1. Spirit Fanfics >
  2. On The Line - Taekook >
  3. Capítulo 13

História On The Line - Taekook - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction On The Line - Taekook - Capítulo 15 - Capítulo 13

                 CAPÍTULO XIII 

SEJA MEU ANJO. 

Jungkook tinha a vista embaçada, ouvia longe o barulho da tv ligada e por mais que o sono estivesse indo embora, lutava para voltar a dormir. Estava envolto a um tecido de pelos vermelhos, uma coberta que não era sua. Estava confortável, o frio era inexistente, braços alheios abraçavam sua cintura, e também tinha a pressão do queixo de Taehyung em sua cabeça que só deixava a situação mais íntima.

Na noite anterior Jungkook insistiu para irem ao hospital, só para terem certeza sobre o tornozelo do mais novo, este que negou prontamente dizendo estar melhor. Estão o acastanhado decidiu passar a noite ali, fazendo companhia e cuidando do outro. Ficaram conversando no sofá, enquanto a chuva fraca caía, até que aconteceram um nos braços do outro.

O azulado já estava acordado a tempos, mas não queria acordar Jungkook, por isso não se levantou. Não queria tirar o outro do mundo dos sonhos. Vez ou outra passava uma das mãos pelo cabelo do mais velho em um carinho singelo, achava os fios macios demais para serem ignorados. Os dedos longos se embrenhavam por entre os fios, indo do coro cabeludo até as pontas. Estavam de conchinha no sofá do azulado, Jungkook sentia as carícias e queria permanecer ali pra sempre, era tão bom. Porém nem tudo são rosas. O celular do acastanhado começou a tocar, então Jungkook se levantou para pegar o aparelho na mesinha de centro, deixando uma sensação de vazio nos braços de Taehyung, este que fez careta insatisfeito.

— Alô…? — atendeu meio sonolento, olhou de canto de olho para Taehyung o vendo se sentar. 

Era Jisoo, ela perguntava que hora o bonito - Jungkook - pretendia aparecer no serviço. Disse também que se ela fosse a chefe, o demitiria sem pensar duas vezes por sua falta de responsabilidade. Jeon apenas revirou os olhos olhando para Taehyung novamente, que parecia confuso com o seu silêncio. 

— Soo, estou me dando férias de um dia… Ok? — esperou as centenas de questionamentos da mesma, mas não veio. Pelo contrário, ouviu as voz entusiasmada da jovem, "Isso quer dizer que eu ainda estou no comando??", conseguia imaginá-la saltitando. — Sim — riu — Você ainda está no comando! — bagunçou o próprio cabelo e Taehyung cruzou os braços se sentindo estranho, deslocado. 

— Você precisa ir trabalhar? — perguntou assim que viu o mais velho desligar o celular e depositá-lo novamente na mesa. Jungkook negou com a cabeça em resposta, e sentou-se ao lado da Taehyung. Lutando internamente para não deitar nos ombros do mesmo e mendigar carinho. 

— A Jisoo cuidará de tudo… — disse com dar de ombros, ela já estava a frente da empresa há uma semana, um dia a mais não faria diferença… que tipo de catástrofe poderia acontecer?? 

— Você não precisa fazer isso Jungkookie… — murmurou emburrado, sabia que o mais velho estava fazendo aquilo por si. 

— Não vou te deixar sozinho! — se virou pro Kim o encurralando no sofá — e, eu ainda acho que deveríamos ir em um médico! — direcionou os olhos para o pé alheio. Estava menos inchado que na noite anterior, mas, ainda assim Jungkook se preocupava. 

— Grr, você é tão teimoso Jungkookie! — se irritava fácil com o mais velho, mas sempre a fofura do acastanhado vencia e Taehyung se via rendido de novo pelo mesmo. — Já disse que estou bem. 

— hm. 

— É sério! — insistiu quase rindo do quão preocupado Jungkook parecia. 

— hm. 

— Pare com isso! — virou-se de lado com dificuldade ficando frente a frente com o mais velho. 

— Tanto faz, não tivemos tempo pra fazer um programa entre amigos e, eu pensei, sei lá… Que poderíamos fazer alguma coisa, não queria te deixar sozinho, mas já que você está bem vou ligar pra Soo e dizer que estou indo. — antes que se colocasse de pé Taehyung segurou firme o braço do outro. 

