História Ômega Free - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Fluffy, Hoseok, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Kookmin, Lemon, Namjoon, Romance, Seokjin, Suga, Taehyung, Yoongi
Visualizações 1.794
Palavras 1.802
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores!
O cap tá curto, mas fiz assim para postar rapidinho, ok?

Capítulo 6 - O orgulhoso


Park Jimin não conseguia acreditar que aquele alfa lúpus idiota havia o perseguido na calçada. Sua vida não podia piorar mesmo. Será que não era humilhação o bastante estar todo molhado e à pé no meio da noite?


-O que você quer? - Jimin perguntou. O ômega estava um tanto envergonhado e com raiva por ser encontrado por alguém tão desprezível numa situação tão humilhante: Debaixo de uma chuva forte, a pé, encharcado e carregando sacolas pesadas com ambas as mãos.


-O que pensa que está fazendo nessa chuva? Você não está grávido? - O alfa praticamente gritou as perguntas. Jeon Jungkook estava indignado com tamanha irresponsabilidade. Aquele ômega estava passando por uma gravidez de risco, ele não podia simplesmente sair por aí, de baixo de uma chuva pesada, vestindo roupas tão leves!


Claro que Jungkook ainda não era a favor dos Free, e tinha certeza de que não gostava de Jimin, mas deixá-lo ali seria o cúmulo da maldade! Omegas não devia sequer sair sozinhos, imagina naquele estado!

Jungkook abriu uma porta do carro.

-Entra no carro. - Disse ele. - Vou te dar uma carona.


Park Jimin só queria sumir dali, num foguete, direto para a lua ou para qualquer lugar mais distante do que esta.

Odiava passar por situações que demonstrassem sua fraqueza e sabia que devia aceitar aquela carona, mas não faria isso de forma alguma. Não aceitaria dividir o mesmo espaço que o alfa que o tratou de forma tão rude naquele hospital. Não se permitiria aceitar aquele luxo por causa de seu orgulho como um Free.

-Minha casa é à duas quadras daqui. Eu sei me virar. - Respondeu, duramente, levantando o queixo e seguindo adiante, fazendo força para não demonstrar, de forma alguma, o cansaço que sentia por estar carregando aquela quantidade de sacolas.


Jungkook bufou, indignado, e ligou o carro para seguir o ômega pela calçada novamente.

-Park Jimin, pare de ser cabeça dura. - Disse ele, firmemente. - Você está grávido! - Afirmou.


-Estou grávido, não aleijado. - E Jungkook fez uma careta para a resposta do baixinho. Ômegas não deviam falar aquele tipo de coisa tão rude, muito menos para um alfa lúpus. - Se for para fazer cara feia deixa que eu te dou uns tapas e você já fica com uma cara bem feia para sempre.


Estava o ameaçando agora? Patético.


O lúpus revirou os olhos.

-Você não conseguiria me bater. - Era verdade. Jimin era pequeno demais para aquele tipo de coisa. O ômega loiro era extremamente delicado e fofo e Jungkook era alto e forte, musculoso e intenso. Jimin nada respondeu, apenas deixou suas expressões o tomarem a face. - Agora pare com esse orgulho todo. - Falou Jungkook, ignorando a careta do mais baixo. - Você nem devia estar fora de casa a essa hora.


-Jeon Jungkook, você me deixe em paz! - O ômega gritou, já cansado daquela discussão.


O baixinho acelerou seus passos pela calçada molhada, sem se importar com o alfa ainda o seguindo em seu carro caro ou com as dores no corpo que sentia.

-Bem, acho que não vou te convencer, mesmo que seja para a saúde do seu filho. - Jimin sentiu seu coração se apertar. Amava aquele bebê mais do que tudo no mundo, mais do que a si mesmo, mas não daria o braço a torcer. Não mesmo! - Nesse caso, vou te dar o cartão da minha empresa. Quando precisar de uma carona, venha me ver. - Disse ele, pegando um cartão da JJK Cosmetics em seu bolso do paletó.


Park Jimin revirou os olhos, irritado. Quer dizer que, agora, aquele alfa acéfalo queria o ajudar?


