1. Spirit Fanfics >
  2. Olhos de Gato >
  3. One Shot

História Olhos de Gato - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - One Shot


Eu não entendia bem o porque da floresta ser proibida, a cinco anos nos éramos incentivados a entrar e a caçar os monstros que a habitam. Hoje depois de centenas de homens voltarem loucos e alucinados gritando que um monstro haviam tentado o matar vários evitavam ate a morte, pois não tinham uma idéia clara do que os atacaram, fazendo todos entenderem que eram mais de um monstro.

Mas eu como o primeiro filho tinha que me aventurar para fazer as vontades da minha mãe que estava grávida do nosso terceiro irmão, Izzy não poderia me acompanhar pois tinha que cuidar da nossa mãe e Jace quando soube que eu teria que ir correu para a casa da Clary dizendo que precisava passar mais tempo com ela.

Então aqui estava eu caminhando para a parte mais profunda da floresta porque minha mãe não queria as que nasciam na borda da floresta ou as que vendiam no mercado, não tinha as que ser da floresta ao lado do lago onde todos gritavam para nos manter afastados.

Fazia muito tempo que eu não entrava na floresta, trabalhava ajudando meu pai, mas hoje para atender aos desejos da minha mãe eu entrava na floresta para colher maças, eu nem me lembrava do lago, o que dirá do caminho.

Enfim depois de tanto ouvir todos gritando sobre qual caminho não seguir você só tem que ignorar todos os seus instintos e seguir por esse caminho.

Conversar sobre o que estava acontecendo na minha vida me ajudava a afastar os sentimentos de estar sendo observado, as arvores retorcidas e tão altas que tornavam o caminho sombrio e incerto, que parecia sufocar e não ter fim.

Não Alec, você é o Alexander Lightwood, filho do ferreiro da vila aquele que herdara a loja e se casara com uma donzela da vila e terá muitos filhos e então envelhecera e morrera ao lado dela com seus netos a sua volta e todos esses pensamentos errados sumirão da sua cabeça.

Nossa me senti meu pai agora, meu pai me abominava minhas atitudes, quando eu contei sobre gostar de meninos não de meninas, desde então ele me mantinha em rédeas curtas e ficava constantemente me empurrando para as garotas da vila, me arrumou um noivado com a filha do amigo dele.

Lydia, ela era uma boa pessoa e uma excelente amiga, assim como eu ela tinha uma historia trágica, Lydia era apaixonado por alguém abaixo da posição social dela, seus pais nunca permitiriam e a fariam se casar comigo para que ela desistisse desse amor.

Mas ao contrario de mim ela realmente se esforçava para esse noivado dar certo, eu apenas queria transformá-la em uma amiga, é como eu sempre pensei se estamos na merda vamos procurar alguém na mesma situação e rir dos nossos problemas juntos.

-Uau

Tinha me esquecido de como ele lugar era bonito, depois de um túnel de arvores assustador, essa seria uma visão do paraíso, um lago cristalino cercado com flores e uma grande macieira que fazia uma sobra muito agradável no meio da clareira.

Parei  embaixo da macieira e comecei a colher as maças, subi na arvore e joguei algumas maças na cesta, quando acabei fiquei parado no galho olhando a vista, não tinha vontade de voltar, aquele lugar trazia tanta paz não tinha vontade de voltar.

Suspirei antes de pular do galho, deixei a cesta ali mesmo e fui até o lado beber um pouco de água quando me levantei tinham coisas longas e azuis no meu braço, com nojo tentava tirar elas de mim.

Caminhei para trás me afastando do lago que era de onde elas pareciam vir, quanto mais força eu fazia mais elas entravam para dentro na minha roupa, tirei minha blusa para tirar elas do meu corpo.

-ahhh

Ofeguei a sensação era incomoda, parecia ter alguém chupando meus mamilos, me encurvei e nesse momento uma dessas coisas entrou na minha calça pelo buraco da perna e subiu. Eu tentava bloquear o caminho delas com as mãos, uma sugada forte me fez cair de joelhos ofegante e nesse momento elas deslizaram para dentro da minha calça e se enrolaram no meu pênis sugando com a mesma forma prazerosa que chupavam meu mamilo.

Eu nunca havia me tocado lá em baixo mesmo com um irmão pervertido como o Jace que sempre descrevia como era me deixando excitado, não com a imagem das mulheres que ele descrevia mas sim dele se tocando.

-ahhhhhhhh

Tá esse não era um bom momento para pensar nisso. Esse bichos não davam trégua e eu nem sabia mais se realmente queria tira-los de mim, era tão bom, nesse momento um deles deu a volta e me tocou na parte de trás, me assustei.

Foi como um balde de água fria e eu voltei a lutar contra eles, por um momento parecia que eles não estavam realmente ali para logo em seguida se moverem mais decididos. Sentia ele forçando minha entrada e causando certa dor e me deixando desconfortável, já estava deitado no chão atacando a grama e arrancando tufos.

A dor e o prazer me faziam revirar os olhos e olhar para o céu me perguntando se iria morrer e uma grande parte de mim dizia que esta seria uma bela forma de morrer. Eu não controlava mais os sons que saiam da minha boca apenas rezava para que mais ninguém tivesse entrado na floresta atrás das malditas maças.

Logo acertaram um ponto de mim que duplicou o prazer me fazendo esquecer total mente da dor.

-MAIS...

Eu nem sabia mais pelo que estava pedindo, mas eu precisava de mais , mais daquela sensação, mais daquele ardor, o fogo queimando no meu peito, mais daquela sensação que deixava minha mente em branco.

Olhei para as árvores e ali quase escondido me observando com luxuria dois olhos de gatos, na sombra da macieira me olhando com fome, como se ao invés daquilo me tocando fosse ele.

E não vou fingir que não imaginei ele me tocando, esse foi o ponto crucial para chegar ao ápice,fechei meus olhos ofegantes e como um passe de mágica tudo tinha sumido, os olhos de gato, as coisas azuis não tinha nem se quer vestígios no meu corpo, apenas a cesta com as maças e eu ofegante ao lado dela.

Nem mesmo a grama estava arruinada, peguei a cesta e comecei a caminhar de volta pra casa, sabia que teria que responder perguntas sobre o que aconteceu mas eu não tinha respostas e daria tudo para ver o homem dos olhos de gato outra vez.

Cheguei na entrada da floresta tão rápido que nem senti os medos e as sensações do caminho da ida, passei pela vila como um zumbi ignorando tudo e todos, entreguei a Izzy a cesta e me deitei na cama só pensando nos olhos de gato e como queria vê-los de novo, mesmo que fosse apenas um sonho ou ilusão.

Me cobri tentando dormir eu teria o dia livre mesmo, então pelo menos sonhar com ele eu poderia.

***

O que Alec não sabia é que atrás da grande macieira tinha um homem de pele morena e incríveis olhos com fendas, olhos muito parecido com de gato, olhos que ele odiava, olhos que Alec passou a amar os tendo visto apenas uma única vez, nem tendo certeza se eram reais ou não.

Mas o importante mesmo era que o dono desses olhos ficou tão mexido e exitado quanto Alec, que quando o viu não queria lhe causar medo ou dor apenas prazer.

Rezando em seu coração para que ele voltasse e então dessa vez não usaria feitiços ele mesmo seduziria e seria aquele que traria prazer ao seu garoto de olhos azuis.


Notas Finais


finalmente outra malec meus amores, aproveitem e me digam o que acham...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...