— Jungkookie… — implorou fazendo expressão de choro. — fique! — Jeon já estava mais do que convencido e seu sorriso vitorioso mostrava bem isso. Taehyung sentia vontade de arrancar aquele sorriso no soco, ao mesmo tempo que gostava muito do mesmo. Era tão confuso. 

— Então — se afastou do azulado sentando corretamente no sofá, novamente a sensação de vazio se apossou do mais novo. Queria puxar Jungkook pra perto, gostava da proximidade entre eles, era aconchegante, era como estar em casa. Tão confuso. Talvez Taehyung fosse o único a sentir isso, pois Jeon parecia muito bem estando longe. — O que faremos? 

— Podemos assistir um filme e beber cerveja. — sugeriu e Jungkook torceu o nariz. 

— Um filme seria bom… — aprovou, Taehyung franziu o cenho. 

— Não bebe? — questionou entregando o controle da tv para que o acastanhado escolhesse o filme. 

— Não. — fez careta e sorriu logo que decidiu-se por um filme da Marvel. 

— Certo… — entristeceu-se ao lembrar de JK, mas o mais velho nem notou estava distraído com a intro do filme que começava. 

— Vou buscar sua cerveja — levantou para buscar pois não queria que azulado forçasse o pé. 

— Eu posso fazer isso! — resmungou da sala, mas Jungkook já abria a geladeira e sem vergonha alguma pegava todas as goloseimas que tinham ali. Eram muitas. Pegou a cerveja e um suco de caixinha e voltou se sentando no sofá, depositando tudo na mesinha em frente a eles. — São meus doces! — semi cerrou os olhos vendo o acastanhado abrir uma caixa de bis. 

— Amigos dividem Taehyung! — Jungkook riu estendendo um bis até a boca do azulado, que aceitou obviamente. Este último se aproximou mais de Jungkook para pegar mais doces, não queria ser deixado pra trás comendo menos. Se fosse pra dividir, teria de ser meio a meio, nenhum açúcar a mais, nenhum açúcar a menos. 

***

— Esse filme é legal! — disse tomando mais um gole da cerveja. 

— uhum — Jungkook estava ocupado tomando seu suquinho de uva. Taehyung riu, pois o mais velho parecia uma criança estando de pernas cruzadas, rodeado de doces e todo sujo de salgadinhos. 

— Você tá todo sujo Kookie! — riu escandaloso quando o suco escorreu sujando a camisa amarrotada do mais velho. 

— Shhh — colocou o dedo na frente da boca irritado com a barulheira do Kim — essa é a melhor parte! — Taehyung com dificuldade tentava segurar a gargalhada. Jungkook estava com a boca levemente aberta, os olhos arregalados estando concentrado nas cenas que passavam na tv, as vezes sorria quando seu herói favorito dava alguns socos no vilão, às vezes gritava enraivecido quando esse mesmo herói apanhava. As reações de Jungkook para o Kim com toda certeza eram mais interessantes que o filme. 

— Jungkookie… — chamou, mas foi completamente ignorado. Bufou e se aproximou mais do acastanhado, estendeu a mão para pegar o salgadinho que o mesmo comia, mas este foi mais rápido e afastou o pacote do azulado. 

— Sai pra lá Kim — afastou a face no menor pra longe com um dedo. — Já dei sua parte.

— Oras, não seja mau… — fez expressão fofa e novamente fora ignorado. Bufou e voltou para o canto do sofá que lhe pertencia. 

Focou sua atenção no filme por alguns minutos, mas logo se cansou e voltou a olhar para Jungkook. Estendeu a mão, mas dessa vez não foi para roubar salgadinhos, os dedos longos se enfiaram novamente entre os fios escuros. Taehyung queria atenção. Jungkook ainda tinha os olhos focados no filme, mas já não estava tão alheio ao azulado, sentia os dedos quentinho na sua nuca, desenhando coisas desconexas, fazendo os pelos de Jungkook se eriçarem. Sem que percebesse foi empurrando a cabeça contra a mão do azulado em busca de maior contato, quando percebeu já estava deitado no ombro do mais novo, recebendo um cafuné gostoso. 

— Seu pé não está doendo mesmo? — perguntou fechando os olhos. 

— Só um pouco… — Jungkook levantou os olhos para encarar o outro, sem querer deslizando o nariz pela bochecha alheia. Taehyung parou de respirar. 

— Tae? 

— hm? — respondeu tentando se distrair das orbes escuras. 

— E a sua família? — questionou, nunca entraram em assuntos que iam além deles. 

