu dali atravessou a rua, entrou no seu carro que estava estacionado do outro lado da rua e voltou para sua casa. 


Notas Finais


eita que esse foi só o começo kkkk Paola conquistando os boys tudo

entao por hj é isso, to indo gente um beijo e nao esqueçam de comentar é importante bj ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...