História On My Way - Mark Tuan - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 32
Palavras 2.517
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Edit: eu excluí e postei de novo o capítulo pelo simples fato de que eu postei o capitulo errado kkkkk aquele era o 21, ignorem a louca e finge que não aconteceu nada

Meus amores, passando aqui no comecinho só pra avisar que hoje eu escrevi o último capítulo de OMW, ela Vai até o capítulo 24, queria que me dissessem o que preferem: um capítulo por dia de hoje até sábado pra acabar essa semana ou dois capítulos essa semana e três na próxima?
Deixem nos comentários pra eu saber, por favor, vou fazer da forma que vocês acharem melhor.

Boa leitura My babies 🖤💜

Capítulo 20 - Capítulo 20


– Mark… me desculpa

– Hm… 

– Não vai falar nada?

– Quero saber pelo que está pedindo desculpas? É por agir como uma criança só por eu ter esquecido de te falar que ia pra escola com meu pai? Tá pedindo desculpas por ser grosso comigo sem eu nem ter feito nada? Quero saber qual é o motivo de estar pedindo desculpas

– Eu… tô pedindo desculpas por tudo… 

– Do jeito que você tá falando, parece que só tá pedindo desculpas pra me agradar, e não por realmente se arrepender… você sabe que eu tento todos os dias ser o mais maduro possível, sei que você é mais velho do que eu e por isso eu tento, pra não parecer uma criança do seu lado… mas hoje você me mostrou que eu não precisava, porque a criança parece ser você… eu não posso fazer um movimento errado, falar um "a" torto porque você já faz um show, já percebeu isso? Você fica sem falar comigo, fica de birra e isso é chato pra cacete

– Mas não é de propósito… eu só fico chateado com algumas coisas que você faz

– E não consegue sentar e conversar sobre o que te deixou chateado? Quantas vezes você já não fez uma merda e ao invés de virar a cara e não falar com você eu fui tentar conversar pra resolver?

– Você tem razão, Mark… me desculpa por agir desse jeito, o que eu fiz foi realmente infantil, não devia ter te deixado na escola 

– Fez de propósito?

Ele ficou calado.

– Poxa, Jackson… -Acabei falando em um tom extremamente decepcionado

– Desculpa, amor…

– Eu acho melhor você ir pra sua casa… -Disse calmo- eu tenho lição pra fazer ainda e quero descansar

– Tá… me liga qualquer coisa… 

Ele saiu de lá com a cabeça meio baixa, fechou a porta e eu voltei a subir as escadas. Fui até o quarto do appa, ele tinha acabado de sair do banho, me sentei na ponta de sua cama sem falar nada e ele me olhou.

– Como foi a conversa?

– Acho que pela primeira vez eu não tô bravo com ele… tô extremamente decepcionado… 

– Isso vai passar… o Jackson sempre foi assim, mas depois ele se arrepende de verdade do que fez

– Espero que sim… ele me deixou lá de propósito…

– Eu sei… você deve ter escutado os gritos

– Eu ouvi sim

Ficamos em silêncio por um tempo.

– Eu vou pro meu quarto tá?!

– Vai lá, depois eu te chamo pra comer alguma coisa

Eu dei um abraço bem apertado no Jae, acho que era tudo que eu precisava, só um abraço. Queria chorar, mas não na frente dele, não queria que me visse chorando por causa disso.

Fui pro meu quarto e me tranquei lá o resto do dia todo. Passei umas duas horas chorando com o rosto no travesseiro. Só consegui parar porque Yugyeom me mandou uma mensagem perguntando se estava tudo bem. Nós ficamos o resto do dia trocando umas mensagens e eu até que consegui me distrair um pouco.

JB chegou em casa por volta das sete horas, acho que o Jae falou que eu não tinha saído do quarto desde cedo, ouvi ele bater na porta e chamar por mim.

– Mark… 

– Sim?

– Tá tudo bem? 

– Sim, appa…

– Eu vou pedir pizza… porque não vem comer no quarto com a gente?

