1. Spirit Fanfics >
  2. .on 3, run! — norenmin au >
  3. Prologue — soulmate(s)

História .on 3, run! — norenmin au - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


eaiii veiiii
entao, eh a primeira vez que eu escrevo aqui, migrei do wattpad dps de toda a confusão lá, cês tão ligados

talvez eu passe minhas outras fics pra cá, mas por enquanto to focado nessa. espero que gostem!

Capítulo 1 - Prologue — soulmate(s)


Jeno caminhava tranquilamente para seu prédio da faculdade, nas suas bermudas de tactel folgadas, uma blusa qualquer amassada e uma pasta na mão. Nos fones, Stress da lendária Taeyeon tocava em volume estrondoso. Não que ele ligasse muito, sua cabeça estava em outro lugar. 


Seu aniversário de 20 anos era hoje. Ele teria que se apresentar na sede do Santuário de sua cidade para saber sobre sua alma gêmea, ou qualquer seja a pessoa que a Entidade decidisse ser sua parceira para sempre. Jeno estava nervoso, nunca tinha pensado muito sobre a questão até então, ele sempre quis viver o presente primeiro antes de se preocupar com outras coisas. 


Mas agora, ele não conseguia pensar em outra coisa. Não prestou um pingo de atenção em suas aulas, saiu às pressas apenas parando para agradecer os parabéns que recebia aqui e ali. Por fora parecia tranquilo, mas tremia da cabeça aos pés. Como será que ela é? É bonita? Será que irá gostar dele? “Claro que sim, é minha alma gêmea, o que diabos eu estou dizendo”, pensa Jeno. 


Chega em casa num piscar de olhos, pega algumas roupas brancas no seu armário simples e as veste, ainda com a cabeça cheia. Um metrô e dois ônibus depois, barulhentos e cheios, Jeno finalmente se encontra na sede. O lugar grande e todo branco se faz potente no meio das casas pequenas onde moravam os membros do Santuário responsáveis por aquela sede. Ele atravessa o grande portão de madeira, comendo as unha de nervoso. 


Ele já sabia: sentar nos bancos de vidro cintilante, escutar o discurso do Superior, esperar sua vez sentado, levantar-se quando chamado, ir à urna, retirar o nome, ir para casa. Parecia fácil. 


Jeno sentou-se ao lado de outro jovem de 20 anos, como todos ali presentes. O Superior apareceu e se sentou na sua própria cadeira de vidro cintilante no altar. Era bem velho, como todos os Superiores. Jeno sentiu vontade de rir com a ruga estranha em seu rosto carrancudo, mas se segurou como podia. 


— Boa noite, meus queridos jovens. É uma honra tê-los aqui conosco em nossa casa, na casa da Entidade. Vocês estão prestes a fazer o ritual mais importante de suas vidas, e que vai mudá-las para sempre. — O Superior em sua voz rouca e velhaca começou dizendo, e Jeno ainda tentava se segurar de rir da ruga, ainda mais agora com ele falando porque ela se mexia. 


O Superior fez um gesto com a mão, pedindo que um membro se aproximasse. Este trazia consigo uma caixa também de vidro, mas agora apenas vidro simples. A urna, que contém o nome da pessoa destinada. O membro levantou-a para os jovens presentes ao que o Superior continuou seu discurso: 


— Como todos podem ver, os papéis estão em branco. A Entidade que dará o nome e endereço da sua alma gêmea quando o seu papel for empurrado da urna, também pela Entidade. Apenas coloque a mão sobre a urna e espere que sua resposta saia. O resto é com vocês. Uma boa noite novamente, e que a Entidade traga a paz à todos. 


— A Entidade é a força. — Todos respondem em uníssono, inclusive Jeno, que finalmente parou com seu pequeno impulso de riso. Continua esperando sentado, jogando algo em seu celular enquanto os outros iam à sala da urna, um a um. Seus nomes eram chamados de acordo com o registro de nascimento do Santuário, os arquivos que eles dispõe de todas as pessoas nascidas sobre o sistema deles. Jeno achava isso meio esquisito, invasivo até, mas obviamente nunca questionou. 


O nome de Jeno foi chamado. Meio atrapalhado e surpreso por não ter prestado atenção até então, ele seguiu à sala da urna, onde algumas membros o aguardavam de pé em seus vestidos brancos. Ele entrou calmamente, por mais que não estivesse nada calmo, e colocou a mão na urna. Esta tremeu um pouco e parou de repente. Jeno, que antes estava de olhos fechados, encara o papel que saiu da urna, até perceber que havia algo errado: eram dois papéis.


Notas Finais


comentem o que acham e eh isso, até a próxima

meu tt eh @yulyangay caso queiram falar comigo, falooouuu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...