Jungkook sequer sabia o porquê de estar fazendo aquilo, só sabia que Jimin parecia tão frágil e fofo debaixo daquela chuva, o ômega parecia tão abandonado, o lembrava um morador de rua com aquelas roupas finas encharcadas e o cabelo colado na testa. Jungkook costumava ser um tanto frio e racional de mais - Principalmente quando se tratava da sua empresa. - afinal era um lúpus, estava em seu sangue, mas, desta vez, sentiu que seria cruel de mais deixar o gravido ali. Estamos falando de um bebê que nem nasceu!

Sentia vontade de rir por o ômega ter recusado sua ajuda quando, claramente, precisava da mesma, mas deixaria para o fazer depois, agora apenas daria um jeito de manter sua oferta de ajuda de pé, não queria se sentir culpado depois.


Esticou a mão, com o cartão da empresa, pela janela, na direção de Jimin, que parou de caminhar e olhou para a mão do alfa, curioso.


JJK Cosmetics… Jimin se lembrava muito bem de ter sido rejeitado nesta mesma empresa, a pouquíssimo tempo, por ser um ômega. Sequer pôde fazer sua entrevista lá.


O baixinho pegou o cartão preto fosco da mão alheia, com uma das mãos cheias de sacolas, e analisou as escritas que haviam ali, sem acreditar naquela coincidência.

Jungkook sorriu ladino. Era normal as pessoas se impressionarem por seu trabalho. Era um alfa tão jovem e tinha um cargo tão alto numa empresa chamativa e importante no mundo dos cosméticos.


CEO da JJK Cosmetics.


Park Jimin sentiu a raiva o tomar como fogo - Rápido e intenso. Quente e ardendo nas veias.


Ele sequer teve a chance de realizar a entrevista e tudo porque aquele alfa lúpus babaca achou que ele não era bom o bastante por ser um ômega. O idiota sequer o ligou para falar o que pensava, apenas mandou seu assistente - Kim Taehyung. - fazer o trabalho sujo.


Jimin rosnou baixinho, encarando o cartão preto fosco, enraivecido. Jungkook recuou levemente. Ômegas não deviam rosnar… Aquilo era muito sexy e muita falta de educação, o tipo de coisa que se evita fazer em público, no mínimo.


Jimin jogou o cartão com toda a força que conseguiu no chão molhado e pisou em cima, rosnando novamente e esfregando o papel duro na calçada molhada.


-Mas o que… - Jungkook não tinha a menor ideia do que estava acontecendo ali. As pessoas nunca o tratavam daquela forma… Por que Park Jimin estava com raiva? Será que era por que havia o tirado do hospital? Talvez devesse pedir desculpas? Não. Ele não pediria desculpas. Não devia nada aquele ômega mesmo.


Park Jimin levantou o olhar e encarou Jungkook, fixamente, fitando as orbes negras do lúpus. O loiro estava tão irritado que chegava a ser estranho ver aquele tipo de expressão, tão intensa, em um ômega. Ômegas costumam ser doces e gentis, mas Jimin, aparentemente, era bem diferente.

-Fique. Bem. Longe. De. Mim. - O ômega rosnou, palavra por palavra, a voz calma até demais, e Jungkook não pôde deixar de se surpreender.


O baixinho tornou a olhar para frente e caminhou, a passos pesados, em direção a sua casa. Por Deus, como estava irritado!




XXXXXXXX



Jungkook não conseguia entender aquele baixinho loiro de olhos castanhos. Por que era tão difícil aceitar sua ajuda?


Agora mesmo estava dirigindo de volta para a sua empresa e amaldiçoando Kim Taehyung.

Aquele alfa filho da puta - Que era seu amigo, mas vamos relevar isso. - havia o pedido, de presente de despedida, um alfajor que era vendido num mercado um tanto distante da empresa de Jungkook e da moradia dos dois amigos.

Claro que Taehyung apenas havia pedido aquele item de presente para rir de Jungkook por este não poder negar e ter que dirigir até a puta que pariu para conseguir o tal presente.


Claro que Jungkook teve que sair da empresa tarde da noite - O único momento em que conseguiu se “desafogar” do trabalho. - para ir até o maldito supermercado que ficava lá na puta que pariu para comprar o alfajor dos infernos para seu estagiário.