– Tô sem fome

– O Jae disse que você não comeu nada hoje 

– Comi uns biscoitos quando cheguei da escola 

– Mark, abre a porta… vamos conversar direito

– Eu não quero comer… quero ficar sozinho 

– Tá bom então… qualquer coisa sabe que pode falar comigo né?

– Sei sim…

– Te amo, filho…

– Também te amo, appa… 

Ele saiu de lá e eu continuei na cama, a luz estava apagada e eu realmente me senti sem apetite. Eu sempre odiei discutir com Jackson porque eu me sentia extremamente mal e ele sabia disso.

Eu acabei indo dormir, mesmo sem comer nada, apenas me enrolei nas cobertas e peguei no sono.

Acabei me acordando um pouco cedo por conta da hora que fui dormir. Me levantei da cama e saí do quarto, indo até o do JB e do Jae. A porta estava escorada, eu a abri mais e entrei. Eles ainda estavam dormindo, mas eu fui até a cama e dei uma cutucada no braço de Jae.

– Appa… 

– Hm? 

– Posso deitar aqui um pouco?

– Claro, meu anjo… deita aqui…

Ele falou todo sonolento e se afastou um pouco mais para perto de JB, dando espaço para eu deitar. Me enfiei debaixo das cobertas e senti ele mexer no meu cabelo.

– Você não jantou ontem né? Dormiu cedo?

– Hurum… 

Ele ficou sem silêncio depois da minha resposta, senti apenas suas carícias e acabei dormindo de novo, acordei assustado um tempo depois por conta do som do alarme dele. Jae se levantou e eu continuei deitado junto com JB, que acabou acordando também.

– Bom dia, appa… -Falei e me virei de frente para ele

– Bom dia, Mark… 

– Vai mais cedo hoje também?

– Horário normal hoje… 

– Então devia voltar a dormir… 

– Eu não consegui dormir a noite toda preocupado com você… eu só consegui cochilar na hora que você veio pra cá

– Não precisa se preocupar… foi só uma discussão boba… 

Depois que falei isso, Youngjae saiu do banheiro e foi até a cama.

– Vai se arrumar pra escola, meu anjo… 

Eu ainda enrolei um pouquinho mas não demorei muito a levantar. Quando estava saindo do quarto, vi o appa se levantando também.

– Vou levar meus amores pra aula hoje 

– Vai mesmo? -Eu sorri todo empolgado 

– Vou sim

Youngjae também sorriu todo feliz, ele disse que mandaria mensagem pra avisar ao Jackson já que sabia que eu não ia mandar.

Fui pro meu quarto me arrumar e saímos de casa sem muita demora. Durante o caminho, eu avisei a eles que Yugyeom iria pra casa comigo fazer o trabalho da escola. Eles concordaram e logo chegamos na porta da escola. Me despedi deles e saí do carro. 

O dia foi extremamente tranquilo, Yugyeom conversou comigo sobre o que tinha acontecido. Queria realmente entender como ele conseguia me acalmar e mostrar o lado bom de tudo. Fazia muito pouco tempo que nós conhecíamos, mas era como se eu soubesse que a nossa amizade pudesse ir longe, a gente conseguia se entender, era como se tudo se encaixasse. Eu gostava daquilo, ficava feliz por ter o meu primeiro amigo da escola.

Na hora de ir embora, ele perguntou se eu queria ir andando junto com ele, então como minha casa não ficava tão longe, só avisei ao appa e segui o caminho com ele.

– Achei que sua mãe viria hoje de novo

– Ela não pode vir sempre… aí tem dia que eu volto andando, desde que eu comecei a estudar aqui é assim… 

– Hm… se você quiser, posso ir com você sempre que for andando… pelo menos não vai sozinho por uma parte do caminho

– Eu ia adorar… 

Eu sorri e acabei ficando calado, não sabia ao certo o que dizer.

– Quer tomar um sorvete? -Ele falou me olhando e sorrindo

– Hm? Agora? Porque?

– É, agora… é que tá calor… então achei que… 

– Eu quero sim… 

– Tem uma sorveteria que eu gosto de ir… acho que você vai gostar Também

Nós fomos para a tal sorveteria, ficava perto da escola e ela era linda, tinha uma decoração incrível e eu gostei só de olhar.

