História On Fire - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Kim Jong-dae (Chen), Park Chan-yeol (Chanyeol)
Tags Bottom!chanyeol, Chanchen, Chandae, Chenyeol, Fire!chanyeol, Lightning!chen, Powers!au, Pwp, Top!chen, Top!jongdae
Visualizações 265
Palavras 1.506
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie! Espero que gostem, desculpem por algum erro ortográfico
Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Fanfic / Fanfiction On Fire - Capítulo 1 - Capítulo Único.

Capítulo Único

― Acorde, acorde. ― Chanyeol ouvia a voz de longe, mas tentava ignorar e voltar ao seu delicioso soninho. 

Aish, não queria acordar tão cedo... Ainda não era nem oito horas da manhã e sentia que seu companheiro além de acordar, tinha que leva-lo junto. 

― Ai! Dae! ― Sentiu um leve choque em seu corpo e quase caiu da cama. 

― Agora você pode levantar? Ou também quer sair atrasado? ― Jongdae cruzou os braços. 

― Você me deu um choque?! Amor! ― Chanyeol disse manhoso. 

Desde o início do relacionamento deles mais de dez anos atrás, o Kim sempre fazia isso com o outro. No início até que era sem querer, mas depois não se importou mais de disfarçar. 

Um leve choque não iria doer tanto e o maior já estava mais do que acostumado com aquilo. 

― Ah, eu vou trabalhar de manhã. ― Ele finalmente lembrou. 

― Exato, meu amor. ― Jongdae beijou sua testa. ― E por isso, ainda precisa tomar banho enquanto eu termino o café. 

― Mas, baby, você pode voltar a dormir. ― Chanyeol não entendeu o outro. ― Eu deixo o café pronto para você, ainda está de férias e...

― Eu volto hoje, Chan. ― O menor interrompeu o marido. ― Minhas férias acabaram. 

― Hoje é segunda?! ― Sempre que levantava cedo, o grandão ficava todo confuso por alguns instantes. ― Oh não, você voltará a dar aulas e por isso está usando seu terno. 

― Tenho que estar apresentável. ― Ele ajeitou sua gravata. ― Aposto que até os alunos não lembram que estou voltando hoje. ― Seguiu até chegar em frente ao espelho que tinham no cômodo. 

Começou a ajeitar sua roupa, observando que o terno estava perfeitamente alinhado e passado como tanto adorava. Não percebeu que o Park começou a encara-lo e descer o olhar para seu corpo. 

Porra...

Jongdae tinha um corpo de causar inveja, adorava se gabar de ir na academia duas vezes na semana enquanto ele ia três ou quatro vezes para manter seus músculos em ordem, o menor já parecia ter tudo no lugar e sem defeito algum. 

Mal sentia quando um calor começava a subir por seu corpo só por ter aquela deliciosa visão. 

― Chan! Chan! ― Só percebeu que o lençol começava a pegar fogo quando o companheiro gritou. ― Amor. ― Jongdae gaguejou. ― Está tudo bem?

― Hm? Está sim. ― Chanyeol ainda estava distraído, sem se importar com a peça perdida. ― É só o sono. 

Às vezes, apenas algumas vezes... Aquilo acabava acontecendo.

O Park dominava o fogo como ninguém, era seu poder e seu cabelo flamejante não deixava dúvidas sobre, mas ele não era de ferro e as coisas acabavam escapando de seu controle. Principalmente tendo aquele homem lindo e maravilhoso como seu companheiro, claro que fazia Chanyeol colocar fogo nas coisas, ficar quente como se estivesse em estado febril ou vermelho quase pegando fogo.

Não conseguia disfarçar seus sentimentos. 

Quando entrou no chuveiro, soltou um suspiro ao sentir a água transformando-se em vapor antes mesmo de tocar sua pele tão quente. 

― Calma. ― Murmurou, respirando fundo. 

Tinha poder o suficiente para provocar um incêndio se não conseguisse controlar seus sentimentos. Mas, droga, como iria conseguir se controlar?!

O banho mal lhe ajudou e ao sair do box, quase nem precisou de toalha para se secar. Pois as gotículas de água já tinha desaparecido de sua pele e seu cabelo já estava quase como antes. 

― Isso é ótimo. ― Jongdae dizia para si mesmo, quando o marido saiu do banheiro. ― Esqueci que meus dois primeiros períodos são livres, eu realmente podia estar dormindo mais e ainda descansando, mas não, já estou arrumado e pronto para sair. ― Desfez o nó da gravata e começou a retira-la. 

― Durma e aproveite. ― Chanyeol se aproximou e ante que o moreno falasse alguma coisa, o beijou. ― Descanse. 

― Queria que você descansasse comigo. ― Jongdae resmungou e riu quando o outro distribuiu selos por todo o seu rosto até voltar aos seus lábios. ― Amor!

― Droga, eu tento, mas não resisto. ― O Park lhe empurrou e os dois caíram na cama. ― Você me enlouquece, Dae!

