História Olhos em chamas - Capítulo 28


Escrita por: e miss_snape

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Bellatrix Lestrange, Fílio Flitwick, Horácio Slughorn, Lílian Evans, Lucius Malfoy, Minerva Mcgonagall, Narcissa Black Malfoy, Personagens Originais, Remo Lupin, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter
Tags Hogwarts, James Potter, Personagem Original, Severus Snape, Sirius Black
Visualizações 78
Palavras 2.048
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola pessoal, depois da revolta que deixei todos vocês ontem, venho aqui para revolta-los mais um pouco hahaha 😄😄
Mais um capitulo que ainda esta se debatendo de tão fresco... 😄😄😄
Espero que gostem.

(=O)<---< Isa Tigresa

Capítulo 28 - A Verdade Doi...


Fanfic / Fanfiction Olhos em chamas - Capítulo 28 - A Verdade Doi...

Norte da Escócia – Masmorras de Hogwarts – Dormitório SOnserino

Alguns dias se passaram desde o dia em que Lilian voltou a conversar e andar com o Severus eles voltaram a fazer quase tudo juntos, exceto pelos momentos em que ela estava com as amigas, onde ele aproveitava para ficar com os amigos dele, a única coisa que ele estranhava e que novamente Sacha se afastou dele, sempre que ele chegava para ficar com os amigos, ela inventava uma história qualquer e ia embora para outro lugar, as vezes sozinha, as vezes com a Bella, mas o que mais o irritava com tudo isso eram as vezes que ela saia com o Lupin para longe de todos, isso o deixava realmente irritado.

No dormitório da Sonserina, Sacha e Bella conversavam sobre coisas normais do dia a dia de um colégio, enquanto terminavam um dever de casa insuportavelmente chato de transfiguração, enquanto conversavam coisas sobre as matérias e os colegas o papo chegou em Severus e Lupin. Severus era um idiota iludido na opinião das duas, como ele não conseguia enxergar que estava sendo usado pela galinha ruiva que andava ciscando em torno dele ultimamente, elas ficavam revoltadas com isso, mas não iriam mais se meter nisso, todos os amigos dele na Sonserina e até mesmo o Lupin tentaram avisa-lo de que ela não prestava e que ela o estava usando, mas como ele se recusava a enxergar a verdade mesmo estando na cara dele, eles pararam com todas as tentativas, uma hora a verdade iria bater na porta dele.

Depois de um tempo ela voltaram para um assunto mais importante do que a burrice do amigo, elas começaram a procurar formas de que a Sacha perdesse todo o medo que ela tinha com o trauma do passado, assim ela conversavam de como isso podia acontecer, ela sentia que esses medos todos que ela tinha estavam começando a atrapalhar muito a sua vida, ela se culpava por ter deixado a chance de beijar o Severus de lado e ignorado aquilo por culpa desse trauma maldito que ela tinha e agora ela era obrigada a ve-lo aos beijos no corredor com aquela maldita Pui Roscat. Logo as duas chegaram à conclusão que a coisa seria complicada de resolver.

– Sabe Monstrinha, já que está querendo resolver essa história de trauma logo, por que você não dá uns pegas em uma mina por aí para ver onde isso leva? – A duas ficaram se encarando por um bom tempo em silencio, vários minutos de silencio depois. – Olha, eu sinceramente, não faço a menor ideia de como te ajudar... por isso, falei essa merda. Desconsidere. – Bella soltou uma respiração pesada e ficou pensativa por um tempo.

– Se você insiste que disse merda. – Sacha deu de ombros e continuou lendo seu livro e fazendo anotações.

– Claro, Monstrinha, que ainda temos o meu lobinho lindo. – Bella ria da cara de duvida que ela e Bast lhe lançaram ao mesmo tempo, os dois tombaram a cabeça para o mesmo lado ao mesmo tempo.

– Como assim? – O Pequeno dragão que voava pelo quarto pousou na cabeça da Bella, fazendo um ninho no cabelo dela

– O quê?

– O que o seu lobinho tem a ver com isso? – Sacha acreditava ter já entendido, mas queria confirmar para não ter confusão depois.

– Bom, você pode dar uns beijos nele. Eu não me importo com isso, confio em você e nele também. – Bela falou tirando o pequeno bicho do meio do seu cabelo e usando ele para pôr fogo nas cartas que Sirius mandará pedindo desculpa pelo ataque que ela e Narcisa sofreram.