Nós pegamos os sorvetes e nos sentamos lá dentro, Yugyeom fez questão de pagar o meu por mais que eu dissesse que não precisava. Ficamos conversando por quase uma hora, ele conseguia me prender em qualquer conversa, parecia que o tempo parava quando estávamos conversando.

Yugyeom me acompanhou até em casa depois que saímos de lá, ainda ficamos um tempo na porta conversando e o Jae chegou quando ainda estávamos lá. Ele saiu do carro e agradeceu ao motorista, provavelmente tinha ido de Uber.

Ele veio até onde estávamos e passou a mão no meu rosto.

– Oi, appa… -Sorri para ele

– Oi, anjo… e você… Yugyeom né?!

– Isso mesmo 

– Vocês estão bem?

– Sim, appa

– Demoraram pra chegar… se perderam no caminho?

– Não -Yug deu uma risadinha- levei o Mark pra tomar um sorvete depois da aula 

– Hm~ entendi 

Eu percebi o sorriso do Jae enquanto me olhava, o que fez minhas bochechas corarem um pouco.

– Bom… eu vou entrar e arrumar o almoço… não quer comer com a gente, Yugyeom?

– Talvez uma outra hora… eu nem avisei minha mãe nem nada… 

– Ah sim… qualquer coisa eu tô aqui dentro… 

Jae pegou a minha mochila e entrou em casa, nos deixando sozinhos do lado de fora.

– Você já vai?

– Tenho que ir… 

– Hm… Tá tudo certo pro trabalho de amanhã né?

– Com certeza… 

– Então… acho que até amanhã né?!

– É… 

Nós ficamos nos olhando por um tempo, ele estava na minha frente e eu apoiado com as costas na parede. Estendi os braços para ele, o chamando para um abraço. Ele chegou para perto e eu senti o peso do corpo dele junto ao meu, seus braços rodearam minha cintura e os meus o pescoço dele. Acabei suspirando enquanto ele me abraçava, fechei os olhos e senti ele beijar minha bochecha.

Eu sorri com aquilo e tombei minha cabeça para trás, a apoiando na parede. Acabei soltando uma risadinha quando senti ele espalhar vários beijos pelo meu rosto, elas vieram junto com algumas mordiscadas, dei um tapinha de leve no braço dele e ele ficou me olhando com um sorriso nos lábios.

– É melhor eu entrar antes que não sobre nenhum pedacinho de mim -Falei brincando

– Vai lá… -Ele falou todo doce 

Dei um beijo na bochecha dele, disse que o via no dia seguinte e entrei em casa. Fui até a cozinha e vi o appa mexendo em umas coisas.

– Ele já foi?

– Foi sim… -Me sentei na bancada com um sorriso no rosto

– Então quer dizer que foram tomar sorvete juntos…

– Fomos sim… mas não é pra ficar pensando coisa errada… a gente só tava conversando…

– Aqui na porta também era só conversa? Porque sua bochecha tá com umas marquinhas de mordida… tenho certeza que só tinha vocês dois lá fora, ou chegou mais alguém quando eu entrei e te mordeu assim?

– Foi o Yug sim… mas ele sabe que eu namoro… foi só brincadeira isso aqui… e você também sabe que eu namoro, não devia falar essas coisas

– Eu saber que você namora não me impede de achar que você deve curtir um pouco a vida… seus 16 anos não vão durar pra sempre, a escola não vai durar pra sempre… sei que você gosta muito do Jackson… mas também sei que você tá meio que perdendo a melhor época da sua vida… devia se relacionar com pessoas da sua idade, viver com as pessoas da sua idade… mesmo que não seja com o Yugyeom

– Então quer dizer que- 

Ele me cortou.

– Não quero dizer que você tem que terminar com o Jackson, só quero que você pense no que vai te deixar mais feliz… se vai te deixar feliz ficar com ele, eu apoio super, mas se achar que tem que deixar isso e ir aproveitar um pouco, eu também vou apoiar… a decisão é sua e ninguém pode escolher por você

– É muito bom ouvir isso…

– Por que?