Os beijos se tornaram mais intensos e o Kim podia sentir como o outro estava quente. Usando um pouco de força, conseguiu virar ambos no colchão e então ficou por cima dele, sentando sobre seu colo. 

― Eu tenho tempo para aproveitar. ― Levou as mãos até seus fios ruivos, que quase brilhavam de forma flamejante. ― Mas e você? Logo pode acabar se atrasando. 

― Fique quieto, Dae, não ouse me lembrar disso. ― Chanyeol pediu fazendo os dois rirem antes de voltarem ao ósculo. 

Depois, Jongdae passou a sentir os lábios quentes do maior sobre sua pele um pouco gelada e isso lhe deixava arrepiado enquanto rebolava lentamente contra seu colo. 

― Você não tem ideia do quão quente, me deixa. ― O Park murmurou enquanto o marido tirava a toalha de sua cintura. 

― Eu tenho sim, posso sentir sua pele pegando fogo por minha causa. ― Jongdae quase podia se queimar. ― Tome cuidado, sim? Sabe que o meu corpo não aguenta tanto calor. 

Por causa do poder de raios que sentia, o fogo de primeira não era tão letal para si e após o relacionamento com o ruivo, passou a treinar ainda mais sua resistência quanto aquilo. 

― Eu vou ter. ― Chanyeol disse e seus olhos imediatamente oscilaram entre o castanho e o vermelho, assim que ele sentiu os lábios do moreno sobre seu membro. 

A língua em contato com ele tão quente, fazia com que vapor escapasse de suas mãos enquanto ele apertava o lençol. O quarto parecia uma sauna e o maior gemia baixinho enquanto pedia por mais, elevando seu quadril em alguns momentos para aproveitar melhor a sucção do outro contra si.

― Dae. ― O Park o chamou. ― Por favor, me foda hoje... Me foda o bastante, me deixe mancando. ― Quase implorou. 

― Eu vou, meu amor. ― Jongdae adorava vê-lo perdendo o controle. 

Retirou suas roupas e então, voltou a se abaixar. Beijou de leve a glande do ruivo e levou a língua até sua entrada. 

― Oh, céus! ― Chanyeol gemeu, quase mordendo seus dedos. 

O maldito sabia brincar consigo como ninguém jamais faria, apertou suas coxas e distribuiu tapas na pele que já quase ardia devido a excitação que estava sentindo. 

O Kim durante suas férias havia acordado o marido várias vezes estando entre suas pernas enquanto chupava seu membro, fazendo Chanyeol despertar logo para um orgasmo explosivo e nunca que o ruivo reclamaria daquilo. 

Após prepara-lo bem junto da língua e de seus dedos, Jongdae segurou em suas pernas e as acariciou antes de encaixar o pênis contra a entrada lubrificada e começar a empurra-lo para dentro do esposo. 

― Você é tão bom para mim, Dae. ― O mais novo murmurou, levando suas mãos até a parede. 

O outro tentou não pensar muito naquilo, mas não evitou o pensamento de que a marca de seus dedos ficariam ali por um tempinho. Jongdae aproveitou quando ele virou o pescoço de lado e começou a beijar aquele região, enquanto afundava-se contra seu interior e preparava para começar a estoca-lo. 

― Chan. ― Gemeu contra seu ouvido. 

O Park começou a sentir seu rosto queimar de forma leve e foi só assim que percebeu que lágrimas escapavam por seus olhos, devido ao prazer que sentia e pela excitação. 

― É assim que você quer, amor? ― O Kim perguntou entre gemidos e segurou nas mãos dele, tomando impulso e acelerando seus movimentos. 

― Sim, sim! ― Chanyeol murmurou e entrelaçou seus dedos. ― Porra! Não irei aguentar muito.

Jongdae, foi o primeiro que acabou chegando ao orgasmo. Gozou e continuou com seus movimentos indo de modo fundo e intenso até que o marido também atingisse o seu ápice, coisa que não demorou muito já que seus gemidos eram altos e sua voz rouca não parava um instante de soar pelo quarto. 

Wow... ― O Kim tentava controlar sua respiração. 

― É. ― Chanyeol tentou dizer e o menor saiu de seu interior. 

― Tenho que dizer. ― Jongdae mordeu seus próprios lábios, observando que o travesseiro que antes o outro estava, parecia estar chamuscado. ― Você também me deixa quente, não o suficiente para queimar as coisas... Mas, deixa. ― Não pode evitar a brincadeira. 

Com uma leve dificuldade, o Park sentou sobre a cama e ambos trocaram mais um beijo. 

― Quer tomar um banho? Aquele outro que tomei antes, não me ajudou em nada e nem fez efeito. ― O ruivo fez o convite. 

― Mas, você...

― Não diga! ― O interrompeu, querendo esquecer qualquer possível atraso. ― Ainda estou com muito fogo e você precisa apaga-lo, junto de uma boa água fria. 

― Pode deixar, meu amor. ― Jongdae mordeu seu lábio inferior e o chupou. ― Farei isso. 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...