– A tá, é isso queria dizer sobre o lobinho. – Sacha ria com um certo nervoso da ideia que Bella lhe dera. – Acho que agora não é a hora certa para esse passo, Nebun, mas uma hora isso irá acontecer talvez, quando isso acontecer eu saberei que não se importa com isso acontecendo.

As duas passaram mais algum tempo conversando sobre tudo que estava acontecendo na escola, os boatos sobre a expulsão dos Marotos estavam se multiplicando e cada vez as teorias eram mais terrivelmente loucos, desde de que eles haviam sido injustiçados com a expulsão até a verde onde eles tentaram matar um pessoa.

Depois de uma noite em que não dormiu, Sacha chegou à conclusão de que estava na hora de fazer o necessário para resolver essa porcaria de trauma que só a atrapalhava e que a atormentava, ela levantou cedo naquele sábado, saiu do seu dormitório e caminhou para a entrada da floresta proibida, encontrou com Hagrid na entrada da floresta e então entrou com ele para lá. Lilian assistia a cena da janela da torre da Grifinória com um sorriso cruel no rosto, ela levantou se trocou e caminhou para a entrada do salão comunal Sonserino, esperou por Severus e partiram para os jardins ficaram boa parte da manhã lá fora sentados juntos entra conversas, trocas de afeto e beijos. Severus parou de responder Lily quando ele viu Sacha saindo de dentro da floresta acompanhada de Hegrid, ele fez menção de se levantar para ir falar com a Sacha, quando Lily o impediu sentando em seu colo e voltando a beija-lo.

Pouco depois que Sacha foi embora para dentro do castelo, Lily se levantou e disse que precisava encontrar com as amigas, pois tinha ficado de ajudar com os deveres delas, Severus não a impediria de ajudar e ficar com as amigas, eles se despediram e foram cada um para um lado, alguns corredores antes da entrada do salão da Sonserina, Snape viu que Sacha conversava com uma garota e depois se virou e passou por ele sem olhar para ele propriamente dito, sumindo corredor a fora junto com a garota que ele não conhecia, como vinha fazendo nos últimos tempos, ele queria para-la e faze-la falar com ele, ele sentia a falta da amizade dela, e pior não entendia por que ela o estava evitando e ignorando, ele achava que devia ter alguma maldição no mês de Novembro para sempre nesse mês a amizade deles virar do avesso e ela parar de falar com ele.

Ele passou o restante do tempo antes do almoço conversando com Regulus enquanto jogavam xadrez de bruxos no salão comunal, um pouco depois do almoço ele foi procurar por Lilian na escola, depois de revirar quase todo o castelo e acreditar que ela estaria na torre da Grifinória o dia todo, quando ele estava quase desistindo de procura-la ela a encontrou com as amigas sentada em um corredor do castelo no qual quase ninguém usava, ele ia se aproximar para chama-la quando ele começou a ouvir a conversa delas, ele se escondeu atrás de uma pilastra do corredor e ficou escutando tudo que as garotas conversavam.

– Bom, pelo menos as minhas notas voltaram a subir. – Lilian ria com as amigas sobre o que ela falava.

– Fala sério Lih, esse cara é muito feio, como consegue? – Marta uma das amigas da ruiva.

– Ora Marta simples, Lupin se afastou de mim, isso aí eu ainda preciso resolver, como ele ousa me deixar de lado por causa daquela coisa sem graça que é aquela maldita garota, eu dessa aí eu ainda vou conseguir me livrar. – Lilian tinha nojo em sua voz assim como ódio, isso estava assustando de certa forma, pois essa Lilian, Severus não conhecia – Mas enfim, sem Sirius aqui para Slughorn bajular, estar com o Ranhoso será o melhor para minhas notas, ele é tão fácil de enganar, só preciso sorrir dar uns beijos nele e pronto, ele me da todas as respostas e ainda me deixa ficar com toda a gloria, assim fica fácil voltar a ser a melhor aluna da sala.

– Nossa como ele é idiota, como ele pode imaginar que você linda e poderosa como é, podendo ter o homem que quiser na sua cama, vai querer justamente ele? – Daiane a outra amiaga disse rindo profundamente de toda a situação.