– Eu tava pensando sobre o assunto esses dias… a diferença de idade entre eu e ele nem é tanta, mas… ele tá na faculdade, sabe? Ele já é adulto e às vezes eu penso que pode ser melhor pra ele ficar com alguém da idade dele… imagina as pessoas perguntando pra ele "ah… você namora? Cadê seu namorado" e ele fala "tá na escola"... As pessoas vão pensar o que? É a mesma coisa quando ele chega pra me buscar na escola… é mais fácil as pessoas acharem que é meu tio dirigindo… eu gosto muito dele sim, mas às vezes parece que isso é meio incomodado pros dois lados, sabe?

– Eu entendo o que quer dizer… e você também viveu muita coisa com ele… vocês tem muitas memórias juntos… isso é o que dificulta mais 

– Acho que não dificulta muito pra mim… porque aqui dentro, a vontade que eu mais tô tendo é a de construir novas memórias, de ter novos bons momentos, de ter um novo lugar especial e um novo filme favorito pra assistir com alguém… 

– Eu entendo isso… quando eu tinha a sua idade e tava na escola, sentia isso com algumas pessoas, então eu te entendo por ter esse sentimento de querer algo novo… acho que você tem que pensar direito… se achar que deve tentar mais uma vez, tente… se acha que já foi o suficiente, talvez seja melhor dar um basta… você tem que entender que não tá preso a ninguém…

– Sei disso, appa… e eu vou pensar direitinho, vou conversar com você antes de tomar qualquer decisão… 

Nesse momento, eu ouvi a campainha tocar, estranhei isso já que JB havia dito que chegaria até um pouco mais tarde. Falei pro appa que ia ver quem era e fui andando até a porta. Quando a abri, dei de cara com Yugyeom novamente.

– Yug? Por que voltou?

– Eu tava indo pra casa… mas acho que você sabe que tem um parque aqui perto… eu achei isso aqui e trouxe pra você… 

Ele falou todo fofo e sorridente, estendeu a mão para mim e me entregou uma flor branca.

– Ela é linda Yugye… mas voltou quase da metade do caminho… 

– Não me importo… eu achei ela bonita e queria te dar… 

Eu fiquei olhando a flor por alguns segundos e depois olhei pra ele novamente.

– Acho que agora eu já vou… não quero chegar em casa às seis da tarde 

– Não seria bom… sua mãe te mataria -Sorri pra ele 

– Realmente… então… agora sim, até amanhã

– Até… e muito obrigado pela flor… 

Ele sorriu e virou as costas. Eu ia fechar a porta, mas acabei pegando a mão dele e fazendo com que se virasse para mim novamente. Beijei a pontinha do meu indicador e encostei nos lábios dele. Acho que ver o sorriso dele depois daquilo foi a melhor coisa do meu dia. Ele saiu de lá quase pulando de alegria e eu fechei a porta. Quando me virei para ir até a cozinha, vi o appa escorado na porta dela, com os braços cruzados e um sorriso no rosto.

– Eu vi…

– Não viu nada, appa… -Sorri- Ele só me deu uma flor e saiu

– Vi você agradecendo

– Aish… não foi nada demais, só um gesto de carinho… 

– Sei… também demonstro muito o meu carinho com o JB… 

– Appa! Por favor né 

Ele riu e voltou para a cozinha. 

Eu fui junto com ele, o ajudei a preparar alguma coisa pra comermos e coloquei aquela florzinha em um pouco de água. 

Acho que o appa percebeu o meu sorriso a tarde toda, mas também, não tinha como não perceber, dava pra ver até da lua como eu estava feliz, e eu não fiz esforço pra esconder, queria que todo mundo visse que e eu estava feliz e que o motivo do meu sorriso tinha nome e sobrenome.


Notas Finais


Espero que tenham gostado kkk dessa vez, do capítulo certo

Até o próximo e não esqueçam de falar sobre os dias das atualizações

Kisses 🖤💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...