Foi no caminho para o mercado que Jungkook encontrou Park Jimin, encharcado, num estado lamentável, e que toda aquela loucura aconteceu.


Jimin parecia ter muita raiva de JJK Cosmetics e Jungkook não conseguia entender o porquê. Sempre trabalhou duro para aprovar apenas os melhores cosméticos e, mesmo se não o fizesse, Jimin não parecia o tipo de pessoa que tinha dinheiro para testar produtos tão caros, como os lançados pela JJK, e ter alguma experiência ruim com estes…


O alfa fez uma careta ao se lembrar de Jimin rosnando.

Tão mal educado…


Bufou afastando o pensamento de sua mente. Agora precisava chegar em sua empresa para entregar o alfajor do capeta para Kim Taehyung. Se não fosse aquele alfa loiro Jungkook sequer teria encontrado Jimin e sua cabeça não estaria, agora, cheia de besteiras.


Se lembraria de mandar Kim Taehyung enfiar aquele alfajor no cu.



XXXXXXXX



Jimin chegou em casa morrendo de vontade de matar alguém. Aquele fora, oficialmente, o pior dia da sua vida.


Foi rapidamente para a caixa do correio e encontrou alguns envelopes ali. Pegou-os e acelerou para dentro da casa, atrás de algum calor.


Dentro de casa estava frio, mas tudo bem, pelo menos nenhum alfa lúpus maluco o pararia para falar merda.


Jimin não conseguia acreditar em tamanha coincidência. Quais eram as chances de Jungkook ser o alfa que rejeitou-o sem nem conhecê-lo e ainda doou esperma para sua irmã? Se Jimin soubesse que aquele idiota era tão babaca assim não o teria escolhido como doador, com certeza…


Analisou os envelopes que pegou na caixa de correio, tentando se distrair.

O primeiro era a conta de luz do mês passado… Sua irmã havia esquecido de pagar e, agora, teria uma multa… Era só o que faltava mesmo.

O segundo era a conta de luz do mês atual. Um valor baixo, já que Jimin estava economizando. - Ainda bem.

A terceira era a conta de água, que também veio com um valor baixo, pelo mesmo motivo já citado.

A quarta era a mais assustadora: O aluguel.


Park Sun havia implorado para que Jimin atrasasse o aluguel do mês anterior para que ela conseguisse juntar dinheiro para arrumar alguma coisa no carro de ambos. A ômega havia jurado que teria dinheiro para pagar os dois próximos meses, mas ela havia falecido antes de efetuar o pagamento e, agora, Jimin tinha dois alugueis atrasados, o que significava que teria cerca de duas semanas para abandonar a casa, já que não tinha o dinheiro para efetuar o pagamento.


Jimin suspirou pesadamente.

Por que aquele tipo de coisa estava acontecendo consigo?

Duas semanas… Ele nunca conseguiria dinheiro nesse tempo…

O baixinho caminhou até seu quarto, deixando as cartas para trás numa tentativa de esquecer da existência das mesmas, e se sentou em sua cama, se encolhendo e abraçando as próprias pernas.

Suspirou uma vez mais antes de enterrar o rosto nos joelhos e deixar as lágrimas caírem por seu rosto cansado. Lágrimas de tristeza, de medo, de desespero e de amor.

Eram tantos sentimentos juntos que chegava a ser incompreensível.

A mãozinha direita do Park foi até a sua barriguinha sem volume e acariciou ali, delicadamente, enquanto o ômega soluçava repetidas vezes.

-O que vamos fazer agora, meu alfinha? - E então sentiu o coração apertar e a garganta fechar. Estava com medo. - Vou dar um jeito, ok? Você não precisa se preocupar. Vamos ficar bem.



Notas Finais


Gostaram?

Eu vi que algumas pessoas criaram o termo "alfismo" hahahahha, amei mt, sério mesmo hahahaha... Vocês são brilhantes!

Gente, teve gente falando sobre a fic falar de aborto. Bem, em momento algum eu disse que o aborto é certo ou errado, eu prefiro deixar isso para vocês escolherem, ok? Vamos respeitar a opinião um do outro, ok? Cada um pensa de um jeitinho e isso é bom, assim nós ficamos diferentes e as diferenças são lindas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...