1. Spirit Fanfics >
  2. Olhei só uma vez >
  3. ÚNICO - Héteros com H de Homossexuais.

História Olhei só uma vez - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


ideia dada completamente pela @sasalvsyeol graças ao rpg que a gente voltou a fazer. <3
título do capítulo pela @psicoexo
espero que alegre vocês nessa quarentena o tanto que me alegrou!


¡avisos relevantes!

• é uma tentativa de comédia kkkrs espero que dê certo.
• todos os personagens são maiores de idade.
• +18 por causa do palavreado, menção de homossexualidade e todas essas coisas rs tenho medo de ser derrubada se colocar uma classificação menor rs.
• absolutamente tudo ocorre num universo alternativo.

Capítulo 1 - ÚNICO - Héteros com H de Homossexuais.


Tudo começou com uma mensagem.



Baekhyun [5/14, 10:13 PM]

Oi boa noite! Você é o Park Chanyeol da nossa sala, não é?



Chanyeol [5/14, 10:15 PM]

Oi, sou eu sim, quem é você?



Baekhyun [5/14, 10:21 PM]

Eu sou Byun Baekhyun, seu colega de classe.

Desculpa ter pegado seu número no grupo da sala.

Sem avisar pessoalmente.



Chanyeol [5/14, 10:21 PM]

O baixinho? Moreno? Sei quem você é.



Baekhyun [5/14, 10:21 PM]

É que eu faltei hoje e já tinha falado algumas vezes com você.

E queria saber se pode me dizer o que eu perdi.



Chanyeol [5/14, 10:22 PM]

Você só perdeu literatura e a visita na sala de música e blá blá blá, não foi interessante.



Chanyeol e Baekhyun estudavam na mesma faculdade, faziam o mesmo curso na mesma sala. Já haviam se falado algumas vezes, o Park sentava no fundão com os amigos e o Byun perto da parede – como o próprio Chanyeol já falara um dia, os garotos lhe chamavam de “baixinho do canto da porta”.


Eles tinham personalidades compatíveis, porém de modo simultâneo totalmente distintas. O mais alto, por sua vez, era extrovertido e estava sempre animado. Se fosse na escola, com certeza ia ganhar o posto de palhaço da turma. Andava sempre bem arrumado e cheiroso, arrancando suspiros de garotos e garotas da faculdade. O baixinho era extrovertido também, extremamente energético, parecia que não possuía um botão de desligar! Às vezes meio – embora Chanyeol julgasse muito – puto com a vida, porém tinha um coração maior que sua altura. Às vezes andava bem arrumado, às vezes tinha preguiça e ia de qualquer jeito pra faculdade.


Começaram a trocar mensagens a partir daquele dia e descobriram que possuíam mais em comum do que o esperado. A amizade crescia rapidamente, ainda que com passos de tartaruga.


E Baekhyun, fazendo jus a boca grande que tinha, acabou contando ao outro sobre o que seu amigo havia lhe segredado – Kyungsoo foi a única pessoa com quem conseguira sustentar uma boa amizade. Claro, antes do Park —.



Baekhyun [5/15, 10:35 PM]

É que o Kyungsoo vive te elogiando.

Dizendo o quanto você sabe tocar vários instrumentos.

E que você fica muito bonito quando resolve ir com o cabelo bagunçado.

E que seu sorriso é muito bonito também.



Chanyeol [5/15, 10:36 PM]

Agora eu vou fazer questão de nunca mais passar o pente nesse cabelo.

Vai que eu atraio mais alguém.

Sorrir com tudo, né.



Baekhyun [5/15, 10:39 PM]

Eu só acho que ele tá na seca.



Chanyeol [5/15, 10:39 PM]

VOCÊ TÁ COM INVEJA??????

Não fique, ninguém nunca me falou isso.

Realidade, mas é.



Baekhyun [5/15, 11:04 PM]

Vou ter que discordar.

Você arranca suspiros de todo mundo só existindo pela faculdade.



Chanyeol [5/15, 11:05 PM]

QUE MENTIRA.

Eu nunca vi isso.



Baekhyun [5/15, 11:05 PM]

É que você é alto demais e não enxerga as coisas embaixo de você.



Chanyeol [5/15, 11:06 PM]

Ha ha ha.

Você paga a faculdade com dinheiro do seu show de humor?

Me chama pra ir ver.



Após isso, Chanyeol jurou que Baekhyun o achava bonito também – de acordo com sua discordância. O Byun, bem, tentou desviar do assunto, mas logo aceitou. E para sua surpresa, ele havia elogiado seu nariz. Foi o suficiente para ficarem trocando farpas dizendo que um reparava no outro durante as aulas. A amizade ia bem.



[ . . . ]



— Cadê aquele merdinha? — perguntou o moreno, batendo o pé contra o chão incontáveis vezes e olhando o relógio no pulso a cada cinco segundos.


Chanyeol apareceu dando um peteleco na testa dele.


— AI SEU MONSTRO!


— O QUE QUE EU FIZ? Eu não sou tão feio assim, para.


— Me deu um peteleco!


Baekhyun cruzou os braços e assumiu uma pose birrenta. O mais alto apenas riu de sua cara.


— Nossa que pecado. Tá sangrando?? Vai chorar?? Chora pra eu ver então.


Byun abriu a boca perplexo, agora encarando-o com uma sobrancelha arqueada. Sempre tinha aquele semblante quando estava com uma resposta na ponta da língua, e daquela vez não seria diferente.


— Ontem tava me elogiando que só, hoje só porque tá em público me fala uma coisa dessas? Deixa você, Park.