– Pois é meninas, até por que alguem irira querer ficar com um morto de fome como ele? – As garotas riam enquanto o coração de Severus se partia em milhões de pedaços a cada frase que ouvia. – Pior é pensar que eu tenho de fazer isso, logo com aquele esquisito que nasceu no lixo. Mas, assim eu serei a única considerada como a mais inteligente da minha idade e nem vou precisar me esforçar. Afinal, tenho um otário de estimação. – Ela gargalhava com as amigas enquanto falavam e dividiam uma garrafa de hidromel que trouxeram contrabandeado do vilarejo de Hogsmead.

– Mas fala para a gente, pelo menos ele transa bem? – Marta perguntou no meio da crise de riso.

– Eu não sei, ele até deve ser virgem ainda, até por que quem em sã consciência iria querer transar com um mendigo como ele. – Eles bebiam o hidromel e depois saíram pelo outro lado do corredor.

Severus estava estático, seu corpo não se movia ele sentia sua garganta apertar, seus olhos queimarem como nunca, sentia que seu rosto estava molhado quando o vento frio do inverno soprava pelas janelas do corredor. Ele saiu caminhando pelos corredores do castelo sem se quer enxergar para onde estava indo, caminhava rapidamente de cabeça baixa, assim que passou perturbado por Narcisa que vinha andando na direção dele, ela parou chamando ele, vendo estado em que o amigo estava ela foi atrás dele.

Narcisa só conseguiu o alcançar quando ele parou sentando em sua cama no dormitório da Sonserina, abraçando a pequena gatinha que parecia preocupada com o dono, Narcisa estava extremamente preocupada, nunca virá seu amigo tão perturbado como estava agora, depois de muita insistência ela conseguiu que ele olhasse para ela, seu rosto estava coberto pelas lagrimas que desciam como se tivessem esquecido uma torneira aberta, o choque do que via foi tanto para a loira que ela podia sentir a dor do amigo, o abraçou com força para que ele sentisse que não estava sozinho.

– Ela... ela... estava me usando! – Seu ódio fervia os cacos que restaram de seu coração, ele não podia culpar ninguém além dele próprio, pois lembrava perfeitamente dos amigso o avisando e ele ignorando.

– A Evans, o que ela disse para você, Sevie? – Ela sentia muito pela dor do amigo, queria poder tirar essa dor dele.

Levou um bom tempo até Severus conseguir se recuperar da dor que sentia, antes de conseguir falar algo sobre aquilo, pois sempre que tentava falar as lagrimas, a dor e o nó em sua garganta não permitiam que ele falasse, queria poder apagar a própria memória, queria poder apagar a existência da Evans da sua vida, queria nunca ter ido aquele parque quando tinha nove anos. Quando ele finalmente conseguiu controlar seu emocional destruído e descontrolado, ele contou para Narcisa tudo que havia presenciado, escutado e como ela e o humilhava para as amigas, como a mulher que ele amava esmagou seu coração sem piedade.

– Sevie, sei que está doendo, e não sou capaz de imaginar o tamanho dessa dor. – Ela segurou as mãos dele com delicadeza. – Mas me escute, pelo menos dessa vez, existem pessoas próximas a você que te amam muito e que querem a sua felicidade acima de tudo, então tente parar de sofrer por uma vadia qualquer que não merece seu coração e muito menos uma lagrima sua e preste um pouco mais de atenção ao seu redor que perceberá quem realmente quer o seu bem. Essas pessoas que se importam com você não pensam essas coisa a seu respeito, não é por que você teve uma vida difícil que você é menos que os outros – Ela abraçou delicadamente o amigo fazendo um pequeno afago em seu cabelo. – Lembra quando eu te disse que estava enganado sobre a Lilian? Você sempre foi especial, ela é que era a comum, lembre-se sempre disso. – Se levantou e saiu do quarto dele.

Narcisa se dirigiu a saída do salão comunal e assim que atravessou a passagem encontrou com Bellatrix que a olhou confusa pela feição assustadoramente irritada que a irmã mais velha estava.

– Cissa, o que aconteceu? – Ela estava preocupada com a irmã, aquilo com certeza não era do seu feitio.

– Não se meta nisso Bella! Eu irei cuidar disso! – Narcisa passou pela irmã bufando e caminhou até o pátio do castelo, com sua irmã em seu encalço. Definitivamente aquela história não ficaria assim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...