— Estão em Dengu. — respondeu ficando amoado, estava com saudades. — e o seus? — bebeu mais um gole de cerveja. 

— Sou só eu — respondeu o mais brando possível, pareceu tão firme que Taehyung não questionou. — por que veio para Seul? Só por causa da faculdade? — mudou de assunto sorrateiramente. 

— Sim, mas sinto muito a falta deles. — sua mente divagou um pouco até os seus pais, se questionava se eles estavam bem. Precisava ligar para eles. 

— Imagino… — voltou a deitar no ombro largo, permitindo assim que Taehyung respirasse com mais facilidade. 

— Soo… 

— Hã? — Voltou a subir os olhos, e Taehyung se amaldiçoou. 

— Vocês parecem bem próximos. — comentou ainda sem olhar para o mais velho. 

— Acho que é a segunda vez que você comenta isso… — a feição do acastanhado ainda era confusa. — O que quer dizer com próximos? — frisou a última palavra. 

— Quero dizer relacionamento Jungkook — foi direto, afinal os dois eram amigos e podiam falar sobre essas coisas. 

— Especifique. 

— Amoroso Jungkook — revirou os olhos. 

— Ela é minha secretária! — exasperou fazendo uma careta desgostosa. 

— E daí? — puxou levemente os fios castanhos, por algum motivo não gostando daquela conversa, fazendo Jungkook gemer baixinho bem perto do seu ouvido. Parou imediatamente ao perceber que gostou até demais do som. 

— E daí que, ela é minha amiga! Apenas isso! — ingenuamente foi e puxou os fios azulados também, que reclamou apertando as bochechas do mesmo — Por que todo mundo pensa que temos alguma coisa? — soprou as palavras irritado. 

— Oras, por que parece! — e Jungkook pareceu querer matá-lo com o olhar. Taehyung até se encolheu, apressando-se no cafuné pra ver se amansava a fera. — E, bom… — arriscou-se — Você parece confiar muito nela. 

— Eu também confio em você — disse pegando Taehyung desprevenido. — Esse argumento não serve pra nada — arrebitou o nariz. 

— Tem razão… 

— E a Lisa? Eu sei que vocês são amigos e tals, como se conheceram? — se viu curioso quanto aquilo, tinha gostado muito de Lalisa quando a conheceu, mesmo que não tenham conversado muito. 

— Ah, é uma longa história… O importante é que ela é o meu anjo da guarda — divagou e Jungkook prestou mais atenção nas palavras — ela me ajudou muito, muito mesmo. Sou muito grato a ela e, eu a amo muito. — Jungkook estava impressionado com a confissão do azulado, que nem parecia uma confissão na verdade, já que o mais novo falara com tanta naturalidade. Jungkook sentia inveja da loira, tinha que admitir, queria ser amado assim por alguém. Taehyung parecia firme, sincero, do que disse. 

Permaneceram em silêncio por um longo tempo, Taehyung por divagar no passado e Jungkook por refletir as palavras ditas pelo azulado. 

— Tae? — chamou. 

— Hm? 

— Você é anjo de alguém? — sua pergunta era genuína e Taehyung pensou muito seriamente sobre isso, já ouvira de muitos que era um anjo, mas nunca pegou esse posto para si. 

— Eu espero ser. — respondeu após o fim dos pensamentos. 

— Eu também quero ser o anjo de alguém… — resmungou. 

— Talvez você já seja Jungkookie, talvez você já seja… 

Passaram a manhã, a tarde e o começo da noite assim, assistindo filmes, comendo besteiras e trocando carícias. Era uma amizade estranha, não podiam negar, eram toques demais, sentimentos demais, mas não colocariam isso em pauta naquele momento. 

Quando o dia se findou Jungkook precisou voltar pra casa, não porque queria, mas sim porque precisava. Precisava refletir sozinho sobre todos aqueles sentimentos que estava nutrindo, era tão confuso, por que ao mesmo tempo que era apaixonado por Vante também estava se apaixonado por Taehyung… Era possível? Era possível amar duas pessoas ao mesmo tempo? 

Quando estava com Taehyung, esquecia momentaneamente do atendente, mas era só estar sozinho que as conversas que trocaram vinham em mente. 

Esperava que uma boa noite de sono resolvesse seus dilemas, a voz de Vante cantando para si seria muito bem vinda, mas não, não ligaria. Não queria ser um problema pra ele. O dia seguinte seria longo e traria grandes surpresas. 

***



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...