— A única coisa que eu te falei ontem era que você era chato.


Não teve tempo de retrucar. A professora entrou na hora junto com o resto dos alunos. Cada um foi para seu lado, Baekhyun sentou com Kyungsoo e Chanyeol mais atrás, no fundão. Pegaram um violão e seguiram a aula da tutora.


Em um dado momento, Byun virou disfarçadamente – pelo menos ele achava que era – e encarou o mais alto. Este que apenas riu, esticando os lábios no canto.


— Fiz algo de errado, é?


Park respondeu na cara dura, tendo a ousadia de encará-lo nos olhos. Baekhyun se tremeu todinho igual vara verde e voltou a olhar pra frente bem rápido. A risada grave alheia apenas aumentou.


A professora encerrou a aula longos minutos depois e Kyungsoo veio lhe avisar que desceria para pegar um lanche. Baekhyun balançou a cabeça positivamente e esperou que ele saísse para sentar ao lado de Chanyeol. Não precisou nem meio segundo para ele abrir a boca.


— Eu sei que me encarou porque me acha o cara mais bonito que cê já viu na vida, tá?


— Oh céus. — revirou os olhos — Não sei o que tô fazendo aqui, devia estar lanchando com o Kyungsoo.


— Tá aqui porque me acha muito gostoso e prefere ficar encarando esse deus grego. — Chanyeol apontou para si mesmo e arrancou uma gargalhada alta do outro, com direito a palmas e tudo.


Sempre quando estavam juntos eram barulhentos. Quer dizer, se separados já causavam, imagina juntos. Os professores tiveram que lhes chamar a atenção várias vezes, mas eles não conseguiam controlar e acabava escapando de novo. Realmente iluminavam o lugar onde estivessem.


— Vai pra casa do caralho!


Depois de muito discutir igual duas crianças, Baekhyun perdeu a cabeça. Chanyeol sinceramente o achava fofo e engraçado quando ficava puto.


— Não fala palavrão, feioso.


— Me obriga, boboca.


— Nossa, você é chato!


— Licença eu vou lanchar.


— É mesmo… cê não ia lanchar há uns dez minutos atrás? Seu amigo deve ter ficado sozinho.


O baixinho passou de emputecido para desesperado. Colocou a mão na testa e encarou o horizonte, depois voltou a olhar o Park.


— EU ESQUECI! Puta merda, vou falar que a culpa é sua.


— O QUE? VOCÊ QUE QUIS FICAR AQUI!


Não adiantou nada, porque enquanto Chanyeol gritava e sacudia os braços, Baekhyun já usava as perninhas curtas para correr. O grandalhão não contou nem cinco minutos e Byun voltou cabisbaixo segurando um sanduíche numa mão e suco natural na outra.


— ……….Ele não acreditou em mim.


— Isso que é gostoso de ver.


— Chanyeol para, te considero tanto.


O moreno deu uma mordida triste no sanduíche e o Park se sentiu mais triste que aquela mordida.


— Desculpa Baekzinho, quer um abraço?


— Quero!


— Então vem cá. — Chanyeol abriu os braços largos e esperou-o. Ele foi, mas com uma cara de desconfiado que certamente não passou despercebida pelo grandão — Que cara foi essa que cê fez?


Baekhyun sorriu durante o abraço, agradecendo internamente que, aquela faceta, Park não conseguiu ver.


— Cara de quem não acreditou que você ia me abraçar, mas abraçou. Gostei.


Então se separaram. Baekhyun deu mordidas e mais mordidas no sanduíche, até sobrar apenas o guardanapo e o suco – que também estava acabando.


— Você é gostosinho de abraçar.


— Eu sou gostoso em todos os aspectos.


E a partir dali foi segundos antes da desgraça acontecer.


— Ahn…


Chanyeol coçou os cabelos da nuca e ficou sem saber o que responder. Entretanto, Baekhyun recebeu seus gestos de outra forma e logo fez um barraco.


— O QUE FOI AGORA?


— Nada, convencido.


— Ah, eu sou o convencido?


Park não respondeu imediatamente, levou o dedo indicador até a bochecha, pensando em algo – ao passo que Byun terminava seu suco natural.


— Mas é, cê tem uma bunda maior que sua cabeça.


Baekhyun quase engasgou. Na verdade engasgou um pouco, mas se recuperou bem rápido. Encarou o outro totalmente incrédulo.


— Park. Chanyeol. O. Que. É. Isso. — falou pausadamente, largando o recipiente vazio do suco em cima de alguma mesa.


Logo mudou a pose desacreditada para uma divertida. Byun entortou o pulso e disse:


— Mano, tu é?


Estava pronto para engatar numa crise de riso, porém Chanyeol respondeu rápido e… sério.


— ...Talvez.


O moreno ficou sem saber o que responder. Até o presente momento, nunca havia conhecido ninguém que fazia parte do movimento LGBTQ . Resolveu ficar calado e continuar brincando.


— Mas tá, você olha pra minha bunda.


— Olhei só uma vez.


— Bom.


— Bom o que?


— Porque se continuasse olhando, eu seria obrigado a dar pra você.


Park riu alto, mostrando toda a sua arcada dentária. Bateu palmas e acabou batendo no outro também, daquele seu jeito completamente estabanado barra exagerado de ser.


O que Baekhyun não sabia era que, a partir daquele dia, Chanyeol passou a olhar mais vezes para sua bunda na intenção de que a sentença se tornasse verdadeira.




E talvez Baekhyun não fosse tão hétero quanto pensava.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...